Anúncios
News Ticker

Para ser acessível, a PPrE precisará de níveis elevados de adesão.

Pessoal, manter o site nos traz custos, custos estes que estão difíceis para arcarmos sozinhos. Nós queremos continuar trazendo informações e ajudando as pessoas que chegam até aqui, mas para isso também precisamos de ajuda. Qualquer valor é bem vindo e nos ajudará a manter o site de pé, caso contrário não conseguiremos mais ter esse canal de informação e ajuda mútua. Segue a conta para depósito: Banco do Brasil, agência 1521-0, conta corrente 19957-5, em nome de Claudio Souza

HSH

Um estudo realizado na cidade de Nova Iorque no qual se apresentou um modelo sobre a aceitação da profilaxia pré-exposição (PPrE) comprovou que, para resultar econômica, esta estratégia deveria estar muito direcionada aos homens que praticam sexo com outros homens (HSH) que se encontrem em situação de maior risco de infecção pelo HIV. Dentro dessa população-alvo, seriam necessários elevados níveis de uso para obter o máximo aproveitamento dessa estratégia preventiva.

Também seria útil uma redução no preço de Truvada (um comprimido que combina tenofovir e emtricitabina e que atualmente é o único fármaco empregado na PPrE). O modelo apresentou vários cenários e revelou que, embora a PPrE poderia ser potencialmente custo-efetiva ao preço atual de Truvada, somente implicaria uma economia se fosse reduzido à metade de seu preço atual nos EUA. Inclusive neste caso, seria necessária uma aceitação quase universal por parte da população de homens gays em situação de maior risco.

O modelo não encontrou nenhum cenário no qual a PPrE resultasse custo-efetiva se fosse oferecida às pessoas heterossexuais em situação mais vulnerável e praticamente nada custo-efetiva se fosse oferecida às pessoas usuárias de drogas injetáveis.

O custo que implicaria oferecer a PPrE para a população geral seria enorme e resultaria completamente antieconômico. Se a PPrE fosse oferecida para toda a população sem HIV, o modelo prevê que seriam evitadas 29% de todas as infeções por HIV a um preço de 52 bilhões de dólares por ano para cada infeção evitada. Se fosse oferecido a todos os homens que praticam sexo com outros homens, 19% de todas as infecciones seriam evitadas e isso implicaria 1,24 milhões de dólares por infeção evitada. No entanto, se fosse focada nos HSH que possuem “vários relacionamentos simultâneos”, custaria cerca de 740.000 dólares por cada infeção evitada em vida e o custo neto anual seria de 467 milhões de dólares.

ombre de prostituée

Ao supor uma eficácia de 75% na PPrE em lugar de 44% (para recolher as maiores taxas de adesão registrada nas sedes dos EUA do estudo iPrEx), poderiam ser evitadas 22% das infeções HIV pelo mesmo preço e implicaria que a PPrE entrasse no âmbito das intervenções custo-efetivas.

Se o preço do fármaco fosse reduzido à metade e a cobertura nos homens gays em situação de alto risco chegasse a 70%, a PPrE poderia realmente começar a economizar dinheiro. O programa de PPrE custaria menos que a terapia antirretroviral em vida para as infeções por HIV que teriam sido produzidas se não fosse pela profilaxia.

Este modelo no foi aplicado no Reino Unido, mas as cifras obtidas pela aidsmap.com revelam que se a PPrE fosse tomada por 30% dos homens gays que acodem às clínicas de saúde sexual diagnosticados com uma infeção de transmissão sexual aguda (muito relacionada a um elevado risco posterior de infeção por HIV), seu custo não superaria as 38.000 libras por cada infeção por HIV evitada e provavelmente menos se forem utilizados os custos reais de Truvada e do atendimento médico no Reino Unido. Esta cifra está muito próxima do limiar de custo-efetividade utilizado geralmente de 30.000 libras.

Comentário: A PPrE pode resultar custo-efetiva e inclusive supor uma economia de dinheiro em países com elevados níveis de internações e preços elevados dos fármacos, segundo sugere este modelo matemático. No entanto, para que isso ocorra, é necessário que seu uso seja restrito às pessoas que mais precisem dela, é preciso manter os níveis de adesão e o preço dos fármacos precisaria ser reduzido, provavelmente de forma considerável, algo que é pouco provável que ocorra até 2017-2018 como muito cedo, quando expirar a patente do Tenofovir.

Tradução

Diana Margarita

www.tradutoradeespanhol.com.br

Anúncios

Precisa de algo? Ou quer ajudar?






Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

A PEP é um direito de todos! Saiba onde a achar! Clique na imagem

A PEP é um direito de Todos

A PEP É um DIREITO DEDOS

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico

1 comentário em Para ser acessível, a PPrE precisará de níveis elevados de adesão.

  1. For a few Dollars more.
    Eu fui DJ na noite em Sâo Paulo. E trabalhei e “conceituadas casas de prostituição” como, por exemplo, o extinto Vagão Plaza. Tive, nesta casa, alguns affairs. É difícil mesmo para mim, afastado ha mais de vinte anos, explicar como uma simples transa entre amigos (eu e X) podia virar um tórrido romance, com lances de traição, fofoca, intriga, insultos, tapas, beijos e tantas outras coisas eram confundidas com amor. O fato é que era mesmo amor e o que é que a gente não faz por amor?

    No indisse remissivo de minhas culpas ha uma infinidade de enganos e erros e, todavia, há três anotações em meu favor.
    Três vezes eu me envolvi seriamente com garotas de programas e três vezes eu as tirei da noite.
    Depois, findo o amor, eu deixei três casas para elas, com tudo o que uma mulher, antes sem perspectiva, poeria sonhar.
    E nenhuma delas, enquanto acompanhei suas vidas, mesmo que remotamente, voltou para a noite.
    Curiosamente, uma delas festejou o meu diagnóstico HIV positivo e eu fiquei sem entender “lhufas”.
    Por mim, tudo bem…
    E como disse Dom Casmurro: Que a Terra lhe seja leve.

%d blogueiros gostam disto: