Últimas noticias

Herpes

Herpes

O que é herpes?

Herpes é o nome de uma família de vírus. Os vírus do herpes causam diversas infecções e doenças em muitas pessoas, com ou sem HIV. Esses vírus quase sempre causam erupções na superfície externa do corpo: herpes labial, vesícula (pequenas bolhas), dores nos órgãos genitais, catapora e herpes-zoster.Quais são os sinais de herpes?

Os principais tipos de infecções de herpes e seus sinais estão descritos a seguir. Se você apresentar qualquer um desses sinais, procure seu médico imediatamente.

 

HERPES SIMPLES I: Pessoas com herpes simples I estão sujeitas a desenvolver herpes e bolhas nos lábios durante alguns dias ou algumas semanas. Outros sintomas podem incluir febre, cansaço, glândulas inchadas e dores musculares. Esses sinais podem ser consideravelmente mais severos e duradouros em pacientes com AIDS.

 

HERPES SIMPLES II: Em pacientes com herpes simples II é comum o surgimento de feridas doloridas nos órgãos genitais ou no ânus. Antes de uma crise de herpes, e durante ela, os pacientes algumas vezes sentem sintomas parecidos com os da gripe. Também nesse caso, os sintomas podem ser consideravelmente mais severos e duradouros nas pessoas com HIV.

HERPES-ZOSTER: Pessoas com herpes-zoster costumam apresentar erupções cutâneas dolorosas que geralmente se desenvolvem em bolhas com conteúdo líquido. O herpes-zoster é causado pelo mesmo vírus da catapora. Na verdade, é uma reativação de uma antiga infecção de catapora ocorrida há muitos anos. Crises de herpes-zoster são resultado da queda da imunidade do corpo, como acontece em portadores do HIV e em pacientes idosos ou com AIDS.

As infecções de herpes podem ser tratadas?

Essas infecções podem ser tratadas mas o vírus não pode ser eliminado. É possível apenas reduzir sua atividade. O tratamento para uma crise de herpes simples I ou II deve ser iniciado até seis dias após o aparecimento dos primeiros sinais, para que seja possível contê-la rapidamente. O herpes simples e o herpes-zoster são normalmente tratados com um medicamento chamado aciclovir que costuma ser prescrito em compridos ou em pomada.

As infecções por herpes podem ser evitadas?

As infecções de herpes simples costumam se tornar menos intensas a cada vez que reaparecem, e com o tempo podem desaparecer espontaneamente. Consulte seu médico para saber se você precisa de um tratamento preventivo.
Tanto o herpes simples I quanto o II se espalham facilmente quando há feridas mas, ocasionalmente, se desenvolvem em pessoas que não apresentam sintomas, mas são portadoras do vírus. As pessoas contraem herpes através de contatos físicos íntimos, como beijo e relações sexuais. As feridas dos herpes I e II podem se propagar entre a boca e os órgãos genitais dos parceiros durante o sexo oral. Camisinhas reduzem as chances de transmissão durante as relações sexuais. Para evitar que as infecções de herpes se espalhem para outras partes do seu corpo, não coce ou irrite as bolhas e procure seu médico assim que perceber uma erupção.
Muitas pessoas acreditam que as crises de herpes simples estão relacionadas a estresse emocional. A prática de técnicas que visam a redução do estresse, como meditação ou ioga, além da aprendizagem de habilidades para lidar melhor com os problemas, pode ajudar a prevenir a reativação de antigas infecções de herpes.
Se você nunca teve catapora, deve evitar o contato com quem esteja com herpes- zoster. Há uma vacina para a catapora, mas ainda não foi utilizada em larga escala.

Pergunte ao seu médico sobre os seguintes medicamentos, vitaminas e minerais para o tratamento ou a prevenção das infecções por herpes:

  • Aciclovir está disponível em comprimidos, pomada e soluções injetáveis; os efeitos colaterais são raros e restringem-se a náuseas e dores de cabeça.

  • Valaciclovir é uma versão experimental do aciclovir, que apresenta melhor absorção oral. Não há no Brasil.

  • Fanciclovir é uma versão do aciclovir que apresenta melhor absorção oral. Não há no Brasil.

Mais Informações: “Guia de Condutas Clínicas em DST/AIDS”, do Programa Nacional de DST/AIDS do Ministério da Saúde.

Este material foi editado no Brasil pela Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS (ABIA) a partir da série “TREATMENT ISSUES, FACT SHEET – GMHC”.

Revisão Médica: Dra. Rosana del Bianco, infectologista do I.I. Emílio Ribas de São Paulo e Dr. Dráuzio Varella.

Erro
Este vídeo não existe

A herpes infelizmente é uma doença que não tem cura, e pode ficar silenciosa por anos. Estatísticas mostram que 640 mil pessoas são atingidas pela herpes anualmente, e por volta de 90% da população provavelmente tem alguma forma dessa doença. A boa notícia é que, apesar de não ter cura, a herpes pode ser prevenida e também controlada. Para explicar melhor o assunto o Vida Melhor convidou a Médica Infectologista do Hospital Le Forte,Dra. Raquel Muarrek e nos explicou tudo pra nós, não deixe de conferir

Personalidades, especialistas em saúde de todas as áreas, culinária, artesanato, matérias sobre os mais diversos assuntos, sempre visando a qualidade de vida das famílias brasileiras. Tudo isso você vê no “Vida Melhor”, com a apresentadora Cláudia Tenório!

“Vida Melhor” é ao vivo, de segunda à sexta-feira para todo o país.

Se você perdeu algum programa não se preocupe! Reveja o que foi destaque em nossa galeria de vídeos aqui no YouTube! http://www.youtube.com/pgmvidamelhor

Você também pode participar por e-mail, escrevendo para vidamelhor@redevida.com.br

Não esqueça, 12h30 a Claudia te espera ao vivo no “Vida Melhor”! REDEVIDA, O Canal da Família

Anúncios

Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

Estamos aqui para ajudar a pensar, não para diagnosticar

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico
Sobre Claudio Santos (509 artigos)
Depois de passar quatro décadas tentando estabelecer pelo menos um armistício com meu pai e ver as falhas ocorrerem sistematicamente, tentativa após tentativa, eu desisti do sobrenome “de Souza”. Estava me preparando espiritualmente para isso quando uma amiga locupletou a façanha de descobrir onde está minha mãe... Cláudio Santos. Quem preferir, aluda-se a mim como o Cláudio do Site,ou Cláudio do Soropositivo.Org, ou ainda aquele da promessa não cumprida: Cláudio, o trouxa do livro que acreditou em "palavra emprenhada". Eu mostro meu rosto, embora alguns me censurem, porque, no meu modesto ponto de vista, ser portador de HIV não é crime e, portanto, não há do que me envergonhar. Eu contraí HIV pela via sexual. Eu fui um DJ e, durante cinco anos fui DJ no vagão Plaza e durante uns outros dois fui DJ do Le Masque. Lá, um filho da puta me pediu para fazer minhas férias e puxou meu tapete. Aí fui parar na "Segredos", uma casa gay e, de quebra, morei lá por um tempo. Rua da Amargura, onde R.A. Gomes me colocou. Mas dei a volta por cima e fu trabalhar na SKY. Depois, na Pink Panther, em Santos e, enfim, na XEQUE Mate e, terminei minha carreira, aquele que fora três vezes considerado o Melhor DJ de São Paulo, como um apagado DJ do La Concorde e do Clube de Paris, onde conheci uma das mais belas mulheres com quem convivi e a perdi. Conheci alguém novo, uma mulher, "do dia", que me apresentou esta Entidade, o computador e, por muito tempo vivi de consertá-los. Sei, hoje, que ainda há muita gente que me odeia. Quer saber? Get them the hell and fuck off porque eu não dou a mínima. Simplesmente faço meu trabalho e me reporto a Deus... E pra quem não acredita em resiliência, eis meu histórico médico De acordo com o que preceitua o Código de Ética Médica, nos termos da legislação vigente e de conformidade com o pedido formulado pelo interessado, declaro que o Sr Cláudio Santos de Souza, matrícula no serviço sob registro RG3256664J, está em acompanhamento regular com seguintes diagnósticos/CID-10 até o presente momento: #HIV/Aids diagnóstico em 11/1996 (B24) #Candidíase oral 1996 (B20.4) #lnfecção latente tuberculosa tratada com Isoniazida em 1997 (Z20.1) #Arritmia cardíaca: bloqueio parcial ramo D/bradicardia sinusal por antidepressivos tricíclicos em 2006 (I49.9/R00.1) #Depressão (F32) Dislipidemia (E78.5) Diabetes (E14.) Obesidade (E66.) #PO tardio de gastroplastia redutora (técnica Capella 10/2011) #Embolia Pulmonar (126.) em 2011 + hipertensão pulmonar #HAS (110) controlada após cirurgia bariátrica Catarata (H26.9) #Sífilis (A51.0) gonorréia (A54.0), herpes genital (A60) Litíase vesicular (K80.5) #Trombose venosa profunda/tromboflebite MMII de repetição (182.9): 2008, 2009 e 2010 #lntervenção cirúrgica em 21/01/2013: de herniorrafia incisional abdominal, apendicectomia, colecistectomia #Herpes zoster ramo oftálmico 04/2015 (B02) 2 # Neuropatia periférica em membros superiores e inferiores (G62.9), acarretando fraqueza muscular, parestesias e dor, medicado e em seguimento pela equipe de dor #Angioma cavernoso cerebelar - em seguimento com neurologia Tratamento: TDF+3TC+ATVr, ezetimibe, alopurinol, AAS, atorvastatina, enoxaparina, clomipramina, risperidona, zolpidem, clorpromazina, flunitrazepam, gabapentina, amitriptilina, metadona Últimos exames: CD4=1070 (28%)/CD8=1597 rel=0,67 (08/03/2015) e Carga viral- HIV(PCR)

Seu retorno é importante. Nós atendemos às solicitações de textos, desde que ligados ao tema central de alguma forma. Faça seu comentário, de sua opnião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: