O Blogs em Destaque do WordPress Entrevista, no Dia Mundial de Luta Contra a AIDS a Dois Blogs. Um é o soropositivo.org

Cláudio Santos de Souza
Bem, eu já fui reconhecido no metro, na linha azul, na verde e na amarela por conta desta foto e deste característico chapéu. Ademais, eu não encontrei na lei brasileira nenhuma alusão à criminalização da pessoa soropositiva pelo fato simples de selo e, minha esposa, advogada, diz que é cláusula pétrea da constituição que o direito à livre manifestação do pensamento e, nada obstante, o anonimato é proibido

Eu tenho por política editorial nunca publicar nada no dia 1º e dezembro! Afinal, tanta gente fica em silêncio pala quase totalidade do ano, com a honrosa excessão da MTV, que eu não quero me arriscar a empanar-lhes o brilho ou lhes fazer concorrência. É por isso que, quase uma semana depois, eu divulgo esta entrevista, que muito nos honra, em nosso trabalho, por parte do WordPress Brasil.

É uma grande realização conseguir chamar a atenção de uma mídia de tal alcance (planetário) e eu não ia deixar de falar nisso.

Dei tempo ao tempo e, se não coloco uma foto mais nova aqui é porque não tenho sido fotografado com tanta frequência e, como bem diz a Drª Vera Paiva, do Nepaids, é preciso dar, sim, a cara a tapa, e eu não encontro um só pretexto para não o fazer, posto que já no início da década de 90 eu dizia a qualquer pessoa que sou portador de HIV e, agora, depois de mais de vinte anos, aqui no Brasil, eu nunca tive problemas jurídicos ou de qualquer natureza por conta desta “virose”.

Bem, eu não vou dar excessivos tratos à bola porque está evidente o que eu digo sub-repticiamente.

Eu coloco a introdução da matéria neste post e linko para o original. É uma boa leitura, recomendo a todos.   🙂

Antes,  o entanto, eu passo a  palavra à Drª Vera Paiva  no “Guerrilha”

Soropositivo.org: Você foi inicialmente desacreditado pelos médicos, quando percebeu que existia vida após o HIV?

Eu fui diagnosticado em novembro de 1994, naquela época sequer havia tratamento. Eu me lembro muito bem da expressão da pessoa que deu o diagnóstico, dizendo que eu teria, apenas, mais seis meses de vida. Quando eu saí do CRT-A (Centro de Referência e Treinamento em AIDS) eu ouvia em minha cabeça, repetidas vezes, a expressão em inglês dita a um condenado à morte: “Dead man walking”.

 

Continue a leitura neste link

😍😍😍😜💫☮Sim, este da foto sou eu ! Minha sobrinha pediu que eu pusesse esta foto m meu perfil !.... Eu tinha aqui uma descrição a meu respeito que, uma pessoa classificou como “irreverente”. Esta é, realmente, uma forma eufêmica de classificar o que estava aqui. Tudo o que sei é que uma “ONG”, que ocupa um prédio de 10 andares estabeleceu uma parceria comigo, e eu tenho os logs do tempo de parceria, que foi mais um vampirismo pois, para cada 150 pessoas que saiam do meu site, clicando no deles, havia, em média, um que entrava. QUANDO ENTRAVA E SE ENTRAVA

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.