Antirretrovirais Injetáveis A Cada 8 Semanas Geram Ótimos Resultados

Image default
AIDS

Antirretrovirais Injetáveis a cada 8 Semanas foi algo que publiquei, em primeira mão, em 2016. sobre sobre estudos referentes a Antirretrovirais Injetáveis em 2016 na matéria cujo cabeçalho eu publiquei acima e trecho colado abaixo,.

Da Matéria de 2016

Antirretrovirais Injetáveis, Blog Soropositivo. Org
Clique para ver a imagem completa

Antirretrovirais Injetáveis

Antirretrovirais Injetáveis, Blog Soropositivo. Org
O Fim de um Longo Inverno para muitos? Eu já tive de viver assim

🤝🤲🤝A terapia de manutenção com Antirretrovirais Injetáveis cabotegravir e rilpivirina funciona igualmente bem quando administrada mensalmente ou a cada dois meses.

Uma combinação de dois antirretrovirais injetáveis, cabotegravir e rilpivirina, é igualmente eficaz em manter a supressão viral quando administrado uma vez por mês ou a cada dois meses, as empresas que desenvolvem o regime de longa ação anunciada.

“Os resultados do estudo ATLAS-2M significam que as pessoas que vivem com HIV podem manter a supressão viral com seis tratamentos totais por ano, em vez de um tratamento oral diário 365 vezes por ano”, disse Kimberly Smith, MD, chefe de pesquisa e desenvolvimento global do ViiV Cuidados de saúde.

Testes avaliará a segurança da injeção bimestral depois da certeza na terapia mensal!

😍😍😍

As formulações Antirretrovirais Injetáveis de integrase de ViiV, Cabotegravir, além do inibidor da transcriptase reversa não nucleosídeo de Janssen, Rilpivirina (vendido em forma de comprimido como Edurant) foram estudadas tanto em pessoas que mudaram da terapia antirretroviral oral padrão com carga viral indetectável quanto naquelas que iniciaram o tratamento do HIV para o primeira vez.
Conforme relatado na Conferência deste ano sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas, os resultados do estudo Fase III ATLAS de mostraram que 92,5% das pessoas designadas aleatoriamente para mudar para o regime injetável tinham HIV indetectável (menos de 50 cópias) 48 semanas depois, assim como 95.5% daqueles que permaneceram em seu regime oral.

Eu vejo, aqui, uma possível e hipotética minoração no dano à relação trabalhista, se sobrar algo dela!!! (…)

Da mesma forma, o estudo FLAIR apresentou taxas semelhantes de supressão viral em pessoas novas no tratamento, 93,6% e 93,3%, respectivamente.

Nos dois estudos, o tratamento com cabotegravir injetável e rilpivirina foi geralmente seguro e bem tolerado, e eventos adversos graves foram raros.

Reação Mais Comum Foi Dor No Local da Injeção 😉

Os efeitos colaterais mais comuns foram reações no local da injeção, como dor e inchaço, mas essas foram tipicamente leves a moderadas e diminuíram com o tempo.

Os resultados do estudo apresentados na Conferência Internacional da Sociedade da Aids sobre a Ciência do HIV deste verão, na Cidade do México, mostraram que as pessoas que tomavam os injetáveis ​​relataram um alto nível de satisfação com o tratamento e as preferiram aos remédios orais diários.
Nestes estudos, o cabotegravir e a rilpivirina foram administrados pelos prestadores de cuidados de saúde como duas injeções intramusculares separadas, preferencialmente nas nádegas.

Foi solicitado aos participantes que retornassem à clínica todos os meses dentro de uma janela de sete dias. A adesão foi boa nos dois estudos, com quase todos recebendo tratamento mensal dentro dessa janela.

No entanto, retornar a uma clínica para injeções todos os meses pode ser inconveniente, e receber tratamento com menos frequência seria atraente.

O estudo de fase III do ATLAS-2M foi uma comparação direta, na qual os participantes foram aleatoriamente designados para receber injeções de cabotegravir e rilpivirina a cada quatro semanas ou a cada oito semanas.

Não tinham histórico de falha prévia no tratamento. 😯🙄😔

Este estudo internacional incluiu 1.045 pessoas com HIV que estavam em seu primeiro ou segundo regime anti-retroviral, tinham supressão viral por pelo menos seis meses e não tinham histórico de falha prévia no tratamento.

ViiV e Janssen anunciaram em comunicados à imprensa que o estudo alcançou seu objetivo primário, mostrando que a eficácia do combo cabotegravir / rilpivirina injetável era semelhante em 48 semanas, independentemente de ser administrado uma vez por mês ou a cada dois meses.

Por outras palavras, verificou-se que o cabotegravir/rilpivirina administrado de oito em oito semanas não era inferior à administração de quatro em quatro semanas.

As empresas não forneceram taxas de supressão viral ou outros dados detalhados no momento, indicando que eles seriam apresentados em uma próxima conferência científica.

“Estamos entusiasmados em informar que, pela primeira vez desde que a epidemia de HIV/AIDS começou há mais de 30 anos, nosso estudo ATLAS-2M demonstrou que é possível manter a supressão do HIV com um regime injetável contendo dois medicamentos administrados a cada dois meses ”, disse Smith.

“A aprovação deste regime marcaria uma mudança significativa no paradigma de tratamento do HIV”.

Na Esteira disso, em 2017, eu publiquei (tema controverso dentro desta minha cabeçona bem dura) PrEP Injetável pode estar a caminho!

E, porque História importa, o início do Estudo

 

 

Publicações Relacionadas

Tem algo a dizer? Diga!!! Este blog é melhor contigo!!!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Soropositivo.Org, Wordpress.com e Automattic fazm tudo a nosso alcance no que tange à sua privacidade. Você pode saber mais sobre esta polític nste link Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Ler Tudo em Política de Privacidade

Whatsapp WhatsApp Us