Business is booming.

Sexo Oral Gonorreia e lésbicas

Responsabilidade Social deixa sua empresa, seu pequeno negócio, muito bonita na foto!

Sexo oral, gonorreia e lésbicas não são temas corriqueiros. E é bem por isso que eles me preocupa,. Se toda hora alguém me perguntasse isso, eu veria preocupação vo público. E isso me deixaria tranquilo! Mas…

Sexo Oral Gonorreia, lésbicas e outras DSTs…

Mas muitos me procuram com a mais constante dúvida que se resume a esta pergunta:

Sexo Oral Transmite HIV? A resposta está neste outro post.

 

SEXO ORAL GONORREIA E LESBICAS sexo oral gonorreia e lésbicas -  - Sexo Oral Gonorreia e lésbicas - Cláudio Souza
Imagem de Thanasis Papazacharias por Pixabay

Mas o sexo oral, que oferece a muitos e muitas uma gama de sensações e emoções muito gratificantes, também oferece muitos riscos em relação a outras Doenças Sexualmente Transmissíveis e eu concluí que não posso continuar este trabalho sem aclarar estes pontos relativamente obscuros da Sexualidade e as Doenças Sexualmente Transmissíveis e, importante dizer aos jovens que não consideram sexo oral como relação sexual, este é um triste engano e, para muitos, esta é, bem que se diga, a única relação que pode haver em certas noites!

 

Risco de infecção por sexo oral:
  • Se você é a pessoa que usa a boca no sexo oral a um parceiro com um pênis infectado pode resultar em gonorreia na garganta.
  • Quando é você que usa a boca no sexo oral a um parceiro com uma vagina ou trato urinário infectado pode resultar em gonorreia na garganta. *
  • Praticar sexo oral a um parceiro com reto infectado pode resultar em gonorreia na garganta. **
  • Fazer sexo oral no pênis de um parceiro com gonorreia na garganta pode resultar em gonorreia do pênis.
  • Quando você recebe sexo oral na vagina de um parceiro com gonorreia na garganta pode resultar em gonorreia da vagina ou do trato urinário. *
  • E, se você recebe sexo oral no ânus de um parceiro com gonorreia na garganta pode resultar em gonorreia no reto. *

As declarações seguidas de um asterisco () não foram bem estudadas.

https://soropositivo.org/2020/08/30/sexo-oral-passa-hiv-sim-pode-passar-mas/

 

Áreas de infecção inicial:

  • Garganta
  • Genitais
  • Trato urinário
  • reto

Os sinais iniciais e sintomas de infecção:

  • A maioria das infecções de gonorreia na garganta não têm sintomas. Quando os sintomas estão presentes, eles podem incluir dor de garganta.
  • Os sintomas de infecção genital, do trato urinário ou retal podem incluir:
    • Descarga da vagina ou do pênis (a descarga da vagina pode ser sangrenta).
    • Sensação de queimação ao urinar.
    • Testículos doloridos ou inchados.
    • Dor ou secreção retal.

Tratamento:

  • As infecções na garganta são mais difíceis de curar do que as infecções genitais ou retais, mas podem ser tratadas com antibióticos recomendados.
  • As infecções genitais e retais também podem ser curadas com o medicamento certo.
  • Os parceiros sexuais de uma pessoa com gonorreia também devem ser testados quanto à infecção. As pessoas diagnosticadas com gonorreia não devem fazer sexo até 7 dias após o término do tratamento com seus parceiros sexuais.

Se não tratada, infecções na garganta:

  • Podem ser transmitidas a parceiros sexuais não infectados.
  • E Pode se espalhar pelo corpo, causando erupções cutâneas e dores nas articulações. Essa condição é chamada infecção gonocócica disseminada. O coração também pode estar infectado. Esta é uma condição séria e potencialmente fatal.
Se não tratada, infecções genitais, urinárias e / ou retais:
  • Podem ser transmitidas a outros parceiros sexuais.
  • Nas mulheres:
    • Pode causar doença inflamatória pélvica (DIP), que pode levar a dor pélvica crônica, infertilidade e gravidez ectópica (uma gravidez nas trompas de falópio ou em outro local fora do útero).
  • Em mulheres grávidas:
    • Pode resultar em parto prematuro ou baixo peso ao nascer em bebês.
    • Pode se espalhar para o bebê durante o parto e pode causar cegueira, infecção nas articulações ou uma infecção no sangue com risco de vida.
  • Nos homens:
    • pode causar epididimite, uma condição dolorosa dos ductos aderidos aos testículos que pode levar a cicatrizes ductais.
  • Em todos:
    • É possível aumentar o risco de contrair infecção pelo HIV.
    • Existe o risco de aumentar a disseminação de HIV para parceiros sexuais.

Pode se espalhar pelo corpo, causando feridas na pele e dores nas articulações. Essa condição é chamada infecção gonocócica disseminada. O coração também pode ser infectado, o que é uma condição séria e potencialmente fatal.

Sexo Oral e DST, Doenças Sexualmente Transmissíveis

O sexo oral é mais seguro que o sexo vaginal ou anal?

Muitas doenças sexualmente transmissíveis podem se espalhar através do sexo oral. 

sexo oral gonorreia e lésbicas -  - Sexo Oral Gonorreia e lésbicas - Cláudio Souza
Imagem de _Vane_ por Pixabay

No entanto, é difícil comparar os riscos exatos de contrair DSTs específicas a partir de tipos específicos de atividade sexual. Isso ocorre em parte porque a maioria das pessoas que fazem sexo oral também faz sexo vaginal ou anal.  Além disso, poucos estudos analisaram os riscos de outras doenças sexualmente transmissíveis, além do HIV, darem sexo oral na vagina ou no ânus, em comparação com darem sexo oral no pênis.

 

  • Estudos mostraram que o risco de contrair o HIV por fazer sexo oral com um parceiro infectado (dar ou fazer sexo oral) é muito menor do que o risco de contrair o HIV por sexo anal ou vaginal com um parceiro infectado. Isso pode não ser verdade para outras doenças sexualmente transmissíveis – em um estudo com gays com sífilis, 1 em cada 5 relatou ter apenas sexo oral.
    • Contrair o HIV do sexo oral pode ser extremamente baixo, mas é difícil saber o risco exato. 
    • Se você está fazendo sexo oral, ainda deve se proteger. 
    • A exposição repetida do sexo oral desprotegida ao HIV pode representar um risco considerável para a disseminação de outras DSTs para as quais o risco de disseminação pelo sexo oral não foi tão bem estudado.
  • É possível que certas DSTs, como clamídia ou gonorreia, na garganta não representem uma ameaça tão grande para a saúde de uma pessoa infectada quanto obter uma DST na área genital ou no reto. Ter essas infecções na garganta pode aumentar o risco de contrair o HIV. Ter gonorreia na garganta também pode levar à disseminação da doença por todo o corpo. Além disso:
    • Infecções por clamídia e gonorreia na garganta podem facilitar a disseminação dessas infecções para outras pessoas através do sexo oral. Isso é especialmente importante para a gonorreia, pois as infecções na garganta podem ser mais difíceis de tratar do que as infecções urinárias, genitais ou retais.
    • Infecções de certas doenças sexualmente transmissíveis, como sífilis e HIV, espalham-se por todo o corpo. Portanto, infecções adquiridas na garganta podem levar aos mesmos problemas de saúde que infecções adquiridas nos órgãos genitais ou no reto.
    • As infecções na boca e na garganta por certas categorias de HPV, que podem evoluir para câncer de boca ou pescoço.
O que pode aumentar as possibilidades de dar ou obter uma DST através do sexo oral?

Bea: Soropositivo ha 15 anos! Ha muito mais para mim além do HIV!

É possível que certos fatores aumentem as chances de uma pessoa contrair DST ou HIV durante o sexo oral se exposto a um parceiro infectado, como:

 

  • Ter saúde bucal precária, que pode incluir cárie dentária, doença gengival ou sangramento nas gengivas e câncer bucal.
  • Tendo feridas na boca ou nos órgãos genitais.
  • Ser exposto ao “pré-seminal” ou “sêmen” (também conhecido como pré-ejaculatório ou ejaculação) de um parceiro infectado.

No entanto, não foram realizados estudos científicos para mostrar se esses fatores realmente aumentam ou não o risco de contrair HIV, ou DSTs por sexo oral.

sexo oral gonorreia e lésbicas -  - Sexo Oral Gonorreia e lésbicas - Cláudio Souza
Imagem de burrough por Pixabay
O que você pode fazer para impedir a transmissão de DST durante o sexo oral?

Você pode diminuir seus riscos de passar ou contrair DSTs durante o sexo oral usando preservativo, barragem dentária ou outro método de barreira sempre que fizer sexo oral.

  • Para sexo oral no pênis:
    • Cubra o pênis com um preservativo de látex não lubrificado.
    • Use preservativos de plástico (poliuretano) se você ou seu parceiro for alérgico ao látex.

Mulheres são negligenciadas em pesquisas para cura e vacinação para as mulheres

Estas três linhas abaixo representam tudo o que se pode fazer em uma relação entre duas mulheres (ou lésbicas).

  • Para sexo oral na vagina ou no ânus:
  • Use uma barragem dentária. (busque informações com seu odontologista (dentista)
  • Corte um preservativo para formar um quadrado e coloque-o entre a boca e a vagina ou o ânus do parceiro.

Beijo na boca passa HIV? E se ela tiver

A única maneira de evitar doenças sexualmente transmissíveis é não fazer sexo vaginal, anal ou oral.

Se você é sexualmente ativo/a, pode fazer o seguinte para diminuir suas possibilidades de contrair uma DST:

  • Estar em um relacionamento mutuamente monogâmico a longo prazo com um parceiro que não está infectado por uma DST (por exemplo, um parceiro que foi testado e tem resultados negativos nos testes de DST). – Aqui entre nós, este é um modelo de relacionamento onde confiança recíproca tem de estar estabelecida e que haja lealdade entre todas as pessoas envolvidas neste acordo. Para minha amiga Amarílis isso de nada valeu. Acrescente-se a isso o fato de ter, ela, dado ainda maior liberdade pedindo apenas segurança.E eu vejo que nas relações poli-amorosas a dificuldade de se saber ao certo o que está ocorrendo não permite este modelo. Para estes relacionamentos, apenas a proteção real e física podem garantir tal segurança e, sim, neste caso a PrEP é bem-vinda!
  • Usar preservativos de látex da maneira certa toda vez que você faz sexo.
É importante lembrar que muitas pessoas infectadas podem não ter conhecimento de sua infecção, porque as DSTs geralmente não apresentam sintomas e não são reconhecidas.

Se você é sexualmente ativo, deve fazer o teste regularmente de doenças sexualmente transmissíveis e HIV e conversar com seu (s) parceiro (s) sobre doenças sexualmente transmissíveis. Se você acha que pode ter uma DST, pare de fazer sexo e visite seu médico ou clínica para fazer o teste. É uma boa ideia voc~e entender que ter HIV não é ter AIDS

 É importante que você converse abertamente com seu médico sobre quaisquer atividades que possam colocá-lo em risco de uma DST, incluindo sexo oral. 

https://soropositivo.org/2020/06/03/riscos-de-contagio-por-hiv-2/

Apoie O Blog 350pix sexo oral gonorreia e lésbicas - apoie o blog - Sexo Oral Gonorreia e lésbicas - Cláudio Souza
Comentários