Adesão precoce à TARV produz melhores resultados do controle virológico a longo prazo

Em: Março de 2017

A adesão à terapia antirretroviral (TARV) nos primeiros meses após o início do tratamento

HIV virus particle structure
HIV – Particulação estrutural

é crucial para os resultados a longo prazo, sugere a pesquisa francesa publicada na edição on-line do Journal of Acquired Immune Deficiency Syndromes. As pessoas que tomaram todas ou quase todas as suas doses nos primeiros quatro meses após o início da TARV foram aproximadamente quatro vezes mais propensas a ter supressão viral prolongada em até 12 anos de seguimento, em comparação com pessoas que freqüentemente não tomaram estas doses. Os achados também mostraram a importância de manter altos níveis de adesão durante a terapia de longo prazo.

“Este inesperado impacto virológico a longo prazo da aderência precoce reforça a mensagem de que, ao iniciar os antirretrovirais, todos os meios devem ser mobilizados para garantir uma aderência precoce ótima para alcançar o sucesso prolongado anti-retroviral”, comentam os autores.

A adesão é o fator mais importante sob o controle de pessoas vivendo com HIV que determina o sucesso da ART. O objetivo do tratamento é uma carga viral indetectável, um resultado associado a níveis de aderência de pelo menos 95% com medicamentos anti-HIV mais antigos (embora as terapias modernas sejam mais tolerantes às doses não atendidas).

Pesquisadores do coorte prospectivo, multicêntrico Francês APROCO-COPILOTE queriam observar se a aderência muito precoce ao TARV (os primeiros quatro meses de tratamento) estava associada à supressão viral a longo prazo (até 12 anos de seguimento).

A população do estudo consistiu em 891 pessoas que iniciaram a TARV com base em um inibidor de protease de primeira geração entre 1997 e 1999. Foram seguidas por uma média de nove a de onze anos. Dados de aderência auto relatados foram coletados quatro meses após o início do tratamento. A adesão seria considerada “alta” se as pessoas tomassem 100% de suas doses, “média” se estivesse entre 99,9% a 80% das doses fossem tomadas e baixas, se abaixo de 80% das doses fossem tomadas nos quatro dias anteriores. Outros dados sobre adesão foram coletados em intervalos regulares durante o acompanhamento.

As características iniciais foram as seguintes: idade média de 37 anos, 21% de mulheres, 20% com AIDS, com uma contagem média de CD4 de 286 células / mm3 e carga viral de 29.000 cópias / ml em média.

A proporção de pessoas com supressão virológica prolongada aumentou de 48% nos intervalos de acompanhamento de 20 meses para 73% após 12 anos de terapia.

No mês 4, 57% das pessoas tinham alta aderência, 33% tinham adesão média e 10% tinham baixa aderência. Durante o seguimento, 66% das pessoas mantiveram alta aderência, 25% flutuaram entre alta e média aderência e 9% tiveram pelo menos um episódio de baixa adesão.

Havia evidências claras de que a aderência precoce estava associada a resultados a longo prazo.

A adesão alta e média versus baixa aderência no mês 4 da terapia foi significativamente associada com maiores chances de supressão virológica prolongada (OR ajustado de 3,73; IC de 95%: 1,98-6,98).

A manutenção da boa adesão também foi associada com melhores resultados virológicos entre os meses 20 e 144 após o início do tratamento. Em comparação com pessoas com um grau de adesão fraco, os indivíduos com adesão alta e moderada foram mais de três (OR ajustado 3,28; IC 95% 2,64-4,08) e dois (OR ajustado 2,26; IC 95%: 1,81-2,83) Supressão viral persistente.

“Intervenções direcionadas para aumentar a adesão precisam ser implementadas tanto na iniciação ao tratamento anti-retroviral como durante o tratamento”, escrevem os autores.

Eles pedem mais estudos olhando para o impacto da aderência precoce em resultados a longo prazo com antirretrovirais modernos, mais potentes que são mais tolerantes de doses perdidas.

Traduzido por Cláudio Souza do original em Early adherence to ART key to long-term virological outcomes, escrito por Michael Carter para o AIDSMAP Publicado em 14 de março de 2017

Reference

Protopopescu C et al. Prolonged viral suppression over a 12-year follow-up of HIV-infected patients: the persistent impact of adherence at 4 months after initiation of combined antiretroviral therapy in the ANRS CO8 APROCO-COPILOTE cohort. J Acquir Immune Defic Syndr, online edition. DOI: 10.1097/QAI.0000000000001249 (2017).

😍😍😍😜💫☮Sim, este da foto sou eu ! Minha sobrinha pediu que eu pusesse esta foto m meu perfil !.... Eu tinha aqui uma descrição a meu respeito que, uma pessoa classificou como “irreverente”. Esta é, realmente, uma forma eufêmica de classificar o que estava aqui. Tudo o que sei é que uma “ONG”, que ocupa um prédio de 10 andares estabeleceu uma parceria comigo, e eu tenho os logs do tempo de parceria, que foi mais um vampirismo pois, para cada 150 pessoas que saiam do meu site, clicando no deles, havia, em média, um que entrava. QUANDO ENTRAVA E SE ENTRAVA

1 Comment

  1. […] Fonte: Adesão precoce à TARV produz melhores resultados do controle virológico a longo prazo Teste-se p… […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.