Anúncios
News Ticker

Adesão precoce à TARV produz melhores resultados do controle virológico a longo prazo

Pessoal, manter o site nos traz custos, custos estes que estão difíceis para arcarmos sozinhos. Nós queremos continuar trazendo informações e ajudando as pessoas que chegam até aqui, mas para isso também precisamos de ajuda. Qualquer valor é bem vindo e nos ajudará a manter o site de pé, caso contrário não conseguiremos mais ter esse canal de informação e ajuda mútua. Segue a conta para depósito: Banco do Brasil, agência 1521-0, conta corrente 19957-5, em nome de Claudio Souza
Hand holding red ribbon on back of AIDS letter blocks

A adesão à terapia antirretroviral (TARV) nos primeiros meses após o início do tratamento

HIV virus particle structure

HIV – Particulação estrutural

é crucial para os resultados a longo prazo, sugere a pesquisa francesa publicada na edição on-line do Journal of Acquired Immune Deficiency Syndromes. As pessoas que tomaram todas ou quase todas as suas doses nos primeiros quatro meses após o início da TARV foram aproximadamente quatro vezes mais propensas a ter supressão viral prolongada em até 12 anos de seguimento, em comparação com pessoas que freqüentemente não tomaram estas doses. Os achados também mostraram a importância de manter altos níveis de adesão durante a terapia de longo prazo.

“Este inesperado impacto virológico a longo prazo da aderência precoce reforça a mensagem de que, ao iniciar os antirretrovirais, todos os meios devem ser mobilizados para garantir uma aderência precoce ótima para alcançar o sucesso prolongado anti-retroviral”, comentam os autores.

A adesão é o fator mais importante sob o controle de pessoas vivendo com HIV que determina o sucesso da ART. O objetivo do tratamento é uma carga viral indetectável, um resultado associado a níveis de aderência de pelo menos 95% com medicamentos anti-HIV mais antigos (embora as terapias modernas sejam mais tolerantes às doses não atendidas).

Pesquisadores do coorte prospectivo, multicêntrico Francês APROCO-COPILOTE queriam observar se a aderência muito precoce ao TARV (os primeiros quatro meses de tratamento) estava associada à supressão viral a longo prazo (até 12 anos de seguimento).

A população do estudo consistiu em 891 pessoas que iniciaram a TARV com base em um inibidor de protease de primeira geração entre 1997 e 1999. Foram seguidas por uma média de nove a de onze anos. Dados de aderência auto relatados foram coletados quatro meses após o início do tratamento. A adesão seria considerada “alta” se as pessoas tomassem 100% de suas doses, “média” se estivesse entre 99,9% a 80% das doses fossem tomadas e baixas, se abaixo de 80% das doses fossem tomadas nos quatro dias anteriores. Outros dados sobre adesão foram coletados em intervalos regulares durante o acompanhamento.

As características iniciais foram as seguintes: idade média de 37 anos, 21% de mulheres, 20% com AIDS, com uma contagem média de CD4 de 286 células / mm3 e carga viral de 29.000 cópias / ml em média.

A proporção de pessoas com supressão virológica prolongada aumentou de 48% nos intervalos de acompanhamento de 20 meses para 73% após 12 anos de terapia.

No mês 4, 57% das pessoas tinham alta aderência, 33% tinham adesão média e 10% tinham baixa aderência. Durante o seguimento, 66% das pessoas mantiveram alta aderência, 25% flutuaram entre alta e média aderência e 9% tiveram pelo menos um episódio de baixa adesão.

Havia evidências claras de que a aderência precoce estava associada a resultados a longo prazo.

A adesão alta e média versus baixa aderência no mês 4 da terapia foi significativamente associada com maiores chances de supressão virológica prolongada (OR ajustado de 3,73; IC de 95%: 1,98-6,98).

A manutenção da boa adesão também foi associada com melhores resultados virológicos entre os meses 20 e 144 após o início do tratamento. Em comparação com pessoas com um grau de adesão fraco, os indivíduos com adesão alta e moderada foram mais de três (OR ajustado 3,28; IC 95% 2,64-4,08) e dois (OR ajustado 2,26; IC 95%: 1,81-2,83) Supressão viral persistente.

“Intervenções direcionadas para aumentar a adesão precisam ser implementadas tanto na iniciação ao tratamento anti-retroviral como durante o tratamento”, escrevem os autores.

Eles pedem mais estudos olhando para o impacto da aderência precoce em resultados a longo prazo com antirretrovirais modernos, mais potentes que são mais tolerantes de doses perdidas.

Traduzido por Cláudio Souza do original em Early adherence to ART key to long-term virological outcomes, escrito por Michael Carter para o AIDSMAP Publicado em 14 de março de 2017

Reference

Protopopescu C et al. Prolonged viral suppression over a 12-year follow-up of HIV-infected patients: the persistent impact of adherence at 4 months after initiation of combined antiretroviral therapy in the ANRS CO8 APROCO-COPILOTE cohort. J Acquir Immune Defic Syndr, online edition. DOI: 10.1097/QAI.0000000000001249 (2017).

Anúncios

Precisa de algo? Ou quer ajudar?






Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

A PEP é um direito de todos! Saiba onde a achar! Clique na imagem

A PEP é um direito de Todos

A PEP É um DIREITO DEDOS

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico

1 Trackback / Pingback

  1. Adesão precoce à TARV produz melhores resultados do controle virológico a longo prazo Teste-se para o HIV!Soropositivo. Org – Há Vida com HIV!!! | METAMORFASE
%d blogueiros gostam disto: