Últimas noticias

Precisamos falar sobre a PEP em caso de estupro

Mulheres Muheres, não se calem! O que hoje é um tapinha pode ser, ainda amanhã, um soco no seu rosto. E se ele grita com você e te assedia moralmente, isso também está incluso na Lei Maria da Penha. Não tenha dó! Porque ele não terá e você e "cunversinha"é só isso: "cunversinha". Amanhã o pau come. "Ah! Eu "amo ele". Ame a si mesma e desapareça daí o quando antes

A partir de hoje até o dia 8 de Março, Dia Internacional das Mulheres, trarei assuntos para a minha coluna exclusivamente de interesse de nós, mulheres, assuntos delicados mas que devem ser tratados com todo respeito e responsabilidade possível. Para abrir essa série, falo hoje sobre a PEP (Profilaxia pós exposição) em caso de estupro.

Nós sabemos o quanto é delicado e doloroso falar sobre um assunto como o estupro, visto que em nosso país, segundo matéria do Jornal Estadão, uma mulher é vítima desse crime a cada onze minutos e segundo dados da Revista Época, apenas 35% chegam a ser notificados, o que pode diminuir dolorosamente essa estatística para 1 estupro a cada minuto. Como mulher, reforço que é preciso falar sobre esse assunto, é necessário que se acabem com os estigmas, com a culpabilização da vítima e principalmente, que as mulheres vítimas dessa barbárie tenham acesso à PEP com todo profissionalismo e cuidado dos profissionais que irão atendê-la.

Como consta no site www.aids.gov.br, as vítimas de abuso devem buscar ajuda o mais rapidamente possível e têm direito à receber a PEP de forma gratuita e a ser orientadas pelo uso correto da medicação, que deve ser tomada ininterruptamente por 28 dias e com no máximo de 72 horas após a exposição (o quanto antes melhor), para prevenir a infecção pelo vírus do HIV.

Com o estigma do estupro, por vergonha e medo de ser expostas, ou até mesmo por falta de informação, muitas mulheres acabam por não procurar tratamento, aumentando assim o número de infecções por HIV e outras doenças sexualmente  transmissíveis, por isso se torna tão imprescindível a procura pela PEP em caso de violência sexual. É importante também ressaltar que todo o atendimento é extremamente sigiloso e conta com uma gama de profissionais capacitados para dar todo o apoio psicológico e medicamentoso à vítima.

Como proceder?

Em caso de violência sexual, não se cale. Procure a Delegacia da Mulher da sua cidade para os trâmites legais e busque a PEP no hospital de sua cidade, CTA (centro de testagem e acolhimento) ou em uma UPA (unidade de pronto atendimento). Nestes locais você irá receber as orientações devidas, bem como contracepção de emergência e a PEP para os 28 dias de tratamento.

IMPORTANTE: Pela sua saúde emocional e física, NÃO SE CALE! Estupro é crime e deve ser denunciado!

Onde buscar a PEP (listagem separada por estados)

http://www.aids.gov.br/pep_onde

images

Anúncios

Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

Estamos aqui para ajudar a pensar, não para diagnosticar

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico

1 Trackback / Pingback

  1. Precisamos falar sobre a PEP em caso de estupro Teste-se para o HIV!Soropositivo. Org – Há Vida com HIV!!! | METAMORFASE

Seu retorno é importante. Nós atendemos às solicitações de textos, desde que ligados ao tema central de alguma forma. Faça seu comentário, de sua opnião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: