H√° Vida Com HIV

Oz√īnioterapia e a mentira homicida sobre a cura da AIDS!

 

Neste meu mister de tentar acudir, pelo menos dando algum suporte emocional às pessoas que, de uma forma ou de outra, mas, geralmente, em torno do drama da janela imunológica para HIV, que está devidamente postulada neste blog, dentre outros artigos no que vai no link aqui exposto:

Janela imunol√≥gica, os fatos, que √© um texto onde eu estabele√ßo ila√ß√Ķes a respeito da incomensur√°vel mir√≠ade de asneiras, e eu estou usando um termo civilizado, pois as √ļnicas palavras Ozonioterapiaadequadas ao que se diz e que poderiam referir as qualidades (…) intelectuais e possivelmente amorais, em tese adjetivos, residiriam no baixo cal√£o, e se tornariam incompat√≠veis om a minoridade e, certamente feririam os olhos e os esp√≠ritos das pessoas mais sens√≠veis e, portando, me abstenho deles. Tais pessoas, j√° me informaram, em prantos, preceituaram a necessidade de exames peri√≥diocos, depois e uma rela√ß√£o desprotegida pelo RESTO DA VIDA

Bem, uma vez eu me dei ao luxo de anonimizar uma destas conversas e enviei √† minha psiquiatra, que √© a pessoa com quem eu trabalho esta coisa triste que foi, um dia, a minha sa√ļde psiqui√°trica hoje, depois de quase vinte e um anos, √© algo relativamente equilibrado, mas √© equilibrado no √°pice de uma pir√Ęmide e, portanto, sujeita a chuvas e trovoadas, mas, de alguma sorte, relativamente est√°vel.

Para que eu n√£o fuja √° honestidade, a √ļltima crise ocorreu a menos de quarenta e oito horas, depois de eu descobrir que uma ‚Äúdeterminada ativista‚ÄĚ menosprezou minhas necessidades e, depois de um pouco mais de vinte e quatro meses, deixou patente que em momento algum esteve realmente tratando de interesses pessoais meus, que eram, e na verdade o s√£o, do n√≠vel fiduci√°rio, e eu passei todos estes meses na v√£ e pujante esperan√ßa de ter a possibilidade de injetar nas reservas financeiras desta fam√≠lia, eu e Mara, minha esposa, que nada fizera e que estivera, e ainda est√°, em pose de documentos meus, que ela solicitou para tratar de direitos previdenci√°rios que ela tratou como se fossem coisas dos interesses infantis de uma crian√ßa e pode ter me causado preju√≠zos financeiros de alta monta, que poderiam, de alguma forma, ajudar-me a melhorar este trabalho, que eu mantenho de meu pr√≥prio bolso h√° quase dezoito anos (Escrevo isso em tr√™s de fevereiro de dois mil e dezoito e n√£o √© dif√≠cil ver a verdade sobre isso, bastando clicar aqui.). Isso √© para voc√™, amiga ativista, poder mensurar o que voc√™ se prop√īs e prometeu tentar e n√£o se moveu. Como eu te disse. bastaria me dizer que n√£o dava. Tempo para me chamar de inconveneinete pq eu te mandei uma mensagem curta pelo ZAP num s√°bado √° noite, voc√™ teve.

Eu ainda não cheguei à conclusão sobre tomar ou não, indiferente á possibilidade de me tornar impopular no meio de ativistas que eu amo, mas que não tem como alimentar nosso caixa, tão tristemente combalidos. Sim, eu fugi ao escopo básico deste artigo, mas não vou editar esta parte do texto. Este é um blog pessoal e não é incomum que os textos reflitam meu estado de espirito.

Voltando ao assunto, minha psiquiatra leu um destes meus “longos diálogos ela me respondeu:

– ‚ÄúCl√°udio, voc√™ j√° √© psiquiatra! Se eu n√£o resolver um caso, eu mando para voc√™‚ÄĚ.
Evidentemente ela estava de galhofa.

O fato √© que eu acabo ‚Äúlidando cm muita gente‚ÄĚ que, passada a minha utilidade, padre F√°bio, padre F√°bio, a utilidade passa at√© mesmo sem que envelhe√ßamos…, desaparece sem, sequer, dizer adeus.

Mas ficam aquelas que acabam descobrindo em mim um pouco mais do que um sparing emocional e se tornam amigas.

Dentre estas, reside uma moça, que eu chamarei de Gabriela Mistral, em homenagem a ela e ao grande espirito que imortalizou este nome.

Esta minha amiga, Mistral, tem uma parenta, cujo grau de parentela eu oculto, n√£o para evitar celeumas. √Č bom que ocorram que venha a ocorrer algumas celeumas neste √Ęmbito, eu creio.

A mal referida parenta tentou preceituar a ‚ÄúOZ√ĒNIO TERAPIA‚ÄĚ, uma cria√ß√£o de gente desocupada, ou mesmo com ambi√ß√Ķes inconfess√°veis, que tem um not√≥rio palha√ßo e farsante com d√©cadas de crimes perpetrados e que a nossa justi√ßa n√£o se determina a enjaul√°-lo e jogar as chaves fora, porque, neste caso, mesmo o corpo deveria se decompor na cela e o esqueleto deveria ser mantido ainda l√° at√© que o pr√©dio viesse a ser demolido e o esqueleto ser levado como entulho, em meio ao entulho.
Bem, eu procurei alguma coisa que tratasse seriamente do g√°s oz√īnio e eu encontrei isso:
O que √© Oz√īnio:

Oz√īnio √© um g√°s inst√°vel constitu√≠do por tr√™s √°tomos cujo s√≠mbolo qu√≠mico √© O3. √Č produzido naturalmente na estratosfera (camada acima da superf√≠cie terrestre) ap√≥s a a√ß√£o de raios solares ultravioleta sobre as mol√©culas de oxig√™nio (O2) separando os dois √°tomos, que, ao serem associados individualmente a outras mol√©culas O2, produzem o oz√īnio.

O oz√īnio tem cor azulada, cheiro forte, √© altamente reativo e por isso, um elemento t√≥xico. √Č nocivo a qualquer ser vivo. A exposi√ß√£o ao oz√īnio prejudica gravemente os seres humanos (afeta os √≥rg√£os respirat√≥rios ap√≥s inala√ß√£o, provoca c√Ęncer de pele, cegueira, etc.) e a natureza, impedindo o crescimento ou mesmo destruindo a vegeta√ß√£o. Industrialmente, √© utilizado como branqueador, agente oxidante e esterilizante do ar e da √°gua.

Se você quiser ler um pouco mais sobre isso, segue o link

Um pouco mais:

O QUE √Č OZ√ĒNIO

O oz√īnio (O3), √© um √© um g√°s inst√°vel, diamagn√©tico, com PE 112¬įC. √Č uma forma alotr√≥pica do oxig√™nio, constitu√≠do por tr√™s √°tomos unidos por liga√ß√Ķes simples e duplas, sendo um h√≠brido de resson√Ęncia com comprimento m√©dio de liga√ß√£o de 1,28 A¬į, formando um √Ęngulo de 116¬į 49‚Äô. O √Ęngulo de liga√ß√£o determinado experimentalmente est√° de acordo com o previsto pelo modelo RPECV (120¬į). √© um agente oxidante extremamente poderoso, mais fraco apenas que o F2 reagindo muito mais rapidamente O2 . Sua alta reatividade o transforma em elemento t√≥xico capaz de atacar prote√≠nas e prejudicar o crescimento dos vegetais. √Č um g√°s √† temperatura ambiente, de colora√ß√£o azul-p√°lida, devido √° intensa absor√ß√£o de luz vermelha, atingindo colora√ß√£o azul-escura quando transita para o estado l√≠quido, situa√ß√£o em que adquire propriedades explosivas.

COMO O OZ√ĒNIO √Č PRODUZIDO?

√Č produzido naturalmente na estratosfera pela a√ß√£o fotoqu√≠mica dos raios ultravioleta sobre as mol√©culas de oxig√™nio. Esses raios s√£o suficientemente intensos para separar os dois √°tomos que comp√Ķem a mol√©cula de O2 produzindo assim o oxig√™nio at√īmico.

A produ√ß√£o de oz√īnio √© realizada numa etapa imediatamente posterior, resultando da associa√ß√£o de um √°tomo de oxig√™nio e uma mol√©cula de O2 na presen√ßa de um catalizador.

Mortalidade Infantil por complica√ß√Ķes respirat√≥rias.

O segundo papel que o oz√īnio assume, situa-se em outra camada da atmosfera, a troposfera, que √© a camada em que vivemos. Na imagem do in√≠cio da p√°gina, essa camada corresponde √† regi√£o vermelha, laranja e amarela. O oz√īnio troposf√©rico pode ocorrer naturalmente em baixas concentra√ß√Ķes. O que torna o oz√īnio um poluente altamente t√≥xico √© a presen√ßa de outros poluentes que provocam o desequil√≠brio dos processos de consumo e forma√ß√£o do oz√īnio. Esses poluentes s√£o: os compostos org√Ęnicos vol√°teis (COVs) exceto o metano, o mon√≥xido de carbono (CO) e √≥xidos de nitrog√™nio (NO e NO2). A partir deles, forma-se o smog fotoqu√≠mico (smoke – fuma√ßa, fog – neblina), um tipo de polui√ß√£o que √© desencadeada pela luz solar e que gera oz√īnio como produto (saiba mais sobre o efeito estufa).

Devido a esse desequil√≠brio, a concentra√ß√£o de oz√īnio na troposfera aumenta, tornando-o t√≥xico para os seres vivos. Os efeitos relacionados ao oz√īnio como poluente s√£o vastos. O crescimento das plantas √© afetado, diminuindo a produtividade agr√≠cola, principalmente de culturas de feij√£o, soja, trigo e algod√£o, provocando assim impactos econ√īmicos consider√°veis no presente e no futuro. Para os seres humanos e outros animais, o oz√īnio pode provocar irrita√ß√£o nos olhos e vias respirat√≥rias, diminuir a capacidade pulmonar, intensificar problemas cardiovasculares, al√©m de aumento da mortalidade infantil por causas respirat√≥rias em dias e locais com altos n√≠veis de polui√ß√£o, segundo pesquisa realizada pelo Prof. Dr. Paulo Saldiva.

Oz√īnio em purificadores de ar.

Em terceiro lugar, o oz√īnio por ser um g√°s altamente reativo e oxidante. No mercado, ele √© utilizado como um agente que possivelmente atua contra poluentes que oferecem risco √† sa√ļde e que est√£o presentes no ar de ambientes internos (casa, escrit√≥rios). No entanto, segundo a Ag√™ncia de Prote√ß√£o Ambiental dos Estados Unidos (EPA) e o Departamento de Sa√ļde P√ļblica de Connecticut (DPH), testes foram realizados com purificadores de ar, tamb√©m conhecidos como ozonizadores, e mostraram que a purifica√ß√£o do ar pelo oz√īnio √© ineficaz. Tanto para as concentra√ß√Ķes permitidas por lei quanto para concentra√ß√Ķes acima, o oz√īnio n√£o √© um efetivo descontaminante do ar. Porque, para concentra√ß√Ķes acima das permitidas por lei, os efeitos negativos que o oz√īnio causa na sa√ļde s√£o piores do que os efeitos provocados pelos outros poluentes presentes no ar do ambiente interno.

ūüė°ūüė°ūüė°‚õŹūüė°ūüė°ūüė°√Č esta a coisa com que se tem proposto curar a AIDS.¬†ūüė°ūüė°ūüė°‚õŹūüė°ūüė°ūüė°

All Might Dollar
√Č destas… de muitas destas que eles gostam!

Bem, h√° um monte de mentiras na internet, tratando de tudo, inclusive desta outra mentira que √© a Mutamba (curiosamente o revisor do Word sugere muamba ūüėä).

Mas não é a mutamba (outra merda) que está em foco.

Neste texto o que eu quero √© sinalizar que, na minha modesta e limitada capacidade de ver, entender e escrever, que o procedimento da oz√īnio terapia (bullshit) com ou sem abandono da TARV pode, sim, levar √† morte.

Se voc√™ aprendeu, com alguns destes pulhas, que ‚Äúoz√īnio terapia‚ÄĚ pode curar a AIDS, pare.

Se você vive com HIV e lhe ofereçam isso, afaste-se.

N√£o existe, ainda e infelizmente para muitos, a cura da AIDS.

Eu, pessoalmente, n√£o vivo na busca desesperada por esta cura e isso est√° publicamente manifesto aqui: Cura? Honestamente… Eu…. Porque a ansiedade e a busca disso podem te levar a caminhos como o deslindado aqui e este √© um dos mais curtos atalhos para a morte…

Gente. Eu fui diagnosticado 1994.
N√£o havia tratamento. E o que havia, fazia mais mal do que bem, segundo um m√©dico, sim, um m√©dico s√©rio e honesto, que os pacientes que tomavam AZT chegavam em seu consult√≥rio, em algum caos, co a hemoglobina em ‚Äúseis‚ÄĚ. Eu n√£o consegui entender, porque pode ser jarg√£o m√©dico, se seriam 6.000 de hemoglobina, o 6 de hemoglobina. Mas eu creio que ningu√©m consegue viver com ‚Äúseis de hemoglobina‚ÄĚ.
Gente, eu vos digo:
Cuidado!

Muita gente sem escr√ļpulos, completamente amoral, que s√≥ conhece, como deus o ‚ÄúAll Might Dollar‚ÄĚ, que n√£o hesita um s√≥ minuto em criar uma mentira para esfolar pessoas doentes e desesperadas, e lhes oferecer uma cura que n√£o existe, com qualquer merda (n√£o d√° para escolher palavra) porque, eles mesmo, s√£o feitos de merda ps√≠quica.

O meu consolo é saber que, sim, Há um Deus.

E Deus saber√° tratar destas pessoas em momento oportuno porque, mesmo que eles n√£o queiram, eles n√£o t√™m privil√©gios de fixa√ß√£o e, mais dia, menos dia, eles, felizmente, deixar√£o este mundo, e o caminho que eles percorrer√£o para o Inferno, ser√° pavimentado com tubos de oz√īnio. E cada um deles explodir√° no traseiro deles, depois de cada um deles ter passado pelo tubo. Tubo a tubo…

√Č… Eu sei… Eu at√© deixei um formul√°rio “de contato” aqui, um pouco mais para baixo, para permitir que intelig√™ncias (…) primitivas possa tentar me insultar. Mas, por favor, me insultem com argumentos, pois, com palavr√Ķes √© coisa de cabar√© de quinta pra baixo e mesmo eu, quando fui DJ em cabar√©, fui DJ em cabar√© onde “puta” n√£o falava palavr√£o.

top-juriacademico
√Č pra poucos….
ashoka
E este aqui… Para bem, bem, bem e muito bem menos! Muito me orgulho deste diploma, pois me lembro bem o caminho de dezoito meses entre carta, entrevistas e pain√©is onde passei e fui sabatinado √† exaust√£o para merece-lo
um site cpm história
Um blog com quase duas décadas de história!

 

An√ļncios

One thought on “Oz√īnioterapia e a mentira homicida sobre a cura da AIDS!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Whatsapp WhatsApp Us