Anúncios
News Ticker

Segunda pessoa contrai cepa rara do HIV apesar de estar em PReP

Pessoal, manter o site nos traz custos, custos estes que estão difíceis para arcarmos sozinhos. Nós queremos continuar trazendo informações e ajudando as pessoas que chegam até aqui, mas para isso também precisamos de ajuda. Qualquer valor é bem vindo e nos ajudará a manter o site de pé, caso contrário não conseguiremos mais ter esse canal de informação e ajuda mútua. Segue a conta para depósito: Banco do Brasil, agência 1521-0, conta corrente 19957-5, em nome de Claudio Souza
3d render of microscopic blood and virus cells

Mas tais casos de falha em PrEP deverão ser muito incomuns

Um médico da cidade de Nova Iorque documentou um caso em que um paciente do sexo masculino tomando Truvada (tenofovir/emtricitabina) como profilaxia pré-exposição contraiu uma cepa rara e altamente resistente aos medicamentos antirretrovirais, embora mantivesse a PrEP de maneira responsável, exatamente como fora prescrita. Este é o segundo caso documentado de falha na PrEP de homens que praticam sexo com homens (HSH), na sequência da reportagem de fevereiro  durante a Conferência sobre a 2016 retrovírus e infecções oportunistas (acaba) em Boston a respeito de um HSH de Toronto embora sob PrEP que contraiu HIV em circunstâncias semelhantes.

Considerando como a PrEP popular se tornou nos Estados Unidos em particular, o fato de terem sido apenas dois casos documentados de falha PrEP registrados sublinha-se a forte probabilidade de que tais casos permanecerão muito raros. A partir do final de 2015, talvez mais do que 80,000 pessoas resistentes no EEUU havia solicitado pelo menos uma prescrição de PrEP. A julgar pelo rápido aumento da taxa de prescrições trimestrais nos Estados Unidos, o número de pessoas que tomam PrEP agora é consideravelmente maior.

PILULA-DO-TRUVADA-PILULA-PARA-PREVENIR-A-AIDS-HIVEm ambos os casos documentados de falha da PrEP, os clínicos que cuidam de estes homens foram proativos e suficiente inteligentes para dar início aos testes necessários, a fim de encontrar evidências científicas estes homens dizem que elas estavam aderindo bem ao esquema Truvada diariamente. Ambos contraíram o HIV não porque não tomaram PrEP conforme prescrito, mas porque as cepas do HIV que contraíram foram resistentes aos dois medicamentos de cada terapia antirretroviral (TARV encontrados no Truvada.

Dada a raridade da transmissão dessas cepas multirresistentes, é pouco provável que ocorreram muitos outros exemplos declarados de falha da PrEP.

Howard A. Grossman, MD, que até recentemente era um médico na cidade de Nova York especializada em serviços de cuidados primários para os homens que fazem sexo com homens (HSH), relatou o Novo caso na pesquisa sobre o HIV para a prevenção (HIVR4P) em Chicago. Grossman, que tinha um grande número de pacientes em uso de PrEP em Nova Iorque e que agora pratica medicina na Cleveland Clinic em West Palm Beach, Florida, disse que o paciente que contraiu o HIV durante o PrEP é um homem que tem sexo com homens (HSH) nos seus vinte anos que está em um relacionamento com um homem HIV positivo. O seu parceiro tem mantido a carga viral totalmente suprimidas graças ao tratamento antirretroviral (TARV).

Um volume considerável de pesquisa que levou os cientistas a estimarem que indivíduos HIV positivos que têm um vírus totalmente suprimidas, também conhecido como tendo carga viral indetectável, são praticamente não infecciosos (Nota: E mesmo com carga viral indetectável ele transmitiu o HIV. Teria siado num blip viral.Client build #3

Um volume considerável de investigação levou os cientistas a estimar que indivíduos HIV positivos que têm um vírus totalmente suprimidas, também conhecido como tendo carga viral indetectável, são praticamente uninfectious. Portanto é improvável que a cidade de Nova Iorque do homem parceiro HIV positivo passou o vírus junto a ele. Com efeito, a análise genética de cada homem encontradovírus que não foram geneticamente relacionado com o paciente do Grossman havia testado negativo para o HIV cinco vezes entre janeiro de 2013 e 18 de dezembro de 2015. Ele começou a tomar PrEP em 1 de Janeiro de 2016. Em 3 de Maio em uma rotina baseada em laboratório o resultado veio positivo num teste de quarta geração.

Coberto pelo protocolo padrão de PrEP, os indivíduos são supostamente testados para o HIV a cada três meses com a finalidade de receber uma nova prescrição de Truvada. Grossman afirma que o homem não podia fazer a sua nomeação trimestral, que deveria ter tido lugar em torno de 1º de abril, mas ele lhe deu uma nova receita para Truvada assim mesmo até que ele pudesse fazer para teste. O homem disse que antes de testar positivo ele teve relações sexuais desprotegidas com seu parceiro por várias vezes, praticando tanto o insertivo (superior) e receptivo papel (inferior). Ele também disse que ele tinha sido o parceiro insertivo com dois parceiros masculinos durante dois incidentes separados que ocorreram cinco semanas e meia e onze semanas antes do teste positivo para o HIV, respectivamente. Ele não usou preservativo para qualquer encontro sexual.

Howard A. Grossman, MD, Infectologista

Howard A. Grossman, MD

O homem disse que ele tinha cumprido perfeitamente ao esquema Truvada diariamente. Grossman solicitou um exame de sangue seco no local bem como a análise de uma amostra de cabelo do homem. Os resultados de cada teste foram consistentes com aderência excelente para PrEP durante o anterior trinta e sessenta dias.

Tais testes são sensíveis ao tempo. O sangue seco local teste só pode medir a adesão que remonta a um ou dois meses. Testes de cabelo e são limitados pelo comprimento do cabelo do indivíduo. Assim o tempo é essencial para os médicos para realizar tais testes para determinar a adesão ao Truvada depois de alguém receber PrEP testes positivos para HIV.

Testes de genotipagem do homem encontraram cepas do vírus que tinham várias mutações de resistência, incluindo aqueles que conferem resistência a cada uma das duas drogas Truvada, tenofovir e emtricitabina. A transmissão de tais cepas multidrogas resistentes são raros, independentemente de saber se alguém está tomando Truvada, sugerindo que tais casos de falha de PrEP permanecerão bastante incomuns. Em outras palavras, há muito boas razões para crer que os investigadores estavam corretos quando se estima que o PrEP é mais de 99% eficaz em prevenir HIV quando tomadas diariamente.

hiv_50497821_originalO fato de o homem ter “aparentemente” contraído o HIV do sexo em que ele foi o parceiro insertivo adiciona à raridade do seu caso. Os homens são muito menos propensos a contrair o vírus no sexo receptivo do que do no sexo receptivo (Concedido, que auto relatórios sobre sexo podem não ser confiáveis; de modo que o homem pode ter de fato contraíram o vírus através de receptivo sexo).

Grossman manteve o homem no Truvada enquanto realizar a primeira ronda de testes para confirmar se ele foi efetivamente HIV positivo. Em seguida, em 26 de Maio ele prescrevia o seu paciente Tivicay (dolutegravir) além de Truvada para construir um esquema completo de tratamento do HIV (três ou mais ARVs são necessários para tratar o vírus; Truvada contém apenas dois). Após vir o relatório da resistência às drogas, Grossman prescreveu, também, o Prezcobix (darunavir/cobicistat) para intensificar o seu esquema.

O homem está com boa aderência ao tratamento do HIV e mantém a carga viral indetectável.

Grossman salienta a POZ “pontos importantes”, incluindo a “PrEP funciona e é a mais bem-sucedida intervenção que tivemos; falhas foram infinitamente raras (diga isso a quem foi vítima da falha) e que não muda nada; e pode ficar infectado.” Ele acrescentou que os preservativos podem reduzir ainda mais o risco de infecção pelo VIH.

 

Traduzido por Claudio de Souza do original em Second Man Contracts Rare HIV Strain While Adhering to PrEP  por By Benjamin Ryan em 19 de Outubro de 2016 oara a POZ.

Revisado  Mara de Macedo

Anúncios

Olha só pessoal.

No início do post tem uma imagem com um texto falando sobre o trabalho e os custos que a gente tem. Você que está me lendo agora, pode e tem o direito de não acreditar.

No mês de mais, quando mais de quarenta mil visitas foram registradas, houve três cooperações.

Quando nós pedimos cooperação financeira, qualquer valor é bom.

Sabe, o beija-flor pode carregar uma diminuta gota d’água em seu bico, no afã de apagar o incêndio na floresta….

E nunca será insuficiente 😊

Está conta serve para transferências de qualquer banco ou depósitos na boca do caixa de qualquer agência do Santander

Esta conta não permite, senhores abusadores, que seja feito nada a título de débito nela.

Você não poderá, como já pôde, assinar 65 revistas de uma só editora e, muito menos abrir contas de acesso à Internet 🙂

Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

Estamos aqui para ajudar a pensar, não para diagnosticar. Não somos médicos ou profisionais de saúde. Buscamos ajudar com palavras amigas, conforto espiritual e, na medida do possível, terminar com a neurose gerada por bloqueiros de meia pataca ou homofóbicos sem caráter que não pensam duas vezes antes de espalhar terros entre pessoas que, quer eles, os homofóbicos, queiram ou não, são seres humanos. Tenha em mente que o numero do WhatsApp esta conectado a um CPF

A PEP é um direito de todos! Saiba onde a achar

A PEP é um direito de Todos

A PEP É um DIREITO DEDOS

[EIKYGMrz]

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico

2 comentários em Segunda pessoa contrai cepa rara do HIV apesar de estar em PReP

  1. Texto de extrema relevância, porém está confuso, acredito que vale uma boa revisão do português e da tradução.

1 Trackback / Pingback

  1. Segunda pessoa contrai cepa rara do HIV apesar de estar em PReP Soropositivo.Org – Há vida com HIV | BRASIL S.A
%d blogueiros gostam disto: