Ônibus vai orientar sobre violência contra mulheres

Ônibus vai orientar sobre violência contra mulheres

abuso sexual em onibus

Na semana passada, a polícia prendeu dois suspeitos de abusar de mulheres em trens do metrô

SÃO PAULO, SP, 29 de março (Folhapress) – A Prefeitura de São Paulo recebeu nesta semana um ônibus que circulará pela cidade com uma equipe que dará orientações a mulheres em situação de violência.

A equipe ensinará as mulheres sobre como denunciar agressões e buscar ajuda em órgãos de Justiça e Saúde, além de dar orientações sobre emprego e renda.

A iniciativa é uma parceria da gestão Fernando Haddad (PT) com o governo federal. O ônibus deve circular pela periferia da cidade, onde há alta incidência de mulheres em situação de risco –entre os primeiros bairros atendidos está Parelheiros (zona sul).

Segundo a secretária de Política para Mulheres, Denise Motta Dau, a ideia é que além de equipes do município, um acordo com a Delegacia da Mulher garanta a presença de uma delegada para registrar ocorrências nos casos de violência flagrantes.

O ônibus, que começa a circular no próximo dia 2 de abril, tem duas salas de atendimento, notebooks, projetores, 50 cadeiras e banheiros adaptados.

O veículo já circula em outras cidades da Grande São Paulo.

A inauguração do ônibus na cidade foi feita em evento na presença do prefeito Haddad e da ministra Eleonora Menicucci (Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República).

Abuso nos trens

A ministra disse após o evento que estuda iniciar uma campanha contra a violência contra mulheres dentro do transporte público.

Na semana passada, a polícia prendeu dois suspeitos de abusar de mulheres em trens do metrô.

Menicucci disse que atitudes como essa são dignas de repúdio. “O governo federal lamenta que isso aconteça. É mais uma violência contra mulheres, e nesse caso acontece quando a mulher está indo ou voltando do trabalho. O que estiver a nosso alcance para evitar isso, será feito”, disse a ministra.

Nota do editor de soropositivo.org: Abuso sexual contra mulheres. Mais uma forma, e esta repugnante, de praticar violência contra mulheres.

Acho que nossos mui bem pagos legisladores poderiam dar um jeito de enquadrar isso em estupro, para o sacana ficar um tempo atrás das grades sentindo “nas pregas” como é bom ser abusado