Últimas

Carga Viral Indetectável melhora imunização de Febre Amarela

Carga viral não detectável no momento da imunização melhora proteção vacina contra a febre amarela para as pessoas com HIV

 

Supressão viral no momento da imunização é o mais importante fator determinante da resposta imunológica a longo prazo para a vacinação contra a febre amarela entre pessoas com HIV,  Vírus da febre amarelarelatam pesquisadores suíços na Clinical Infectious Doenças. 

Cada pessoa com uma carga viral não detectável no momento da primeira vacinação contra a febre amarela continuou a ter uma resposta protetora dez anos depois de vacinação, conforme descobriram.

“Pessoas infectadas com o HIV demonstraram boa resposta imune a curto prazo FEBRE AMARELA [vacinação contra a febre amarela que diminuiu para 75% dez anos [pós-vacinação] “, comentam os autores. 

“A longo prazo resposta humanitária de doentes com TARV contra o HIV suprimido a vacinação permaneceu intacta por até dez anos “.

os pesquisadores acredita que seus resultados têm implicações para a vacinação ,estratégias, escrevendo: 

“pacientes  infectados pelo HIV podem montar uma longa resposta imune protetora contra a FEBRE AMARELA se pelo menos forem vacinados a cada dez anos  enquanto estão bem no caminho da TARV [terapia anti-retroviral ] … 

até dados adicionais estão disponíveis sobre um único reforço depois de dez anos pode parecer ser adequado a reestimular a resposta à vacina em caso de nova viagem para uma área onde a febre amarela é endêmica“.

A febre amarela é uma doença grave, provocada por um mosquito e sua forma hemorrágica é uma condição muito grave para a qual não há tratamento antiviral. 

A Vacina contra a febre amarela foi considerada como reativa e protetora!

No entanto, há uma vacina grandemente eficaz. 

A Organização Mundial da Saúde emitiu orientação em 2013 recomendando que os indivíduos devem receber vacinação contra a febre amarela e reforços a cada dez anos para obter proteção vitalício contra a doença.

Muitas pessoas HIV-positivas vivem ou viajam para áreas onde a febre é endêmica. 

A resposta a longo prazo à vacinação contra a febre amarela em pessoas com HIV é mal compreendida. 

Os pesquisadores do Estudo Swiss HIV Coorte, portanto, identificou 247 pessoas com uma primeira vacinação documentada contra a febre amarela depois do diagnóstico positivo para HIV. 

Em geral, o PRNT foi reativo em 46% das pessoas antes da vacinação. Uma resposta imune protetora estava presente um, cinco e dez anos após a vacinação em 95%, 86% e 75% das pessoas, respectivamente, foi considerado como reativo e protetora. 

Preditores de resposta da vacina foram igualmente examinados.

 

A vacinação só é recomendada para assintomáticas, pessoas soropositivas com uma contagem de células CD4 acima de 200 células / mm3. Isso é porque  uma vacina de virus- atenuado e, portanto, representa significativo  risco para as pessoas com muito fraco sistemas imunitários. Apesar de esta recomendação, os pesquisadores identificaram onze indivíduos que foram imunizados contra afebre enquanto sua contagem de células CD4 estava perigosamente baixo.

No geral, PRNT foi reativo em 46% das pessoas antes da  vacinação. A proteção resposta imune estava presente um, cinco e dez anos pós-vacinação, em 95%, 86% e 75% das pessoas, respectivamente.

Em pessoas com uma carga viral suprimido no momento da imunização, a proporção permaneceu com PRNT reativo consistentemente elevado: 99% em um ano, 99% no ano cinco e 100% no ano dez.

Ter a carga viral indetectável no momento da vacinação é fator determinante

Uma carga viral indetectável no momento da vacinação foi o único grande determinante da resposta a longo prazo para a vacina.

os autores recomendam que as pessoas com HIV devem estar vacinadas contra febre uma vez que sua carga viral é suprimida, e que devem receber uma dose de reforço depois de dez anos se eles permanecem com o HIV suprimido. No entanto, as pessoas que foram vacinados enquanto sua carga viral estava detectável devemos ou ter delaresposta imune à vacina medido ou receber uma dose de reforço da vacinação, independentemente do tempo decorrido .

 

Traduzido por Cláudio souza do original em Undetectable viral load at time of immunisation enhances yellow fever vaccine protection for people with HIV

 

Michael Carter

Publicados:   24 de novembro de 2017

Revisado por Jackye out trhe Box

Anúncios
Sobre Claudio Souza do Soropositivo.Org (508 artigos)
😍😍😍😜💫☮Sim, este da foto sou eu ! Minha sobrinha pediu que eu pusesse esta foto m meu perfil !.... Eu tinha aqui uma descrição a meu respeito que, uma pessoa classificou como “irreverente”. Esta é, realmente, uma forma eufêmica de classificar o que estava aqui. Tudo o que sei é que uma “ONG”, que ocupa um prédio de 10 andares estabeleceu uma parceria comigo, e eu tenho os logs do tempo de parceria, que foi mais um vampirismo pois, para cada 150 pessoas que saiam do meu site, clicando no deles, havia, em média, um que entrava. QUANDO ENTRAVA E SE ENTRAVA

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Whatsapp WhatsApp Us
%d blogueiros gostam disto: