Últimas Notícias! Você não deve perder

O Exame do SUS é confiável?

Sim… Exame do SUS é confiável?

Depois que eu passei a “atender pessoas pelo Whats App” eu passei a viver uma experiência diferente da que eu esperava. Meu blog foi, durante mais de uma década, o único que existia e que dava “informações coerentes”. Hoje há outros e eu diria, debalde o fato de eu não me afinar muito bem com a política editorial deles, eu destacaria o GIV, Pella Vida CRD, Gapa (O único que eu conheço que é anterior ao soropositivo.org), Rede Nacional de pessoas vivendo com HIV ou AIDS. Depois destes, o do Jovem Soropositivo

O que me deixou perplexo foi o seguinte:

exame do SUS é confiável

Está é exatamente a cara de muitos daqueles que, de um momento para o outro, passam a não acreditar que o exame do SUS é confiável, ainda mais de casados como o figura aí…

Eu não pensei dez segundos antes de me decidir a por meu “ZAP” lá e a minha expectativa seria a de encontrar pessoas me procurando por terem recém descoberto que seriam portadoras do HIV. Ledo engano!

O que as pessoas mais me questionam é sobre a real confiabilidade dos testes rápidos do SUS, que, geralmente, se expressa na frase:

O Exame do SUS é Confiável

Bem, existe uma razão, e é importante que vocês saibam disso, para recebermos, nós pessoas vivendo com HIV ou AIDS, o tratamento dos remédios que compõem a TARV (Terapia Antiretroviral). Quando vivemos com HIV e não sabemos disso a infecção por HIV progride, dia após dia e, dentro de cinco, oito ou mesmo dez anos, talvez mais, nós não representamos, para o Caixa da União (porque, em verdade, é disso que se trata!) e, por assim dizer, “não incomodamos ninguém até que, mais dia ou menos dia, a quantidade e a qualidade (eu me comprometo a escrever um texto que explique esta expressão, “qualidade”) das células CD4 chega aos níveis temíveis em que ela deixaria de ser “só” uma infecção por HIV e comece a atuar como AIDS, que em bom português seria SIDA, um acrônimo para “Síndrome da Imuno Deficiência Adquirida”. Fala-se sobre Imuno deficiência adquirida porque há outras doenças, que não são de ordem infecciosa, que você adquiriu na vida por causa da “Coisa A” ou por conta da “Atitude B”.

Entretanto e infelizmente há um entretanto, a verdade é bem diferente.

É… vejam só. Quando viramos um “caso de AIDS” e não podemos ser lançados ao mar a cerca de 200 milhas da costa brasileira, eles têm de nos tratar. E é aí que, falando francamente, a porca torce o rabo. E esta é uma excelente, excelente e muito excelente razão para você que me lê, respeitar o prazo da janela imunológica

É muito caro tratar uma pessoa com “pneumocistose” ou com sarcoma de Kaposi, até que a pessoa “finalmente morra”.


Questão de caixa

Eias aqui “A Mola do Mundo”

É mais barato tratar com a TARV e evitar que a doença por HIV caminhe livremente até converter-se em AIDS conforme eu tentei ilustrar de modo tosco, bem sei, do que tratar a pessoa que, infelizmente, por não saber da “coisa”, acaba evoluindo para a AIDS.

Pois bem… As pias intenções de quem nos trata é justamente uma questão de “custo & benefício”, você, que me lê, entende isso? Se você não entende, entre em contato comigo pelo Whats App, pois eu tentarei explicar, de uma maneira ou de outra até esclarecê-lo.

O tratamento vem por conta da relação custo vs benefício

Bem… O fato é este, o tratamento vem por conta da relação custo vs benefício e não houve, desde o início deste sistema de tratamento, não tem quase nenhuma intenção verdadeiramente humanitária, naturalmente há exceções, pois há pessoas e pessoas.

Estabelecido isso, qual é a _coisa_ mais importante dentro desta cadeia de fatos?

Sim, você está certo(a).

A acuidade dos testes de HIV. Não é racional acreditar que, dentro de um sistema tão complexo, onde a avaliação deste teste é um ponto que se ramifica para muitas direções todas elas seríssimas, não cabe margem para erro pois, eu vou tentar listar aqui as razões deste sistema existir e precisar ser próximo à perfeição.

  • Sem saber que tem HIV uma pessoa que já contraiu HIV e está comprovado que ela não usa preservativos em relações sexuais ela acaba se tornando um “vetor” do HIV.

Por conta disso a falha na detecção daria curso e origem a um inimaginável número de outras infecções, e todas elas, teoricamente passíveis de realizarem um exame e ainda não o fez, sendo este vetor, só Deus poderia saber, prever ou calcular até onde esta pessoa levaria o HIV e até onde as pessoas infectadas por estas pessoas, infectadas pela primeira pessoa em que houve a falha de diagnóstico, também se tornariam vetores, trazendo a possibilidade de uma inimaginável e geometricamente progressiva cadeia de pessoas infectadas por aquela que teve origem na “pessoa tranquila, uma vez que seu exame, equivocadamente, deu não reagente e, infelizmente esta pessoa não se conscientiza e continua a se relacionar sexualmente com outras pessoas, às vezes até uma pessoa desconhecida, isso acontece aos borbotões, que passaria a ser um novo vetor que poderia gerar outros novos vetores que poderia gerar uma cadeia de… Isso não tem fim.

Assim, meus diletos leitores, da mesma forma que estes testes são realizados em pesquisas (Sempre na triste e pobre África) também não podem ter margem para erro e, se eu posso ousar, eu ouso dizer que 99.5% destes testes são “perfeitos”, dada a cadeia de fatos que eu descrevi há poucos minutos, e que tem consequências funestas, conforme eu vaticinei no parágrafo acima.

Aí cada um de vocês dirá para mim:

“É, então eu posso fazer parte deste 0.5% que vc descreveu.   (RNY)

Sim, pode fazer parte disso, uma vez. Duas ou três e até mesmo cinco é inverossímil. Mas isso não é possível, do ponto de vista estatístico você não passará a fazer de chofre, uma sequência de coletas de exames que possam levar a este indescritível evento de “má sorte”.

Se você fez um exame, e não se convenceu por conta do medo, bem, eu posso entender, porque a moça, minha ex, que me deixou entregue às urtigas ficou aterrorizada e, segundo me narra uma fonte confiável, ela fez DEZ… Sim Dez exames e só aceitou o resultado porque uma pessoa extremamente racional a abordou e a convenceu que dez exames, em oito meses era para lá de convincente e, analise isso pelo seu prisma, e não pelo meu:

Quase DEEEEEEEEEEEEZ anos

Depois de casada, ela só engravidou depois de quase de dez anos de casamento… Eu penso, e entendo bem, o que se passou neste caso e, sim, eu creio que a experiência (perdoe me, por favor) a aterrorizou de tal forma que mesmo dentro do casamento, ela se relacionou com seu esposo por pelo menos uns seis a oito anos. (…)

O tratamento vem por conta da relação custo vs benefício

Bem… Eu escrevi um pouco mais de mil e cem palavras e descrevi uma coisa que, na minha tacanha forma de ver, só teria um compartimento muito específico do “Inferno de Dante” …

A Ciência e Deus

Pensem nisso e avaliem, com racionalidade e crença na Ciência e em Deus e veja se é racional você fazer cinco ou oito testes, se todos eles e todos eles se encontrarem na casa dos 0,5%.

Sincera e honestamente, da minha forma muito direta e objetiva de dizer as coisas, se isso acontecer, vc seria, definitivamente, uma pessoa cagada de arara!

Eita P****

Anúncios
Sobre Claudio Souza do Soropositivo.Org (507 artigos)
😍😍😍😜💫☮Sim, este da foto sou eu ! Minha sobrinha pediu que eu pusesse esta foto m meu perfil !.... Eu tinha aqui uma descrição a meu respeito que, uma pessoa classificou como “irreverente”. Esta é, realmente, uma forma eufêmica de classificar o que estava aqui. Tudo o que sei é que uma “ONG”, que ocupa um prédio de 10 andares estabeleceu uma parceria comigo, e eu tenho os logs do tempo de parceria, que foi mais um vampirismo pois, para cada 150 pessoas que saiam do meu site, clicando no deles, havia, em média, um que entrava. QUANDO ENTRAVA E SE ENTRAVA

8 Trackbacks / Pingbacks

  1. A respeito da janela imunológica de sessenta dias. » Soropositivo.Org Ha vida depois do HIV! Há vida com HIV!
  2. Janela Imunológica. Resposta Certa: O Fim do Pesadelo Recupere Sua Paz
  3. A respeito da janela imunológica de sessenta dias. | Soropositivo.Org
  4. Relacionamento discordante. Renata. Um ato de contrição
  5. O Sofrido Drama da Janela Imunológica Eterna e Minha Resposta... | Soropositivo.Org
  6. Posso Contrair HIV no Sexo Oral, Vaginal ou Anal? | Soropositivo.Org
  7. Somatização de Sintomas de Infecção Por HIV · Soropositivo.Org
  8. Diretrizes Sexo Seguro: Ponto 1: Transar Com Camisinha Todas As Vezes · Soropositivo.Org

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Whatsapp WhatsApp Us
%d blogueiros gostam disto: