18.1 C
São Paulo
9, dezembro,2019

A profilaxia pré-exposição (PrEP) também detém 86% das infecções por HIV no estudo Ipergay

Image default
AIDS
ipergay
Jean-Michel Molina apresentação no CROI 2015. Foto por Liz Highleyman, hivandhepatitis.com

Um estudo franco/canadense de profilaxia pré-exposição (PrEP) apresentado hoje na Conferência sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas (CROI 2015) em Seattle, EUA, revelou que a taxa de infecção por HIV nos participantes que usam-se de um regime intermitente PrEP foi 86% menor do que em pessoas que fizeram uso de um placebo inativo, no braço de controle.

Extraordinariamente, este é exatamente o mesmo nível de eficácia que foi demonstrado no estudo Inglês PROUD, cujos resultados foram apresentados 15 minutos antes do Ipergay – ver este relatório.

O estudo Ipergay é um estudo muito diferente do PROUD, e é encorajador, pois dois modos diferentes de tomar PrEP tem-se revelado eficaz homens homossexuais, pelo menos em um contexto Europeu/Ocidental.

Sobre Ipergay

Todos os ensaios de PrEP oral, até agora (exceto testes de segurança pequenas de drogas experimentais) envolveram a tomada de um comprimido de Truvada (tenofovir / emtricitabina) ou tenofovir apenas uma vez por dia. Os pesquisadores franceses queriam certificar-se que os sujeitos do estudo tomariam PrEP apenas em torno do tempo em que os participantes foram realmente expostos ao HIV iria funcionar bem. As principais razões para fazer isso seria ver se a adesão foi melhor, e também para poupar dinheiro, como de PrEP custo por unidade é muito maior do que outros métodos de prevenção, como preservativos. Assim, puderam comprovar que a dosagem intermitente também poderia reduzir o risco de efeitos colaterais. Estudos em animais mostraram que a PrEP intermitente poderia funcionar.

No Estudo Ipergay, os homens gays e outros homens e mulheres transexuais que fazem sexo com homens, e estavam em alto risco de infecção pelo HIV, foram convidados a tomar dois Happy Women day vintage flower illustrationcomprimidos de Truvada (ou um placebo) em um dia, cerca de duas horas antes do que o previsto para se ter relações sexuais. Se eles realmente fizeram sexo, então eles deviam tomar outra pílula em até 24 horas após ter relações sexuais e uma outra pílula 48 horas após a dose anterior. O período de tomar PrEP seria, assim, o de cobrir dois ou três dias. Se eles continuaram a ter relações sexuais, foram orientados a continuar a tomar PrEP até 48 horas após a sua última experiência.

Como em PYOU, todos os participantes também receberam aconselhamento sobre redução de risco, receberam preservativos, houve testes contra o HIb numa janela imunológica de três meses e outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), e receberam vacinas hepatites A e B, se necessário.

Ipergay começou inscrever participantes em fevereiro de 2012. Como PYOU, que se destinava a ser um estudo piloto demonstrando a viabilidade de sua abordagem e os investigadores inicialmente previsto para recrutar 350 participantes.

Em novembro de 2014, ele havia recrutado, de fato, exatamente 400 participantes aos quais foi dado truvada ou placebo. No total, 445 pessoas participaram do teste e, entretanto, 14 (3,1%) foram encontrados com infecção aguda pelo HIV, quando foram selecionados ou em randomização e 31 outros deixaram o estudo por várias razões (por exemplo, não cumprirem os critérios de elegibilidade, ou foram perdidos para o follow up). Assim, quatrocentas pessoas estão incluídas nesta análise, embora na verdade por de randomização em novembro, 47 participantes tinham retirado ou desapareceram, e o número no estudo neste ponto foi 353.

A idade média dos participantes foi de 35 anos, 95% eram de etnia branca, 90% tinham cumprido o ensino médio, apenas 21% tinham uma relação primária, e 20% eram circuncidados. Quarenta e seis por cento tinham usado metanfetamina, anfetamina, GHB / GBL, cocaína ou ecstasy no último ano. No início do estudo, 25,5% tinham sido diagnosticados com gonorreia, clamídia e sífilis no ano passado.

O número médio de parceiros sexuais participantes tiveram nos dois meses anteriores tinha oito anos. Setenta por cento tinham tido sexo anal sem preservativo nos dois meses anteriores. A proporção – 28% no braço Truvada e 37% no grupo placebo – tinha usado profilaxia pós-exposição (PEP) antes.

Eficácia e aderência

Em novembro de 2014, e motivados em parte pelo anúncio dos pesquisadores do estudo PYOUs de que todos os participantes tinham recebido a proposta de PrEP por causa da alta eficácia, Data and Safety Monitoring Board do Ipergay também analisaram os dados de incidência de HIV e encontrou alta eficácia também. Eles anunciaram que Ipergay seria não randomizado e todos os participantes oferecido Truvada apenas duas semanas após o anúncio PYOU. Como PYOU, Ipergay continua como um estudo de implementação não randomizado.

Wedding Rings with Gay Symbols.Tal como acontece com PYOU, a incidência do HIV em Ipergay foi maior do que o previsto, e isso significava que o estudo poderia provar a eficácia no que é, para um estudo de prevenção, um número notavelmente pequeno de participantes, e em um curto espaço de tempo. Ninguém estava no estudo perante o novembro de-aleatorização que foi de 20 meses, mas o tempo médio foi de apenas nove meses.

Durante este tempo, 2 participantes alocados para Truvada soroconverteram para HIV positivo e 14 alocados para placebo (em comparação com PYOU, onde havia três e 19 infecções observadas nos braços imediatos e diferidos). Incidência do HIV – a taxa anual de infecção HIV vista por 100 participantes – foi de 0,94% nos participantes que tomaram o Truvada e 6,75% em doentes tratados com placebo (em comparação com 1,3% e 8,9%, respectivamente, em PYOU).

Isso se traduziu a uma eficácia de 86% – exatamente a mesma taxa, como visto no estudo PYOU, com intervalos de confiança de 95% (ver o relatório de PROUD para a definição destes) de 39,4-98,5%. Estes não são diretamente comparáveis com PYOU, que usou intervalos de confiança de 90%.

Os dois participantes no braço Truvada, que adquiriram o HIV não se infectaram até o final do estudo – um depois de 16 e outro depois de 21 meses após a entrada no estudo. O Pesquisador principal Jean-Michel Molina disse que ambos deviam, com toda a certeza, deixado a PrEP neste período – mesmo depois de terem trazido de volta os frascos de comprimidos não utilizados para a clínica. Tal como acontece com PYOU, houve, sem dúvida, nenhuma evidência de que qualquer um que estivesse tomando Truvada tivessem sido infectados.

Os dados foram apresentados na Conferência Internacional de Aids no ano passado, indicando que a adesão em Ipergay tinha sido elevada – como deve ter sido para atingir a eficácia vista. Isto foi conseguido com um uso geral de 14 comprimidos por mês, ou cerca de metade do número que seria usado se os participantes tivessem tomado diariamente, com boa aderência. Vinte por cento dos participantestomaram mais de 25 comprimidos por mês, ou seja, o equivalente a uma dose quase que diaria, e 20%  menos do que quatro, ou seja, menos de um por semana.

Os participantes também foram questionados se haviam tomado PrEP na última vez que fizeram sexo. Quarenta e três por cento relataram que tinham tomado de acordo com o protocolo; 29% tinha tomado algumas doses; e 28% não tinha tomado qualquer dose. Como investigador principal Jean-Michel Molina disse, isso não significa que tenham sido necessariamente em situações  risco, como participantes pode variar a sua PrEP , consoante tenham se apercebido como tendo estado em uma situação de risco.

fitness man

Mudança de comportamento, DSTs e efeitos colaterais

Não houve evidência de mudança de comportamento no estudo. A proporção de participantes que relataram pelo menos um episódio de sexo anal sem preservativo nos últimos dois meses manteve-se em 70%, assim como episódios em que o participante foi o parceiro receptivo, o número de parceiros manteve-se em pouco menos de oito nos últimos dois meses, e o número de atos sexuais permaneceu completamente inalterada em dez no último mês.

Durante o estudo, 35% dos participantes foram diagnosticados com uma infecção sexualmente transmissível, incluindo 20% com gonorreia e 10% com sífilis; Jean-Michel Molina relatou que dois, em uma centena de participantes, contraiu hepatite C, o que equivale a oito infecções.

Houve uma maior taxa de efeitos colaterais gastrointestinais, como náuseas, diarréia ou dor abdominal relatados por participantes que tomaram o Truvada do que as pessoas que tomaram placebo (13% versus 6%). Dois participantes (1%) tiveram diminuições transitórias em sua função renal como medida por seus níveis de creatinina, mas apenas uma pessoa em todo o estudo interrompeu o uso de Truvada devido a um evento adverso – uma suspeita de reação droga / medicamento.

Resumindo o estudo, Jean-Michel Molina comentou que o estudo mostrou que os homens gays eram capazes de tomar PrEP de uma maneira adequado ao seu estilo de vida  e maximizando a sua segurança, se lhes ofereceu-se a chance de fazê-lo.

Referência

Molina J-M et ai. On Demand PrEP Com Oral TDF-FTC em MSM: Resultados do Ipergay Julgamento ANRS. 2015 Conferência sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas (CROI), Seattle, EUA, resumo 23LB de 2015.

Gus Cairns

Publicado em: 24 de fevereiro de 2015

Tradução por Cláudio Souza do original Pre-exposure prophylaxis also stops 86% of HIV infections in Ipergay study

Eu tenho mantido este Blog, quase que sem ajuda, desde o ano 2000! estamos no final de 2019

Ninguém é tão pobre que não possa ajudar ao menos uma vez. A escolha é sua. E Deus é a testemunha de suas opções

Para Ajudar com R$ 10,00 Para Ajudar com R$ 20,00 Para Ajudar com R$ 50,00Para Ajudar com R$100.00




























O que vem depois da foto não é para você pensar:
“Nossa! Como ele sofreu!.
É para você por em sua cabeça que é possível passar até por bem mais que isso!
Quando escrevo que Há Vida Com HIV é disso e de muito mais que eu falo!!!

Apesar da infecão por HIV, e mesmo que raramente, eu consigo sorrir!

Artigos Relacionados que você pode gostar de ler

Uma pessoa já disse algo!!! E você, Vai ficar de fora!?

Oi! Quer fazer alguma consideração a respeito? Não? Ok! Pense em fazer uma resenha deste assunto

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A Automattic, o Wordpress e Soropositivo.Org, e eu, fazemos tudo a nosso alcance no que tange à sua privacidade. E estamos sempre aprimorando, melhorando, testando e implementando novas tecnologias de proteção de dados. Seus dados estão protegidos e, eu, Cláudio Souza, trabalho neste blog 18 horas or dia para, dentre tantas outras coisas, garantir a segurança de suas informações, posto que sei das implicações e complicações das publicações aqui passadas e trocadas Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Conhecer Nossa Política de Privacidade