Anúncios
News Ticker

Alto índice de infecção pelo HCV na África subsaariana, com prevalência especialmente elevada em pacientes com HIV

Pessoal, manter o site nos traz custos, custos estes que estão difíceis para arcarmos sozinhos. Nós queremos continuar trazendo informações e ajudando as pessoas que chegam até aqui, mas para isso também precisamos de ajuda. Qualquer valor é bem vindo e nos ajudará a manter o site de pé, caso contrário não conseguiremos mais ter esse canal de informação e ajuda mútua. Segue a conta para depósito: Banco do Brasil, agência 1521-0, conta corrente 19957-5, em nome de Claudio Souza

“Há uma clara necessidade não atendida para a prevenção e o tratamento para HCV, o acesso ao tratamento precisa ser melhorado para ambos os grupos, tanto o monoinfectadp e coinfectado,” concluem os autores.

Referência

Rao VBR et al. Hepatite C a soroprevalência, co-infecção com HIV na África sub-Saariana: uma revisão sistemática e meta-análise.The Lancet infectar Dis, on-line: dx.doi.org/10.1016/S1473-3099(15)00006-7 (2015).

Michael Carter
Traduzido por Claudio Santos de Souza do original em High HCV infection rate in sub-Saharan Africa, with prevalence especially high in patients with HIV em Domingo, 14 de Junho de 2015.

Anúncios

Africa designAlto índice de infecção pelo HCV na África subsaariana, com prevalência especialmente elevada em pacientes com HIV

A prevalência do vírus da hepatite C (HCV) é alta na África sub-Saariana, de acordo com um relatório na revista Lancet de Doenças Infecciosas. REINO UNIDO. Os pesquisadores realizaram uma meta-análise de 213 estudos envolvendo cerca de 1,2 milhões de pacientes em 33 países. A prevalência global do HCV foi de 3 %, mas foi diferente entre regiões e grupos de risco. Aproximadamente 6% dos pacientes HIV-positivos foram coinfectados com HCV.

“Temos registrado uma alta soro prevalência do vírus da hepatite C entre as populações da África sub-Saariana, inclusive em pacientes HIV-positivos adultos”, comentam os autores. “Nós identificamos uma variação regional”.

Globalmente até 150 milhões de indivíduos estão infectados com HCV. A infecção, portanto, representa um importante desafio para a saúde global, especialmente para os países mais pobres. OS dados sobre a epidemiologia do vírus da hepatite C na África sub-Sahariana ainda são subinformados. Em uma revisão publicada em 2002 foi encontrada uma prevalência de 3 %, mas com significativas variações regionais. Poucos estudos examinaram as taxas de coinfecção HIV/HCV, mas há algumas evidências de que o HIV está associado a um maior risco de infecção pelo HCV.

Os pesquisadores queriam para atualizar conhecimento da epidemia de HCV na região. Assim, realizou uma revisão sistemática e uma meta-análise de estudos publicados entre 2002 e 2014 que relatou sobre uma prevalência de HCV na África sub-saariana e as taxas elevadas de coinfecção HIV/HCV.

Os estudos foram divididos de acordo com a questão de se saber se a população foi considerada de baixo risco para o VHC (os participantes; doadores de sangue, pacientes recrutados na população em geral), ou de alto risco (pacientes com doença hepática; pacientes que tinham recebido os produtos derivados do sangue ou sofrido cirurgia e usuários de drogas injetáveis).  Os pacientes com infecção pelo HIV foram considerados separadamente.

Um total de 287 colaboradores foram incluídos na análise, e o HCV taxa de prevalência foi de cerca de 3 %.  No entanto, este índice variou entre de região para região, variando de 7% na África central para 4% na África ocidental e 1% no sudeste africano.

Baixa prevalência global de grupos de risco foi avaliada em 2,65 %.  Mas mais uma vez houve algumas variações regionais com as taxas de infecção mais elevadas na África central e menor no sudeste africano.

Pouco mais de 3% dos participantes em clínica pré-natal eram HCV positivos, uma taxa de infecção semelhante ao que se observa em toda o população de baixo risco. Os pesquisadores, portanto, sugerem que as pacientes em pré-natal seriam uma boa população para acompanhar as tendências do HVC na população em geral.

Cerca de 12% dos indivíduos de alto risco estavam infectados com HCV. Prevalência variou entre 46% em uma coorte de usuários de drogas injetáveis no Quénia a 10% entre os pacientes com doença hepática.

Aproximadamente 6% dos pacientes com HIV estavam coinfectados com HCV, com taxas variando de cerca de 7% na África ocidental a 4,5% no sudeste africano.

“Há uma clara necessidade não atendida para a prevenção e o tratamento para HCV, o acesso ao tratamento precisa ser melhorado para ambos os grupos, tanto o monoinfectado e co-infectado,” concluem os autores.

Referência

Rao VBR et al. Hepatite C a soroprevalência, co-infecção com HIV na África sub-Saariana: uma revisão sistemática e meta-análise.The Lancet infectar Dis, on-line: dx.doi.org/10.1016/S1473-3099(15)00006-7 (2015).

Michael Carter

Publicado em: 10 Junho de 2015

Traduzido por Cláudio Santos de Souza do original em High HCV infection rate in sub-Saharan Africa, with prevalence especially high in patients with HIV em Domingo, 14 de Junho de 2015.

Anúncios

Olha só pessoal.

No início do post tem uma imagem com um texto falando sobre o trabalho e os custos que a gente tem. Você que está me lendo agora, pode e tem o direito de não acreditar.

No mês de mais, quando mais de quarenta mil visitas foram registradas, houve três cooperações.

Quando nós pedimos cooperação financeira, qualquer valor é bom.

Sabe, o beija-flor pode carregar uma diminuta gota d’água em seu bico, no afã de apagar o incêndio na floresta….

E nunca será insuficiente 😊

Está conta serve para transferências de qualquer banco ou depósitos na boca do caixa de qualquer agência do Santander

Esta conta não permite, senhores abusadores, que seja feito nada a título de débito nela.

Você não poderá, como já pôde, assinar 65 revistas de uma só editora e, muito menos abrir contas de acesso à Internet 🙂

Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

Estamos aqui para ajudar a pensar, não para diagnosticar. Não somos médicos ou profisionais de saúde. Buscamos ajudar com palavras amigas, conforto espiritual e, na medida do possível, terminar com a neurose gerada por bloqueiros de meia pataca ou homofóbicos sem caráter que não pensam duas vezes antes de espalhar terros entre pessoas que, quer eles, os homofóbicos, queiram ou não, são seres humanos. Tenha em mente que o numero do WhatsApp esta conectado a um CPF

A PEP é um direito de todos! Saiba onde a achar

A PEP é um direito de Todos

A PEP É um DIREITO DEDOS

[EIKYGMrz]

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico
%d blogueiros gostam disto: