Blog Soropositivo. Org

Descaso público e privado ameaça programa de combate a AIDS e fecha o Centro Corsini

Home / Artigos / Descaso público e privado ameaça programa de combate a AIDS e fecha o Centro Corsini
Artigos

O periódico “Portal G1” Anunciou, nesta sexta-feira, dia 21 de agosto de 2015 que o Centro Corsini, uma portentosa referência no combate à AIDS na região de Campinas vai encerrar seus atendimentos para adultos nos próximos meses.  A razão para este acontecimento é a queda estimada em 30 por cento das doações.

 

O custo mensal para manter um bom atendimento (o Centro Corsini é uma referência nacional e internacional no combate e tratamento da AIDS) oscila em torno dos R$ 250.000,00 por mês e a renda com as doações e tudo o que eles conseguem arrecadar chega perto dos R$ 170.000,00 e, naturalmente, a conta não fecha.

Fundado no início da década de 80 do século passado como um centro especializado no tratamento de pessoas com HIV o Centro Corsini abriu, em 1982 uma segunda unidade, um abrigo para crianças soropositivas e é justamente para poder manter este abrigo que o Centro encerrará suas atividades no âmbito de atendimento a pessoas vivendo com HIV ou AIDS – o centro acolhe 20 menores afastados de suas famílias pela Justiça. O presidente da instituição garantiu, no entanto, que nenhum paciente vai ficar sem atendimento de imediato.

A maioria destes menores tem, ao menos, uma condição que determina cuidados especiais, dada a gravidade da doença.

O Ambulatório voltado para o atendimento de pessoas adultas deverá encerrar suas atividades até o final de setembro, quando todos os funcionários serão demitidos e os mais de quinhentos pacientes terão sido encaminhados para outras unidades de tratamento e apoio; entretanto, enquanto não for dado por completa a transição dos pacientes do Corsini para outros centros, o mesmo ainda manterá o programa de entrega de medicação aos pacientes. A prefeitura de Campinas garante que dará atendimento a todos os egressos do Corsini em outros centros de atendimento público fazendo, assim, com que pacientes acostumados com um atendimento ambulatorial de “primeiro mundo”  sejam tratados como pessoas com problemas corriqueiros de saúde, a exemplo do que foi feito coma Casa da AIDS, local onde eu, o editor deste site me trato, bem como minha esposa, que foi fechado durante dois anos e meio e nós fomos literalmente desterrados para o Emílio Ribas, que não tinha a estrutura e o nível de excelência que a casa da AIDS tinha e tem, agora que, depois de muitas lutas e reinvindicações, o Ambulatório foi reaberto e, entretanto, reaberto em outro local, mudado por completo a realidade destes pacientes. Creio que o mesmo se dará com os pacientes do Corsini (…).

Unicamp informou que já atende mil portadores de HIV e que o hospital está estudando o que pode ser feito em relação aos pacientes do Corsini. O ambulatório de infectologia Celso Pierro disponibiliza 500 atendimentos por mês, as consultas dependem do encaminhamento dos postos de saúde. Já no centro de referência DST/Aids acompanha hoje 3000 pessoas.

Thats Me, with this psyco-killer`s face

Eu, como editor deste site, considero que isso é mais uma consequência da constante banalização da AIDS, que ganhou um perigoso status de doença crônica (sic) e, ao que me parece, baseado no que consigo ver, sinto que as doações tem caído por conta desta perigosa impressão (que inclusive afeta os dados demográficos referentes à população que se contamina com HIV0 de que a AIDS é uma doença que está “sob-controle” (a palavra está hifenizada deliberadamente, para dar a ideia da banalização de um doença que ainda pode matar, que é infecciosa, e que tem atingido, na maior parte das vezes, jovens entre 15 e 24 anos, que não se testam e só virão a descobrir sua sorologia daqui a nove ou dez anos. Isso contradiz o anunciado pelo Brasil, no que tange a atingir o objetivo chamado 90-90-90.

O Brasil que já foi um exemplo planetário no que tange ao tratamento da AIDS como doença e da AIDS como epidemia, vai descendo vergonhosamente neste rank e eu chego a temer pelo meu futuro, em tempo ainda vindouro.

É preciso que todos nós nos mobilizemos para evitar que o fechamento do Centro Corsini seja o prelúdio de uma tragédia antecipada!

Olá Meu nome é Renata Reis. Sou enfermeira e professora da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da USP. Desenvolvi um estudo sobre o risco cardiovascular de pessoas com HIV. Após este estudo elaboramos um e-book educativo para prevenção do risco cardiovascular.
 
Segue o link: https://pt.surveymonkey.com/r/SQLQSW8Instagramm. A pesquisa é totalmente sigilosa e você terá acesso ao nosso material educativo. Muito obrigada!
Validação de Material Educativo-
Take this survey powered by surveymonkey.com.
Create your own surveys for free.
 
 

Publicações Relacionadas

Super-HIV pode se tornar nova epidemia

Cláudio Souza

Esquemas de resgate para HIV podem seguramente HIV omitir ITRN

Cláudio Souza

Como os “controladores de elite podem revelar a chave genética do HIV e estabelecer a cura!

Cláudio Souza

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Soropositivo.Org, Wordpress.com e Automattic fazem tudo a nosso alcance no que tange à sua privacidade. Você pode saber mais sobre esta política neste link Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Ler Tudo em Política de Privacidade

Olá! Sou o Beto Volpe! Quer Conversar? Diga olá! Mas tenha em mente que eu trabalho aqui entre 9:00 da manhã e 20 horas. Você pode deixar a mensagem, mas eu responderei nestes horários. Talvez eu demore, mnas em *SEMPRE RESPONDO*
Olá! Será que você me autorizaria a te avisar quando eu fizesse uma nova publicação ou atualização de um texto? Veja bem, eu não teria a menor ideia a respeito de quem você é! Seria algo anônimo, que me deixaria feliz por sua atenção e interesse. Quando eu fui DJ meu salário era a gritaria! Agora, é seu interesse! E, me perdõem por algum erro ortográfico. Eu sou disléxico e a neuropatia periférica complica ainda mais toda esta coisa. :-(
Dismiss
Allow