[penci_text_block block_title_align=”style-title-left” custom_markup_1=””]

[su_dropcap style=”flat” size=”5″]O[/su_dropcap]lá pessoal, boa tarde! Carga viral é o termo usado para descrever a quantidade de HIV em um fluido corporal.

Testes de carga viral

Carga Viral, Carga Viral! O que é, E Para Que Servem Testes de Carga Viral?, Blog Soropositivo.Org
Uma técnica de laboratório em um exame de carga viral

Bem, eu sei que é assustador quando se vê a primeira delas!

Estes de carga viral medem a quantidade de HIV em uma pequena amostra de sangue e este é um dos testes que irá se efetuar regularmente para monitorar sua saúde e ajudam a informar as decisões sobre o tratamento.

O meu primeiro deles me mostro algo acima de aterrorizantes três milhões e mais um pouco!

Quando eu o vi, o resultado, saí desatinado e “atropelei um ônibus”!

Sim, sim sim! Você não leu errado e nem eu quis dizer outra coisa. Talvez eu lhes conte em um outro dia!

O Teste Assusta! Este teste, o da carga viral, sim, ele assusta!

O Teste Da Carga Viral. Assusta e late. Mas não morde depois de se começar a tratar!

Mas depois que você começa a medicação e conversa com ouras pessoas sobre isso, e vê que elas estão bem, isso ajuda a sentir-se melhor e clareia as coisas para ti!

Certamente você poderá dizer que é difícil encontrar alguém para conversar. Bem o sei, mas voc

Desde  o final de  2017, talvez um pouco antes, a carga viral tem sido monitorada semestralmente e a contagem de CD4 é feita no início do tratamento, para verificar a condição imunológica da/o recém diagnosticado.

Depois, semestralmente. E a partir de 18 meses a contagem de CD4 pode até mesmo deixar de ser monitorada, exceto se o fazemos para medir eventuais quedas terapêuticas e, também investigar os porquês de uma infecção oportunistas! O resultado de um teste de carga viral é descrito como o número de “cópia” do material genético do HIV (RNA) por mililitro (cópias/ml).

O Resultado do teste de carga viral é, sempre, um número

Normalmente o seu Médico irá apenas dar o resultado de seu teste de carga viral como um número.

Bem, há um certo número de diferentes testes de carga viral em cada utilização, usando uma técnica um pouco diferente para medir o número de partículas de HIV no sangue.

E sim, todos os testes são igualmente confiáveis na determinação de uma carga viral alta, média ou baixa. No entanto, cada teste tem um limite abaixo do qual não pode detectar confiavelmente HIV. Este é referido como sendo de carga viral indetectável”. “

Carga Viral, Carga Viral! O que é, E Para Que Servem Testes de Carga Viral?, Blog Soropositivo.Org
Polícia científica em cena de feminicídio

Carga viral indetectável é geralmente definida como abaixo 50 cópias/ml. Até recentemente, este foi o mais baixo nível detectável para testes mais comumente utilizados na rotina de monitoramento de carga viral. Existem agora alguns testes ultrassensíveis que podem medir abaixo 20 cópias/ml.

Carga Viral Alta Não É Motivo Para Pânico! É Um Guia Na Terapêutica,

Um Mapa! Uma Bússola Para o Médico

“O Teste de carga viral  investiga seu estado clínico/laboratorial, no início da terapia,  bem como a redução da carga viral em seu sangue.

E, também, se o tratamento do HIV esta funcionando e se reduz a carga viral no sangue, e não em outros fluidos corporais”.

Eu, Cláudio, embora respeite e acate os fundamentos da ciência, sei que medicina não é ciência absoluta e, se o Indetectável é Igual A Intransmissível, já se encontrou HIV no Esperma de pessoas com carga viral indetectável;

Isto não quer dizer que talvez não haja HIV na amostra, apenas que o número de cópias é algo entre 0 e 50.

Tendo uma carga viral indetectável é uma coisa boa. Ela deve ajudar o seu sistema imunológico recuperar-se e permanecer forte, diminuindo a possibilidade de desenvolver doenças oportunistas.

Nota do tradutor: Eu não posso deixar esse ponto desta forma, porque isso é relativamente obscuro. Conheci e perdi pessoas que viviam bem, com cargas virais indetectáveis, CD4 acima de 900 -!!!- e, mesmo assim foram atingidas pelo desenvolvimento de neoplasias relacionadas à AIDS

Amarylis Não Era Um Caso de AIDS

Nós perdemos uma amiga nestas circunstâncias.

Inicialmente ela se tornou misteriosa com súbitas e repetidas viagens para consultas om um médico…. Bem, encurtando a história a verdade é que em un ano ela perdeu a vida e, na minha opinião ele, o médico, deveria ter pedido uma ressonância magnética para uma pessoa com HIV e visão duplicada. Era um linfoma. Uma doeça como esta não permite erros e atrasos

Quando “a coisa explodiu”, nada mais podia ser feito 🙂

Nós a perdemos em um período devastadoramente curto: Dez Dias!!!

DEZ DIAS

Desta forma eu aconselho prudência neste aspecto e uma conversa muito séria com seu infectologista a respeito disso, e procure um neurologista para viver em regime de observação se você tiver um plano de saúde que possa facultar-lhe estabelecer esta rotina ou, ainda, se você dispõe de recursos materiais que possam te dar possibilidades de fazer isso).

Entre as pessoas com a mesma contagem de CD4, aqueles com maiores cargas virais tendem a ter uma progressão mais rápida da doença do que aqueles com níveis menores cargas virais. 

Este aconselhamento faz parte de uma realidade final e felizmente distante! Nós temos o tratamento tão rápido sejamos diagnosticados e tenhamos nosso CD4 mensurado. E isso é feito imediatamento, em agendamento para a maior brevidade possível!

Isso por conta do Estudo Start, que redeterminou a realidade de nossos tratamentos em nível “de mundo civilizado”, depois de provar que os melhores escultados terapêuticos e econômicos. Eu faço votos que a atual administração federal faça a lição de casa, observe que é muito mais inteligente, até mesmo do ponto de vista econômico – estou buscando os textos em meio a quase 4000 textos – tratar as pessoas vivendo com HIV/AIDS e mantê-los com seus sistemas imunológicos preservados, do que patrocinar um tratamento desmontado, com um evidente viés ideológico, baseado em preconceito religioso!

Nem mesmo o Cristo aguenta mais o que se tem feito sob o pretexto de agir em nome dele….

TRATANDO DO MEU BANCO E DADOS, SÓ MESMO o Ministério da Saúde PODERIA TER tem uma base de dados tão abrangente –

Trabalho penosamente longo (***19*** anos***) e caro, nenhum recurso oferecido para manter o sistema.

Carga Viral Alta Maior Probabilidade de Evolução em Direção À AIDS

Quanto mais o HIV no seu sangue, o que equivale a dizer que quanto maior a sua carga viral, mais rápido será a redução de suas células CD4, as células alvo do HIV que comandam o sistema imunológico, comandante em chefe do combate às infecções,  maior será o risco de adoecer por causa do HIV,  mais precisamente com infecções oportunistas.

As mudanças na sua carga viral ao longo do tempo, juntamente com outras indicações, em particular a sua contagem de CD4 e a presença de sintomas relacionados com o HIV, pode ajudar você a decidir quando iniciar o tratamentoMeste

Manutensão do Tratamento e Monitorização do tratamento

O tratamento eficaz do HIV resulta em uma diminuição na carga viral. Se você estiver no início do tratamento ou interromper o tratamentos, o seu médico deve realizar um teste de carga viral para determinar uma “linha” antes de iniciar ou alterar a droga, seguido por mais um teste de quatro a doze semanas mais tarde para ver quanto a sua carga viral tem ido para baixo.

Para a maioria das pessoas, o tratamento do HIV pode reduzir a quantidade de HIV para “não detectável”. Carga viral indetectável é o objectivo do tratamento do HIV. Se você estiver tendo o tratamento do HIV e têm  carga viral indetectável, o HIV é muito menos propenso a desenvolver resistência aos medicamentos utilizados para tratar e também o risco de adoecer por causa do HIV é reduzida.

A quantidade de tempo que leva para atingir  carga viral indetectável pode variar e após seis meses na sua primeira combinação, sua carga viral deve idealmente ter ido abaixo de 50 cópias/ml.

Os melhores resultados do tratamento do HIV são vistos em pessoas que tomam todas as doses de seus medicamentos anti-HIV como prescrito. Este é por vezes referido como Aderência.

A Aderência é uma Necessidade Capital! Evite a Todo Custo a Perda de Uma Só Dose! Trate-se espartanamente e, se for capaz, Draconianamente.

Quando eu me tornei soropositivo eu comi, sim, o pão que o diabo amassou com o rabo! Depois de ter certeza que eu não conseguiria me adaptar à rotina (perdoem-me os que trabalham sério! Eu nunca vi a vocês!!!) de abusos contra mim, eu optei pelas ruas!

O único problema, e eu evoquei esta lembrança para chegar a este parágrafo:

Medicamentos, contra o HIV ou para tratar de um anemia, mitas vezes dependem de sua maior permanência no organismos, alguns chamam a isso “meia vida” eu chamo de janela de biodisponibilidade.

Eta coisa implica em alguns “rituais” alimentares, como jejuns ou alimentações antes da tomada da “coisa em si”

Vejam só: Por favor, acompanhe meu raciocínio por alguns minutos, em primeira pessoa:

Eu desisti das casa de apoio e, curiosamente, voltei para as ruas. Acabei de acordar.

Estou aqui, deitado em uma calça da Rua José Paulino, uma rua de comércio intenso, com gente passando de um lado para o outro e a vergonha de estar na calçada dói mais que o medo de morrer.

Eu estou em jejum há quase 9 horas e eu tenho aqui um pequeno valor, que me garante um “pingado” e um pão com manteiga. Mas tenho de me manter em jejum por mais uma hora, pois é chegado o momento de tomar DDI – Renato Russo descreve a experiência de tomar esta “coisa” como”comer um cachorro vivo!

Você já comeu um cachorro vivo? Eu creio que não. Mas pense em você engolindo um poodle, sem tosar por favor….

O X da questão é que não aguento mais de fome, a boca está seca, a sensação de que eu abrir a boca, doze milhões de morcegos sairão de minha boca. Eu dependo deste remédios do Diabo para manter a esperança  de, no próximo teste, não sabíamos, médicos e pacientes.

Eu não te dou um resultado. Se você é capaz de obedecer a rotina e for uma pessoa determinada e forte você segurará sua onda, tomará o maldito DDI e, depois de uma hora (pense em cada minuto…) você poderá, finalmente, comer e voltar à “sua vida”)!….

Nas ruas, com risco de morte ou não, era bem mais fácil eu suportar aquilo, o frio e as arapucas armadas

Carga Viral blips

Pessoas com  cargas virais indetectáveis podem experimentar pequenos aumentos na sua carga viral de tempos em tempos. Estes são frequentemente chamados de “blipes” e normalmente a carga viral irá aumentar entre indetectável até 100 ou 200 cópias/ml antes de ir de volta para baixo, para não detectável no próximo teste. Isso não indica que o tratamento está falhando. No entanto, se a carga viral aumenta acima de 50, mas abaixo de 500 cópias/ml e permanece aí, isso poderia indicar que o seu tratamento não está funcionando tão bem como deveria e que você e o seu médico devem discutir se é necessário mudar o tratamento.

Vacinas e infecções podem causar aumentos temporários na carga viral e você e seu médico podem decidir por um teste de carga viral para um mês após a doença ou vacinação.

O teste de resistência

Se você estiver tendo o tratamento do HIV e sua carga viral sobe acima de 200 cópias/ml, pode ser porque o HIV tem se tornado resistente a uma droga.

Os testes de resistência podem ser realizados para ver qual das drogas que você está tomando tem se tornado resistentes ao HIV. Se você desenvolveu resistência a uma droga pode também ser resistente a outros medicamentos similares que não foram tomados – isso é chamado de resistência cruzada e um teste de resistência deve igualmente indicar qual droga será eficaz para você. Existem muitas drogas anti-HIV disponíveis; você pode descobrir mais sobre estes em nosso anti-HIV Drugs livreto (consulte www.aidsmap.com/booklets)

A carga viral e a transmissão do VIH

Se você tiver uma alta carga viral em seu sangue, então você também pode ter uma elevada carga viral em outros fluidos corporais, incluindo o seu sêmen ou fluido vaginal. Tendo uma alta carga viral significa que o HIV pode ser transmitido mais facilmente.

Assim como a redução da carga viral em seu sangue, o tratamento do HIV também reduz a carga viral em outros fluidos corporais.

Para as mulheres vivendo com HIV que estão grávidas ou planejando uma gravidez, o tratamento do HIV para reduzir a carga viral é uma parte importante de prevenção na contaminação do seu bebé. No Reino Unido, por causa dos elevados padrões de atendimento (tal como definido no British HIV Association orientações), o risco de transmissão do vírus de mãe para filho é muito baixa. Para as mulheres que estão em  tratamento eficaz do VIH e que têm carga viral indetectável, o risco de transmissão para o seu bebé é de 0,1%, ou uma em mil.

Houve muita  discussão sobre como ser provável que o HIV pode ser transmitido durante o sexo quando alguém vivendo com HIV está tendo um tratamento eficaz e tem  carga viral indetectável. É claro que ter carga viral indetectável reduz significativamente o risco do HIV ser transmitido .

Por exemplo,um estudo de observar casais em que um dos parceiros tem HIV e o outro não foi encontrado nenhuma transmissão durante um período de dois anos, quando o parceiro HIV-positivo foi tomar o tratamento de HIV e teve uma carga viral indetectável.

No entanto, não é claro se a  carga viral indetectável remove completamente o risco do HIV ser transmitido.

Em especial, tendo  carga viral indetectável no sangue não significa necessariamente que a carga viral é indetectável em outros fluidos corporais.

A carga viral pode oscilar entre testes regulares e outros fatores podem aumentar a probabilidade de o HIV ser transmitido , como um dos parceiros ter infecções sexualmente transmitidas.

Carga Viral, Carga Viral! O que é, E Para Que Servem Testes de Carga Viral?, Blog Soropositivo.Org

Você pode ler mais sobre este assunto na nossa ficha Viral load and transmission – a factsheet for people with HIV e nós recomendamos que você converse com alguém da sua equipe clínica sobre ele.

 

[/penci_text_block]

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.