Últimas

Em busca da cura:  Remissão da infecção por HIV e controle de Pós-tratamento de longo prazo sugere possibilidade de cura funcional

 

 

Mujer en el mar frente a la luna llenaUma jovem mulher que estava infectada com o HIV no nascimento de sua filha e recebido de terapia antiretroviral (TARV) muito cedo bem como um bebê têm mantido uma carga viral abaixo do limite de detectabilidade de testes padrão por mais de doze anos após a suspensão do tratamento, derramando mais luz sobre o “controle pós-tratamento ” como uma potencial estratégia de cura funcional.

Em 2014, pesquisadores relataram decepcionante notícia na busca de uma cura de HIV. A “Mississippi Baby” — uma criança que  levou muitos peritos a pensar que a menina poderia ter sido do HIV — foi encontrada ainda portadora do vírus e um par de pacientes submetidos a transplante de medula óssea em Boston; houve rebote viral vários meses após a interrupção do tratamento experimental. Isso deixa Timóth Brown, O paciente de Berlim, como a única pessoa que ainda parece ter sido curada do HIV.

Durante a  Conferência International AIDS Society em Julho, Asier Saez-Cirion do Institut Pasteur de Paris Descreveu o caso de uma jovem mulher, que nasceu de uma mãe HIV positiva com uma elevada carga viral, a quem foi dada manutenção preventiva com zidovudina (AZT) logo após o parto, mas no entanto se tornou soropositiva. Ela começou a combinação TARV 3 meses após o nascimento, mas cerca de 6 anos depois ela foi retirada do cuidado coma TARV. Quando ela retornou ao centro clínico um ano mais tarde ela tinha carga viral indetectável e mantivemo-la sem tratamento. Agora, desligada da TARV por mais de doze anos, a mulher tem níveis indetectáveis de carga viral plasmática de acordo com testes padronizados e sua contagem de CD4 permanece elevada e estável, mas os investigadores puderam detectar a replicação do DNA do HIV em suas células.

Saez-Cirion disse este é o primeiro caso conhecido de remissão de muito longo prazo do HIV  em uma pessoa infectada em torno do nascimento e tratadas precocemente — cerca de dez anos mais do que o bebê de Mississippi.

Com efeito, tais controles pós-tratamento aparecem de forma muito rara. Saez-Cirion tem seguido a um grupo de franceses adultos num estudo conhecido como o coorte de VISCONTI que iniciaram o tratamento na fase aguda ou precoce da infecção pelo HIV, interrompendo-o em seguida, e que tem mantido a terapia indetectável de carga viral plasmática. Mas elas não são livres de DNA do HIV em suas células T e noutros partes do corpo.

Um Estudo apresentado em ID Semana Em Outubro verificou que apenas 4 indivíduos num grupo de  quase 5 mil pessoas que recebem cuidados em saúde militar dos EUA mostrou controle imunológico do HIV após o arranque da TARV, atingindo supressão viral e a interrupção do tratamento.

Ao contrário dos “controladores de elite” , que têm uma forte resposta imune ao HIV e mantém baixa a carga viral sem tratamento, o estudo francês e alguns pacientes na  coorte VISCONTI parecem ter uma invulgarmente fraca resposta ao vírus. Isto pode ser vantajoso, como seu repouso de células T não ser ativado e eles podem evitar a inflamação persistente normalmente observada em pessoas com HIV não tratadas. Isto sugere que a acalmar a resposta imune ao HIV — em vez de reforça-la — pode ser uma abordagem para alcançar uma  cura funcional.

Publicado na quinta-feira, 30 de Dezembro de 2015 00:00

Escritos por Liz Highleyman

Asier Saez-Cirion em 2015 IAS para uma reunião de cura HIV

Traduzido por Cláudio Souza do original em Long-term HIV Remission and Post-Treatment Control em AIDSMAP.COM

Revisado por Mara Macedo em 3 de Janeiro de 2016

Anúncios
Sobre Claudio Souza do Soropositivo.Org (508 artigos)
😍😍😍😜💫☮Sim, este da foto sou eu ! Minha sobrinha pediu que eu pusesse esta foto m meu perfil !.... Eu tinha aqui uma descrição a meu respeito que, uma pessoa classificou como “irreverente”. Esta é, realmente, uma forma eufêmica de classificar o que estava aqui. Tudo o que sei é que uma “ONG”, que ocupa um prédio de 10 andares estabeleceu uma parceria comigo, e eu tenho os logs do tempo de parceria, que foi mais um vampirismo pois, para cada 150 pessoas que saiam do meu site, clicando no deles, havia, em média, um que entrava. QUANDO ENTRAVA E SE ENTRAVA
Whatsapp WhatsApp Us
%d blogueiros gostam disto: