A maconha pode ajudar pessoas com HIV a manter saúde mental por mais tempo

 Maconha pode ajudar pessoas com HIV

 

Imaginem Tom Jobim cantando: ***se todo tucano fosse igual a você”…

Norbert Kaminski , diretor do estado de Michigan Instituto Universitário de Integração Toxicologia , tem descobriu que um produto químico na maconha, conhecido como THC, pode potencialmente retardar o processo de declínio mental que pode ocorrer em até 50 por cento dos pacientes com HIV, diz um novo estudo da Universidade Estadual de Michigan.

Um produto químico encontrado na maconha, conhecido como tetrahidrocannabinolou THC, tem fui encontrado para potencialmente retardar o processo em que o declínio mental pode ocorrem em até 50 por cento dos pacientes com HIVdiz um novo estudo da Michigan State University.

 

Eu acreditava que cognitiva função diminui em muitos daqueles com HIV em parte devido à crônica inflamação que ocorre no cérebro “, disse Norbert Kaminski, principal autor do estudo, agora publicado no jornal   AIDS.  Isto acontece porque o sistema imunológicoé constantemente ser estimulado a combater a doença “.

 

Kaminski e seu coautor, Mike Rizzo, um graduado estudante em toxicologia, descoberto que os compostos em marijuana foram capazes de atuar como agentes anti-inflamatórios agentesreduzindo o número de células brancas inflamatórios no sanguechamado monócitos e diminuindo as proteínas que libertam no corpo.

 

 Isto, o inflamatório processo,  a diminuição da quantidade das células saudáveis, poderia ser lentificadoou mesmo potencialmente paralisado ajudando pacientes manterem suas funções cognitivas preservadas “, disse Rizzo.

 

Os dois pesquisadores tomaram sangue amostras de 40 pacientes com HIV quem relatou se eles usaram ou não a maconha. Então, eles isolaram o branco sangue células de cada doador e estudou níveis inflamatórios de células e o efeito que a maconha tinha nas células.

“Os pacientes quem não fumaram a maconha tinham um nível muito alto de células em processo inflamatório em comparação com aqueles quem usou,” Kaminski disse . “Na verdadeaqueles quem a maconha usada tinha níveis muito perto de uma saudável pessoa não infectado pelo HIV “.

Kaminskidiretor do Instituto de Integração da MSU Toxicologiatem estudou os efeitos da maconha no sistema imunológico desde 1990. Seu laboratório foi o primeiro a identificar as proteínas que podem vincular compostos de maconha na superfície de células imune . Até até então, não estava claro como estes compostostambém conhecido como cannabinoidesafetaramo sistema imunológico. (eu conheço um monte de gente que usa isso associado à TARV, e eu não darias seus nomes nem diante da Morte, pois, creio eu, isso é mais útil, sensato e credível do que abandonara TARV para usar ***mutamba***). (PQP) (…).

 

HIV, que representa vírus da imunodeficiência humanainfecta e pode destruir ou mudar as funções de imunidade de células que defendem corpo. Com terapia anti-retroviral – uma forma padrão de tratamento – que inclui um coquetel de drogas para afastar o vírus – estas células tem uma melhor chance de permanecerem intactas.

 

No entanto , mesmo com esta terapia, certos   células  sanguíneas brancas ainda podia ser excessivamente estimuladas e eventualmente gerarem um processo inflamatório .

Vamos continuar investigando estas células e como elas interagem entre si e cpm o organis, e buscar saber o porquê de causarem este estado de inflamação constante e especificamente no cérebro “, disse Rizzo.

O que aprendemos com isso poderia, além disso ter implicações para outros problemas de saúde relacionados  ao cérebro bem como a doenças como Alzheimer e Parkinson desde que o mesmo processo inflamatório em em células brancas esteja envolvido“.

Sabendo mais sobre isso interação poderia em última análise, levam a novas terapêuticas agentes que poderiam ajudar pacientes com HIV especificamente manter sua função mental.

 

“Pode ser que as pessoas não tenham de fumar maconha “, Kaminski disse. “Talvez baste tomar uma pílula que possui algum composto chave encontrado na  maconha que poderia ajudar. “

12 de dezembro de 2017

Naturalmente, digo eu, Cláudio Souza… A pílula custaria 5 vezes mais que um cigarro de maconha, mas sabe como é… Money Is Money and the need to put their hands on some. E, fazer um chazinho…. Nem pensar! 🙂 

Anúncios