Eu, Cláudio. Alguns artigos e observações pessoais!

Cláudio Souza pode parecer ser a pessoas por trás deste site. Eu sou a pessoa que trabalha o site, ou blog. Mas Mara me deu a ideia

Bem, eu vivo com HIV há quase 1/4 de Século! Você, se me visse na rua, sem ter me visto aqui, imaginaria isso, em um vagão do metrô? E agora, se me vir em um vagão do metrô ou em uma agência bancária, poderia saber avaliar se eu seria a única pessoa vivendo com AIDS, pois este é meu caso, dentro desta mesma agência?
É! Este É Cláudio Souza. Na verdade, sou eu!
Cláudio Souza sou eu! Eu estou consciente de que tenho HIV há quase um quarto de século. E comecei este trabalho 18, quase 19 anos atrás, usando sempre meu nome: Cláudio Souza!

E não demorei muito a aparecer claramente na Internet. Já em 2004 eu dizia bem quem eu era e dava algumas dicas de como me achar e, creiam, recebi muitas leitoras de meu blog, na verdade “meus blogs”, eu tinha mais de um.

Mara foi quem Deu Jeito em Cláudio Souza
Mas foi Mara que eu tive certeza: “Esta é a Mulher que me Completa”.

“Lêdo engano”! Ela me reformou! Pegou meus cacos, jogou fora, com minha autorização, tudo que estava ali e para nada servia. Antes dela, eu tive oito casamentos, sendo que alguns deles eram concomitantes, mas não havia crime naquilo.

Seja como for, todos estes “casamentos iniciais” não somaram, juntos, os pouco mais de dezessete anos, pouco menos de 20 anos que, de uma forma ou de outra, passamos juntos.
Sim, de Uma Forma Ou De outra. Muitas Vezes Por Telefone
Se eu estou aqui, agora, sendo quem eu sou, uma pessoa muito melhor do que a que entrou em um apartamento na rua Plínio Colas, anos, anos e anos atrás, é porque ela pode ver meu valor, perdoar as coisas estúpidas que fiz e m dar reiteradas possibilidades de me reconstruir até não errar tanto.

Bem, isso é o que eu penso que sou!

Algumas pessoas dizem que eu espalho a “doutrina do medo”.

Bom, eu não acho muito certo dizer que a geração @ será a que verá a cura da AIDS! mesmo porque os próprios cientistas, os sérios, são reticentes com isso e certos vídeos….
Eu “cacei” o HIV
Seja como for, eu agi irresponsavelmente e contraí HIV. E, sem saber que o portava, só Deus pode saber quantas pessoas eu infectei inconscientemente.

E é por isso, porque errei tanto, e estraguei incontáveis vidas, “Histórias”, que eu, hoje, sigo a máxima que aprendi quase como que a chibatadas:

Na dúvida! Não ultrapasse

Boa Leitura
Cláudio Souza

Carga viral indetectável e não transmissão do HIV – uma folha informativa para pessoas com HIV

Cláudio Souza
Carga viral indetectável e A NÃO transmissão do HIV A quantidade de HIV nos fluidos corporais é chamada de carga viral. O tratamento eficaz contra

Este Site usa Cookies e você pode recusra este uso. Mas pode saber bem o que está sendo registrado em, conssonãncia com nossa política de privacidade