27.4 C
São Paulo
22, novembro,2019

Carga viral Indetectável e transmissão Do HIV informação para as pessoas HIV-negativos!

Home » HIV negativo » Carga viral Indetectável e transmissão Do HIV
O HIV é bem pouco seletivo na busca de um hospedeiro
HIV negativo

Carga viral indetectável é a meca de todas as pessoas vivendo com HIV! E depois de ter-se comprovado cientificamente que Indetectável é Intransmissível.

Mas, por favor, tenha embora eu, pessoalmente, tenha minhas reservas, as pessoas encontraram uma razão a mais para se tratarem melhor!

Veja, logo após meu diagnóstico, eu me tornei “intocável”.

Meu medo de transmitir HIV era tão vertiginoso que, e eu contarei melhor em outro texto, eu fiquei pouco mais de nove meses sem um abraço!

E acabei tão vulnerável que quase fiz besteira!

E, agora, eu “tenho” Mara! E eu não quero nada além disso ou dela! Tenham isso em mente ao me procurar pelo What’s App e, se eu fosse sozinho, ainda não me valeria deste axioma rezando que…

 

…Carga viral Indetectável e transmissão Do HIV 

Pontos-chave e informação para as pessoas HIV-negativos!

    1. pessoas com HIV que estão em tratamento e têm uma carga viral indetectável não pode passar HIV diante.
    2. É isso que se entende pelo slogan ‘Indetectável é igual a intransmissível’ (‘U = U’).
  • Nem todo mundo em tratamento para o HIV tem uma carga viral indetectável.

As pessoas que vivem com HIV, e se tratam regularmente, mensuram a quantidade de vírus no sangue periodicamente.

Isso é chamado de teste de Carga Viral’carga viral’.

Quando uma pessoa tem muito pouco vírus, é dito que ela tem uma carga viral ‘indetectável’. A carga viral é medida em unidades chamadas ‘cópias’.

Os exames usados nas clínicas podem medir  carga viral de até 40 cópias!. Qualquer coisa menos que isso é chamado de ‘indetectável’.

Quando as pessoas com HIV recebem tratamento eficaz, a quantidade de HIV em seus fluidos corporais diminui drasticamente.

E, afirmam oa ponto de não haver HIV suficiente para transmitir a outra pessoa.

As últimas notícias e pesquisas sobre carga viral indetectável e tratamento como prevenção

Se alguém tem uma carga viral indetectável, isso não significa que está curado do HIV. Se eles deixarem de fazer tratamento para o HIV, sua carga viral aumentará e se tornará detectável novamente.

Mas ter uma carga viral indetectável significa que não existe suficiente HIV nos seus fluidos corporais para transmitir o HIV durante as relações sexuais. Em outras palavras, eles não são infecciosos.

Quando uma pessoa tem uma carga viral indetectável, sua chance de transmitir o HIV a um parceiro sexual é zero. Como o slogan da campanha coloca, ‘Indetectável é igual a intransmissível’ ou ‘I = I’.

Esta ficha técnica foi escrita para pessoas que não têm HIV. Este tópico também é abordado em uma página escrita para pessoas que vivem com HIV.

Conselho da British HIV Association

A campanha ‘Undetectable equals Untransmittable’ (U = U) é apoiada pela British HIV Association, que é a associação profissional de médicos e outros profissionais de saúde que trabalham com HIV no Reino Unido.

A BHIVA diz que o uso consistente do tratamento do HIV para manter uma carga viral indetectável é uma maneira altamente eficaz de impedir a transmissão sexual do HIV.

Especificamente, a BHIVA diz que não há risco de transmissão progressiva do HIV de pessoas que mantêm uma carga viral indetectável por pelo menos seis meses e têm boa adesão (faça o tratamento sem perder doses).

A evidência científica

O primeiro grande estudo indicando que pessoas com baixas cargas virais não são infecciosas veio de um estudo de 415 casais heterossexuais no ano 2000. Isso descobriu que nenhum parceiro HIV positivo com carga viral abaixo de 1500 cópias / ml transmitia o HIV. Em 2011, um grande estudo científico chamado HPTN 052 concluir-se que o tratamento do HIV reduziu o risco de transmissão de HIV para um parceiro heterossexual normal por 96% . 

A única razão pela qual não foi de 100% é que uma pessoa no estudo adquiriu o HIV, mas isso aconteceu poucos dias após o parceiro iniciar o tratamento. Ao longo do estudo de quatro anos, nenhuma pessoa com carga viral indetectável transmitiu o HIV ao parceiro.

Os resultados finais dos estudos PARTNER 1 e PARTNER 2 foram anunciados em 2016 e 2018, respectivamente. Entre os dois, eles recrutaram 972 casais gays e 516 casais heterossexuais, nos quais um parceiro tinha HIV e o outro não. Ao longo do estudo, os casais gays tiveram 77.000 atos de sexo penetrante sem preservativo e os casais heterossexuais 36.000 atos. Os estudos do PARTNER não encontraram uma única transmissão do HIV de um parceiro HIV positivo que apresentava carga viral indetectável (abaixo de 200 cópias / ml).

Em 2017, um estudo semelhante exclusivo de 343 casais de gays, Oposites Attract, também não encontrou transmissões de parceiros com carga viral indetectável em 17.000 atos de sexo anal sem preservativo.

Entre os três estudos, nenhuma transmissão do HIV de um parceiro sexual com carga viral indetectável foi observada em quase 130.000 atos de sexo penetrante sem preservativo. Isso significa que o risco de transmissão por um parceiro com carga viral indetectável é estatisticamente equivalente a zero.

E aí? Aposta sua paz de espírito, sua qualidade de vida, e a tranquilidade de não ter de se medicar pelo resto da vida, apoiado(a) em uma base de dados estatística?

Alguns dos parceiros HIV-negativos nestes estudos fez adquirir HIV. Mas, usando testes genéticos, os pesquisadores conseguiram mostrar que todas essas infecções vieram de outras pessoas e não de seu principal parceiro.

E o uso de preservativos ajudará a prevenir as DSTs.

Outra consideração a ser feita é sobre a outra pessoa, ou mesmo você:

Se uma das pessoas tiver uma DST, isso pode aumentar a probabilidade de ocorrer a transmissão do HIV.

Este é o caso se você – o parceiro HIV negativo – tiver uma IST (especialmente sífilis). Isso aumentará o risco de adquirir o HIV de alguém que não está em tratamento.

 Além disso, algumas ISTs podem tornar as pessoas HIV positivas que não estão em tratamento de HIV ainda mais infecciosas!

Mas não é o caso de pessoas em tratamento contra o HIV com carga viral indetectável. Nos estudos PARTNER and Opposites Attract, não houve uma única transmissão do HIV, embora muitas pessoas tivessem DSTs.

Não seria mais seguro fazer sexo com pessoas que não têm HIV?

Bem, se você tiver uma bola de cristal, talvez, mas….

Ao invés de sempre usar camisinha, muitas pessoas tentam tornar o sexo mais seguro escolhendo parceiros com o mesmo status de HIV que eles. Isso às vezes é chamado de ‘serosorting‘ (intraduzível para mim).

Isso pode funcionar para pessoas com HIV (se seu status de HIV for certo). Mas o status das pessoas seronegativas só é certo até a última vez em que fizeram o teste. Especialmente em situações casuais, isso pode significar aceitar a palavra do seu parceiro ou adivinhar o status de HIV.

“A BHIVA diz que o uso consistente do tratamento do HIV para manter uma carga viral indetectável é uma maneira altamente eficaz de impedir a transmissão sexual do HIV.”

Bom, em uma situação em que muitas pessoas têm HIV sem o perceber e onde a maioria das pessoas com HIV diagnosticado está tomando, o tratamento do HIV, fazer sexo sem camisinha com parceiros que parecem ser HIV negativos não é uma estratégia segura. Equivale, meu amado leitor, a apostar sua casa e sua esposa em uma partida com dados, três deles, 

Seria mais seguro para as pessoas soronegativas fazerem sexo sem preservativo com parceiros que são seronegativos e em tratamento eficaz.

Mas é importante lembrar que, embora o tratamento para o HIV impeça seus parceiros de transmitir o HIV, ele não protege nenhum de vocês de outras DSTs!!!

O que isto significa para você?

Se você tem um parceiro com HIV em tratamento e tem uma carga viral indetectável, eles não o transmitirão, mesmo que você não use preservativos. Se você deseja parar de usar preservativos ou PrEP (profilaxia pré-exposição) em seu relacionamento, provavelmente é uma boa ideia discutir isso com seu parceiro e garantir que ambos estejam confortáveis ​​com a decisão.

Saber que “indetectável é igual a intransmissível” é especialmente útil para pessoas que desejam ter um filho. Casais nos quais uma pessoa tem HIV indetectável e a outra é HIV negativa podem fazer sexo desprotegido para conceber.

E as infecções sexualmente transmissíveis (DSTs)?

É muito importante lembrar que, embora o tratamento de HIV de um parceiro sexual o proteja do HIV, ele não o protegerá de outras infecções sexualmente transmissíveis (DSTs).

Por esse motivo, exames de saúde sexual e reprodutiva são recomendados.

O tratamento do HIV sempre significa que as pessoas têm uma carga viral indetectável?

Não!

Nem todo mundo em tratamento para o HIV tem uma carga viral indetectável

Depois de iniciar o tratamento do HIV, pode levar até seis meses para que a carga viral de uma pessoa se torne indetectável. Até lá, eles ainda podem ser infecciosos.

 A BHIVA recomenda que você e seu parceiro não tomem nenhuma decisão sobre a interrupção do uso de preservativos até que sua carga viral seja indetectável por pelo menos seis meses.

Ao iniciar o tratamento do HIV, algumas pessoas acham que os primeiros medicamentos prescritos não funcionam bem para eles. Mas quase todo mundo encontra uma combinação que funciona e o risco de falha no tratamento diminui com o tempo.

A Carga viral indetectável  pode não se tornar Indetectável no primeiro semestre!

Pessoas com uma carga viral indetectável às vezes experimentam o que é chamado de “blips” em sua carga viral. Sua carga viral aumenta de indetectável para um nível baixo, mas detectável (por exemplo, 120 cópias / ml) antes de se tornar indetectável novamente no próximo teste.

Isso não deve ser motivo de preocupação. Nos estudos PARTNER e Opposites Attract, ‘indetectável’ foi definido como abaixo de 200 cópias / ml. Esses estudos mostraram que a transmissão não ocorre abaixo desse nível.

 

I = I se aplica a todos os tipos de sexo?

SIM

 

Uma carga viral indetectável impede a transmissão do HIV durante o sexo oral, sexo vaginal e sexo anal. Os preservativos não são necessários para impedir a transmissão do HIV quando a carga viral do seu parceiro é indetectável.

U = U se aplica à transmissão não sexual do HIV?

Esta página é sobre transmissão do HIV durante o sexo foi traduzida para o português por Cláudio Souza em 05 de Novembro de 2019, do original escrito por Gus Cairns que está em: Undetectable viral load and transmission – information for HIV-negative people

Revisado em 2019. 

Revisão agendada para in Janeiro 2022

Saiba mais aqui DIAHV atualiza informações sobre o conceito Indetectável = Intransmissível

 

 

Oi! Quer fazer alguma consideração a respeito? Não? Ok! Pense em fazer uma resenha deste assunto

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A Automattic, o Wordpress e Soropositivo.Org, e eu, fazemos tudo a nosso alcance no que tange à sua privacidade. E estamos sempre aprimorando, melhorando, testando e implementando novas tecnologias de proteção de dados. Seus dados estão protegidos e, eu, Cláudio Souza, trabalho neste blog 18 horas or dia para, dentre tantas outras coisas, garantir a segurança de suas informações, posto que sei das implicações e complicações das publicações aqui passadas e trocadas Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Conhecer Nossa Política de Privacidade