Blog Soropositivo. Org

Prep Pode Reduzir Ainda Mais o risco de infecção Por HIV

Home / Antiretrovirais / tenofovir disoproxil fumarate / Prep Pode Reduzir Ainda Mais o risco de infecção Por HIV
tenofovir disoproxil fumarate

Prep Pode Reduzir Ainda Mais o risco de infecção Por HIV, isso é verdade. Mas não é uma verdade tão sólida que me levasse a ter relações sexuais desprotegigas nem mesmo com Branca de Neve!

A PrEP pode ser boa. Mas na medida certa e com as medidas certas de prevenção

Não usar a camisinha é inaceitável Esta Foi Uma Era Terrível de Se Ver e Se Viver. Embora eu não tenha sido “colhido” neste momento da história, de uma forma ou de outra, uma vez colhido, passei a viver sob a égide do “se houver amanhã”. E vi cenas parecidas com esta mais que frequentemente

 

PrEP
Jared Baeten. Photo by Jan Brittenson, hivandhepatitis.com

Oferecendo Truvada em um regime de profilaxia pré-exposição (PrEP) para o parceiro HIV negativo em um casal sorodiscordante durante os seis primeiros meses após o parceiro HIV positivo começar a terapia anti-retroviral  (TARV)na 21ª Conferência Internacional de AIDS (AIDS 2016) em Durban, África do Sul.

Estudos têm mostrado que a eficácia do tratamento anti-retroviral reduz drasticamente o risco de subsequente transmissão de HIV – um conceito conhecido como “tratamento como prevenção” – e PrEP reduziu o risco de infecção por mais de 90% se tomadas de forma consistente.

Os Tesres foram feitos com alta variedade e vulnerabilidade

Os parceiros HIV negativos iniciais do estudo PrEP em casais heterossexuais sorodiscordantes que Dr Baeten inicialmente apresentou à conferência International AIDS Society conference in 2011, foram atribuídos aleatoriamente no Quênia e em Uganda, para receber tenofovir/emtricitabina (componentes do Truvada), tenofovir sem co-formulação ou placebo.

No momento em que isso ocorreu as diretrizes da Organização Mundial de Saúde e do país recomendavam início da TARV com base na contagem de células CD4 e não para todos diagnosticados com HIV.

O seguimento com a Demonstração do estudo Partner e a PrEP, o objetivo de mostrar se uma combinação integrada de PrEP para parceiros negativos mais TARV para parceiros positivos poderia reduzir ainda mais o risco de transmissão do HIV.

O TasP – Tratamento como Prevenção Trouxe grandes evidências

No momento em que este estudo foi iniciado em novembro de 2012 houve ampla evidência de que tanto o PrEP e tratamento como prevenção (TasP – Acrônimo para Treatment as Prevention – Tratamento como prevenção em tradução livre) foram eficazes, de forma que todos os participantes receberam as duas intervenções sobre uma base de código aberto (não-aleatório).

O projeto de demonstração foi realizado em quatro centros no Quênia e Uganda que sediou os parceiros iniciais do estudo da PrEP casualizada, mas foram inscritos uma nova coorte de 1013 casais heterossexuais sorodiscordantes em que nem o parceiro tinha alguma vez tomado antirretrovirais.

Uma Carga Viral bem Alta para os nossos padrões. Inaceitável

A média de idade dos participantes foi de 30 anos. Em dois terços dos casais a mulher foi o parceiro HIV positivo.

Parceiros positivo tinham uma contagem média de células CD4 era de 436 células/mm3 e a média da carga viral em mais de 37.000 cópias/ml.

A maioria (65%) afirmou que tinha se relacionado sexualmente de forma desprotegida no mês passado.

Após a inscrição, foi oferecido ao parceiro HIV positivo a combinação de TARV em conformidade com as diretrizes nacionais – menos de 350 células/mm3 até meados de 2013 e então, posteriormente, o tratamento universal – enquanto o parceiro HIV negativo foi oferecido diariamente Truvada.

A PrEP foi continuada enquanto o parceiro positivo demorou-se no início do tratamento nos seis primeiros meses após o início da TARV, permitindo A passagem do tempo para que a carga viral ficasse indetectável; a PrEP foi prorrogada se o parceiro positivo tivesse interrupções no processo de terapia antirretroviral conhecida por má aderência.

A Escolha dos sujeitos dos testes foi randômica entre elementos diversos, porém de risco 

O projeto de demonstração mensurou os casais selecionados com base em um algoritmo de escores de risco que eram de 1 a 10, dependendo preditores de risco de infecção pelo HIV, incluindo casais jovens em regime de concubinato ao invés de casamento, sexo desprotegido recente, parceiros masculinos não circuncidados e parceiros positivos com uma alta carga viral. Os casais com uma pontuação igual a 5 ou superiores foram elegíveis para o estudo.

No 2015 Conferência sobre retrovírus e infecções oportunistas (acaba), Dr Baeten relatou resultados provisórios, mostrando que dois parceiros HIV negativos inicialmente soroconverteram. Em vez de um braço de placebo, os pesquisadores utilizavam-se da taxa de incidência no braço de placebo original de parceiros aleatórios do estudo de PrEP para estimar que 40 novas infecções teriam sido de se esperar na ausência de TARV e PrEP – uma redução de risco de 96%.

Esta semana Dr Baeten mostrou resultados atualizados com os dados finais através de junho de 2016, refletindo aproximadamente 1700 Pessoa-ano de seguimento.

PrEP

Por este tempo, 91% dos parceiros positivos haviam iniciado a TARV e quase todos tinham alcançado supressão viral (< 400 cópias/ml) – (Nota do Editor: É visível o desrespeito ao Tratado de Helsinque que prevê ao sujeito da pesquisa o melhor tratamento existente e não o melhor disponível. Dá sistemas de mensuração de carga viral com acuidade par um mínimo de 20 cópias/ml. A maioria (97%) dos parceiros negativos aos quais foi oferecida PrEP a aceitou. Casais em TARV solitária (…) estavam em 39% do tempo de seguimento, PrEP solitária em 20%, sobreposição de TARV e PrEP para 33% e nem TARV nem PrEP para 7%.

No Final do Túnel 

No final do seguimento de quatro novas infecções por HIV ocorreram, comparados aos 83 esperados sem TARV ou PrEP, para uma redução de risco relativo de 95%. Proteção foi semelhante, independentemente do sexo, idade ou pré-tratamento de carga viral.A adesão a ambos PrEP e TARV foi bom durante o projeto de demonstração. Entre os parceiros dos pacientes HIV-negativos que começaram a PrEP e foram aleatoriamente selecionados para teste de nível sérico da concentração da droga, 82% das amostras de sangue mostrara  níveis detectáveis de tenofovir

No entanto, nenhum dos novos indivíduos infectados realmente faziam uso de TARV e PrEP consistentemente – e na realidade eles estavam em casais que não utilizavam estes recursos.

Rompimentos Sempre Acontecem

Uma mulher tinha rompido com seu parceiro positivo e parado com a PrEP, enquanto uma segunda mulher tinha um parceiro que ainda não desejava iniciar o tratamento e ela também parou a PrEP; nem a mulher tinha uma concentração sérica detectável de tenofovir em sua amostra sanguínea no momento da infecção. Uma terceira mulher era uma profissional do sexo fazendo uso inconsistente da PrEP. O único homem que tinha a infecção tinha diminuído a utilização da PrEP e tinha múltiplos parceiros sexuais.

“Neste projeto aberto a demonstração da entrega integrada da TARV e PrEP para a prevenção de HIV entre casais sorodiscordantes, observamos a virtual eliminação do incidente HIV,” concluíram  os pesquisadores.

“Intervenções como esta poderiam ter um efeito substancial sobre a epidemia de HIV”, disse Dr Baeten na entrevista coletiva da Conferência da AIDS em 2016:

“Tanto PrEP quanto TARV são intervenções extremamente importantes que poderiam praticamente eliminar a transmissão do HIV (SIC).”

Há mais a ser visto neste link e eu aconselho a leitura

Produced in collaboration with hivandhepatitis.com

 

Publicado no AIDSMAP em: 21 de julho de 2016

Traduzido Por Cláudio Souza em 4 de Agosto de 2016 do original em: PrEP can further reduce the risk of HIV infection after a partner starts treatment. Revisado por Mara Macedo

<

p style=”text-align: justify;”> 

     
     
  1. Dõe R$ 10,00 com este link
  2. Dõe R$ 20,00 com este link
  3. E Dõe R$ 50,00 com este link!
  4. E com este link você pode ajudar com R$ 100,00
PrEP
A imagem é clicável e abre em outra aba

]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicações Relacionadas

Elevada eficácia observada no estudo britânico sobre PrEP

Cláudio Souza

O homem que começou a PrEP 5 Dias após infecção aparece livre do HIV menos de um mês depois

Cláudio Souza

Segunda pessoa contrai cepa rara do HIV apesar de estar em PReP

Cláudio Souza

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Soropositivo.Org, Wordpress.com e Automattic fazem tudo a nosso alcance no que tange à sua privacidade. Você pode saber mais sobre esta política neste link Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Ler Tudo em Política de Privacidade

Olá! Sou o Beto Volpe! Quer Conversar? Diga olá! Mas tenha em mente que eu trabalho aqui entre 9:00 da manhã e 20 horas. Você pode deixar a mensagem, mas eu responderei nestes horários. Talvez eu demore, mnas em *SEMPRE RESPONDO*
Olá! Será que você me autorizaria a te avisar quando eu fizesse uma nova publicação ou atualização de um texto? Veja bem, eu não teria a menor ideia a respeito de quem você é! Seria algo anônimo, que me deixaria feliz por sua atenção e interesse. Quando eu fui DJ meu salário era a gritaria! Agora, é seu interesse! E, me perdõem por algum erro ortográfico. Eu sou disléxico e a neuropatia periférica complica ainda mais toda esta coisa. :-(
Dismiss
Allow