A vaginose bacteriana e a eficácia da PReP oral

prep oral

 A eficácia da PReP oral

PrEP Oral e vaginose bacterianaA pesquisa sobre PrEP Oral apresentada na Conferência sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas no mês passado em Seattle descobriu que a eficácia da profilaxia pré-exposição oral (PReP) para mulheres não foi afetada pela vaginose bacteriana (VB).

O crescimento excessivo na vagina de micróbios atípicos.

A eficácia da PrEP no estudo PrEP Parceiros não foi significativamente diferente em mulheres com e sem vaginose bacteriana.

Isso exclui Bactérias vaginais como uma possível causa de menor efetividade da PrEP oral em alguns estudos entre mulheres em comparação com estudos de homens que fazem sexo com homens.

No entanto, outro estudo demostrou que as concentrações do tenofovir foram menores em mulheres com vaginose bacteriana que usou um gel microbicida – corroborando a diferença na eficácia já observado no estudo gel tenofovir CAPRISA 004 (este link leva para uma tradução automática do texto referido).

Estudos estão sendo realizados para descobrir se a vaginose bacteriana afetou a eficácia dos anéis vaginais.

Pages ( 1 of 8 ): 1 2345678Próxima»