PrEP pode reduzir ainda mais o risco de infecção pelo HIV após parceiro iniciar tratamento


Esta Foi Uma Era Terrível de Se Ver e Se Viver. Embora eu não tenha sido “colhido” neste momento da história, de uma forma ou de outra, uma vez colhido, passei a viver sog a égide do “se houver amanhã”. E vi cenas parecidas com esta “far than often”

Jared Baeten apresentando em AIDS 2016
Jared Baeten. Photo by Jan Brittenson, hivandhepatitis.com

Oferecendo Truvada em um regime de profilaxia pré-exposição (PrEP) para o parceiro HIV negativo em um casal sorodiscordante durante os seis primeiros meses após o parceiro HIV positivo começar a terapia anti-retroviral (TARV) pode servir como uma “ponte” para fornecer mais proteção contra a infecção pelo HIV,  relataram pesquisadores ontem na 21ª Conferência Internacional de AIDS (AIDS 2016) em Durban, África do Sul.

Estudos têm mostrado que a eficácia do tratamento anti-retroviral reduz drasticamente o risco de subsequente transmissão de HIV – um conceito conhecido como “tratamento como prevenção” – e PrEP reduziu o risco de infecção por mais de 90% se tomadas de forma consistente.

Os parceiros HIV negativos iniciais do estudo PrEP em casais heterossexuais sorodiscordantes que Dr Baeten inicialmente apresentou à conferência International AIDS Society conference in 2011, foram atribuídos aleatoriamente no Quênia e em Uganda, para receber tenofovir/emtricitabina (componentes do Truvada), tenofovir sem co-formulação ou placebo. (No momento em que isso ocorreu as diretrizes da Organização Mundial de Saúde e do país recomendavam início da TARV com base na contagem de células CD4 e não para todos diagnosticados com HIV).

O seguimento com o Demonstração do estudo Partner e a PrEP, o objetivo de mostrar se uma combinação integrada de PrEP para parceiros negativo mais TARV para parceiros positivos poderia reduzir ainda mais o risco de transmissão do HIV. No momento em que este estudo foi iniciado em novembro de 2012 houve ampla evidência de que tanto o PrEP e tratamento como prevenção (Tasp – Acrônimo para Treatment as Prevention – Tratamento como prevenção em tradução livre) foram eficazes, de forma que todos os participantes receberam as duas intervenções sobre uma base de código aberto (não-aleatório).

O projeto de demonstração foi realizado em quatro centros no Quênia e Uganda que sediou os parceiros iniciais do estudo da PrEP casualizada, mas foram inscritos uma nova coorte de 1013 casais heterossexuais sorodiscordantes em que nem o parceiro tinha alguma vez tomado antirretrovirais.

A média de idade dos participantes foi de 30 anos. Em dois terços dos casais a mulher foi o parceiro HIV positivo. Parceiros positivo tinham uma contagem média de células CD4 era de 436 células/mm3 e a média da carga viral em mais de 37.000 cópias/ml. A maioria (65%) afirmou que tinha se relacionado sexualmente de forma desprotegida no mês passado.

Após a inscrição, foi oferecido ao parceiro HIV positivo a combinação de TARV em conformidade com as diretrizes nacionais – menos de 350 células/mm3 até meados de 2013 e então, posteriormente, o tratamento universal – enquanto o parceiro HIV negativo foi oferecido diariamente Truvada. A PrEP foi continuada enquanto o parceiro positivo demorou-se no início do tratamento nos seis primeiros meses após o início da TARV, permitindo A passagem do tempo para que a carga viral ficasse indetectável; a PrEP foi prorrogada se o parceiro positivo tivesse interrupções do tratamento ou conhecida má aderência.

O projeto de demonstração mensurou os casais selecionados com base em um algoritmo de escores de risco que eram de 1 a 10, dependendo preditores de risco de infecção pelo HIV, incluindo casais jovens em regime de concubinato ao invés de casamento, sexo desprotegido recente, parceiros masculinos não circuncidados e parceiros positivos com uma alta carga viral; casais com uma pontuação igual a 5 ou superiores foram elegíveis para o estudo.

No 2015 Conferência sobre retrovírus e infecções oportunistas (acaba), Dr Baeten relatou resultados provisórios, mostrando que dois parceiros HIV negativos inicialmente soroconverteram. Em vez de um braço de placebo, os pesquisadores utilizavam-se da taxa de incidência no braço de placebo original de parceiros aleatórios do estudo de PrEP para estimar que 40 novas infecções teriam sido de se esperar na ausência de TARV e PrEP – uma redução de risco de 96%.

Esta semana Dr Baeten mostrou resultados atualizados com os dados finais através de junho de 2016, refletindo aproximadamente 1700 Pessoa-ano de seguimento.

Globe World map with AIDS icons

Por este tempo, 91% dos parceiros positivos haviam iniciado a TARV e quase todos tinham alcançado supressão viral (< 400 cópias/ml) – (Nota do Editor: É visível o desrespeito ao Tratado de Helsinque que prevê ao sujeito da pesquisa o melhor tratamento existente e não o melhor disponível. Dá sistemas de mensuração de carga viral com acuidade par um mínimo de 20 cópias/ml. A maioria (97%) dos parceiros negativos aos quais foi oferecida PrEP a aceitou. Casais em TARV solitária (…) estavam em 39% do tempo de seguimento, PrEP solitária em 20%, sobreposição de TARV e PrEP para 33% e nem TARV nem PrEP para 7%.

No final do seguimento de quatro novas infecções por HIV ocorreram, comparados aos 83 esperados sem TARV ou PrEP, para uma redução de risco relativo de 95%. Proteção foi semelhante, independentemente do sexo, idade ou pré-tratamento de carga viral.A adesão a ambos PrEP e TARV foi bom durante o projeto de demonstração. Entre os parceiros dos pacientes HIV-negativos que começaram a PrEP e foram aleatoriamente selecionados para teste de nível sérico da concentração da droga, 82% das amostras de sangue mostrara  níveis detectáveis de tenofovir

No entanto, nenhum dos novos indivíduos infectados realmente faziam uso de TARV e PrEP consistentemente – e na realidade eles estavam em casais que não utilizavam estes recursosá

Uma mulher tinha rompido com seu parceiro positivo e parado com a PrEP, enquanto uma segunda mulher tinha um parceiro que ainda não desejava iniciar o tratamento e ela também parou a PrEP; nem a mulher tinha uma concentração sérica detectável de tenofovir em sua amostra sanguínea no momento da infecção. Uma terceira mulher era uma profissional do sexo fazendo uso inconsistente da PrEP. O único homem que tinha a infecção tinha diminuído a utilização da PrEP e tinha múltiplos parceiros sexuais.

“Neste projeto aberto a demonstração da entrega integrada da TARV e PrEP para a prevenção de HIV entre casais sorodiscordantes, observamos a virtual eliminação do incidente HIV,” concluíram  os pesquisadores.

“Intervenções como esta poderiam ter um efeito substancial sobre a epidemia de HIV”, disse Dr Baeten na entrevista coletiva da Conferência da AIDS em 2016:

“Tanto PrEP quanto TARV são intervenções extremamente importantes que poderiam praticamente eliminar a transmissão do HIV (SIC).”

Há mais a ser visto neste link e eu aconselho a leitura

Liz Highleyman

Produced in collaboration with hivandhepatitis.com

Publicado no AIDSMAP em: 21 de Julho de 2016

Traduzido Por Cláudio Souza em 04 de Agosto de 2016 do original em: PrEP can further reduce the risk of HIV infection after a partner starts treatment. Revisado por Mara Macedo

 

Você recebeu seu diagnóstico reagente e está com medo? Acha que sua vida acabou? Está tendo pensamentos “do tipo sem noção”?

Você precisa recuperar suas esperanças!

Entenda que a minha resiliência foi construída um dia de cada vez, uma enfermidade após a outra, um SUSTO APÓS O OUTRO!

Resiliência não é algo com que você nasce! Você a CULTIVA! Uma queda após a outra. Pois cada queda segue-se inevitavelmente de um novo reerguer!

Em síntese:

Levante-se

Sacuda a poeira!

E De A Volta Por Cima!

Seu médico, sua médica podem fazer muito por você!

Sua família, se te sobrou alguma, porque a mim não sobrou nenhuma, podem ou não, fazer algo por você.

Deus poderia fazer tudo por você!

Mas está em suas mãos a decisão de ir em frente ou sentar-se à beira da calçada!

Você acha que eu falo demais? Leia, por favor, meu histórico médico desatualizado! 🙂 Pode até demorar um pouquinho!

E quanto à Saúde, ela é um Direito de Todos e Um Dever do Estado

Advertisements

Publicações Relacionadas

Comente e Socialize-Se. A vida é melhor com amigos!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Soropositivo.Org, Wordpress.com e Automattic fazm tudo a nosso alcance no que tange à sua privacidade. Você pode saber mais sobre esta polític nste link Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Ler Tudo em Política de Privacidade

%d bloggers like this: