Eu fico pensando naquele filme, “O Homem Bicentenario” e fico0 imagiando se, algum dia, seremos apenas um conjunto de softwares que, podermos ser “guardados” ou transferidos para um “hardware novo.” Seá que Aldoux Hudley pôge cogotar estes detalhes em seu livro Admirável Mundo novo?