Últimas noticias

Lei Maria da Penha: Senadora Lúcia Vânia lamentou o alto índice de violência de gênero

O patife que abusa da esposa, sua consorte e bate nela também é capaz de abusar sexualmente de crianças. Duplamente criminoso merece morrer mil mortes, e as morrerá

maria-da-penhaA relatora da Lei Maria da Penha, senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO), disse, acertadamente, que na questão da violência contra a mulher existe uma questão cultural a ser mudada; ela disse isso no Seminário “Avaliação da Lei Maria da Penha e o Futuro das Políticas de Prevenção à Violência contra a Mulher”, no dia 4 de março de 2015, um evento do IPEA.

Em sua fala, Lúcia Vânia avaliou o período em que debruçou-se sobre a questão e fez a relatoria do Projeto que deu origem a Lei Maria da Penha.

Ipsis literis  Vânia afirmou:

“Como relatora da proposta no Senado Federal, tive a grande oportunidade de me debruçar sobre este tema que é a um só tempo tão delicado quanto corajoso. Delicado porque traz à pauta das políticas públicas um problema endêmico não somente no Brasil, mas em todo o mundo, que é a violência vil e covarde ao gênero feminino. E corajoso porque enfrenta o silêncio envergonhado de uma sociedade e de um Estado que desprezavam por completo o direito – e o desejo – de milhões de brasileiras de sentirem-se efetivamente protegidas, dentro de um ambiente que lhes deveria ser de paz, amor e aconchego: o próprio lar”, enfatizou.

 

Citando dados do IPEA a Senadora lamentou o fato visivelmente óbvio os números serem expressivamente altos com mudanças sem real significância (as ações para conter violência contra a mulher, ou violência de gênero, se mostram “sem significação”. Em consonância com o estudo do IPEA à exceção do ano de 2007, período imediato à promulgação da lei os índices caíram, para, logo em seguida remontarem ainda mais agressivos e a violência contra a mulher exacerbou-se como pode se ver nos dados abaixo:

A taxa de mortalidade foi de 5,28 por 100 mil mulheres no período de 2001 a 2006, antes da lei, e de 5,22 no período de 2007 a 2011, após a lei.

 “A redução foi insignificante. Ocorre uma morte, um caso de femenicídio, no Brasil a cada noventa minutos nos dias de hoje.

Debalde o fato de termos obtido avanços com a lei, ainda assim são 4,4 assassinatos a cada 100 mil mulheres, colocando o Brasil no 7º lugar no ranking de países nesse tipo de crime repugnante.”

Como editor de Soropositivo Web Site acompanho, estarrecido, o volume de barbaridades cometidas neste ponto “da relação masculino/feminino.”.

Tempos atrás conversava com um amigo por telefone e ele me contou que nas imediações da residência dele há algumas boates e, certa feita, um homem (???) chegou até a porta do local onde se deparou com a própria esposa e a esfaqueou.

Sugeriu-me, então, que eu fizesse uma pesquisa com as palavras chaves “homem esfaqueia mulher”.

Eu fiz e coloquei, agora, o link na própria frase para que você, prezada leitora, passe a olhar com atenção redobrada os seus pretendentes porque cada novo namoro é sempre um risco e eu conheci uma garota de programas que me contou que, quando ela fazia sexo com ele, havia uma posição onde ele aproveitava o “ângulo ruim de visão” para retirar a camisinha e penetra-la sem proteção. Algo que, a meu ver, chega a ser um ato criminoso dada a realidade em que vivemos.

Eu, infelizmente, sou obrigado a dizer que, diante destes fatos, chego a ter vergonha de ser homem, por conta da patifaria feita por estas criaturas abomináveis, só comparáveis a outros patifes, que fazem e desfazem as leis segundo seus interesses subalternos que, como por exemplo, removeram a palavra “Gênero” e usaram “Sexo” para, simplesmente desguarnecer os casais homo afetivos onde a violência campeia como a morte na Idade Média, que é onde parece que podem estar os _cérebros_ dos “parlamentares” da bancada evangélica, que já começa a criar uma situação odiosa de intolerância religiosa de tal forma que eu já não sei se chamo-os de evangélicos, protestantes (pobre Lutero que teve sua visão e o mote de sua vida de serviço a Deus completamente distorcida e prostituída!) ou New Talibãs…

Na contrapartida, pela luta por igualdade, temos isso, que é uma esperança:

Jean Wyllys

A Câmara acaba de aprovar o PL 8305/201, que qualifica como “feminicídio” o homicídio praticado contra a mulher em razão de seu “sexo feminino” (antes, estava “gênero”) e agrava a pena. A bancada fundamentalista ameaçou impedir a aprovação do projeto caso a palavra “gênero” não fosse substituída por “sexo”, uma vez que “gênero” incluía como vítimas as mulheres trans (vejam na foto o tumulto causado!). A bancada feminina teve de ceder. É mais uma prova da força política da bancada de fundamentalistas religiosos, obscurantista e ignorante.

Fizemos o possível para aprovar o texto original. Agora nos resta investir em ações políticas, como a parceria com o Facebook que noticiamos ontem (http://bit.ly/1B3RX7r).

Mas isto já é tema para outro artigo

Anúncios

Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

Estamos aqui para ajudar a pensar, não para diagnosticar

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico
Sobre Claudio Santos (509 artigos)
Depois de passar quatro décadas tentando estabelecer pelo menos um armistício com meu pai e ver as falhas ocorrerem sistematicamente, tentativa após tentativa, eu desisti do sobrenome “de Souza”. Estava me preparando espiritualmente para isso quando uma amiga locupletou a façanha de descobrir onde está minha mãe... Cláudio Santos. Quem preferir, aluda-se a mim como o Cláudio do Site,ou Cláudio do Soropositivo.Org, ou ainda aquele da promessa não cumprida: Cláudio, o trouxa do livro que acreditou em "palavra emprenhada". Eu mostro meu rosto, embora alguns me censurem, porque, no meu modesto ponto de vista, ser portador de HIV não é crime e, portanto, não há do que me envergonhar. Eu contraí HIV pela via sexual. Eu fui um DJ e, durante cinco anos fui DJ no vagão Plaza e durante uns outros dois fui DJ do Le Masque. Lá, um filho da puta me pediu para fazer minhas férias e puxou meu tapete. Aí fui parar na "Segredos", uma casa gay e, de quebra, morei lá por um tempo. Rua da Amargura, onde R.A. Gomes me colocou. Mas dei a volta por cima e fu trabalhar na SKY. Depois, na Pink Panther, em Santos e, enfim, na XEQUE Mate e, terminei minha carreira, aquele que fora três vezes considerado o Melhor DJ de São Paulo, como um apagado DJ do La Concorde e do Clube de Paris, onde conheci uma das mais belas mulheres com quem convivi e a perdi. Conheci alguém novo, uma mulher, "do dia", que me apresentou esta Entidade, o computador e, por muito tempo vivi de consertá-los. Sei, hoje, que ainda há muita gente que me odeia. Quer saber? Get them the hell and fuck off porque eu não dou a mínima. Simplesmente faço meu trabalho e me reporto a Deus... E pra quem não acredita em resiliência, eis meu histórico médico De acordo com o que preceitua o Código de Ética Médica, nos termos da legislação vigente e de conformidade com o pedido formulado pelo interessado, declaro que o Sr Cláudio Santos de Souza, matrícula no serviço sob registro RG3256664J, está em acompanhamento regular com seguintes diagnósticos/CID-10 até o presente momento: #HIV/Aids diagnóstico em 11/1996 (B24) #Candidíase oral 1996 (B20.4) #lnfecção latente tuberculosa tratada com Isoniazida em 1997 (Z20.1) #Arritmia cardíaca: bloqueio parcial ramo D/bradicardia sinusal por antidepressivos tricíclicos em 2006 (I49.9/R00.1) #Depressão (F32) Dislipidemia (E78.5) Diabetes (E14.) Obesidade (E66.) #PO tardio de gastroplastia redutora (técnica Capella 10/2011) #Embolia Pulmonar (126.) em 2011 + hipertensão pulmonar #HAS (110) controlada após cirurgia bariátrica Catarata (H26.9) #Sífilis (A51.0) gonorréia (A54.0), herpes genital (A60) Litíase vesicular (K80.5) #Trombose venosa profunda/tromboflebite MMII de repetição (182.9): 2008, 2009 e 2010 #lntervenção cirúrgica em 21/01/2013: de herniorrafia incisional abdominal, apendicectomia, colecistectomia #Herpes zoster ramo oftálmico 04/2015 (B02) 2 # Neuropatia periférica em membros superiores e inferiores (G62.9), acarretando fraqueza muscular, parestesias e dor, medicado e em seguimento pela equipe de dor #Angioma cavernoso cerebelar - em seguimento com neurologia Tratamento: TDF+3TC+ATVr, ezetimibe, alopurinol, AAS, atorvastatina, enoxaparina, clomipramina, risperidona, zolpidem, clorpromazina, flunitrazepam, gabapentina, amitriptilina, metadona Últimos exames: CD4=1070 (28%)/CD8=1597 rel=0,67 (08/03/2015) e Carga viral- HIV(PCR)

Seu retorno é importante. Nós atendemos às solicitações de textos, desde que ligados ao tema central de alguma forma. Faça seu comentário, de sua opnião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: