Blog Soropositivo. Org

Tratamento Antirretroviral a TARV – O Assim Chamado Coquetel

HIV
Tratamento Antirretroviral, Blog Soropositivo. Org
Vulto com um jaleco branco e uma mão, em primero plano, segurando um laço vermelho

Tratamento antirretroviral é complexo! Mas é algo que nós, pessoas vivendo com HIV, nos acostumamos! Sabe, todas as vezes que fiquei internado e consciente (há uma sutil diferença ai) me foi sempre muito divertido ver a expressão de perplexidade das enfermeiras ou auxiliares de enfermagem que, sem saber direito o que fazer, pedem os nomes dos remédios e, creiam, elas tem dificuldade para os escrever! Escrever os nomes do medicamentos!

Depois… Bem, depois elas têm dificuldades em administra a posologia e o tratamento em si e, em nome de meu bem-estar e tranquilidade terapêutica acabo por assumir a responsabilidade por minha TARV.

Pois elas, e eles, parecem incapazes de entender que é melhor, e correto, tomarmos todos eles.

Os quatro ou quarenta ali, na lata, todos de uma vez!

Elas, e eles, não tem culpa. A culpa, na verdade a falta de responsabilidade reside em que “nçao os treina,. E, se eu disse divertido, foi para te irritar, porque é assim mesmo que eu fico diante da incapacidade deles, de treinarem vocês para o óbvio!

Sim, eu sei! existem mais de 30 medicamentos anti-retrovirais em seis classes de medicamentos; estes estão listados abaixo.

  • Cada classe de drogas ataca o HIV de uma maneira diferente.

O Tratamento Antirretroviral nunca parou de evoluir, desde o começo. 

O tratamento é complexo. Mas não é um bicho de sete cabeças! tem cinco, é verdade. Mas três são mansas e uma das que sobram é boca. Com esta alegoria quero apenas te deixar claro que não é difícil assim. Quando o tratamento começou a se espalhar pelo Brasil disseram (lá fora) que não conseguiríamos lidar com “esta complexidade”. Disse isso o patso que conseguiu cair com o dispositivo projetado para não cair nunca!

O Mesmo patso disse, em oportunidade posterior, que o Brasil poderia salvar muito mais vidas, em um hipotético futuro, se estivesse disposto a salvar “algumas” no início! 😡😡😡

G. W. Bush (pai). Tendo um filho como o dele, não é difícil entender o ponto de vista dele, diante de si, olhando para si e para o que brotou e saiu de si!”

Bem, o texto trata daquele milagre, que o Dr º Dráusio Varela referiu-se, muito,mas muito, muito e muito tempo atrás, com “os novos remédios!

Existem seis tipos principais (‘classes’) de medicamentos anti-retrovirais.

Cada classe de drogas ataca o HIV de uma maneira diferente. Geralmente, drogas de duas (ou às vezes três) classes são combinadas para garantir um ataque poderoso ao HIV.

A maioria das pessoas inicia o tratamento do HIV com dois medicamentos da classe de inibidores da transcriptase reversa nucleosídeo / nucleotídeo combinados com um inibidor da integrase, um inibidor da transcriptase reversa não-nucleosídeo ou um inibidor da protease – portanto, ‘terapia tripla’.

Inibidores da transcriptase reversa nucleotídeo / nucleotídeo (NRTIs)

 

Inibidores da transcriptase reversa não nucleósidos (NNRTIs) Inibidores da transcriptase reversa.

Os Não nucleósidos (NNRTIs) também têm como alvo a transcriptase reversa, mas de uma maneira diferente dos NRTIs.

Os NNRTIs interferem com a enzima transcriptase reversa ao se ligarem diretamente a ela, bloqueando o processo de transcrição reversa.

  • Doravirine também é conhecido como Pifeltro. Doravirine está incluído no comprimido de combinação Delstrigo.
  • O efavirenz pode ser comercializado sob o nome Sustiva, mas também estão disponíveis versões genéricas. O efavirenz está incluído no comprimido de combinação efavirenz / emtricitabina / tenofovir disoproxil.
  • A etravirina também é conhecida como Intelence.
  • A nevirapina pode ser comercializada sob o nome Viramune, mas também estão disponíveis versões genéricas.
  • A rilpivirina também é conhecida como Edurant. A rilpivirina também está disponível nos comprimidos combinados Odefsey, Eviplera e Juluca.

Os inibidores da Inibidores da integrase.

A fase chamada Integrase têm como alvo uma proteína no HIV chamada integrase, que é essencial para a replicação viral.

Esta proteína, a proteína Integrase é responsável pela inserção do DNA genômico viral no cromossomo hospedeiro. A enzima Integrase se liga ao DNA da célula hospedeira, prepara uma área no DNA viral para integração e depois transfere essa cadeia processada para o genoma da célula hospedeira.

Os inibidores da Integrase dificultam ao vírus o trabalho de auto-inserir-se no DNA de células humanas.

  • O bictegravir está disponível apenas no comprimido combinado Biktarvy.
  • Dolutegravir também é conhecido como Tivicay. Ele é incluído na combinação comprimidos Juluca e Triumeq, e Dovato.
  • O elvitegravir está disponível apenas nos comprimidos combinados Genvoya e Stribild.
  • O Raltegravir também é conhecido como raltegravir Isentress.

Os Inibidores da Integrase

Os inibidores da Integrase impedem que o HIV entre nas células humanas. Existem dois tipos: inibidores de CCR5 e inibidores de fusão.

Para entrar na célula hospedeira, o HIV deve se ligar a dois receptores separados na superfície da célula: o receptor CD4 e um co-receptor (CCR5 ou CXCR4).

Uma vez que o HIV se apega a ambos, seu envelope pode fundir-se com a membrana da célula hospedeira e liberar componentes virais na célula. Os inibidores da CCR5 impedem o HIV de usar o co-receptor CCR5 ao se ligar a ele, bloqueando a entrada viral.

Os inibidores do CCR5 não funcionam em todos e são muito raramente usados ​​no tratamento de primeira linha.

Você faria um teste para ver se esse tipo de tratamento seria eficaz antes de começar. Um inibidor de CCR5 é licenciado na Europa:

  • Maraviroc também é conhecido como Celsentri.

Um inibidor de fusão (enfuvirtida) é usado apenas para pessoas que não têm outras opções de tratamento. Ele funciona interrompendo a fusão da proteína do envelope do HIV com a célula CD4.

Inibidores da protease (IPs)

Os inibidores da protease (IPs) bloqueiam a atividade da enzima protease, que o HIV usa para quebrar grandes poliproteínas em pedaços menores necessários para a montagem de novas partículas virais. Embora o HIV ainda possa se replicar na presença de inibidores da protease, os vírions resultantes são imaturos e incapazes de infectar novas células.

  • O pode ser comercializado sob o nome atazanavir Reyataz, mas também estão disponíveis versões genéricas. O atazanavir está incluído no comprimido de combinação Evotaz.
  • O darunavir pode ser comercializado sob o nome Prezista, mas também estão disponíveis versões genéricas. Darunavir está incluído na combinação de comprimidos Rezolsta e Symtuza.
  • O lopinavir está disponível apenas no comprimido de combinação Kaletra.

 As drogas de Drogas de reforço

Os medicamentos de reforço são usadas para ‘aumentar’ os efeitos dos inibidores de protease. A adição de uma pequena dose de um medicamento de reforço a um anti-retroviral faz com que o fígado desmonte o medicamento primário mais lentamente, o que significa que ele permanece no corpo por períodos mais longos ou em níveis mais altos. Sem o agente de reforço, a dose prescrita do medicamento primário seria ineficaz.

Regimes de comprimido único

Existem algumas pílulas de dose fixa que combinam dois ou três medicamentos antirretrovirais de mais de uma classe em uma única pílula que é tomada uma vez ao dia. Saiba mais sobre isso em nossa página Regimes de comprimido único.

Existem mais de 30 medicamentos anti-retrovirais em seis classes de medicamentos; estes estão listados abaixo.

  • Cada classe de drogas ataca o HIV de uma maneira diferente.

Existem seis tipos principais (‘classes’) de medicamentos anti-retrovirais.

Cada classe de drogas ataca o HIV de uma maneira diferente. Geralmente, drogas de duas (ou às vezes três) classes são combinadas para garantir um ataque poderoso ao HIV.

A maioria das pessoas inicia o tratamento do HIV com dois medicamentos da classe de inibidores da transcriptase reversa nucleosídeo / nucleotídeo combinados com um inibidor da integrase, um inibidor da transcriptase reversa não-nucleosídeo ou um inibidor da protease – portanto, ‘terapia tripla’.

Inibidores da transcriptase reversa nucleotídeo / nucleotídeo (NRTIs)

As últimas notícias e pesquisas sobre tratamento do HIV

Inibidores da transcriptase reversa nucleotídica (NRTIs) e inibidores da transcriptase reversa nucleotídeo (NtRTIs), geralmente chamados de NRTIs, atuam visando a ação de uma proteína HIV chamado transcriptase reversa.

Depois que o vírus HIV libera seu material genético em uma célula hospedeira, a transcriptase reversa converte o RNA viral em DNA, um processo conhecido como ‘transcrição reversa’. Os NRTIs interrompem a construção de um novo fragmento de DNA proviral, interrompendo o processo de transcrição reversa e interrompendo a replicação do HIV.

Essa classe de medicamentos às vezes é chamada de “espinha dorsal” de uma combinação de tratamento de primeira linha para o HIV. Inclui os seguintes medicamentos:

Inibidores da transcriptase reversa não nucleósidos (NNRTIs) Inibidores da transcriptase reversa

Os nucleósidos (NNRTIs) também têm como alvo a transcriptase reversa, mas de uma maneira diferente dos NRTIs.

Os NNRTIs interferem com a enzima transcriptase reversa ao se ligarem diretamente a ela, bloqueando o processo de transcrição reversa.

Os Inibidores da integrase 

A Integrase têm como alvo uma proteína no HIV chamada integrase, que é essencial para a replicação viral.

A integrase é responsável pela inserção do DNA genômico viral no cromossomo hospedeiro. A enzima integrase se liga ao DNA da célula hospedeira, prepara uma área no DNA viral para integração e depois transfere essa cadeia processada para o genoma da célula hospedeira.

inibidores integrase parar o vírus de inserindo-se no DNA de células humanas.

  • O bictegravir está disponível apenas no comprimido combinado Biktarvy.
  • Dolutegravir também é conhecido como Tivicay. Ele é incluído na combinação comprimidos Juluca e Triumeq, e Dovato.
  • O elvitegravir está disponível apenas nos comprimidos combinados Genvoya e Stribild.
  • O também é conhecido como raltegravir Isentress.

Os Inibidores da entrada.

entrada impedem que o HIV entre nas células humanas. Existem dois tipos: inibidores de CCR5 e inibidores de fusão.

Para entrar na célula hospedeira, o HIV deve se ligar a dois receptores separados na superfície da célula: o receptor CD4 e um co-receptor (CCR5 ou CXCR4). Uma vez que o HIV se apega a ambos, seu envelope pode fundir-se com a membrana da célula hospedeira e liberar componentes virais na célula. Os inibidores da CCR5 impedem o HIV de usar o co-receptor CCR5 ao se ligar a ele, bloqueando a entrada viral.

Os inibidores do CCR5 não funcionam em todos e são muito raramente usados ​​no tratamento de primeira linha. Você faria um teste para ver se esse tipo de tratamento seria eficaz antes de começar. Um inibidor de CCR5 é licenciado na Europa:

  • Maraviroc também é conhecido como Celsentri.

Um inibidor de fusão (enfuvirtida) é usado apenas para pessoas que não têm outras opções de tratamento. Ele funciona interrompendo a fusão da proteína do envelope do HIV com a célula CD4.

Inibidores da protease (IPs)

Os inibidores da protease (IPs) bloqueiam a atividade da enzima protease, que o HIV usa para quebrar grandes poliproteínas em pedaços menores necessários para a montagem de novas partículas virais. Embora o HIV ainda possa se replicar na presença de inibidores da protease, os vírions resultantes são imaturos e incapazes de infectar novas células.

  • O pode ser comercializado sob o nome atazanavir Reyataz, mas também estão disponíveis versões genéricas. O atazanavir está incluído no comprimido de combinação Evotaz.
  • O darunavir pode ser comercializado sob o nome Prezista, mas também estão disponíveis versões genéricas. Darunavir está incluído na combinação de comprimidos Rezolsta e Symtuza.
  • O lopinavir está disponível apenas no comprimido de combinação Kaletra.

As drogas de Drogas de reforço 

reforço são usadas para ‘aumentar’ os efeitos dos inibidores de protease. A adição de uma pequena dose de um medicamento de reforço a um anti-retroviral faz com que o fígado desmonte o medicamento primário mais lentamente, o que significa que ele permanece no corpo por períodos mais longos ou em níveis mais altos. Sem o agente de reforço, a dose prescrita do medicamento primário seria ineficaz.

Regimes de comprimido único

Existem algumas pílulas de dose fixa que combinam dois ou três medicamentos antirretrovirais de mais de uma classe em uma única pílula que é tomada uma vez ao dia. Saiba mais sobre isso em nossa página Regimes de comprimido único.

E, com tudo isso… trinta anos e nada se resolveu efetivamente. Paramos de “morrer como moscas, risos… Mas…

Tudo isso que aqui foi narrado é o produto de diligente e paciente trabalho de estudos e pesquisas. Do momento em que o HIV foi isolado, identificado e sequenciado passaram-se quase dez anos até haver um tratamento realmente eficiente apesar da pedreira que era tomar a medicação. Antes disso, os que supoirtaram, tiveram a honra e glória de sobreviver ao AZT

Eu não dei conta, pois era engolir os comprimidos, seis deles a cada 4 horas, e começar a vomitar mais lava que o Vesúvio vomitou sobre Pompéia e eu tive de desistir disso e contar com Deus!

E desde então se procuram estas coisas, cura e vacina. Perdi a conta de quantos artigos otimistas e otimísticos a respeito disso:

E, os dois curados, Berlim e London, foram submetidos a processos de cura para quem já não tinha nada, nem mesmo a vida, a perder (estava perdida pelo câncer). E este procedimento é um que em cada 5 tentativas, uma só pessoa sobrevive ao processo, os outros ficam lá mesmo, na mesa de cirurgia. E muitos não sobreviveram o bastante para comprovar estas curas.

Eu apostaria em deus, se tivesse estado na mesma situação porque, de grandes verdades que eu aprendi exite uma inabalável:

Tudo é como Deus deseja!

Vontade de ajudar, prevenir, tratar e minimizar as mazelas este mundo e as humanas, muitos têm. Quase todos nós temos e, eu quero mesmo estar bem, mas bem errado mesmo!

Mas cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém e, desde 1884 se luta por uma vacina e cura para a infecção por HIV.

Eu sei. O COVID-19 é transmissível pelo ar e o empenho talvez, e nisso eu quero estar errado, seja maior nestes casos.

Eu todo o caso, eu fico em casa

O vídeo abaixo mostra a promessa de Ronald Reagan e a observem como um tiro de advertência que eu disparo aqui:

Pensem em COVID-19 como uma coisa não tão simplesmente resolvível. Pois o que se tem é pouco e a experiência humana diante do HIV ainda não resolveu os paradigmas da vacina e da cura

 

Publicações Relacionadas

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Soropositivo.Org, Wordpress.com e Automattic fazm tudo a nosso alcance no que tange à sua privacidade. Você pode saber mais sobre esta polític nste link Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Ler Tudo em Política de Privacidade