Anúncios

Bea: Soropositivo ha 15 anos! Ha muito mais para mim além do HIV!

Você esta em Início => Histórias Positivas => Bea: Soropositivo ha 15 anos! Ha muito mais para mim além do HIV!
Histórias Positivas
História de uma soropositivo
Uma legítima história de superação. Superação ao racismo, ao preconceito contra pessoas soropositivo, superação do auto-preconceito, superação do medo. Uma vitória do amor
faça sua doação para Soropositivo.Org

 

 

 

 

“Meus filhos podem ser testados também?”

Happy family with arms openEu consegui balbuciar estas palavras. O médico tinha acabado de me dar os resultados de meu teste de HIV; Eu era soropositivo (nota do tradutor: não existe soropositiva, soropositivo é uma condição que não tem gênero masculino para pessoas do sexo masculino e feminino). Minha mente pipocava, fotos mentais de corpos caquéticos que eu vi na minha terra natal, Uganda, apareciam e desapareciam em minha cabeça, as imagens da morte que espocavam em meu espírito eram muito vivas!

Olhei fixamente para ovazio, segurando firmemente meus filhos. Grata por, ao menos, eu era mãe, e a minha preocupação a partir deste momento era com a saúde deles!

Certamente, eles devem ser soropositivos! Eu não poderia imaginar que era possível ter crianças saudáveis após um diagnóstico positivo. Eu podia ouvir o médico falando, ‘não há nenhum modo de testar seus filhos agora porque eles ainda não tem cinco anos de idade’. (nota do tradutor: nem todos os países tem o cuidado necessário com recém nascidos como no Brasil e, em alguns lugares, as crianças só são testadas para o HIV após completarem cinco anos, se viverem tanto)

Não derramei uma lágrima; em estado de choque, deixei o hospital e voltei para casa como um zumbi, para dar a notícia ao meu marido.

Ele era minha única fonte de apoio na época. O estigma era muito alto na minha comunidade e desde que eu não tinha qualquer sintoma físico, não contei a ninguém, além da equipe médica, sobre minha sorologia; este tornou-se o grande segredo da minha vida.

Tudo isto aconteceu no Hospital Mayday. Não recebi qualquer aconselhamento pré-teste e tive que esperar duas semanas para ver um conselheiro mesmo após o diagnóstico! Nenhum especialista clínico de HIV, e eu costumava ver um consultor na clínica de tratamento dos seios. Nomeações de médicos e cuidadores custaram uma longa espera já que não havia tempos específicos alocados e uma sessão de dez minutos com o consultor, se você tivesse sorte.

Ainda bem, porque tudo o que ele fez foi me avisar sobre minha contagem de CD4.

Então me enviam para fazer mais exames de sangue; No laboratório o símbolo temido com um grande sinal vermelho e, no meio as seguintes palavras: ‘altamente infeccioso’. Lembro-me deMedical design ir às escondidas pelos corredores do hospital com meu formulário dobrado até chegar ao departamento de exame de sangue, onde você pode ver o desconforto das enfermeiras, o medo, em sua linguagem corporal; ou eu estava projetando meu próprio medo e desconforto para os outros?

Eu me lembro vividamente que em cada consulta que meu CD4 estava diminuindo e com isso a minha vida. Eu não entendia como funcionava, mas a queda constante, foi uma indicação que eu estava enfrentando a morte iminente.

Perto de ponto de ruptura, fui salva pelo serviço nacional AIDS Helpline que dirigiu-me ao Projeto ACE (nota do tradutor: Procurei referência ao referido projeto e, infelizmente, não logrei sucesso em minhas tentativas). Faz um tempo que a organização fechou, mas as pessoas maravilhosas que conheci lá foram minha salvação. Esta foi minha primeira oportunidade de conhecer outras pessoas como eu, também soropositivos.

A maioria eram gays, uma pessoa em particular me inspirou a continuar, e que era soropositivo há 14 anos.

A flor de lótus brota no fundo do lago e emerge com um esforço supremo das águas que a oprimiam para florescer vitoriosa, como uma das mais belas flores, exemplificando que é da adversidade que nscem as maiores realizações para uma flor, ou para seres humanos. Se você recebeu um resultado positivo para HIV, procure entender a doença e sobreviva muitos anos, com a depoente deste artigo
A flor de lótus brota no fundo do lago e emerge com um esforço supremo das águas que a oprimiam para florescer vitoriosa, como uma das mais belas flores, exemplificando que é da adversidade que nascem as maiores realizações; para uma flor, ou para seres humanos. Se você recebeu um resultado positivo para HIV, procure entender a doença e sobreviva muitos anos, com a depoente deste artigo

Mesmo que meu GP tinha me dado folhetos sobre Positivamente Reino Unido, eu não tive a coragem de contatá-los; Além disso, no momento, eles estavam localizados na rua Sebastian que parecia tão distante e longe de Croydon, especialmente para quem tem duas crianças pequenas. Mal sabia eu que na época não havia assistência de viagem!

Minha vida mudou drasticamente o dia que eu finalmente enfrentei a situação de forma positiva no Reino Unido.

Mal acredito que já se passaram quase 15 anos desde o meu diagnóstico! Muita coisa mudou, mais complacência, aumento de diagnósticos, opções de tratamento, mas permanece o estigma.

Acredito que por trás de toda nuvem é uma prata forro. Hoje posso dizer que meu diagnóstico foi uma bênção disfarçada, porque me deu a oportunidade de compreender o valor da vida e procurar meu verdadeiro eu.

Não poderia concordar mais com Rhonda Britten em deixar o medo: ‘A adversidade tem o efeito de suscitar talentos que caso contrário ficariam permaneceram dormentes.’ A luta continua, mas agora sei que há muito mais para mim além do HIV

Traduzido e adaptado para o Português do Brasil por Cláudio Souza

Assine Nossa Newsletter – Ela É Mensal, Com O Melhor Do Melhor Em Meu Blog






E Você? O Que Acha

Muitas Pessoas, os “sorointerrogativos” olham com desdém para as pessoas com HIV.

Um amigo meu (ex-amigo que levou uma chave…), no passado, ciente de minha condição, referiu-se a outra pessoa, supostamente infectada por HIV da seguinte maneira:

-“Este é outro que está bichado”.

Até hoje eu não entendo os porquês de eu não tê-lo socado até fazer dele um pastel de burro, sei lá.

Como o assuto é sério e esclarecimentos cabem, eu coloco, antes, este vídeo:

Durante Décadas Foi Tabú! Pessoalmente sofri por isso. E Você, teria um relacionamento sorodivergente

Você é portador(a) de HIV? Se sim, conseguiu a aposentadoria ou o auxilio doença como manda a ei ou teve de lutar como um cão?

Precisa Conversar, comece pelos comentários, ou por aqui







Ou Custa A Fã Page do Blog!

 

Anúncios

1 comentário

Os Comentários estão suspensos

Soropositivo.Org, Wordpress.com e Automattic fazm tudo a nosso alcance Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Ler Tudo em Política de Privacidade

Política de cookies e privacidade

Este Site usa Cookies e você pode recusra este uso. Mas pode saber bem o que está sendo registrado em, conssonãncia com nossa política de privacidade