É imprescindível parara com a propagação da AIDS. E, para isso, a condição sine qua non é que as pessoas se conscientizem da necessidade absoluta de se usar o preservativo em todas as relações, mesmo nas uniões estáveis, por mais fiéis que seus parceiros possam parecer. Seuto morreu de velho

AIDS – Isso Não é o Fim

Em: Artigos/fim/HIV/Janeiro de 2015/Noticias

O que vem na sua cabeça quando você ouve as palavras HIV ou Aids? Você sabe a diferença entre as duas palavras? As formas de contágio e prevenção? Teria coragem de ficar com uma pessoa com HIV? E se o seu (a) parceiro (a) descobrisse ser soropositivo, você conseguiria manter um relacionamento com essa pessoa? Você sabia que 250 mil brasileiros tem o vírus da AIDS e não sabem? Você pode estar infectado e não saber. Já fez o teste de HIV? Por quê não?
—————————————-­—————————————-­-
Infelizmente, muitas pessoas pensam que só poderão contrair o vírus da AIDS se forem usuários de drogas, se tiverem o hábito de ter vários parceiros sexuais ou a condição de homossexual. E a realidade não é essa.

Ao mesmo tempo, há aqueles que acreditam que poderão se contaminar por sentar na mesma cadeira de um portador do vírus ou através de um beijo. Outros acreditam que a imunodeficiência já tem cura e, por isso, cuidam-se menos, o que faz o número de infectados aumentar.

Diante desse cenário, buscamos esclarecer os reais riscos e mostrar a realidade de pessoas que apesar de infectadas continuam vivendo, trabalhando, amando, sendo amadas — e transando.

Testemunhos, relatos e orientações de profissionais da saúde e entrevistas comoventes com pessoas que contam como se contaminaram, como lidam com a doença e o impacto que a imunodeficiência teve sobre suas vidas e relacionamentos. O HIV pode afetar qualquer um, inclusive eu, inclusive você.
—————————————-­—————————————-­–
Documentário produzido por Alan Junior de Queiroz e Jamile Luisa Maluly sobre HIV e AIDS.

Eu vivi o terror do diagnóstico. Na época, nada se sabia sobre a doença e meu prognóstico de sobrevivência era de seis meses.

Isso aconteceu há quase vinte anos…

Tags:

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

As ùltimas desde:

As quatro noites

Este é um texto que narra um momento muito específico de minha vida,

We use cookies to give you the best online experience. By agreeing you accept the use of cookies in accordance with our cookie policy.

Subir Volte Para Topo
%d blogueiros gostam disto: