Janela Imunológica do HIV, os fatos. Reeditado e Ampliado em 22/02/2018.

 

JANELA IMUNOLÓGICA

Observação importante: Se você acha que entrou em contato, ou pode ter entrado em contato com HIV antes há menos de 72 horas ignore o texto abaixo e clique neste link imediatamente!

Se os três dias (72 horas) já se passaram, sinto muito. Aí é mesmo o caso de já fazer um teste, para saber se você já é ou não soropositivo e, depois, esperar, caso você não seja reagente para HIV, pela janela imunológica!

Este é um texto longo e ficou muito pesado para carregar e página lenta é página abandonada. Eu fiz uma ampla revisão nela na data de hoje, vinte e dois de fevereiro de dois mil e dezoito e vi, perplexo, que ela equivale a um documento com catorze páginas do padrão A4, para resolver isso eu a quebrei e no final de cada trecho haverá uma lista de números, para que você clique e prossiga na leitura. 

Observe que é preciso buscar se informar, compreender e, sobretudo, a ACEITAR A JANELA IMUNOLÓLICA . Conheço pessoas que vivem algo que eu percebo como janela imunológica eterna (esta expressão é uma criatura minha e não deve ser considerada uma doença, pelo menos com base no que eu sei…), por outro lado, eu vejo pessoas que, de uma certa formas, agem como se fossem recifes, sendo atormentados por ondas (de medo) impossíveis de serem vencidas porque, por mais que digam, e por mais que eu, debaixo de toda a limitação científica que eu tenho, sempre reiterando que não sou médico (isso traz para mim a força moral de dizer que não estou tentando atrair pacientes para mim (pois não sou médico) e nem tenho interesses subjetivos (ou não) pois tudo o que eu, e eu só sei de mim, faço é recomendar, conforme eu considero ética, moral e humanamente correto, que as pessoas busquem o conhecimento de sua sorologia, reagente ou não, dentro do ambiente qualificado do SUS em CTA’s. Embora eu possa dizer nada sobre os outros, de mim, as pessoas podem extrair facilmente, por vaticínios, que eu não busco lucros ou, sabe-se Deus, nenhum comissionamento e, embora eu não possa dizer nada a respeito de qualquer outra pessoa, quanto a mim, estou em paz e cada um que se entenda com Deus (se é que creem nele) no momento em que Ele considerar oportuno.

SOROCONVERSÃO TARDIA

Há algo muito importante a ser dito a respeito de uma coisa, na verdade um triste pesadelo, chamado “Soroconversão tardia”.

Eu vejo pessoas que me procuram pelo ZAP, e qualquer pessoa que se ativer às regras pode falar comigo, por texto e não por ligações ou áudios, desesperadas “com esta coisa. Bem, eu pesquisei ali e acolá e, de trapo em trapo (de informação, eu pude coligir isso para quem busca esta página) eu obtive o que está abaixo, em destaque

A soroconversão tardia acontecia na época de testes até a 3ª geração, que dependiam do sistema imunológico para dar o resultado. Como o sistema imunológico é diferente em cada um, 90% das pessoas infectadas soroconvertiam em 30 dias, 99,9% até 60 dias e os demais até 120 dias.

Com os testes hoje de 4ª geração (que procuram a proteína p24 do vírus e anticorpos) e os testes NAT/PCR (que procuram o vírus diretamente, não anticorpos), não se fala em soroconversão tardia, pois eles não estão sujeitos mais a particularidade de cada indivíduo, mas se existe o vírus ou não.

Mas apenas para questão de conhecimento a soroconversão tardia acontecia apenas em pacientes que tenham alguma deficiência na produção de imunoglobulinas, que são os anticorpos detectáveis na maioria dos testes sorológicos. Doenças autoimunes, doenças inflamatórias crônicas, gravidez, leucemia, são alguns casos que podem interferir nessa produção de anticorpos.

Importante ressaltar que eram casos raros! O sistema imunológico competente é aquele capaz de responder rapidamente à ameaça de agente patológicos.

Fonte: Ministério da Saúde.

Observação importante:

Têm-se conhecimento até hoje de apenas 9 casos de soroconversão tardia. É passado. It’s Over…

Por favor, seja mais humilde e afaste de si estes pensamentos que fazem você ser uma criatura tão importante que:

  1. Não possa merecer perdão. (Isso é soberba)
  2. É tão importante ou desgraçado que é líquido e certo que a medicina não pode auxiliá-lo numa questão bem dominada, embora incurável, pela medicina e que é portador de uma mutação tão rara que o pune porque você cruzou a linha que o limita, uma linha estabelecida por você que crê que pode legislar junto a Deus e que a até um determinado ponto arbitrado por você, geralmente em face a algum dogma religioso e, porque você, em face a uma razão ou à outra, sejam elas quais forem, dentro da miríade de psicoses e paranoias que eu vejo aqui dentro, e que merece tal punição: Ser um X-Man, porque é mais ou menos disso que se trata. 
  3. Que você está sendo punido por Deus por causa de alguma razão que VOCÊ acredita reprovável e digna deste “sortilégio maligno” que é a AIDS pois, segundo vomitaram paspalhos religiosos que esta doença é (ou teria sido) a Ira de Deus, enquanto Deus permite que eles tergiversem sobre a Palavra de Deus, erguendo casas de caridade -MENINOS EU VI!!!- e saquearam a caixa de doações para a obra em benefício próprio impunemnte enquanto a mídia lhes dava voz e, até agora, não fez o mea culpa adequado e, portanto, toda esta sua tese de terror é besteira.
  4. Esqueça esta coisa absurda de “ser tão importante que é imperdoável e comece, e você sabe que a lista é longa, a perdoar aquelas pessoas(…) que fizeram tanto mal a você.

Este item, o Nº 4, é o check point número um para se alcançar a felicidade. 

Para Facilitar a navegação entre os oito setores deste artigo eu criei uma especie de “menu”, que está mais para “Ordered List” em HTML. Eu realmente espero que isso simplifique vossa vida e vos ajude, porque bem sei que este é o grande medo na vida das pessoas que vivenciaram, e não me interessa o como ou o porquê, uma situação de risco.

Se tudo der certo, eu imito Aquele Nosso Amigo:

-“Agora va e não”…

 Sim, eu sei. Janela Imunológica gera pesadelos!v 

 

Eu encontrei alguns detalhes importantes e, como já sei que não vou conseguir dormir, pois eu não pego no sono sem Rohypinol, trabalhar esta parte do texto, tornado a um pouquinho melhor.

E, parece-me muito sensato destrinchar a natureza, ou as propriedades dele, deste meu hóspede indesejável. Eu creio que isso pode ajudar mais e melhor, à compreensão do fenômeno conhecido como janela imunológica determinando o que é o HIV:

Diagnósticos Médicos I – Felipe Pagnoncelli Fachin

Diagnóstico Laboratorial da Infecção por HIV

O HIV é uma partícula esférica, que mede de 100 a 120 nm de diâmetro, pertencente ao gênero Lentivirinae e família Retroviridae, apresentando em seu núcleo duas cópias de RNA de cadeia simples, encapsuladas por uma camada proteica ou núcleo-capsídeo, capsídeo e um envelope externo composto por uma bicamada fosfolipídica.

A maioria das infecções pelo HIV-1 ocorre através das mucosas do trato genital ou retal durante a relação sexual. Nas primeiras horas após a infecção pela via sexual, o HIV e células infectadas atravessam a barreira da mucosa, permitindo que o vírus se estabeleça no local de entrada e continue infectando linfócitos T CD4+ (T CD4+), além de macrófagos e células dendríticas. É importante a PEP nesta hora

A fase eclipse

Após a transmissão do vírus, há um período de aproximadamente 10 dias, denominado de fase eclipse, antes que o RNA viral seja detectável no plasma. É importante lembrar que janela imunológica é a duração do período entre a infecção pelo HIV até a primeira detecção de anticorpos anti-HIV, a qual inclui a fase aguda e a fase eclipse (aguda + eclipse). No entanto, o tempo exato para seu aparecimento depende de vários fatores, relacionados ao hospedeiro e ao agente viral, dentre outros. Ensaios mais recentes, incluindo os ensaios de terceira geração do tipo sanduiche, podem detectar anticorpos em 3-4 semanas após a infecção.

A replicação viral ativa e a livre circulação do vírus na corrente sanguínea causam a formação de um pico de viremia por volta de 21 a 28 dias após a exposição ao HIV (Nota minha: Isso explica com clareza que não é sensato e, a bem da verdade é um desperdício de valores em arrependimento inválido…) Essa viremia está associada a um declínio acentuado no número de linfócitos T CD4+. Na fase de expansão e disseminação sistêmica, há a indução da resposta imunológica, mas esta é tardia e insuficiente em magnitude para erradicar a infecção.

  • Falhas e erros no diagnóstico:
  • Janela imunológica
  • A ocorrência de infecções causadas por cepas virais com variações genéticas que não são detectadas pelos testes em uso corrente.
  • A existência de indivíduos “imunosilenciosos” que possuem níveis baixos ou mesmo ausência de anticorpos específicos e, dessa forma, não são detectados nos testes sorológicos.
  • Os indivíduos que cursam a infecção sem viremia, ou com viremia muito baixa, denominados de Controladores de Elite.
  • Erros que ocorrem durante o processo de execução dos testes laboratoriais e suas causas são de origem humana ou operacional.

Por isso, a maioria dos casos passa despercebido e, portanto, também não deve ser uma razão para uma vida próxima ao delírio paranoico, como eu vejo em meu zap, pessoas que depois de intermináveis horas de conversações comigo simplesmente desapareceram e eu fico me perguntando se elas algum dia deixarão de sofrer assim ou se viverão em “Janela imunológica Eterna“ (este link abre em outra janela).

Eu resolvi que seria melhor colocar esta informação também aqui:

FALHAS E ERROS NO DIAGNÓSTICO DA INFECÇÃO PELO HIV

O diagnóstico da infecção pelo HIV é suscetível de falhas e erros. Com exceção do período de janela diagnóstica, existem outras causas de falhas que podem excepcionalmente ocorrer quando se realiza o diagnóstico da infecção pelo HIV.

A primeira é a ocorrência de infecções causadas por cepas virais com variações genéticas que não são detectadas pelos testes em uso corrente. Citamos, como exemplo, as modificações que foram feitas ao longo dos anos em testes sorológicos para incluir antígenos do HIV-2 e do HIV-1 do grupo “O” (do inglês, outlier), que anteriormente não eram detectados pelos testes disponíveis no mercado.

Uma observação: Eu não conhecia a palavra e fui atrás dela, para tentar dar um melhor sentido e encontrei isso no Google tradutor:

O que fica melhor é este “isolado”, pois isso se conota com o diferente e isolado (alguém aqui se identifica com isso?), o solitário. Eu não sei quem dá o nome a estas coisas, mas quando eu penso em “videx” para o DDI tenho vontade de mandar a pqp

O pronto reconhecimento dessas cepas pela comunidade científica e a rápida resposta dos fabricantes no desenvolvimento de

novos testes mais sensíveis e específicos são decisivos nesses momentos.

A segunda causa é a existência de indivíduos “imunosilencioso G”

(do inglês, immunosilents) que possuem níveis baixos ou

mesmo ausência de anticorpos específicos e, dessa forma, não são detectados nos testes sorológicos. Excetuando-se indivíduos com

outras causas de imunodeficiência, a ocorrência desses casos é muito rara, tornando esse tipo de falha desprezível no contexto de saúde

coletiva. Outra exceção são os indivíduos que cursam a infecção sem viremia, ou com viremia muito baixa, denominados de Controladores

de Elite (do inglês, elite controllers) e, devido a isso, podem não ser detectados pelos testes moleculares. Esses indivíduos, no entanto,

possuem resposta imune humoral intacta e não oferecem risco de não serem detectados quando submetidos a testes sorológicos.

A Trágica, Persistente e Prolifera Busca por Sintomas

Os primeiras sintomas nestes 30 dias são muito parecidos com os de uma gripe, como uma virose, como rubéola ou catapora, por exemplo. E… entretanto, você não deve ficar procurando sintomas, pois você vai gerá-los em si, num fenômeno que faz com que muita gente me procure pelo ZAP que é a psicossomatização.

Infelizmente há muitas pessoas que não aceitam o não reagente e que ficam buscando, na rede, informações sobre janela imunológica e há sites, que eu não sei dizer se eles são antigos e seus criadores os abandonaram ou simplesmente morreram, que informa lapsos de janela imunológica de até cinco anos!!!

Eu penso, ainda, naquelas pessoas, geralmente recalcadas ou homofóbicas, que se divertem com o sofrimento dos outros (eu acho que ele se masturbam só de pensar no sofrimento dos que recebem suas contra-informações) preceituando janelas imunológicas de dois, três, cinco e dez anos! No mínimo é coisa de sádicos malditos.

E isso vai além. Há pessoas que me narram, para minha completa estupefação, informações dadas por “””pRoFiSsIoNaIs De sAÚdE””” que informam barbaridades como as do parágrafo acima. Poutz…

Que gente maldita. Quando eu entrei em contato com o Ministério da saúde, em 1999, quando comecei a estudar HTML e o conteúdo que deveria, por bem e para o bem, publicar, recebi um livro muito interessante que tinha o emblemático título:

AIDS: LEIA ANTES DE ESCREVER.

 

E há até quem tenha noção das coisas e tenha a capacidade de escrever que “NÃO MORREMOS MAIS DE AIDS PORQUE SOMOS QUASE SORONEGATIVOS ” (…).

Sim! A vida mudou para as pessoas que vivem com HIV e minha infecto me contou algo que me inspirou a redação deste texto:

A AIDS pode ser combatida, hoje em dia, de igual para igual

Agora sim, AIDS! Sem limites para sonhar! Mas eu quero reforçar que isso é palavra de esperança para quem já contraíu HIV… Como eu, por exemplo…

E mesmo o autor da barbaridade acima, antes deste meu link. O que é importante dizer é que você que me lê tem toda a razão de estar preocupado em não soroconverter que, mesmo com uma expectativa de vida de até noventa anos, a vida com HIV e/ou AIDS não é um passeio à praça e, por exemplo, um dos remédios usados como tratamento de 1ª linha tem estes predicados como possíveis “efeitos adversos”.:

Ou este aqui:

A ideação suicida e sua efetivação bem sucedida ou não provam que o tratamento do HIV com efavirenz pode ter efeitos colaterais e descambar para o suicídio (que você pode ver aqui(também em outra aba).

Estes são efeitos de um só dos medicamentos e o Dolutegravir começa a ir pelo mesmo caminho(outra aba).

Eu, Claudius…. Eu e a “doutrina do medo”. Ou seria a doutrina da informação responsável?

Houve quem me dissesse que eu gosto da “doutrina do medo”. Eu nego peremptoriamente isso e declaro que esclarecer não é assustar. Omitir pode ser uma ação criminosa. Talvez não diante das leis dos homens, mas eu me reporto uma Inteligência Superior, à qual eu tento ser digno de servir e, quando pouco, sei que sou responsável pelo que gero na vida das pessoas e o Tribunal malfadado não faz acordos e demanda por responsabilidade. Pense antes de fazer e faça pensado porque, pensado ou não, “sem querer querendo”, as consequências de toda a merda que você vier a gerar são de responsabilidade sua e cada dracma será cobrada. Dracma a dracma, ceitil por ceitil… Dramática e enfaticamente eu o afirmo

Então é o seguinte:

Se você tem, trate-se. E monitore seus pensamentos e sua vida.

Se você não tem HIV: Cuide-se, porque eu reforço. Vivo há 23 anos com HIV e não é um passeio à praça. No fim de cada texto, um pouco abaixo, há o meu histórico médico um tanto quanto defasado…

E veja abaixo.

Bem, a título de ilustração, na cidade de São Paulo morreram 11.000 pessoas (número arredondado) em 11 anos, entre o anos 2000, em que este blog foi lançado, e o ano de 2011, quando participei de um programa de TV cujo nome não me lembro pois havia uma pessoa, um outro soropositivo, falando tanta besteira que eu estava a ponto de grudar no pescoço dele quando ele soltou está pérola:

-“Hoje em dia ninguém morre mais de AIDS”…

Bem,a representante da Secretaria Municipal de Saúde do Estado de São Paulo tomou-me a frente e deu, nele, um sabão de proporções tão devastadoras que eu me decidi pelo silêncio mas acabei por esquecer de falar do blog e de todo o resto. Não vi mais nada e estava começando a achar ue ia precisar de um balão de oxigênio quando, finalmente, o programa acabou e ele, talvez percebendo algo, desapareceu como um ninja…   

Morriam 1.000 por ano e, vale dizer, próximo de 3 por dia! E ainda diz uma barbaridade destas!!! P que me P… Observe ainda que estas pessoas vêm a morrer, em linhas gerais porque empurraram com a barriga a testagem e só foram efetivamente testados quando colhidos por uma doença oportunista! E isso complica tudo!

Se você acha que pode ter contraído, teste-se.

Se você teve uma relação sexual desprotegida: teste-se!

Se você é casada , na boa, teste-se porque:

Um em cada cinco homens contraíram HIV de outros homens (Sim!!! Sim!!! Sim!!!!) .

Desespere-se, pois bem que pode ser e eu lanço este alerta porque eu faço coro com a Drª Maria José, consultora do projeto girassóis que se refere ao casamento como um risco de vida para as mulheres (abre em outra aba)

Não reagente: Aceite isso depois dos 60 dias e toque a vida como eu não posso tocar

O que eu quero que vocês entendam é que ninguém contrai HIV e tem uma doença oportunista como a Meningite Criptocócica logo em seguida.

A AIDS é uma doença de evolução lenta em seu início e é exatamente por isso que nós não nos cansamos de vos dizer:

“Testai-vos”! E aceitai vossos resultados quando eles, frpois de 60 dias, não reagentes

Depois que você se testar, tendo levado em conta a janela imunológica, aceite-se “não reagente” depois do período completo de janela imunológica que o Ministério da saúde preceitua que é de 30 dias após a relação de risco e 60 dias para o “restante”.

Eu digo isso com motivos verdadeiros e autênticos!

Vejam minha história, a história deste site

Antes deste período a equação não se resolve! E eu escrevo isso com um bom e sério motivo, clique neste link a seguir, que leva a um texto que explica os porquês de haver esta minha postura da janela imunológica de 60 dias

Queriamos nós entrarmos em CTA e ter um não reagente… Mas…

 

Isso não vai acontecer conosco, e nem no importa. Eu e Mara temos nossos resultados já definidos há um tempinho… E, olha só… Não estamos tão mal assim!

Não pode ter havido privilégio maior do que este de envelhecer ao lado “desta moça”. Sim, é verdade, eu tive mulheres à bessa e, “casamentos”, eu vivi nove. Nada pode ser comparado com o que tenho com esta menina. Eu chego a sentir meus olhos marejados de felicidade e gratidão a Deus. Maroca, minha adorada Maroca, muito obrigado por existir. E eu acho que é visível que nos amamos e somos felizes!!! Genéricamente falando, envelhecemos com HIV e vivemos algo parecido com 1/4 de século com HIV e, entre primeiro encontro, o lance de sorte e o dia de hoje já se delineia uma relação de 20 anos de amor, cumplicidade, responsabilidade e um tropeção meu. Um erro. Felizmente eu não cometi o maior dos erros e estamos aqui”

Mas pode acontecer com vocês e isso é algo que vocês têm de pôr na cabeça. Depois de sessenta dias não encha sua cabeça de caraminholas, não procure ver pelos em ovos ou chifres nas cabeças das minhocas.

Você não é tão filho da puta que mereça um castigo destes, esta coisa hipotética de se crer *especial* (puta que me pariu) e ter o seu resultado mascarado

E enfiem isso, isso sim, em suas cabecinhas apavoradas:

Os exames do SUS são confiáveis, os profissionais do SUS sabem proceder com os testes, os profissionais do SUS tem um comprometimento com a ética da saúde sexual e reprodutiva, os profissionais do SUS não tem má vontade em prestar o serviço. E a cara emburrada deles é uma coisa que se deve ao óbvio, que é eles terem este chefe de merda que eles têm agora.

Então, depois de sessenta dias, não reagente é definitivo! Aceitem isso, não se julguem tão desgraçados que nem mesmo os exames detectariam os anticorpos só para você ter uma morte mais triste do que a esperada.

Todas as mortes são tristes, não importa o que morre (eu tenho um aquário e cada peixe que morre me parece um fracasso, uma negligência, um desastre e sempre me causa dor), quem morre ou qual a “coisa” que morre de maneira indene ao que significa morte, porque eu atesto e dou fé – Eu já morri mil mortes… e certamente ainda morrerei mais mil delas.

Com o frequente ataque, as células de defesa começam a funcionar com menos eficiência até serem destruídas. O organismo fica cada vez mais fraco e vulnerável a infecções comuns. A fase assintomática inicial é caracterizada pela alta redução dos linfócitos T CD4 – do sistema imunológico – que chegam a ficar abaixo de 200 unidades por mm³ de sangue após anos, anos e anos de infecção não tratada.

Por isso você deve se testar! E por isso deve aceitar o resultado do teste e, cuidar de si mesmo se reagente ou, cuidar de si mesmo se não reagente.

Caramba!!!

Em adultos saudáveis, esse valor varia entre 500 a 1.200 unidades e, a bem da verdade, esta contagem pode variar até mesmo com a hora da coleta do material a ser examinada.

Os sintomas mais comuns são: febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento. E, entretanto, eu me tornei isso abaixo:

A baixa imunidade permite o aparecimento de doenças oportunistas, depois de anos e anos de infecção por HIV não tratada que recebem esse nome por se aproveitarem da fraqueza do organismo. Com isso, atinge-se o estágio mais avançado da doença, a AIDS. Quem chega a essa fase, por não saber ou não seguir o tratamento indicado pelos médicos, pode sofrer de hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose e alguns tipos de câncer bem como outras doenças oportunistas.

Testes de Quarta geração – As doenças auto-imunes

Porque o que o medo faz é realmente isso:

Paralisa… Isso é péssimo em quaisquer circunstâncias

(tic-tac…)Em média, a janela imunológica dos ensaios de quarta geração é de 15 dias e em casos especiais podem levar até 60 dias após a exposição para ficar reagente como máximo a aguardar. Assim sendo, eu penso que o ideal é esperar pela janela imunológica, pois não vai te pacificar fazer este exame, uma vez que a janela imunológica inicial é de 15 dias, mas o limite completo é de 60 dias…

Fatores que podem interferir no resultado dos exames:

  • Anticorpo Antimicrossomal;

O exame dos anticorpos antimicrossomais mede os anticorpos microssomais antitireoide no sangue. A tireoide é uma glândula localizada no pescoço que produz hormônios que ajudam a regular o metabolismo. O corpo produz esses anticorpos quando as células da tireoide estão danificadas.

O médico pode pedir esse exame junto com outros testes para ajudar a diagnosticar problemas de tireoide ou de outras doenças autoimunes… Saiba mais aqui:

Anticorpo Antimicrossomal:

  • Anticorpo Antimúsculo liso.

O auxílio ao diagnóstico das doenças hepáticas autoimunes pode ser feito com a pesquisa de auto anticorpos que estão presentes na maioria dos casos de hepatite autoimune e de cirrose biliar primária, sendo os principais auto anticorpos associados: anticorpos anti núcleo, anti músculo liso, anti actina, anti LKM, anti mitocôndria, anti SLA e anti LP. Com relação aos anticorpos anti músculo liso são predominantemente do tipo IgG, e, sua pesquisa é uma forma indireta de pesquisar os anticorpos anti actina, sendo realizada por Imunofluorescência em cortes de estômago e rim de rato, procurando-se reatividade contra estruturas na muscularis mucosae… Para saber mais, Anticorpo Musculo liso

  • Anticorpos HLA (classe I e II);
  • Aquisição passiva de anticorpos anti-HIV (de mãe para filho);
  • Artrite reumatoide;
  • Colangite esclerosante primaria;
  • Doenças autoimunes (lúpus eritematoso sistêmico, doenças do tecido conectivo e esclerodermia);
  • Infecção viral aguda;
  • Múltiplas transfusões de sangue;
  • Outras retroviroses;
  • Síndrome de Stevens-Johnson;
  • Terapia com interferon em pacientes hemodialisados;
  • Tumores malignos;
  • Vacina contra influenza A H1N1

Para você testar para o HIV o ideal é que você espere a janela imunológica

Veja onde. [abre em outra aba]

Este ponto, o que vem abaixo, é onde a porca torce o rabo! Eu nunca vi isso, mas minha Tia Geny falava muito sobre isso e se há algo que eu respeita é a sabedoria dos antigos.

A próxima página é Capital. esta é a parte técnica desta publicação e ela foi redigida a oito mçaos por enfermeiras de um Centro de Refer~encia que é considerado referência na América do Sul!

Venha o que vier, não veio de mim, um leigo. Eu não dou pitaco de profissa em profissão que não conheço 

Por isso, sempre que você transar sem camisinha ou passar por alguma outra situação de risco se você pensar nisso nas primeiras setenta e duas horas do possível contato e clique aqui: PEP, Depois deste período faça o exame para determinar se você já é reagente e, neste caso, cabe a você a dura e triste necessidade fazer contato com os contactantes de risco. Se você só caiu em si depois de 72 horas e após fazer o exame já sugerido, em havendo um resultado não reagente, aguarde 30 dias e faça o teste e, caso de não reagente, aguarde mais 30 dias para fazer um exame definitivo.

É Desesperadoramente Necessária a observação deste prazo de 60 dias. Entenda melhor o porquê (Abre em outra aba, é importante que você me leia e entenda os porquês de eu me manter nesta posição. Eu não tenho uma alternativa ética ou moral para reduzir vosso sofrimento. Eu sou forçado a manter a preleção dos 60 dias. Janela Imunológica para HIV, AIDS e hepatites virais –

Entendam bem isso, prestem atenção e se não entenderem vocês tem o disk AIDS pra ligar em 0800 16 25 50 e o meu zap 11 994 649 941

 

Observação importante: Os dados abaixo, demarcados por cor vermelha foram fornecidos por profissionais de saúde ligados à luta contra o HIV e a AIDS que pediram para permanecer anônimas e assim permanecerão por todos os séculos dos séculos. Tudo o que eu posso dizer é que são funcionários de um Centro Hiper Bem reputadíssimo como referência neste continente, o chamado América do SUL

De acordo com o Manual Técnico para Diagnóstico das Infecções de hepatites virais publicado pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais – Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde em dezembro de 2015:

Na página 18 do manual descreve-se o período de incubação dos diferentes vírus que causam as hepatites e a janela diagnóstica para os testes disponíveis no Brasil para o diagnóstico das hepatites virais, respectivamente.

Tabela 4: Período de incubação, prevalência de forma ictérica e cronificação da infecção pelos diferentes vírus causadores das hepatites virais.

Agente etiológico

Período de incubação

Forma ictérica

Cronificação

HAV

15 a 45 dias

5% a 10% em menores de 6 anos;70 a 80% nos adultos

Não existem relatos de formas crônicas

HBV

30 a 180 dias

30%

90% em recém-nascidos, 5% a 10% após 5 anos

HCV

15 a 180 dias

Cerca de 20%

70% a 85%

HDV

É semelhante ao da hepatite B, porém menor na superinfecção: 15 a 56 dias

Variável

Variável

HEV

15 a 60 dias (média de 42 dias)

Variável

Relatos de cronificação apenas em indivíduos imunossuprimidos

Tudo isso de acordo com o Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis publicado pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais – Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde em maio de 2015:

Mais informações adiante:

Assessora – Gerência de Apoio Técnico

Centro de Referência e Treinamento em IST/AIDS

Programa Estadual de DST/Aids – São Paulo

Santa Cruz, 81. Vila Mariana . São Paulo . SP CEP: 04121.000

Adicionado hoje, 02 de janeiro de 2018 pouco depois das 22:30

Nota do editor de soropositivo.org

Dado ao número enorme de pessoas que têm me abordado no Whats App (indisponível para “novas pessoas até 16 de janeiro de 2018 às 13:00) em imenso sofrimento por conta de medos, que serão demonstrados como infundados, sobre os verbetes “imunosilencioso” e “controladores de elite” eu saí “à cata de informações” e não foi assim, tão difícil de encontrar fonte fidedigna. Falando em fonte fidedigna, eu os aconselho a fazer os exames (TODOS) NO ambiente sem fins lucrativos do SUS e eu informo, reitero e reafirmo:

JANELA IMUNOLÓGICA PARA HIV É DE 30 A 60 DIAS, conforme me foi informado e redigida a parte técnica deste artigo (em vermelho) por Profissionais de Saúde gabaritadíssimas do CRT-A que fica na Rua São Judas (se eu fosse falar em Judas no contexto deste texto […]). No conjunto de pequenas edificações na referida rua já mencionada também está o DISK AIDS (0800 16 25 50), que informa que a janela imunológica é de 30 (trinta) dias. A disparidade entre uma informação e a outra é que eu não consigo tempo hábil (eu fico quase que a tarde toda conversando com pessoas pelo Zap) para entrar em contato com estas profissionais. No momento em que Deus me sorrir e disse: “Vá Cláudio, ligue para elas”, eu o farei!

Não sejam bobos. Não façam exames na rede de laboratórios particulares. Eles, nestes lugares, recolhem o seu material (é assim que eles chamam seu sangue), examinam, tiram suas conclusões e lhes dão um envelope fechado com um resultado já sabido, com um olhar de comissária de bordo e depois que você abrir o envelope, seja para o resultado não reagente ou reagente o verbo é “FODA-SE”.

Dentro da rede do SUS o exame é dado com o apoio de um profissional que, para este ou aquele resultado, terão uma palavra de instrução ou de amizade (relativa é claro) e vocês sempre podem me procurar no Whats App para conversar, desde que você tenha em mente duas coisas

  1. Eu não sou profissional de saúde. Desta forma não posso avaliar exames e enviá-los para mim pode dar causa a bloqueio sem maiores contemplações. Isso é sério e quem me conhece sabe que eu não sou de alisar…
  2. Eu vivo com HIV há quase 24 anos. Isso beira a ¼ de século e há muito profissional de saúde que viveu pouco mais que isso e, digamos, enquanto eu limpava e trocava fraldas pacientes no CRTA que ainda era na Rua Antônio Carlos, dava água para um, ajudava outro a comer e aprendia em termos de humanidade e humildade, e fazia amizades que o destino me levava, sem nenhum aviso, para o outro lado, e eu espero, mesmo, que seja o lado de cima, pois, eu reafirmo, houve uma época que era um funeral por dia e, infelizmente, em alguns dias, dois e, se desse tempo, eu ainda teria a oportunidade infeliz de ir a um terceiro, determinadas pessoas ainda estavam, com certeza, usando chupeta e comendo terra por ai

Num outro âmbito, eu não entenderia, nem mesmo se me desenhassem, quais são os porquês de se recomendar que se faça o exame num freezer humano em detrimento de um ambiente digamos “mornamente humanitário”, porque eu sei: Há Profissionais de Saúde e profissionais de saúde, que nem sempre é tudo assim.

Enfim, deixei meu recado e os incomodados que se mudem, porque este site está aqui desde 1 de agosto de 2000 e só a falta de recursos poderá fazer com que ele se extingua. Abaixo, as considerações do Ministério da Saúde a respeito de confiabilidade e quais sãos os resultados efetivos nos raríssimos casos de imunosilencioso. Segue abaixo:

O diagnóstico da infecção pelo HIV é suscetível de falhas e erros. Com exceção do período de janela diagnóstica, anteriormente discutido Neste Manual, existem outras causas de falhas que podem excepcionalmente ocorrer quando se realiza o diagnóstico da infecção pelo HIV.

O assunto é nebuloso, fiz pesquisas em português e em inglês e o que eu obtive foi um texto com menos d

A primeira é a ocorrência de infecções causadas por cepas virais com variações genéticas que não são detectadas pelos testes em uso corrente. Citamos, como exemplo, as modificações que foram feitas ao longo dos anos em testes sorológicos para incluir antígenos do HIV-2 e do HIV-1 do grupo “O” (do inglês, outlier), que anteriormente não eram detectados pelos testes disponíveis no mercado.

O pronto reconhecimento dessas cepas pela comunidade científica e a rápida resposta dos fabricantes no desenvolvimento de novos testes mais sensíveis e específicos são decisivos nesses momentos. A segunda causa é a existência de indivíduos “imunosilenciosos”G (do inglês, immunosilents) que possuem níveis baixos ou mesmo ausência de anticorpos específicos e, dessa forma, não são detectados nos testes sorológicos.

Excetuando-se indivíduos com outras causas de imunodeficiência, a ocorrência desses casos é muito rara, tornando esse tipo de falha desprezível no contexto de saúde coletiva. Outra exceção são os indivíduos que cursam a infecção sem viremia, ou com viremia muito baixa, denominados de Controladores de Elite (do inglês, elite controllers) e, devido a isso, podem não ser detectados pelos testes moleculares. Esses indivíduos, no entanto, possuem resposta imune humoral intacta e não oferecem risco de não serem detectados quando submetidos a testes sorológicos.

Já os erros que ocorrem durante o processo de execução dos testes laboratoriais e suas causas são de origem humana ou operacional. Estima-se que seja na fase pré-analítica que ocorram aproximadamente 60-70% dos erros laboratoriais. É importante frisar ao leitor sôfrego pela questão da janela imunológica que este percentuak refere-se à realidade do universo de exames com erros e não de todos os exames, o que seria uma outra coisa, deveras complicada e eu sequer escreveria esta página e a defenderia com unhas e dentes, ben como com arpões e anzóis. Eu lido com a questão da janela imunológica pesquisando dia após dia, constantemente, verificando novidades no campo da ciência futura (que eu não traduzo para não gerar enganos), como da realidade presente que, uma vez descoberto em fonte fiável, eu busco confirmações também fiáveis e apenas então eu encontro um meio de acrescentar isso a esta página, janela imunológica, os fatos.

Informação contraditória ou discrepante eu encontro, também, no discurso de profissionais e profissionais de saúde, na “coisa” da janela imunológica.

Basta ler este texto: A respeito da janela imunológica de sessenta dias. (ele abre em outra aba..

Neste texto eu narro uma conversa com um servidor público e faço algumas perguntas a respeito da janela imunológica. E em seguida eu pergunto, depois de descrever o texto que você lê bem agora e se eu poderia remover os 60 dias das minhas preleções e a porca, mais uma vez, torce o rabo e NÃO DÁ.

Eles não seguram o risco disso diante de um prestador de informações que tenta se basear na informação oficial a respeito da janela imunológica e não recebo aval para isso.

Não posso assumir este risco, de por sua vida em risco par “te poupar sofrimento” e gera-lo inconscientemente para mais de 4 décadas. Eu não posso dar a mim mesmo a licenciosidade de, pelo prazer de ajudar e aliviar sofrimentos, viver com a fonte recoberta por pontos de interrogação. 

Eu sei a pessoa indecente que eu fui e eu teria muitas coisas a dizer em minha defesa. E, todavia, isso me foi interditado. Desta forma, incapacitado de me ver defendido, mesmo por mim, eu não posso me dar a “mais este desfrute. Pois não cabe mais a alegação de inconsciência.

E esta página trata de vida, morte e de Destinos. Pois, em muitos casos, a procura pela janela imunológica, e sua definição pertinentemente sustentada é justamente para evitar que um erro pessoal se transforme numa tragédia familiar e eu vejo isso, claramente, diante de mim. Da mesma forma como sei quanta coisa boa eu destruí por um capricho vulgar… “querer por querer e depois me negar à decisão, abusando de mais de mais um outro coração… (…) … (…) … … …

 

Assim sendo, a adoção de boas práticas laboratoriais contribui para minimizar tais erros, melhorando a qualidade da amostra a ser testada. Esses erros incluem a falta de calibração ou de manutenção dos equipamentos, a troca de amostras e a utilização de volumes (de amostra ou de reagentes) distintos do preconizado pelo fabricante do conjunto diagnóstico. *

Típico de quem visa lucro, assim como pode ser a intenção, mesmo que inconsciente, de quem os indica, com a finalidade de, talvez, com alguma sorte, ainda, talvez, no plano do subconsciente, obter “o lucro nosso de cada dia”.

Embora eu fale em lucro nosso de cada dia destes caras, este site não tem, além de uma benfeitora que decidiu-se a nos apoiar já há uns 8 meses, talvez mais, suporte financeiro algum e o Degas aqui não recebe nem auxílio doença, loas ou a ponte…

Quando a mente fabrica a doença

Um pouco mais sobre o conselho dado nesta página sobre a Janela Imunológica necessitar ser de 30 a 60 dias

Se você tem tanto medo de contrair HIV e sente medo ao ponto de pirar no dia seguinte, veja isso:

  1.  
    1. Coisas delicinhas que não são comportamentos de risco para AIDS
    2. AIDS: Quadro de avaliação de riscos para o contágio do Vírus HIV
    3. Testagem de DST’s em UBS, como funciona?
    4. Beijo na boca não transmite HIV
    5. Janela Imunológica e Sexo Oral: Ignorar um problema, não melhora as coisas… e se a dúvida é sobre HIV, só complica
    6. Janela Imunológica, AIDS, Doenças autoimunes e Falsos Positivos
    7. Janela Imunológica: Definir Infecção por HIV com base em “Sintomas clínicos” é caminho equivocado! (Um tiro no escuro)
    8. Janela Imunológica do HIV. 30 dias e Os fatos em 2017
    9. Sexo oral Pode Transmitir HIV/AIDS
    10. “PEP Maníacos” Corram menos riscos…. Ou o bicho, cedo ou tarde, vai te pegar
    11. Posso contrair HIV no sexo anal, HIV no sexo vaginal, HIV no sexo oral e em quais outras situações?

Eu estive buscando algo a mais para tentar esclarecer a respeito de psicossomáticologia e o assunto é mal explorado.

E é como disse ontem em conversa com o dentista:

-“A grande bosta da Internet é que qualquer coisa que se escreve e aparece lá tem “aspecto de verdade”… E, catso, não é assim!

Tem de tudo: De gente bem intencionada fazendo o que acredita ser certo e, porque eu gosto de ambiguidades, tem gente ruim que está fazendo aquilo que ele/ela pensam ser o certo. de uma forma ou de outra, há sempre o meu temido Tribunal, aquele onde não se faz acordos e todos, inclusive eu, teremos de passar pelo escrutínio deste tribunal, queiramos ou não. O que eu digo a respeito de tudo isso é que eu sei que, a depender das coisas estúpidas que tivermos feito aqui e suas consequências, é algo do que não se pode, não se pode e não se pode fugir. Nem hoje, nem amanhã e sempre.

Assim, eu tomei a liberdade de me arriscar a colar parte do trecho de alguém, mas não tem como e vou procurar uma de minhas profissionais de saúde mental e implorar a elas que discorram sobre o assunto. Se elas o farão? Não sei. Mas, se fizerem é tiro e queda…

Soropositivo.Org

Soropositivo.Org - 1º de agosto de 2000 - 2018

%d bloggers like this: