Tenofovir alafenamide igualmente eficaz, mas mais seguro para os rins e os ossos que a formulação atual

Paul-Sax-presenting-at-CROI-2015

Photo by Liz Highleyman, hivandhepatitis.com

Tenofovir alafenamide (TAF), uma nova formulação que possui menores concentrações no sangue, mas atinge níveis mais elevados nas células, é tão eficaz como a versão mais antiga, tenofovir disoproxil fumarato (TDF), de acordo com um relatório na conferência sobre retrovírus e infecções oportunistas (CROI 2015) ocorrendo esta semana em Seattle, EUA. Um segundo estudo mostrou que a TAF tem menos efeitos prejudiciais para os rins e os ossos em comparação com TDF. TAF foi submetido para aprovação na Europa e nos EUA.

Fumarato de disoproxil tenofovir (Viread), da Gilead Sciences, é uma das drogas anti-retrovirais mais amplamente utilizadas. É um componente da coformulação do Truvada – usado para o tratamento de HIV e profilaxia pré-exposição (PrEP) – e dos regimes tratamento de dose única, Atripla, Eviplera, Complera and Stribild. TDF é altamente potente e geralmente segura e bem tolerada, mas pode causar toxicidade renal e óssea em alguns pacientes.

TAF é uma nova pro-droga que entrega o agente ativo, tenofovir difosfato, mais eficientemente para células infectadas com HIV. TAF produz níveis intracelulares adequados com doses mais baixas, o que significa menor concentração no plasma sanguíneo e menos exposição de drogas para os rins, ossos e outros órgãos e tecidos. Um ensaio clínico de fase 2 anteriormente mostrou que um regime de TAF mais emtricitabina, elvitegravir e cobicistat era comparável a TDF emtricitabine elvitegravircobicistat (Stribild), mas causou menos perda de imparidade renal e óssea.

Osteoarthritis : KneeConsiderando que versões mais baratas, genéricas de tenofovir disoproxil fumarate estarão disponíveis em muitos mercados ocidentais em breve, TAF vai ser um novo produto exclusivo de Gilead e protegido por patente.

David Wohl da Universidade da Carolina do Norte apresentou resultados primários com o combinado de dois estudos de fase 3 (GS-U.S.-292-0104 e GS-U.S.-292-0111) observando a atividade antiviral e há total segurança em um regime se um só comprimido diáriocomo o novo TAF. Paul Sax do Hospital Brigham and Womens em Boston coduziu, no dia seguinte, um relato do estudo com dados sobre os efeitos do TAF sobre os rins, ossos e lipídios.

Os estudos 104 e 111 foram randomizados, realizados na Europa (ambos), América do Norte (ambos), América Latina (111) e Ásia (estudo 104). Juntos, eles incluíram 1733 participantes previamente tratados com características semelhantes em ambos os ensaios.

A maioria (85) eram homens, um quarto eram negros, 19 foram Hispanico/Latino e a idade mediana foi de 34 anos. Eles tinham a doença de HIV bem controlada com uma carga viral mediana de 4,58 log10 copiesml e uma contagem de CD4 mediana em cerca de 400 células por mm3 de sangue. Eles tinham a função renal normal na linha de base com uma taxa de filtração glomerular estimada mediana (eGFR) de aproximadamente 115 ml/min.

Os participantes foram escolhidos aleatoriamente para receber um regime de um comprimido uma vez por dia contendo emtricitabina, elvitegravir e cobicistat com 10mg TAF ou 300mg TDF. A análise preliminar foi feita na quadragésima oitava semana de tratamento.

Eficácia e resultados globais de segurança

Viread(TenofovirDisoproxilfumarate)3152013124501PMOs dois regimes tinham semelhante alta eficácia, mostrando que o coformulação TAF não é inferior à co-formulação com o TDF. Em 48 semanas, 92 pessoas no braço TAF e 90 no braço TDF alcançaram supressão viral (HIV RNA < 50 copies ml) na análise combinada (93 vs 92 em estudo 104; 92 vs 89 em estudo 111). Ganhos de célula CD4 também foram semelhantes, em 211 células/mm3 no braço TAF e 181 células mm3 no braço TDF.

Taxas de supressão viral para os regimes TAF e TDF foram semelhantes independentemente dos participantes terem carga viral alta ou baixa da linha de base, contagens de CD4 acima ou abaixo de 200 sexo células/mm3, homem ou mulher, seja de raça negra ou não e idade maior ou menor de 50 anos.

Em ambos os estudos, 4 dos participantes experimentaram falha terapêutica. Entre o pequeno número (2) que preencheram os critérios para a resistência de testes, muito poucos em dos braços mostraram evidência de quaisquer mutações de resistência primária (0.8 com TAF, 0.6 com TDF).

O tratamento geralmente foi seguro e bem tolerado. Segundo o Dr Wohl foram apresentados perfis de segurança global das drogas, que foi semelhante em ambos os braços. Havia 45 pacientes (5) o braço TAF e 71 (8) no braço TDF que descontinuaram o tratamento mais cedo, incluindo as pessoas de 8 e 13, respectivamente, que foram forçados a abandonar o estudo por conta de eventos adversos.

Cerca de 40 participantes experimentaram efeitos adversos, provocados pela droga, de leves a moderados. Os efeitos colaterais mais comuns foram diarréia (18), náusea (16) e dor de cabeça, tudo ocorre com freqüência semelhante em ambos os grupos. Nos braços TAF e TDF e foram poucos eventos adversos graves (8 contra 7) ou mesmo de descontinuação da administração das drogas do estudo por esse motivo (0,9 vs 1.5); 20 anormalidades laboratoriais de classe 3 ou 4 em ambos os grupos.

Nada se destacou em termos de associação de eventos adversos com TAF que já não tem sido visto com TDF, disse Wohl.

Liz Highleyman

Publicado em: 27 de fevereiro de 2015 em http://www.aidsmap.com/Tenofovir-alafenamide-equally-effective-but-safer-for-kidneys-and-bones-than-current-formulation/page/2949354/

Traduzido Por Cláudio Souza, com apoio do Tradukka

 

Nota do Editor: Geralmente eu faço algum cometário sobre a notícia que posto. Entretanto, já que você chegou até aqui, sugiro que você leia o link que vira a seguir e observe como a Gilead (um grande laboratório farmaceutico em busca de soluções para uma vida melhor) “espreme até a última gota os seus “limões”em um outro texto, Traduzido por Rodrigo S. Pellegrine:

“É hora do Tenofovir 2.0”  Prestem muita atenção ao que realcei em vermelho

Digiprove hereby certifies that user hivpositivoorg@gmail.com (Claudio SOuza) was in possession of the content detailed below at 3 March 2015 22:55:10 UTC:

Certificate Number:  P600574
Digital Fingerprint:  2A427702EE8E838618818FB71436A7BF
CB1B9C3EC2F4F7E883000D2552BD5CDF
Notes:  This certificate was issued by Digiprove Ltd., registered in Ireland number 414284. The digital fingerprint was calculated by applying the ‘SHA256’ algorithm to the content. Digiprove keeps a secure provable audit trail of all certificates issued. The attached ‘.p7s’ file contains this certificate in digitally signed form, for you to store safely and/or copy as required.
The certificate has also been included in our secure, provable, audit trail.  Details of this certificate are published athttp://www.digiprove.com/show_certificate.aspx?id=600574&guid=sxXmN3-Bl0OHWMAMMVXGOg.