Anúncios
News Ticker

A Infecção primária por HIV. Como detectá-la e como agir?

Pessoal, manter o site nos traz custos, custos estes que estão difíceis para arcarmos sozinhos. Nós queremos continuar trazendo informações e ajudando as pessoas que chegam até aqui, mas para isso também precisamos de ajuda. Qualquer valor é bem vindo e nos ajudará a manter o site de pé, caso contrário não conseguiremos mais ter esse canal de informação e ajuda mútua. Segue a conta para depósito: Banco do Brasil, agência 1521-0, conta corrente 19957-5, em nome de Claudio Souza
Warning applied to human health and computer data

IDSVirus-pandemie-mondeOs primeiros meses após o contato com o HIV fazem parte de um contexto que chamamos de Infecção primária, ou infecção aguda por HIV. Durante este estágio inicial da infecção por HIV, o Sistema imunológico humano está completamente despreparado para combater o vírus que, entrementes, se reproduz em taxas altíssimas de replicação!

O exame de carga viral neste momento da infecção sempre redundará num nível altíssimo de cópias do vírus por ml de Sangue (nota do tradutor: a minha foi de mais de três milhões) – E, frequentemente, muito mais altas do que em qualquer outra fase da infecção por HIV em si.Para piorar, em muitas pessoas há uma queda dramática na contagem de células CD4 destes pacientes, o que, além de expor a pessoa a um número maior de doenças oportunistas, ainda baixa o ânimo do paciente em questão.

Diagnosticando a Infecção Primaria por HIV

A infecção primária por HIV tem muito em comum com os sintomas da gripe ou de outra virose sem maior importância. A estes sintomas, frequentemente, chamamos de doença da soroconversão. Ou síndrome retroviral aguda. Um número em torno de 90% daqueles que foram diagnosticados como soropositivos terão experimentado um ou mais destes sintomas, usualmente durante as quatro primeiras semanas após a exposição inicial ao vírus: febre, rash cutâneo, dores de cabeça, “um certo mal-estar, aftas ou mesmo úlceras na boca, dores de garganta, suores noturnos, perda de peso, cansaço sem causa aparente, gânglios inchados, perda de peso, e alguns sintomas neurológicos como a meningite (nota do tradutor: Eu comecei exatamente pela meiningite que a ISCMSP tratou como gripe().

Estes sintomas aparecem tipicamente alguns dias ou semanas após o Contato com o vírus (HIV) e podem persistir por um período de duas a quatro semanas, Embora as glândulas inchadas podem durar mais tempo.

Entretanto, algumas pessoas podem não apresentar sintomas de nenhuma espécie, ou experimentá-los de forma imperceptível e, portanto, é imprescindível que você faça o exame para a Happy Caretaker Assisting Senior Man In Using Zimmer Framedetecção do HIV sempre que tiver passado por uma situação onde, por livre e espontânea vontade, ou forçada(o) você pode ter adotado algum comportamento de risco – Lembre-se. Os profissionais de saúde não esperam que você seja uma santa ou um santo, muitos deles já têm, no seio de suas famílias, pessoas vivendo com HIV ou AIDS.

Embora muitas pessoas com infecção primária por HIV procurem cuidados médicos para os seus sintomas, o diagnóstico muitas vezes é perdido devido à semelhança com outras doenças.

Muito poucas pessoas, com estes sintomas vão à uma clínica de saúde sexual e procuram um teste de HIV.

No entanto, estão em curso esforços para aumentar as taxas de testes de HIV. Pessoas de grupos com alto risco de HIV (em particular africanas e homens gays) devem ser incentivadas a ir a um Centro de Orientação e Aconselhamento Sorológico –COAS- para fazer um teste de HIV, quando são vistos por um médico ou outro profissional de saúde quando eles têm sintomas de infecção primária do HIV.

Durante este período de teste de HIV

 

Após a infecção pelo HIV, é possível que meses se passem até que o organismo gere células imunológicas que possam reconhecer as células infectadas pelo HIV ou produzir anti-corpos contra o HIV. O período de tempo que o organismo leva para produzir defesas contra o HIV é chamado de soroconversão. Antes disso, todo e qualquer teste para HIV, não importando a eficiência do mesmo, sempre resultará negativo.

Durante a infecção primária por HIV, ou a suspeita dela, outras formas de teste podem ser usadas para detectar a presença do vírus (ou um antígeno). Tais testes respondem a uma proteína específica do HIV, embora quando o HIV torna-se plenamente estabelecido no corpo a proteína se desvanecerá para níveis indetectáveis e o teste será impreciso. Testes que detectam o material genético do HIV só podem identificar o HIV no sangue dentro de uma semana de infecção e continuar a funcionar após a soroconversão.

No Reino Unido a maioria das clinicas de cuidados clínicos com a saúde sexual usará um KIT que combina ambos os testes numa tentativa de obter o resultado mais preciso possível. Estes testes são conhecidos, geralmente, como testes de quarta geração.

Se você está preocupado com a possibilidade de ter tido contato íntimo ou próximo de alguém que talvez possa ser portador de HIV, NÃO PERCA TEMPO, converse com seu médico, vá a um AMA ou equivalente em sua cidade, tal como o UBS e faça o teste para detectar o HIV. Se este contato ocorreu dentro das últimas 72 horas, talvez o médico decida submeter você a uma PPE Profilaxia Pós Exposição  se a situação de risco tenha ocorrido, no máximo, nas últimas 72 horas. Você e seu médico devem também discutir se um tratamento de curta duração, preventivo do HIV chamado profilaxia pós-exposição (PEP) é apropriado para sua situação.

Illustration of a colourful DNA strand on white

  • Tratamento durante a infecção primária
  • No Reino Unido, recomenda-se que o tratamento de HIV deve ser iniciado quando sua contagem de células CD4 é de cerca de 350.
  • No entanto, muitos médicos têm sido interessados em oferecer um relativamente curso-curto (três meses) após tratamento do HIV para as pessoas que recentemente contraíram HIV, como um meio de limitar sua propagação no corpo e reforçar a resposta do sistema imunológico. Alguns ensaios clínicos sugerem que o tratamento durante a infecção primária em um período menos sintomático, com rápida supressão da carga viral e menor infecção viral no tecido linfóide pode trazer benefícios.

Por outro lado, o tratamento durante a infecção primária também aparece reverter a queda na contagem de CD4, que é frequentemente experimentada neste momento. Alguns estudos sugerem ainda que um curso mais longo de tratamento nas fases iniciais da infecção poderia ajudar na preservação de alguns dos “bodys”, capacidade natural para combater o HIV. No entanto, não se sabe como isso vai afetar o prognóstico a longo prazo do povo. Além disso, outros estudos não conseguiram encontrar qualquer benefício real, então ainda há muita incerteza sobre esta estratégia de tratamento.

  • No momento só recomenda-se fazer o tratamento durante a infecção primária se:
  • Você tem uma doença definidora de AIDS.
  • Se o seu sistema nervoso (cérebro, coluna vertebral e nervos) está afetado pelo HIV. (nota do tradutor: Minha infecção primária foi uma meningite. Nos dias de hoje este seria o tratamento adequado para mim… entretanto…)
  • Se você tem uma contagem de células CD4 abaixo de 350.
  • Mas o médico deve tomar decisões em relação ao seu tratamento com base em suas circunstâncias individuais, em discussão com seu médico. Um dos folhetos em nossa série ilustrada, o básico, é projetado para ajudar a apoiar uma conversa sobre as questões. Se a infecção é muito recente e você pode encontrá-lo em nosso website em www.aidsmap.com/thebasics.
  • Contágio
  • Por causa da carga viral altíssima que ocorre durante as fases iniciais da infecção, o risco de transmitir o HIV para outras pessoas, durante a relação sexual desprotegida, por exemplo, pode ser elevadíssimo durante este período, podendo ser interessante adotar esta estratégia de tratamento, acompanhando de um sério tratamento psico-social  que leve a pessoa a buscas a sentirem e demonstrarem respeito humanos o respeito à pessoa humana  coma qual você vai praticar sexo, afinal de contas, não é com uma pessoa que você não ama que você deverá pensar em ter uma transa ou relação sexual. Nem mesmo uma “rapidinha”..

Sexo seguro, bem como o uso de preservativos,são particularmente importantes durante esta fase.  O tratamento de HIV reduz a carga viral e reduz contágio. Se você está preocupado com o risco de passar HIV, isto pode ser outro motivo para considerar o tratamento do HIV durante a infecção primária.

 

Michael Carter, Greta Hughson

Published: 04 March 2013

Traduzido  e Adaptado do Inglês para o português do Brasil por:

Cláudio Souza

Revisão Mara Macedo

Anúncios

Precisa de algo? Ou quer ajudar?






Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

A PEP é um direito de todos! Saiba onde a achar! Clique na imagem

A PEP é um direito de Todos

A PEP É um DIREITO DEDOS

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico

3 comentários em A Infecção primária por HIV. Como detectá-la e como agir?

  1. Posso confiar no resultado dos meu exame ?

    Olá
    Preciso muito de ajuda, pois tive uma relação de risco com uma pessoa de sorologia desconhecida e fiz o exame de HIV 111 dias depois da relação o exame que eu fiz foi a HVI-1 E HVI1 Anticorpos Quimioluminescência( Pesquisa de antigeno P24 e Anticorpos). Porém mesmo sabendo da Janela imunológica. fico meio assim por causa da Soroconversão que é de 120 dias. Porém muitos médicos dizem que depois que 3 meses pode se descartar uma possível infecção e no meu caso eu fiz o exame 3 meses e 19 dias faltando apenas 12 dias para 120 dias.
    Posso confiar no resultado dos meu exame ?

    • a janela imunológica é de 30 dias

    • Eu vou responder a você apenas mais esta vez sobre isso. Janela imunológica é o tempo que o organismo consome para gerar uma resposta imunológica forte o suficientemente grande para ser detectada pelos exames que fazem a busca por estes anticorpos.
      21 anos atrás, quando eu contraí HIV a janela imunológica era de 90 dias. Hoje, qualquer teste rápido que examine o sangue de uma pessoa já é capaz de detectar a resposta imunológica (quantidade de anticorpos) a partir de 30 dias da data da relação de risco. Peço o que eu li aqui, vc está com 111 dias de janela imunológica e isso é mais que o bastante para você sentir-se livre do HIV. Sei que se eu parar este texto aqui, vc me dirá, como tantas outras dizem, “eu tenho os sintomas”.

      Que sintomas? Os sintomas da infecção aguda por HIV são similares ao da gripe ou da dengue, de uma virose qualquer. tanto o é que eu fui tratado durante trinta dias como uma pessoa com um a “gripe renitente e, na verdade, eu tinha, meningite”. Fiquei um pouco mais de três meses em coma por conta disso e perdi 4o quilos. Eu atendo pelo meu WhatsApp, por texto e se ligar eu boqueio, com muitas pessoas que estão na situação que você está e, ao que e parece, vocês sentem-se “culpados” de terem feito algo “reprovável” e que, agora, para purgar este erro, merecem ter AIDS. Doença não é castigo e Deus não nos quer sofrendo sem motivos verdadeiramente claros. E sexo não está enquadrado no rol de crimes verdadeiramente claros, exceto quando alguém, como eu , delinqui no campo das emoções e, ai sim, eu recebi a AIDS, não como um castigo, mas como um puxão de orelhar dado num momento em que, se não se fizesse nada a nível cósmico, eu acabaria perdendo o direito de habitar este planeta e eu dou graças a Deus por esta nova oportunidade que ele me deu. Não sei nada de sua vida, e não vou ficar arriscando prognósticos sobre o que é que vc pode ter feito que a faça acreditar merecedora de AIDS, porque é isso que vocês me fazem ver, quando chegam aqui pedindo alivio. Es vou colar, neste comentário, um texto de muitos anos atrás, que continua sendo muito atual.
      O texto é de 15 anos atrás e, com isso, vc vê que, infelizmente, vc não é a primeira a passar por isso e, novamente infelizmente, não será a última. Clique aqui.

      Que sintomas? Os sintomas da infecção aguda por HIV são similares ao da gripe ou da dengue, de uma virose qualquer. tanto o é que eu fui tratado durante trinta dias como uma pessoa com um a “gripe renitente e, na verdade, eu tinha, meningite”. Fiquei um pouco mais de tres meses em coma por conta disso e perdi 4o quilos. Eu atendo pelo meu whatsapp, por texto e se ligar eu boqueio, com muitas pessoas que estão na situação que você está e, ao que e parece, vocês sentem-se “culpados” de terem feito algo “reprovável” e ue, agora, para purgar este erro, merecem ter AIDS. Doença não é castigo e Deus não nos quer sofrendo sem motivos verddeiramente claros. E sexo não esta enquadrado no rol de crimes verdadeirmente claros, exceto quando alguem, como eu , delinqui no campo das emoções e, ai sim, eu recebi a AIDS, não como um castigo, mas como um puxão de orelhar dado num momento em que, se nao se fizesse nada a nivel cosmico, eu acabaria perdendo o direito de habitar este planeta e eu dou graças a Deus por esta nova oportunidade que ele me deu. Não sei nada de sua vida, e não vou ficar arriscando prognósticos sobre o que é que vc pode ter feito que a faça acreditar merecedora de AIDS, porque é isso uque vocês me fazem ver, quando chegam aqui pedindo alivio. Es vou colar, neste comentário, um texto de muitos anos atrás, que continua sendo muito atuala.
      O texto é de 15 anos atrás e, com isso, vc ve que, infelizmente, vc nao é a primeira a passar por isso e, novamente infelizmente, não será a última. Clique aqui.

4 Trackbacks / Pingbacks

  1. Apesar de raro, é possível criar-se um HIV resistente a antirretrovirais durante a PrEP… | Soropositivo.Org Há Vida com HIV!
  2. Infecção aguda por HIV pode se apresentar de várias maneiras, por vezes como uma doença grave e quase fatal | Soropositivo.Org
  3. O Estudo “START” muda diretrizes britânicas que passam a recomendar o tratamento para todos os soropositivos | Soropositivo.Org Desde 1° de Ago de 2000
  4. O Estudo START HIV muda diretrizes de tratamento soropositivos
%d blogueiros gostam disto: