Últimas noticias

Diminui o uso de ARV de 2ª linha, aponta estudo.

SAN ANSELMO, CA - NOVEMBER 23: Bottles of antiretroviral drug Truvada are displayed at Jack's Pharmacy on November 23, 2010 in San Anselmo, California. A study published by the New England Journal of Medicine showed that men who took the daily antiretroviral pill Truvada significantly reduced their risk of contracting HIV. (Photo Illustration by Justin Sullivan/Getty Images)

O crescimento do número das pessoas que tomam tratamentos de segunda linha “estagnou” nos países em desenvolvimento

Keith Alcorn, Wednesday, August 27, 2008

De acordo com uma investigação da Organização Mundial da Saúde apresentada no XVII Congresso Internacional da SIDA, nos países em desenvolvimento, o crescimento do número das pessoas que recebem tratamentos de segunda linha está “estagnado”, apesar de cortes substanciais nos preços dos medicamentos nos últimos 18 meses.

No entanto, o estudo, conduzido em 30 países que cobrindo 54% dos doentes em tratamento nos países em desenvolvimento, apenas abrange o período até o Agosto de 2007 e pode não reflectir as tendências mais recentes.

A investigação, conduzida pelo Serviço de Medicina e Diagnóstico de SIDA da Organização Mundial da Saúde, foi concebido para ajudar a previsão da procura no futuro e para avaliar o cumprimento das recomendações da OMS.

O questionário distribuído pela OMS descobriu que apenas 3% dos adultos e crianças que tomam medicamentos anti-retrovirais estão em tratamento de segunda linha e apenas 24.620 doentes (nos 21 países que forneceram dados sobre mudança de tratamento) mudaram de tratamento no ano 2007 até o fim de Agosto, quase o mesmo número que no ano 2006, em igual período.

Entre os que recebiam um regime de segunda linha 55% estavam num regime com lopinavir/ritonavir. A OMS recomenda que no tratamento de segunda linha seja usado um inibidor da protease potenciado, de preferência com uma combinação de abacavir/ddI ou tenofovir/3TC. Não existia qualquer informação sobre os regimes usados pelos 45% dos doentes que não recebiam lopinavir/ritonavir.

Entre os que estão em tratamento de primeira linha, apenas 1,5% estão a receber um regime contendo tenofovir, apesar das recomendações para não usar d4T. Sessenta e três por cento estão a receber um regime de primeira linha com d4T, sobretudo d4T/3TC/nevirapina (51% de todos os doentes dos países que responderam tomam esta combinação).

O levantamento também constatou que o crescimento do número de crianças a receber tratamento anti-retroviral pediátrico foi lento. Entre as crianças em tratamento 42% recebem d4T/3TC/nevirapina como regime de primeira linha, enquanto que 60% dos que fazem tratamento de segunda linha estão medicadas com regimes com lopinavir/ritonavir.

O levantamento não foi capaz de determinar as razões deste crescimento lento, mas os autores do estudo sugerem que um diagnóstico precoce da falência terapêutica do tratamento de primeira linha pode ser uma das estratégias para promover mais mudanças para um tratamento de segunda linha.

Referências
Renaud-Thery et al. Use of antivral therapy in resource-limited countries in 2007: uptake of 2nd line and pediatric treatment stagnant. XVII Congresso Internacional da SIDA, Cidade do México, resumo ThPDB103. 2008.

Tradução
GAT – Grupo Português de Activista sobre Tratamentos VIH/SIDA

 cau@soropositivo.org

Anúncios

Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

Estamos aqui para ajudar a pensar, não para diagnosticar

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico
Sobre Claudio Santos (509 artigos)
Depois de passar quatro décadas tentando estabelecer pelo menos um armistício com meu pai e ver as falhas ocorrerem sistematicamente, tentativa após tentativa, eu desisti do sobrenome “de Souza”. Estava me preparando espiritualmente para isso quando uma amiga locupletou a façanha de descobrir onde está minha mãe... Cláudio Santos. Quem preferir, aluda-se a mim como o Cláudio do Site,ou Cláudio do Soropositivo.Org, ou ainda aquele da promessa não cumprida: Cláudio, o trouxa do livro que acreditou em "palavra emprenhada". Eu mostro meu rosto, embora alguns me censurem, porque, no meu modesto ponto de vista, ser portador de HIV não é crime e, portanto, não há do que me envergonhar. Eu contraí HIV pela via sexual. Eu fui um DJ e, durante cinco anos fui DJ no vagão Plaza e durante uns outros dois fui DJ do Le Masque. Lá, um filho da puta me pediu para fazer minhas férias e puxou meu tapete. Aí fui parar na "Segredos", uma casa gay e, de quebra, morei lá por um tempo. Rua da Amargura, onde R.A. Gomes me colocou. Mas dei a volta por cima e fu trabalhar na SKY. Depois, na Pink Panther, em Santos e, enfim, na XEQUE Mate e, terminei minha carreira, aquele que fora três vezes considerado o Melhor DJ de São Paulo, como um apagado DJ do La Concorde e do Clube de Paris, onde conheci uma das mais belas mulheres com quem convivi e a perdi. Conheci alguém novo, uma mulher, "do dia", que me apresentou esta Entidade, o computador e, por muito tempo vivi de consertá-los. Sei, hoje, que ainda há muita gente que me odeia. Quer saber? Get them the hell and fuck off porque eu não dou a mínima. Simplesmente faço meu trabalho e me reporto a Deus... E pra quem não acredita em resiliência, eis meu histórico médico De acordo com o que preceitua o Código de Ética Médica, nos termos da legislação vigente e de conformidade com o pedido formulado pelo interessado, declaro que o Sr Cláudio Santos de Souza, matrícula no serviço sob registro RG3256664J, está em acompanhamento regular com seguintes diagnósticos/CID-10 até o presente momento: #HIV/Aids diagnóstico em 11/1996 (B24) #Candidíase oral 1996 (B20.4) #lnfecção latente tuberculosa tratada com Isoniazida em 1997 (Z20.1) #Arritmia cardíaca: bloqueio parcial ramo D/bradicardia sinusal por antidepressivos tricíclicos em 2006 (I49.9/R00.1) #Depressão (F32) Dislipidemia (E78.5) Diabetes (E14.) Obesidade (E66.) #PO tardio de gastroplastia redutora (técnica Capella 10/2011) #Embolia Pulmonar (126.) em 2011 + hipertensão pulmonar #HAS (110) controlada após cirurgia bariátrica Catarata (H26.9) #Sífilis (A51.0) gonorréia (A54.0), herpes genital (A60) Litíase vesicular (K80.5) #Trombose venosa profunda/tromboflebite MMII de repetição (182.9): 2008, 2009 e 2010 #lntervenção cirúrgica em 21/01/2013: de herniorrafia incisional abdominal, apendicectomia, colecistectomia #Herpes zoster ramo oftálmico 04/2015 (B02) 2 # Neuropatia periférica em membros superiores e inferiores (G62.9), acarretando fraqueza muscular, parestesias e dor, medicado e em seguimento pela equipe de dor #Angioma cavernoso cerebelar - em seguimento com neurologia Tratamento: TDF+3TC+ATVr, ezetimibe, alopurinol, AAS, atorvastatina, enoxaparina, clomipramina, risperidona, zolpidem, clorpromazina, flunitrazepam, gabapentina, amitriptilina, metadona Últimos exames: CD4=1070 (28%)/CD8=1597 rel=0,67 (08/03/2015) e Carga viral- HIV(PCR)

Seu retorno é importante. Nós atendemos às solicitações de textos, desde que ligados ao tema central de alguma forma. Faça seu comentário, de sua opnião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: