Anúncios
News Ticker

Vacina contra papilomavírus humano é eficaz para mulheres com HIV

Pessoal, manter o site nos traz custos, custos estes que estão difíceis para arcarmos sozinhos. Nós queremos continuar trazendo informações e ajudando as pessoas que chegam até aqui, mas para isso também precisamos de ajuda. Qualquer valor é bem vindo e nos ajudará a manter o site de pé, caso contrário não conseguiremos mais ter esse canal de informação e ajuda mútua. Segue a conta para depósito: Banco do Brasil, agência 1521-0, conta corrente 19957-5, em nome de Claudio Souza
Vacine seu filho (sua filha) contra o HPV Vacina para HPV é coisa indispensável na vida de pessoas na puberdade. Não deixe que seu pudicismo, ou a tacanhez da família, se coloquem estre uma atitude tão importante. 96% das mulheres contraem HPV na primeira relação sexual

hpv-300x400As puérperas soropositivas para o HIV respondem bem à vacina Gardasil, que age contra o papillomavirus humano o HPV, oferecendo-lhes proteção contra câncer de colo de útero, segundo um estudo publicado em a Edição eletrônica 14 de Abril Clínica de Doenças Infecciosas. Pesquisas recentes relacionadas descobriram que ambas, Gardasil e Cervarix, são eficazes em pessoas com HIV.Nota do Tradutor: [Puerpério é o nome dado à fase pós-parto, em que a mulher experimenta modificações físicas e psíquicas. Este é o período de tempo que decorre desde a dequitadura até que os órgãos reprodutores da mãe retornem ao seu estado pré-gravídico. Nesta fase, a mulher é chamada de puérpera.]

Cepas de alto risco do HPV – mais comumente o HPV-16 e HPV-18 – podem causar câncer cervical, anal e outros tipos de cânceres. A maioria das pessoas são infectadas com O HPV logo depois de se tornarem sexualmente ativas, e os centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda vacinação HPV para meninas idade 11-26 e meninos idade 11-21. Estudos têm mostrado que as pessoas que vivem com HIV, especialmente aqueles com função imunológica comprometida, são mais susceptíveis de serem infectadas com vários tipos de HPV e é menos provável que se curem desta infecção.

HPV

Esta é a cara do sujeito

Erna Milunka Kojic, Susan Cu-Uvin e colegas da Universidade de Brown realizaram um estudo entre mulheres com HIV nos EUA, Brasil e África do Sul para determinar a segurança e a imunogenicidade — ou a capacidade de estimular uma resposta imune — do Gardasil, a vacina de HPV quadrivalente, projetada para proteger contra o HPV tipos 6, 11, 16 e 18 (os tipos 6 e 11 causam verrugas genitais).

O grupo de Ensaios Clínicos 5240, que incluiu 319 mulheres HIV positivas, foi estratificado pela faixa etária de 13 a 45 anos com contagem de células T-CD4. Maior que 350 células/mm3, 200-350 células/mm3, ou < 200 células/mm3. A maioria (56%) eram negras, 31% eram hispânicas ou Latinas, 11% eram brancas, e a idade média era de 36 anos. A contagem mediana de CD4 foi de 310 células/mm3— indicando a necessidade de terapia antirretroviral (TARV) — mas apenas 40% tinham carga viral de HIV detectável.

Resultados

  • Na linha de base, 4% dos participantes foram infectadas com todos os 4 tipos de HPV cobertos pela vacina.
  • Em 28 semanas após a imunização, as taxas de soroconversão — ou o desenvolvimento de anticorpos protetores contra o HPV tipos 6, 11, 16 e 18, entre as mulheres, e não já infectadas com cada tipo de HPV foram:

O >350 células/mm3:96 %, 98 %, 99 %, e 91 %, respectivamente.

O   200-350 células/mm3: 100 %, 98 %, 98% e 85 %, respectivamente.

O <   200 células/mm3:84 %, 92 %, 93% e 75 %, respectivamente.

  • Em todos os níveis das contagens de células CD4, a resposta foi melhor para os tipos de HPV 6, 11, e 16 em comparação com o tipo 18.
  • Menor contagem de células CD4 e carga viral elevada (maior que 10.000 cópias/ml também foram associadas a uma pior resposta à vacina.
  • A vacina foi geralmente bem tolerada e questões de segurança não foram identificadas.

“Vacina de HPV quadrivalente direcionada a tipos 6, 11, 16 e 18, foi segura e imunogênica em mulheres infectadas pelo HIV 13-45 anos”, concluíram as autoras do estudo. “Mulheres com carga viral de HIV >10.000 cópias/mL e/ou contagens de CD4 <200 células/mm 3, tiveram menor soroconversão”.

O fato de que apenas 4% das mulheres HIV positivas no presente estudo teve todos os 4 tipos de HPV cobertas pela vacina indicam que o restante deve beneficiar-se da vacinação, mesmo que muitas estivessem acima do corte de idade de 26 anos, baseado nas orientações do CDC. Esses dados suportam a recomendação da Organização Mundial da Saúde que as mulheres com HIV devem ser vacinadas contra HPV.

Gardasil vs Cervarix

cervagarda

Em um estudo descrito por Lars Toft Niesen e colegas no Journal of Infectious Diseases de 15 de Abril de 2015 e em um estudo feito no  University Hospital, na Dinamarca,  foi comparada  a imunogenicidade de Gardasil e Cervarix em pessoas com HIV. Enquanto Gardasil protege contra 4 tipos de HPV, Cervarix é uma vacina bivalente concebida apenas para prevenir o câncer – imunizando contra os tipos 16 e 18.

Este estudo duplo-cego randomizado incluiu 92 mulheres HIV positivas e os homens que foram aleatoriamente designados para receber 3 doses de Gardasil, Cervarix, no início do estudo e em 1,5 e 6 meses mais tarde. Imunogenicidade foi avaliada por um período máximo de 12 meses. [Nota do tradutor: um estudo duplo-cego é aquele em que os médicos e os pacientes não sabem que está recebendo placebo ou o elemento terapêutico ativo, o que, em tese, traz uma maior confiabilidade ao estudo – neste caso os envolvidos não sabiam que tipo de vacina estavam prescrevendo ou recebendo, conforme a posição de cada um no estudo]

Os pesquisadores não observaram diferenças nos níveis de anticorpos contra o HPV-16 nos participantes que receberam Gardasil ou Cervarix. No entanto, os números de anticorpos contra o HPV-18 foram maiores no grupo de Gardasil do que no grupo que recebeu Cervarix. Entre as pessoas que recebem Cervarix, as mulheres atingiram concentrações de anticorpos contra o HPV-16 e HPV-18 mais altas que os homens; diferenças de gênero não foram vistos entre os que receberam Gardasil. Reações leves no local de injeção das vacinas foram mais comuns no grupo Cervarix (91% vs 70%), mas não ocorreram efeitos adversos graves em qualquer braço do estudo.

“Ambas as vacinas foram imunogênicas e bem toleradas”, os autores concluíram. “Em comparação com Gardasil, a vacina Cervarix foi superior por ter induzido melhores respostas imunogênicas entre mulheres infectadas pelo HIV, considerando que em homens infectados pelo HIV a diferença na imunogenicidade foi menos acentuada.”

Do original em Human Papillomavirus Vaccine Is Effective for Women with HIV. Traduzido por Cláudio Souza e revisado por Mara Macedo em 08 de agosto de 2015

Saiba mais sobre Vacinação contra o HPV

References

EM Kojic, M Kang, MS Cespedes, S Cu-Uvin, et al. Immunogenicity and Safety of a Quadrivalent Human Papillomavirus Vaccine in HIV-1-Infected Women. Clinical Infectious Diseases. April 14, 2014 (Epub).

L Toft, M Storgaard, M Müller, et al. Comparion of the immunogenicity and reactogenicity of Cervarix and Gardasil human papillomavirus vaccines in HIV-infected adults: a randomized, double-blind clinical trial. Journal of Infectious Diseases 209(8):1165-1173. April 15, 2014.

Other Source

Brown University. HIV+ Women Respond Well to HPV Vaccine.Press release. April 16, 2014.

Anúncios

Precisa de algo? Ou quer ajudar?






Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

A PEP é um direito de todos! Saiba onde a achar! Clique na imagem

A PEP é um direito de Todos

A PEP É um DIREITO DEDOS

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico
%d blogueiros gostam disto: