Homens Gays no Reino Unido relatam uma vasta gama de comportamentos e “táticas” para praticar sexo mais seguro

corredor gayHomens Gays no Reino Unido empregam uma vasta gama de táticas e comportamentos de precaução para evitar riscos durante a pratica do sexo – o uso de preservativos é apenas uma das formas em que os homens se protegerem a si próprios e aos seus parceiros.

Evitar sexo com parceiros de diferentes status sorológicos para o HIV, conhecer a sua carga viral atual, usar lubrificantes para as relações sexuais e testes regulares foram todos os comportamentos amplamente citados.

Os dados vêm de 2014 homens homossexuais, publicado ontem (21/06/2016). O relatório destaca igualmente lacunas no conhecimento sobre o HIV para homens e sugere que o álcool desempenha um papel tão grande como o “chemsex” pode levar homens a contrair HIV.

Um total de 15.360 entre homens que fazem sexo com homens, vivem na Inglaterra, concluída a pesquisa online em 2014. A maioria deles foi recrutada através de apps e sites gays (44%) ou contas nas mídias sociais, contas associadas com Terrence Higgins Trust e organizações gays  comunitárias (40%).

Comportamentos de redução de risco

Os homens foram convidados, “Quais das seguintes opções você diria que são parte da sua abordagem para reduzir o potencial para causar danos a si mesmo no exercício de sua vida sexual?” Eles ofereceram uma lista de comportamentos e táticas e poderiam marcar tantas opções quantas desejassem.

Para os homens que não têm o HIV diagnosticados, táticas mais amplamente utilizados foram:

  • Usando lubrificante para relações sexuais (77%)
  • Evitar o sexo com pessoas que têm HIV (63%)
  • Às vezes o declínio do número de parceiros sexuais (56%)
  • O uso de preservativos durante o coito anal insertivo (53%)
  • Evitar o sexo até uma DST ser curada ou ter o tratamento iniciado (53%)
  • Saber seu atual status sorológico para o HIV (53%)
  • O uso de preservativos durante as relações sexuais receptivas (50%)
  • Testar regularmente para DSTs (41%)
  • Falar sobre o HIV e/ou STIs com potenciais parceiros sexuais (39%)
  • Usando PEP (34%)
  • Namorar parceiros sexuais em potencial “até chegar a conhecerem-se melhor uns aos outros” (30%)
  • Evitar usar poppers durante o coito receptivo (21%)
  • Evitar relações sexuais totalmente receptivas (19%)
  • Evitando relações sexuais insertivas completamente (12%).

carga viral

O ranking de homens com diagnóstico de HIV foi globalmente semelhante, mas com um número de diferenças notáveis. “Eu certifiquei-me de minha atual carga viral” foi um dos mais populares comportamentos citados por 72% de homens com HIV.

Enquanto cerca de metade dos homens HIV negativos citaram o uso do preservativo como um comportamento de precaução, apenas cerca de um terço dos homens com HIV o fez.

Testes regulares de DST, evitar sexo até que as DSTs fossem tratadas e falar sobre saúde sexual com parceiros foram todos os comportamentos mais freqüentemente citados pelos homens com HIV.

 Lacunas de conhecimento

A maioria dos homens de preencher a pesquisa tinham bons níveis de conhecimento sobre o HIV. Mas há algumas notáveis lacunas.

Enquanto 96% sabiam que o tratamento do HIV melhora a saúde das pessoas que vivem com o HIV, apenas 74% estavam cientes de que o  tratamento eficaz do VIH também reduz o risco do HIV ser transmitido .

99% sabiam que os testes de HIV existem, mas apenas 88% estavam cientes de que infecções recentes podem não ser detectadas nas primeiras semanas e apenas 50% estavam conscientes de diretrizes recomendando testes anuais de HIV em homens gays.

Mas um dos mais notáveis achados, refletindo a necessidade de prevenção do HIV para continuar a informar sobre a maioria dos factos básicos sobre o HIV, foi a de que apenas 81% estavam confiantes de que o HIV não pode ser transmitido pelo beijo, incluindo o beijo profundo.

O álcool desempenha um papel tão grande como a droga na aquisição de HIV

Os homens que vivem com o  VIH diagnosticados foram convidados, “Quão grande parte você acha que álcool influiu na sua contaminação por HIV?”  Eles foram colocados diante perigos-da-bebida-alcoolica-5de uma formulação semelhante a esta pergunta sobre instalações recreativas e de drogas ilícitas.

Considerando que 31% disse que o álcool desempenhou um papel na sua infecção pelo HIV, 23% pensavam que outras drogas desempenharam um papel decisivo no contágio. Homens diagnosticados mais recentemente, no ano anterior, eram mais susceptíveis de atribuir sua infecção ao uso de drogas, com 31% fazendo-o.

Mas mais de metade dos homens (58%) afirmou que nem drogas nem álcool desempenharam papel no que fato deles se tornarem HIV positivo.

O estudo também confirmou que a busca  da utilização dos fármacos associados com “chemsex” é uma minoria, relatada por um número limitado de homens (nas últimas quatro semanas, 5% tinham usado mephedrone, 3% GHB e 2% Crystal Meth). Estes homens foram muito mais propensos a viver em Londres e ter o HIV diagnosticados do que de os não usuários.

Em contraste, 89% dos entrevistados tinham consumido álcool em  quatro semanas anteriores.

Roger Pebody

Publicado em: 22 de Junho de 2016

Traduzido por Cláudio Souza em 28/06/2016 do Original em  Gay men report a wide range of behaviours to make sex safer

Referência

Hickson F et al . Estado de Play: achados da Inglaterra homens homossexuais do sexo Pesquisa 2014. Sigma Investigação, 2016. (Full report freely available).

😍😍😍😜💫☮Sim, este da foto sou eu ! Minha sobrinha pediu que eu pusesse esta foto m meu perfil !.... Eu tinha aqui uma descrição a meu respeito que, uma pessoa classificou como “irreverente”. Esta é, realmente, uma forma eufêmica de classificar o que estava aqui. Tudo o que sei é que uma “ONG”, que ocupa um prédio de 10 andares estabeleceu uma parceria comigo, e eu tenho os logs do tempo de parceria, que foi mais um vampirismo pois, para cada 150 pessoas que saiam do meu site, clicando no deles, havia, em média, um que entrava. QUANDO ENTRAVA E SE ENTRAVA

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.