Soropositivo.Org

Há Vida Com HIV

Vulnerabilidade social entre jovens aumenta os casos de AIDS entre mulheres e gays jovens

render 010 / poser 3dSegundo a notisa, uma agência de notícias científicas, a epidemia de HIV encontra-se em plena expansão, debalde todos os progressos feitos pelas grandes e pequenas nações do planeta, dos 34 milhões de pessoas infectadas um grupo com cerca de dez milhões de pessoas soropositivas está na faixa etária dos jovens, entre 15 a 24 anos.

Diversos indicadores, de vários contextos indicam que é dentro desta a faixa etária que há o maior número de DSTs e, portanto, a quem deve ser um alvo prioritário em todas as ações de prevenção à AIDS, bem como de outras DSTs, tendo em vista que quando há a presença de outras DSTs, algumas das quais extremamente traiçoeiras já que são silenciosas e praticamente assintomáticas no início de sua evolução, que mais crescem as possibilidades de se contrair HIV.

O artigo “Fatores associados à infecção pelo HIV/AIDS entre adolescentes e adultos jovens matriculados em Centro de Testagem e Aconselhamento no Estado da Bahia, Brasil”, publicado na revista Ciência & Saúde Coletiva ano passado, traça os fatores relacionados à prevalência da enfermidade nesse grupo. A autoria é da pesquisadora Bianca de Souza Pereira e colegas da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

A pesquisa investigou os exames para detecção de HIV de 3768 jovens, na faixa etária entre 13 a 24 anos, todos realizados no Centro de Referência Municipal em DST/HIV/AIDS do município de Feira de Santana.

Os pesquisadores descobriram que 1,94% de tais jovens foi diagnosticado como reagentes (positivos para o HIV), e que a maioria esmagadora desta população era composta por mulheres (73,1%), pardas (70-80%), com oito ou mais anos de escolaridade (60-80%), residentes em Feira de Santana (83-97%) e na zona urbana (95-100%).

As pesquisas também levantaram que entre estas as jovens, há uma maior proporção de soropositivas entre as mulheres em relações estáveis ou casadas e também apresentavam ocorrência mais elevada de uso de drogas e álcool.

Entre jovens do sexo masculino, os homossexuais e bissexuais apresentaram prevalências com incidência maior que entre os heterossexuais – de oitenta e seis jovens heterossexuais testados cercaGay Marriage Concept with Rainbow Rings de 16 a 17 por cento receberam o diagnóstico reagente para HIV enquanto todos os 14 homossexuais ou bissexuais apresentaram a doença. Além disso, a proporção da prevalência de outras DSTs em soropositivos (70%) foi aproximadamente três vezes e meia maior do que em soronegativos (21,3%).

Isso vem a corroborar meus raciocínios, que concluíram que as pessoas mais vulneráveis, no Brasil, são as mulheres (jovens ou não, casadas ou não) que mais necessitam de atenção no âmbito desta faixa etária, e que seria necessária uma estratégia de PrEP e de redução de danos enquanto, por outro lado, são necessárias campanhas de educação preventiva entre elas, que precisam se conscientizar de seus direitos enquanto cidadãs, e de seus parceiros, que deveriam (devem) ser conscientizados sobre o uso de preservativos em todas as relações sexuais, demonstrando que não é apenas o HIV/AIDS que eles evitam mas, também, a gravidez indesejada ou não planejada, bem como a Sífilis e outras DSTs; por outro lado, os jovens deveriam também ser conscientizados sobre o uso do preservativo e da busca pelos centros de saúde para a PEP, já disponível no Brasil.

Com informações do Paraná On Line

Cláudio Souza

9 thoughts on “Vulnerabilidade social entre jovens aumenta os casos de AIDS entre mulheres e gays jovens

  1. O número, que eu mesmo n lembro, fica numa imagem no final de todos os textos do site. Eu não o coloco como texto porque o google indexa e ai danou-se Desculpe a demora em responder

  2. Amigo. Eu não tenho como ajudar vc. Se vc está com uma infecção por HIV em curso, mesmo sob pep, vc é vetor. Não sei o q vc vai dizer a sua esposa…. Mas… Vc n pode….

  3. Boa noite! Ótimo testo e muito esclarecedor, porém tenho uma pequena dúvida! Estou tomando pep ( a sete dias )
    Isso diminui às chances de passar a diante um possível vírus que supostamente esteja em meu organismo? Sei que o ideal é usar camisinha, mas tive uma relação fora do casamento e isso acaba ficando complicado de explicar, entende? Desde já agradeço!!!

  4. Muito obrigado pelo texto.
    Eu achei um pouco confuso com as notas do autor no meio do texto, as vezes vale a pena edita-las ou move-las pra outro lado.
    E no paragrafo que diz que contagem de C4 e carga viral sao utilizadas pra estimar por quanto tempo alguém vai permanecer saudavel, e isso me deixou super curioso pra pegar as minhas contagens e saber minha estimativa. Vou clicar no link que segue no mesmo paragrafo Folha facto 125 pra ver se aquele responde essa pergunta.

    Obrigado pelo texto

  5. Sim, Dercio. E possivel gerar uma criança com alguém contaminado com HIV sem contrair HIV.
    Eu sugiro que você leia todos os artigos que vc pode encontrar neste link https://soropositivo.org/?s=prep e que o faça com atenção, consciência e cautela. Porque as "ver**des" que estão ali podem não valer para todos

  6. Ée
    Epossivel fazer filho com alguém seropositivo, e não xtar contaminado,ela tomando os comprimidos.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Whatsapp WhatsApp Us
Olá. Você clica aqui e fala comigo, Cláudio Souza. No blog tem tudo o que você precisa sabere. Eu já tentei fazer isso contando com a boa vontade de cada um. Isso é um trabalho, e eu passarei a vivenciá-lo assim: Uma bimestralidade de R$ 17,00. Eu definitivamente deixei de esperar pelo melhor das pessoas. Elas tergiverssam com tudo, prometem qualquer coisa e não se cumpre, a pretexto de tudo, até do mais bisonho, incluindo chantagem emonional: "SOMOS AMIGOS", dizem. Convenientemente amigos. Vamos ver então
%d blogueiros gostam disto: