Anúncios

Pacientes soropositivos são bons candidatos para transplante de fígado e rim

Você esta em Início => Carga Viral! É importante monitorar sua carga viral. Quanto mais baixa, melhor => Pacientes soropositivos são bons candidatos para transplante de fígado e rim
Carga Viral! É importante monitorar sua carga viral. Quanto mais baixa, melhor
faça sua doação para Soropositivo.Org

 

 

 

O Aoio é Opcional! Minha Gratdão não tem fim!

Human digestive system liver red coloredTransplante de fígado e rim podem ser justificados para pacientes HIV positivos cuidadosamente selecionados, dizem pesquisadores dos Estados Unidos. Transplante melhorou as chances de sobrevida de pacientes HIV positivos com doença hepática grave. Comparação com HIV-negativos mostraram que em pacientes submetidos a transplante de fígado de pacientes HIV positivos foram mais propensos a experiência de rejeição de órgãos ou morrer, mas a diferença de risco tanto para estes resultados foi pequena.

“O modesto aumento de risco em comparação com pacientes destinatários HIV-negativos, bem como a proporção de absoluta daqueles que morreram, em comparabilidade com outras populações de transplante, o suporte do transplante hepático pode ser uma opção viável nos cuidadosamente selecionados destinatários,” comentário os autores.

“O transplante de rins para pacientes HIV positivos traz resultados semelhantes aos pacientes HIV-negativos homólogos em até aproximadamente 5 anos pós-transplante em todas as análises de controle”.

Cerca de 2% dos pacientes com HIV vão desenvolver insuficiência renal e estágio final da doença hepática e é cada vez mais uma causa importante de morte na população infectada pelo HIV. Isso significa que uma proporção crescente de pacientes HIV positivos terá a necessidade de um transplante de rim ou de fígado. No entanto, tem sido questionado se pacientes com HIV são bons candidatos ao transplante.

Portanto, pesquisadores de San Francisco conceberam um estudo para determinar se o prognóstico de sobrevida dos pacientes transplantados foi melhorado em comparação com os resultados entre pacientes HIV positivos e negativos transplantados em termos de perda do órgão e morte. O estudo examinou igualmente se outros fatores foram associados com a rejeição do órgão e de morte em pacientes com HIV, as taxas de infecções e de hospitalização e o impacto do transplante na chave de marcadores de HIV, incluindo contagem de CD4 e carga viral.

A população de pacientes HIV positivos estudo consistiu-se de 125 transplantes hepático e 150 transplantes renais submetidos a transplantes entre 2003 e 2010. Seus resultados foram comparados com pacientes HIV positivos que foram candidatos para fígado (n = 148) ou rins (n = 167) transplante que receberam cuidados no mesmo período, mas que não receberam um novo órgão. Os pacientes que receberam um transplante de rim tinham uma contagem de células CD4 acima de 100 células/mm3 e carga viral de HIV indetectável; Pacientes com fígados transplantados pacientes apresentaram contagens de CD4 acima de 200 células/mm3 e carga viral indetectável ou a possibilidade de estabelecer o controle viral após o transplante.

Os pacientes com fígado e rim foram transplantados foram mantidos em observação por um período médio de 3,5 e 4,0 anos, respectivamente. Os candidatos foram monitorados durante cerca de um ano.

O transplante foi associado a um significativo benefício em termos de sobrevida (p < 0,0001) para os pacientes com formas mais graves de doença hepática (escore MELD de pelo menos quinze), mas não para pacientes com menos doença hepática menos grave ou para pacientes destinatários de transplantes com doenças renais.

Fatores associados com aumento do risco de mortalidade para os pacientes de transplante de fígado com transplante duplo incluído (risco médio de 3,8, intervalo de confiança de 95% 1.6-8.8, p = 0,002), baixo índice de massa corporal pré-transplante ou IMC (FC, 2,2, IC 95% 1,1 – 4,4, p = 0,03), idade, idade do dador (HR 1.3 por década, IC 95% 1,1 – 1,6, p = 0,01) e co-infecção com o vírus da hepatite C, (HR 2,1, IC 95% 1,0 – 4,6, p = 0,06). Os mesmos fatores foram associados à perda do órgão.

Fatores de risco para o aumento do risco de mortalidade entre indivíduos beneficiários de transplante de rim incluídos, idade no momento do transplante (HR 1,07 por década, 95% IC 1.1 – 1.26, p = 0,01) e a terapia com thymoglobulina na primeira semana após o transplante (HR 3,5, IC 95% 1,3 – 9,1, p = 0,01). O tratamento com essa droga foi também associado à rejeição do órgão (p = 0,048).

Doze infecções oportunistas definidoras de AIDS (Sarcoma de Kaposi cutâneos, candidíase esofágica ou brônquicas, e pneumocistose) foram observados em pacientes com transplante de fígado e quatro desses indivíduos morreram e as a causas das mortes teriam sido uma falência multe-sistêmica de órgãos, acidente vascular cerebral e Hepatite C recorrentes.

Três destinatários de transplante renal apresentou uma recorrência da doença renal associada ao HIV. Sua contagem de CD4 no momento da recidiva variou entre 0 e 770 células/mm3.

Grave as infecções relacionadas com HIV foram observados em 55% de fígado e rim 50% dos destinatários. Metade ocorreu nos primeiros seis meses pós- transplante. Tanto para o fígado e rim destinatários, a maioria dessas infecções bacterianas foram (80% e 71%, respectivamente). HCV co-infecção foi associado com aumento do risco de infecções para ambos os grupos de pacientes transplantados.

Para o fígado pacientes houve alguns indícios de recuperação pós-transplante em contagem de células CD4.

Ao longo de três anos de seguimento, 20% dos pacientes com fígado e 16% dos pacientes renais experimentou um aumento da sua carga viral do HIV para níveis detectáveis. A maioria, no entanto, posteriormente restabelecido controle viral.

O risco de perda do enxerto e morte foi comparada entre os pacientes com HIV e pacientes HIV-negativos. Os investigadores conduzidos quatro conjuntos de comparação: incomparável, demograficamente pareados demograficamente pareados ajustado para pontuação de risco e risco-pareados. Pacientes HIV negativos foram identificados nas bases de dados nacionais. O seguimento mediano foi de aproximadamente quatro anos.

Para rim destinatários, pareados por risco e incomparável análise mostrou que os pacientes HIV positivos tiveram aumentos significativos na marginalmente risco de rejeição de órgãos (p = 0,07 e p = 0,52, respectivamente). Todos os modelos mostraram que pacientes HIV positivo fígado destinatários tinham um aumento no risco de perda do enxerto em comparação aos controles.

O HIV não foi associado com um risco aumentado de morte após o transplante renal. Pacientes HIV positivo fígado destinatários tinham um risco aumentado de morte em a incomparável (p = 0,01), demograficamente pareados (p = 0,01) e demograficamente pareados a pontuação de risco ajustado (p = 0,01) modelos, mas não o modelo de risco combinados. “A diferença absoluta na proporção de óbitos foi de 6,7% no risco de análise de controle de correspondência”, nota os investigadores.

“Estas análises de apoio renal e transplante hepático como uma opção para pessoas cuidadosamente selecionados com infecção pelo HIV, concluem os autores.

Publicado por Michael Carter em: 11 de fevereiro de 2016 em Survival and outcome analysis shows that selected HIV-positive patients are good candidates for liver and kidney transplant. Traduzido por Cláudio Souza em 18/02/2016

Assine Nossa Newsletter – Ela É Mensal, Com O Melhor Do Melhor Em Meu Blog






E Você? O Que Acha

Muitas Pessoas, os “sorointerrogativos” olham com desdém para as pessoas com HIV.

Um amigo meu (ex-amigo que levou uma chave…), no passado, ciente de minha condição, referiu-se a outra pessoa, supostamente infectada por HIV da seguinte maneira:

-“Este é outro que está bichado”.

Até hoje eu não entendo os porquês de eu não tê-lo socado até fazer dele um pastel de burro, sei lá.

Como o assuto é sério e esclarecimentos cabem, eu coloco, antes, este vídeo:

Durante Décadas Foi Tabú! Pessoalmente sofri por isso. E Você, teria um relacionamento sorodivergente

Você é portador(a) de HIV? Se sim, conseguiu a aposentadoria ou o auxilio doença como manda a ei ou teve de lutar como um cão?

Precisa Conversar, comece pelos comentários, ou por aqui







Ou Custa A Fã Page do Blog!

 

Anúncios

Publicações Relacionadas

Soropositivo.Org, Wordpress.com e Automattic fazm tudo a nosso alcance Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Ler Tudo em Política de Privacidade

Política de cookies e privacidade

Este Site usa Cookies e você pode recusra este uso. Mas pode saber bem o que está sendo registrado em, conssonãncia com nossa política de privacidade