É, sim, eu sou este da foto, com esta cara de psicopata de filme do Hitchcock.

meA despeito da opinião de algumas pessoas, eu mostro meu rosto sim. Inicialmente porque sou portador de HIV e isso não está inscrito na constituição ou no Código Penal como crime. Não sou criminoso por viver sob uma condição patológica, ninguém o é, e não tenho porque me esconder. E assim sendo, não me escondo enquanto “ativista cibernético”. Pessoas “comuns”, que vivem a vida como ela se apresenta, não têm muita escolha, pois, de outro modo, quando a perda for miúda, ela perde “só” o emprego. Mas isso pode, sim, ir bem mais longe e foi por isso que, depois de eu ter me acovardado e me esconder no bate papo do Uol com convidados, eu nunca mais me escondi.

Esconder-se, como ativista, é mais ou menos a atitude do avestruz que, sem saber lidar com as coisas, enfia a cara num buraco no chão.

E, infelizmente isso agrava o preconceito contra nós simplesmente porque não somos vistos como realmente somos.

Somos pessoas, cuja liberdade de expressão é garantida pela constituição. constituição está que veda o anonimato. Como confiar em alguém que, a titulo de segurança viola a lei e esconde o rosto?

Este slideshow necessita de JavaScript.

Que bosta de ativista é este?

 

5000

Produtivas, quando nos deixam trabalhar, e muito vivazes.

Nós amamos, almoçamos, alguns de nós dançam; a dança, para mim, é um prazer dos olhos.

Nós, pessoas seropositivos, não diferimos em nada de vocês, sorointerrogativos. Porque qualquer pessoa que tenha tido uma relação sexual desprotegida e não fez o teste é sorointerrogativa.

Eu vivo com HIV desde 1994 e me lembro bem de ter ouvido o “profissional de saúde” que me deu o resultado, ter dito que eu teria seis meses de vida. Deus sabe como me senti.

Tomei AZT numa dose de seis comprimidos a cada 4 horas e tinha de ter o sono interrompido para tomar esta coisa e vomitava muito por conta dele. Ai decidi que se era para morrer, que eu morresse sem vomitar e parei de tomar o AZT.

Como não vivi uma vida normal, não tinha amigos verdadeiros e acabei indo morar numa casa de apoio. Lá, onde eu era só um dado estatístico, eu não tinha permissão para procurar emprego e, por um tempo, para não enlouquecer, servi como voluntário no CRTA quando ele ainda era na Rua Antônio Carlos.

Ali, tive o privilégio e a honra de servir muitas pessoas e fiz alguns amigos. Infelizmente, por isso, carreguei muitos deles até o túmulo e, a cada pá de terra que caia, eu me perguntava quando seria a minha vez, numa bárbara e funesta expectativa.

Os seis meses se passaram e eu, como esta visto, não morri.

Ai comecei a lutar de verdade pela vida e, em 1996, surgiu o coquetel. Como naquela época pouco se sabia sobre tudo isso, eu tive de entrar com a medicação que, anos mais tarde, eu soube não ter indicação clínica para usá-los. Vivi um bom tempo sem precisar dos antirretrovirais. Mas tudo isso não foi um caminho suave.

Tive duas embolias pulmonares, deixei de contar as pneumonias quando cheguei à oitava; tive um enfarto, duas meningites, tornei-me obeso mórbido, chegando aos espantosos, monstruosos e inacreditáveis 147 Kg. Por isso eu passei, três anos atrás, uma cirurgia bariátrica e, desde então, eliminei cinquenta e sete quilos.

Hoje, peso 89,5Kg. Mantenho este site há catorze anos (desde 1° de Agosto de 2000) e, de maneira diversa a de outras pessoas, eu nunca tive apoio financeiro ou logístico de ninguém ou de qualquer “mega-editora”, com exceção de um período de dois anos, nos quais eu fui membro da Ashoka Empreendedores Sociais.

ashoka

Mas o meu tempo lá acabou e se tem uma coisa que eu não espero, infelizmente, é receber ajuda de quem quer que seja, reconhecendo, todavia, que isso pode se relativamente possível e, se acontecer, terá sido mais um dos grandiosos milagres que Deus, que tem operado uma miríade deles (os milagres) comigo.

Eu faço planos para vier até os noventa anos e quero que isso se dê ao lado da minha esposa (com quem vivo há quase quinze anos que me deu a ideia de criar este site), que eu amo com todas as fibras e células do meu corpo, com todo o meu entendimento e todo o meu coração.

cidex
Por incrível que pareça, o portal da cidadania caiu e esta offline.  Não sei, ao certo, os motivos disso, mas arrisco dizer que, na verdade, eles criaram juízo e pararam de por dinheiro de suas carteiras num projeto magnífico que não recebe suporte financeiro de ninguém. enquanto isso, o “Bobagento tem uma legião interminável de seguidores. Acho melhor eu ir criar galinhas

Além disso, vivo, como já disse. mais dos milagres que Deus faz, do que dos resultados concretos de meus planos infalíveis para ganhar dinheiro; eu já tentei ganhar a vida hospedando sites, o que é uma briga de cachorro grande; depois, fazendo sites; contudo, as pessoas querem muito um site mas, infelizmente, elas querem sites por R$ 300,00 e eu prefiro a morte a trabalhar de graça para qualquer muquirana que tem “um sobrinho que faz até por menos”, mandei muita gente ao Diabo por conta disso e, hoje, tenho um pequeno e relativamente promissor de negócio de venda de equipamentos e peças para computadores no Mercado Livre, que você pode ver aqui, neste link . Para ser completamente honesto, não sei como pude manter soropositivo.org, às vezes pagando US$ 500,00 por mês em servidores dedicados, pois foram inúmeras as vezes em que fui convidado a retirar meu site da hospedagem compartilhada, pois meu site consumia muitos recursos; de um mês para cá eu reduzi as despesas para US$ 99,00 por ano; seria isso ou o site sairia do ar; mesmo este pequeno valor me preocupada…

De fato ele consumia; hoje, depois de uma média de visitação que girava em torno de 100.000 visitantes únicos; hoje, por conta de alguns atos de censura prévia de um determinado site de buscas, tenho uma média de 1.200 por diA. Este site está traduzido para 58 idiomas em esquema de tradução automática, pela gtranslate.net, que me cobrava quinze euros mensais pelo serviço, que eu pagava com prazer, até minha esposa se aposentar e nossa renda cair sensivelmente e, depois de pequena conversação, com base num link simples, sem possibilidade de conhecimento da origem do click, exigência do sistema WordPress, pois, com isso, eu consigo ajudar mais gente. Neste mesmo âmbito cheguei a pagar por publicidade no Facebook para obter um número maior de pessoas, sempre com a mesma finalidade.

Hoje, não posso fazer isso mais. Contudo, a página, que você pode encontrar aqui (este link abre em outra aba de seu navegador, tem um pouco mais de 1.300 inscritos e há uma média de cinco novas adesões por dia. o que me alegra imensamente.

Fica entre eu e Deus (uma antiga namorada me corrigia e dizia que a forma correta seria “entre mim e Deus”; como não consigo dirimir a dúvida, deixo pela forma que eu sinto, e posso estar equivocado, pensando que seja lá como for, Deus não se importaria, posto que Ele tem mais apego à ação do que à forma. Não importa.

Até um ano atrás eu teria sido considerado, pelos padrões elitistas desta sociedade ridícula (especialmente esta aqui de São Paulo), como um “semi-analfabeto funcional” ; tudo começou a mudar quando eu passei num processo seletivo para trabalhar na Dell e não tinha, porque saí de casa aos doze anos, no afã de escapar às pancadas distribuídas, a torto e a direito, sobre mim, por meu pai, o certificado do segundo grau; perdi a vaga, chorei, senti-me punido por algo que nem sabia o que era, pensei em falsificar um comprovante, mas minha esposa me disse que isso seria fraude e, felizmente, eu já não morava na rua e nem estava, como não estou mesmo, passando fome; contudo, resolvi me qualificar. tudo isso foi aconteceu no dia em que Francisco, o papa, foi consagrado Bispo de Roma. Apesar de ter minhas reservas com a Igreja católica (eu vivi dentro de uma casa de apoia da Igreja e sei o que vi…) e qualquer outra, gosto da postura dele, que descontenta muita gente no “clero” do Vaticano (talvez seja por isso que eu goste dele).

Matriculei-me no ENCCEJA e no ENEM. Não estudei uma só linha em nenhum dos eventos e passei nos dois com base no que aprendi com a vida.

A redação do Encceja levou uma nota de 710 de 1000 possíveis e a do Enem chegou a 890 de 1000 possíveis.

Nos dois casos fui o primeiro a sair da escola.

No caso do ENEM saí em pouco mais de três horas e meia. Aí me classifiquei e me matriculei na UNIFESP, no campus de Guarulhos para fazer letras/francês (isso porque sou auto-didata em inglês e nem penso em fazer isso que outras pessoas têm coragem de chamar de “cursinho de Inglês” (um ano depois, tendo em vista que eu não sairia da UNIFESP falando Francês fluente mente modifiquei minha para ciências sociais e não tenho ido à faculdade por conta do corte da UNIFESP ao transporte gratuito entre a estação armênia e o campus, me deixando, mais uma vez, sem condições financeiras para ir até a faculdade (…).

Neste momento eu deveria cantar hossanas ao GIV (Grupo de Incentivo à Vida), que, através da pessoa de Fernanda Nigro, passou a oferecer-me auxilio judicial contra a previdência que cortou meu auxilio doença em 2009 e nunca mais atendeu a meus apelos, embora eu tenha prosseguido enfermo desde então, até com maior gravidade

Sou casado, e feliz, com uma mulher que Deus por em meu caminho pelo via mais improvável, provando a máxima que, para Deus, nada é impossível

Sou o que sou.

E, infelizmente (será?) isso incomoda muita gente e há, aqui e ali e alhures também, muita gente que me detesta e se incomoda comigo…

Meu “alvo” são as pessoas que procuram por informação correta, de fonte segura.

Gostaria, ainda, de mostrar algo mais! Na minha juventude, eu, além de DJ, fui radialista, na Rádio Emissora ABC, no programa “A máquina do tempo”. O programa tem, hoje em dia, um excelente blog, exceto por um detalhe que me entristeceu muito e que me levou a fazer reiterados pedidos de remoção de meu nome e minha imagem de um site que disponibiliza literatura (sic) nazista. Este é um crime que não posso perdoar e, engraçado, ele nem é ariano… tsc, tsc…

Ontem à noite uma moça viu este vídeo e disse

-“Caramba!!!! Você era lindo”!!! Disse-o tantas vezes que acabei acreditando 🙂   🙂   🙂

Como não fui respeitado em meus pedidos, sinto-me livre para apresentar o vídeo, no meu site. O Autor do site, uma pessoa que já foi muito querida, me deixou ver que ele se envergonha da minha condição de soropositivo e, mesmo tendo ele a possibilidade de mudar a situação deste site com uma conversa, nunca o fez até que eu o questionasse sobre isso e ele me justificou que nenhum empresário gosta de ouvir falar em doenças, pois isso era um sinal de fraqueza e fracasso.

Eu não retorqui a afirmação.

Quero fazer uma anotação importante aqui. Deste vídeo a única pessoa que vive com AIDS sou eu, o cara esquisito, com uma camisa dez vezes maior que o próprio corpo.

 

Ainda agora, cinco horas e dezessete minutos da manhã de dez de fevereiro de 2017, enconteri uma estupidez intraduzível, em m dos quatro vídeos que assisti no site minha vida, dizendo que nós, pessoas vivendo com AIDS podemos morrer por conta de, as aspas são minhas”de uma simples gripe”.

Pow (para não dizer uma coisa pior… Eu perdi a conta das gripes que tive e sobrevivi, sim, à doenças e condições que, direta ou indiretamente, relacionam-se cm o HIV, como no caso das duas embolias pulmonares que eu vivenciei. O HIV cria uma vasculite e esta vasculite tem o “dom” de propiciar a formação de coágulos que podem levar a uma embolias pulmonares, que pode determinar morte instantânea ou um AVC que, quando a pessoa sobrevive, infelizmente ela passa a viver com sequelas.

Vou colocar no final do texto um laudo médico que minha antiga médica, DRª Ângela, me deu quando assumiu “meu caso… Vocês verão que eu sofri de coisas bem mais sérias que a gripe e, embora você possa ter dúvidas, eu não sou um fantasma, porque Brás Cubas não teve a fineza de me ensinar esta arte e, quando eu morrer e, certamente, um dia, EU VOU MORRER, podem ter certeza: Não terá sido por gripe. aqui segue um link, neste site mesmo, ara Doenças oportunistas. ��(abre em outra janela) https://soropositivo.org/2015/01/30/o-que-sao-doencas-oportunistas-como-atuam-e-como-percebe-las/

Fazer o que? Eu era DJ e só faltou bordar na camisa o seguinte:

I’m bad

I’m Crazy

I’m DJ

(…)

3 Comments

  1. […] Nota do editor: Esta não é a realidade de todos. Há pessoas que tomam sete comprimidos de manhã e oito à noite. E nem tudo é este oceano cor-de-rosa, com begônias lilases. Sim. Eu tomo, para o HIV quatro drogas, em três comprimidos uma vez por dia PARA O HIV! Duas injeções de Clexane, um anticoagulante, para cobrir um efeito colateral cruzado entre o HIV e uma propensão genética à formação de de coágulos […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.