Quando a idade conta: Iniciar o tratamento imediatamente pode revelar-se fundamental para as pessoas que vivem com HIV de idade acima de 45 anos

old clock machineryDe acordo com os resultados de um estudo publicado na revista Clinical Doenças Infecciosas, atrasar o início do tratamento  antirretroviral poderia ter graves consequências para as pessoas que vivem com o HIV na meia-idade ou idosas. A pesquisa descobriu que as pessoas entre as idades de 45 e 65 anos que começaram terapia antirretroviral com baixas contagens de células CD4 – 350 ou 200 células/mm3- apresentaram maior taxa de mortalidade que aquelas observadas em pacientes que iniciaram o tratamento com contagem de células CD4 de cerca de 500 células/mm3.

A evidência científica que tem sido gerada nos últimos anos, levou para a consolidação da tendência de recomendar início precoce do tratamento antirretroviral (ver La Noticia del Día 02/06/2015).  Assim, formaram o Grupo de Estudo da Aids (GeSIDA) e o Plano Nacional de combate à SIDA (PNS) em 2015 atualização do seu documento de consenso no que diz respeito à terapia antirretroviral em adultos com HIV. Em conformidade com as diretrizes atuais, recomenda-se iniciar terapia antirretroviral para todos os pacientes com infecção pelo HIV independentemente de seus níveis de CD4. O vigor e a gradação da recomendação varia de acordo com diferentes condições e circunstâncias. As recomendações de destaque espanhol – em conformidade com o resto de diretrizes internacionais – que o início precoce do tratamento, não só fornece um benefício para a saúde do paciente, mas pode ter implicações importantes para a saúde pública.

croi-2015É sabido que a idade é um fator de risco para os piores resultados na saúde em pessoas com HIV que não recebem tratamento e doenças associadas com o envelhecimento são cada vez mais importantes causas de morte em pacientes que recebem terapia antirretroviral (ver La Noticia del Día 01/07/2015).  No entanto, neste momento, não é de todo claro se existe uma associação entre ter uma idade mais avançada e obter piores resultados clínicos quando se atrasou o início da terapia antirretroviral.

Progress of lighting with candle, tungsten, fluorescent and LEDA fim de lançar mais luz sobre esta questão, um grupo de pesquisadores da rede integrada de sistemas clínicos dos centros de investigação sobre a Sida nos Estados Unidos (CNICS/LFT), analisou as taxas de mortalidade para dez anos, de acordo com a idade e contagem de células CD4 no momento do início da terapia antirretroviral em 3.532 pessoas com HIV.

Os pacientes analisados começaram a receber assistência especializada entre 1998 e 2013 e todos tinham uma contagem de células CD4 no início de cerca de 500 células/mm3. As taxas de mortalidade foram comparadas de acordo com a contagem de CD4 no momento de iniciar o tratamento: igual ou superior a 500 células/mm3; 350 células/mm3; e 200 células/mm3. Além disso, as comparações foram feitas para cada limiar das células CD4 de acordo com a idade do paciente no momento do início do tratamento: 18 a 34 anos e 35 a 44 anos e 45 a 65 anos.

Group of diverse students outsideA maioria dos pacientes (82%) eram do sexo masculino; um terço, etnia negra; e 67% eram gays e outros homens que fazem sexo com outros homens (HSH).  A mediana contagem de células CD4, no momento da entrada no estudo foi 646 células/mm3.

Os pesquisadores encontraram uma taxa de mortalidade em dez anos de 13% (n= 165).  Como esperado, observou-se uma relação entre a contagem de CD4 no início do tratamento e as taxas de mortalidade, e iniciar o tratamento com uma contagem de células CD4 maior ou igual a 500 células/mm3 foi associado com uma menor taxa de mortalidade (11% ); o aumento de mortalidade de 12% nos pacientes que se atrasou o início do tratamento até contagem de CD4 ser de 350 células/mm3 e aumentado em até 14% nos pacientes que começaram a fazer o tratamento com contagem de células CD4 de 200 células/mm3.

No que diz respeito à idade, pacientes com idades compreendidas entre os 45 e os 65 anos tiveram as maiores taxas de mortalidade por qualquer limite de contagem de células CD4. Iniciar a terapia com um limiar de CD4 de pelo menos 500 células/mm3 foi associada a uma mortalidade de dez anos de 19 %; a taxa aumentou para 22% em pacientes que se atrasou o início do tratamento para atingir o limite de 350 células/mm3; e aumentou para 28% em pessoas que receberam a terapia quando a sua contagem de células CD4 havia sido localizado em 200 células/mm3.

HIV positive

O impacto de retardar o início do tratamento antirretroviral até que a contagem de células CD4 atinja o limite de 350 células em pacientes mais jovens (18 a 24 anos) em termos de mortalidade não foi tão óbvia. Nesse sentido, os pesquisadores apontam: “Nossos resultados sugerem que em pacientes mais jovens que estão começando a receber assistência especializada para o HIV com altas contagens de CD4, poderia ser menos urgente do início da terapia antirretroviral em termos de resultados de saúde a nível individual”; e acrescentou: “Estes resultados ajudam a fornecer um novo quadro de evidências para os benefícios descrever as variáveis no nível individual para o início do tratamento de forma muito imediata de acordo com a idade”.

No entanto, no que diz respeito aos idosos e de meia-idade, os resultados são claros. “O dramático aumento na mortalidade em dez anos, quando é atrasado o início da terapia antirretroviral em pessoas com infecção pelo HIV com mais de 45 anos demonstrou a grande importância de iniciar o tratamento no início da infecção deste grupo de pacientes,” os pesquisadores concluíram.

Se tivermos em conta que, em Espanha, no ano de 2013, 21,9 % dos novos diagnósticos de infecção por VIH ocorreram em pessoas com mais de 45 anos, é essencial reforçar os esforços nacionais que visam assegurar, neste segmento da população, a prevenção, detecção, ligando com o atendimento especializado, bem como o início precoce do tratamento e manutenção no sistema de cuidados de saúde.

Fuente: Aidsmap / Elaboración propia (gTt-VIH)

Referencia: Edwards JK et al. Age at entry into care, timing of antiretroviral therapy initiation, and 10-year mortality among HIV-seropositive adults in the United States. Clin Infect Dis, online edition, 2015.

Tradução por Cláudio Santos de Souza com apoio da tecnologia do Babylon e a Revisão de Mara Macedo

Clique aqui para doar R$ 10,00

Este site não pertence a uma ONG, nem é um site governamental. É mantido por um casal soropositivo com seus próprios recursos, que têm por objetivo a luta contra a AIDS. Se você quiser colaborar para que o site se mantenha na luta da conscientização e prevenção contra a AIDS, trazendo informação e alento as pessoas que o acessam você pode colaborar com o Bazar Soropositivo doando objetos como roupas, computadores, livros ou qualquer objeto que ainda possa ter uso para outra pessoa, contribuindo ainda para a sustentabilidade em geral.Os objetos arrecadados serão colocados à venda no site soropositivo.org.

 

😍😍😍😜💫☮Sim, este da foto sou eu ! Minha sobrinha pediu que eu pusesse esta foto m meu perfil !.... Eu tinha aqui uma descrição a meu respeito que, uma pessoa classificou como “irreverente”. Esta é, realmente, uma forma eufêmica de classificar o que estava aqui. Tudo o que sei é que uma “ONG”, que ocupa um prédio de 10 andares estabeleceu uma parceria comigo, e eu tenho os logs do tempo de parceria, que foi mais um vampirismo pois, para cada 150 pessoas que saiam do meu site, clicando no deles, havia, em média, um que entrava. QUANDO ENTRAVA E SE ENTRAVA

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.