O que é a carga viral?

, O que é a carga viral?
Carga Viral CD4 CD4 > 500 Ciclo de Vida do HIV O que é CD4

O que é a carga viral do HIV?

Sim, o que é a carga viral do HIV é uma pergunta feita, nos dias de hoje, com tal frenesi que chega a me espantar. Eu ouvi dizerem que “hoje, você pode ficar indetectável”!.

Sim, é verdade. Hoje você pode ficar com sua carga viral indetectável! Mas em maio de 1997 eu estava, sim, eu estava, com a carga viral indetectável!

Isso não é novidade! deixe-me distender os raciocínios, procure acompanhar nos!

A carga viral do HIV é uma medida da quantidade de HIV que circula em seu sangue se você for HIV positivo. A carga viral é usada para determinar o quão eficazmente seus medicamentos antirretrovirais estão funcionando e pode até mesmo dizer aos médicos quando seu tratamento está falhando ou você não está tomando seus medicamentos como prescrito.

Metas da Terapia Antirretroviral

O objetivo da terapia contra o HIV é evitar que o HIV se reproduza, com a meta de reduzir a população viral (carga viral) a um nível indetectável. O nível indetectável e cópias do RNA viral do HIV não implica em não haver HIV EM SUA CORRENTE SANGUÍNEA!

Nem mesmo que o vírus foi totalmente removido do seu corpo; significa, pura e  simplesmente, que nenhum vírus pode ser detectado usando tecnologias de teste disponíveis atualmente. Uma vez que a TARV é interrompida, o vírus invariavelmente retornará a replicar-se (reproduzir-se mais e melhor que coelhos) e começará a se replicar novamente.

É importante notar que a carga viral do HIV pode variar ao fazer testes em sangue ou outros fluidos corporais. 

Por exemplo, uma carga viral indetectável no sangue não significa necessariamente que você é indetectável no sêmen. 

Esse fenômeno, conhecido como derramamento viral,pode aumentar o risco de transmissão de pessoas que de outra forma poderiam ser consideradas livres de vírus.

A Vida Com HIV pode ser Boa

Pessoas com cargas virais descontroladas correm o risco de sofrerem danos graves ao seu sistema imunológico, alguns deles mesmo irreversíveis! E este dano pode deixar seu corpo venerabilíssimo a uma série crescente de infecções oportunistas, muitas delas fatais, ou com sequelas que eu, Cláudio, preferiria facear-me com a morte a viver como cheguei a ver algumas pessoas viverem. Sou eu falando por mim, de minhas preferências pessoais, destarte o fato de amar a vida como poucas pessoas poderiam compreender, sempre tendo em mente o que disse Rubem Fonseca:

´”A vida é uma entidade estética”!

Como os testes são realizados de carga viral?

Normalmente, seu médico desenhará uma vez a cada três ou seis meses para medir sua carga viral. Testes de carga viral quantitativos mais novos e ultrassensíveis podem detectar atividade viral tão baixa quanto cinco cópias/mL para bem mais de 1.000.000 cópias por mililitro (cópias/mL).

Em contrapartida, os testes qualitativos de carga viral do HIV são simplesmente usados para confirmar a presença do HIV e são comumente usados para testar bebês e recém-nascidos nascidos de mães soropositivas.

O teste envolve uma simples coleta de sangue que requer 6 mL de sangue (aproximadamente uma e uma colher de chá). Você precisa jejuar ou evitar medicamentos antes que o sangue se tire.

Interpretando os Resultados

O objetivo do teste de a carga viral é simples: quanto menos cópias do HIV no sangue, melhor. Ao iniciar o tratamento, os testes de carga viral fornecem as medidas de linha de base pelas quais os testes posteriores são comparados.

Cada queda de dez vezes na carga viral é considerada uma queda de um tronco. Por exemplo, se a carga viral cair de 50.000 cópias/mL para 500 cópias/mL, diz-se que o paciente tem uma queda de dois troncos na carga viral.

De um modo geral, com a geração atual de drogas para o HIV, pode-se esperar ter uma carga viral indetectável em qualquer lugar entre dois a nove meses após o início da TARV. 

Embora a velocidade pela qual a supressão é alcançada possa variar, tende a ser mais lenta em pessoas que atrasaram o INÍCIO do tratamento e sofreram danos imunológicos graves.

Medimos isso pela contagem de CD4 de uma pessoa que quantifica quantas células T CD4 defensivas que permaneceram no sangue. Uma pessoa com uma função imunológica normal pode ter entre 500 e 1.500 células/mL, enquanto pessoas com um sistema imunológico comprometido terão menos de 300 células/mL.

Além disso, se uma pessoa desenvolveu ou adquiriu resistência a qualquer um dos medicamentos prescritos, a probabilidade de supressão viral também pode ser severamente comprometida. Nesse caso, o tratamento precisará ser alterado após testes genéticos (genotipagem) revelarem a qual droga ou drogas o paciente é resistente.

Benefícios da Supressão Viral

O objetivo da terapia contra o HIV é sustentar cargas virais indetectáveis por muitos anos, que não só preservam as opções futuras de tratamento, mas reduzem o risco de doenças graves em 53% (de acordo com um estudo de 2011 no New England Journal of Medicine).

Além disso, sustentar um viral indetectável reduz significativamente a sua chance de passar o vírus para outros, uma estratégia de prevenção conhecida como tratamento como prevenção (TasP).

Pesquisas atuais mostraram que ter e manter uma carga viral indetectável elimina o risco de transmitir o HIV a um parceiro não infectado, seja para sexo anal, vaginal e oral.

Lembre-se: Por mais assustador que seja seu primeiro resultado em um teste de carga viral, tudo o que você tem de fazer é manter seu tratamento e a regularidade dele sob disciplina espartana, controle draconiano e punho teutônico.

Não há vírus que possa subverter a vontade e a determinação humana de vencer e viver!

vida com HIV

Traduzido por Cláudio Souza do Original em What Is HIV Viral Load and Why Is It Important?

Rodger, A.; Cambiano, V.; Bruun, T. et al. Risk of HIV transmission through condomless sex in serodifferent gay couples with the HIV-positive partner taking suppressive antiretroviral therapy (PARTNER): final results of a multicentre, prospective, observational study. Lancet. 2019 May 2; pii: S0140-6736(19)30418-0. doi:10.1016/S0140-6736(19)30418-0

Publicações Relacionadas

Pesquisa ajuda a explicar como a terapia com anticorpos de “vedolizumab” leva a remissão viral sustentada

Cláudio Souza

A Infecção Primária por HIV

Cláudio Souza

Paciente fora de tratamento por 288 dias sem rebote viral

Cláudio Souza

Deixe seu Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.