Meu 1º. Dia TARV foi a tanto tempo, que nem é bom pensar.

Pode ser que em algum momento eu venha a contar os acertos, erros e desenganos desta minha jornada, com já 25 anos. Por enquanto traduzo e publico o de outras pessoas, melhores exemplos que eu

Meu primeiro antirretroviral, o primeiro dia TARV o Tratamento contra HIV foi uma reviravolta em minha vida. E eu digo:

Eu realmente não queria tomar…

… Meu 1º. Dia TARV! Meu Primeiro Comprimido da TARV!

A minha primeira pílula foi acompanhada por um turbilhão de emoções: Raiva, depressão, frustração, felicidade, negação e tristeza. Fui diagnosticado em abril de 2014, e tudo é muito recente. Mas os meses que se seguiram levaram-me a uma viagem de tais proporções que não haveria quantidade de apoio, informação ou conhecimento prévio que pudessem ter me preparado!

Fui vítima de um abuso sexual há cerca de três anos, o teste que fiz foi contaminado, portanto, deu uma leitura de falso negativo. Ainda em janela imunológica.

Lembro-me, em outubro de 2013, eu comecei a ter grandes problemas de saúde. Ela (a saúde) começou a declinar… eu tinha mais de 500 cálculos biliares, enquanto o meu peso estava em queda. Desde então, a minha saúde tem sido em uma espiral descendente. No curto espaço de tempo de outubro de 2013 até os dias atuais, tive sete cirurgias, seis procedimentos e muito mais compromissos médicos que eu gostaria de ter na idade de 25 anos.

O Vácuo do Meu 1º. Dia TARV

Meu 1º. Dia TARV, Meu 1º. Dia TARV o Tratamento contra HIV, Blog Soropositivo.OrgQuando meu médico me falou sobre o meu diagnóstico, lembro-me de uma sensação imediata de vazio. Eram 10:03 e fui para o trabalho e realmente terminei minha semana sem perceber nenhum coisa diferente.

Tudo mudou no sábado de manhã. Levantei-me e olhei para os resultados e o frasco de comprimidos que estavam com ele. A ideia de que, antes disso, eu nunca tinha tomado quaisquer comprimidos com exceção dos medicamentos de venda livre me afetou muito e levou muito tempo para se concretizar em meu espírito a necessidade daqueles comprimidos!

São eles que impedem a replicação do vírus para que o sistema imunológico possa trabalhar e, talvez em seis meses, minha carga viral fique indetectável. Ou não! E carga viral indetectável não é estar curado

Meu Primeiro antirretroviral Era opcional! Mas parecia a Hidra de Lerna! Corte uma cabeça, e nascerão duas!

[penci_text_block block_title_align=”style-title-left” css_animation=”none”]
Meu 1º. Dia TARV, Meu 1º. Dia TARV o Tratamento contra HIV, Blog Soropositivo.Org
Por que eu? Esta é a pergunta quase que inevitável

“O que foi que fiz para merecer isso?” 

Foi a única coisa que eu consegui me perguntar por várias vezes. Muitas pessoas veem como castigo ter HIV. E isso fala de si para si que quem tem HIV está sendo punido. É o preconceito tácito:

Alguma coisa você fez né? Porque esta doença…

Eu mantinha um vi no YouTube batizado como “Pessoas que perdemos para a AIDS” fazia com que muitos comentassem “o modo de vida destas pessoas”.

O Julgamento Inexplícito

É isso que se lê no pensamento do autor deste texto

Liguei para meu médico e disse-lhe que eu estava tendo problemas com a tomada dos comprimidos. Ele garantiu-me que seria tudo normal e que meus números (carga viral e CD4) não eram as melhores devido aos anos que fiquei sem saber da minha sorologia e sem receber medicação,

Por isso o meu corpo estava executando a grande e complexa tarefa de recuperação para fazer minha carga viral, que era milhão e quinhentas mil cópias de RNA viral por mililitro de sangue!

E eu tinha uma contagem CD4 de 51!

Era imperativo que eu me mantivesse no tratamento, com completa adesão!

Entretanto, eu estava lutando contra o cálculo biliar, apendicite aguda, amigdalite, HPV (papilomavírus humano), a hérnia de hiato, gastrite, depressão e candidíase na boca.

Raltegravir e Truvada

Meu 1º. Dia TARV, Meu 1º. Dia TARV o Tratamento contra HIV, Blog Soropositivo.OrgAntes de tomar a minha primeira pílula antirretroviral, eu tinha pensado que isso era apenas a retardar o inevitável.

Depois de horas de luta, consegui pegar meus remédios. A mim, foi prescrito Isentress, o raltegravir duas vezes ao dia e Truvada (tenofovir/FTC) uma vez por dia. Na primeira hora, após tomá-los, me senti absolutamente normal e, depois as coisas mudaram.

 

O Inevitável!

E senti uma imensa dor no meu estômago, neste meu 1.º Dia TARV, acompanhada de náuseas, tonturas, dores de cabeça, alucinações e perda da minha memória de curto prazo.

Lembro-me de acordar no chão do banheiro, em uma tentativa de lavar meu rosto com água que,  infelizmente, conclui.

Muitas falhas mais tarde, eu percebi que eu não poderia lidar com isso sozinho. O Meu 1º. Dia TARV mostrou isso, portanto, chamei minha família e pedi aos amigos que me encorajassem, e eu seria capaz de fazer isso. Lá pela metade do fim-de-semana o meu médico poder me prescrever alguma coisa para ajudar com os efeitos colaterais.

Meu 1º. Dia TARV, Meu 1º. Dia TARV o Tratamento contra HIV, Blog Soropositivo.OrgO Diagnóstico Tardio Sempre Trás complicações E A TARV pode ficar impossibilitada por um tempo!

Infelizmente, devido ao número de doenças, condições que eu estava vivenciando, e mesmo cirurgias pelas quais eu estava passando, o meu corpo nunca teve a chance real de se recuperar ou ganhar forças suficientes para lidar com qualquer coisa.

 

Logo perdi meu emprego, tive de largar escola e eu estava sempre no hospital.

Seis meses mais tarde, e eu ainda estou lutando contra os efeitos colaterais dos meus remédios, mas sempre lendo os trechos outros depoimentos no The Body.

Estes textos eram o que me mantinham na adesão ao tratamento, e que me diziam que, um dia, mais cedo ou mais tarde, não seria mais tão difícil.

[/penci_text_block][penci_text_block block_title_align=”style-title-left”]

Mas tenha em mente:

Começou, tem de tocar para a frente e não parar mais!

Lembro-me de mim,o-me que eu não tinha de tomar os medicamentos se eu não quisesse, embora eu soubesse que, no fundo, EU TINHA de FAZÊ-LO.

Como não tenho o privilégio de ter a minha família em volta de mim para apoiar-me, eu fiquei muito envergonhado de dizer a qualquer dos meus amigos, eu estava enfrentando o monstro da batalha completamente só!

Meu 1º. Dia TARV, Meu 1º. Dia TARV o Tratamento contra HIV, Blog Soropositivo.Org
O meu 1.º comprimido foi AZT! E o segundo, no mesmo dia, DDI! Eu diria que as letras em DDI significariam Direto do Inferno

Aquilo que se pareceu com horas segurando os invólucros dos medicamentos nas minhas mãos, passou enquanto eu lentamente debatia comigo mesmo sobre qual o lado da moeda seria e eu perdi!

A minha vida foi lentamente caindo por debaixo de mim e eu não tinha nada que pudesse fazer com ela

[/penci_text_block][penci_text_block title=”O 1º dia da TARV” block_title_align=”style-title-left”]

Meu primeiro antirretroviral! Será que eu seria um dos afortunados sem Efeitos Colaterais?

Meu desejo era o de ser um dos afortunados que não têm nenhum dos efeitos colaterais!

Mas, eu aprendi que sim, é verdade, aquilo que não nos mata, nos fortalece!

Para quem está tendo problemas com os remédios, eu digo:

Você tem de pensar que esta é uma luta íntima!

Não desista. Não cedas.

Posso continuar a olhar em frente com esperança nos olhos e sei que tudo vai ficar melhor!

Por John Poole
De TheBody.com

10 De Novembro de 2014

Qual foi a sua primeira  pílula antirretroviral? Se era AZT ou Atripla, queremos que você conte sua história!

Escreva a sua história, com mais de 350 até 2500 palavras, por favor e envie para soropositivowebsite@gmail.com e nós publicaremos se você nos autorizar a isso por escrito.

É possível, sim, viver com HIV!

[/penci_text_block]

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.