Riscos de Contágio por HIV
https://soropositivo.org/2019/03/16/ciclo-de-vida-do-hiv/

HIV/AIDS, HIV/AIDS bem explicados, Blog Soropositivo.OrgHIV e AIDS ainda habitam o inconsciente coletivo como sentenças de morte, castigos divinos, punições. SE eu me propusesse a escrever sobre tudo o que aprendi ao longo de duas décadas de trabalho no âmbito HIV/AIDS, desde a compreensão pessoal disso até o que aprendi, depois de depreender, sobre como as pessoas vêem, se vêem e muitas vezes me vêem dentro de meu trabalho, certamente eu eu terminaria por atear fogo a esta sala em que trabalho!

Em uma só pincelada, citando breve trecho de conversação com uma pessoa que creditava firme e obstinadamente ser portadora de HIV, apesar de repetidos, repetidos e repetidos exames não reagentes (tenho de escrever sobre este termo) a colocação foi a seguinte:

-”Por mim tudo bem! Eu fiz a c***da! Eu sou um FDP que traiu minha esposa e, agora, tudo o que eu temo é pela saúde delas! Eu que me f***”!

Nem todo dia eu estou “santificado o bastante” para levar um petardo deste no rosto e não reagir de maneira acalorada! E esta foi uma das razões pelas quais eu acabei por parar com meu trabalho pessoal de diálogo com as pessoas pelo WhatsApp! 

Optei por deixar a bola com o Beto Volpe, que curte, e curte muito fazer este trabalho, que me pediu este trabalho e, sim, tem uma paciência um pouco mais extensa que a minha para estas colocações infelizes.

Pelo sim, pelo não, ciente de toda a treva que ainda existe em torno do tema e de toda a luz que definitivamente ainda falta em mim, determinei-me a traduzir mais um texto, e bem amplo, que tenha como meta fazer com que…

…HIV e AIDS fiquem melhor explicados

Uma boa leitura Cláudio Souza

  • Sintomas
  • Causas
  • Diagnóstico
  • Tratamento
  • Prevenção
  • Infecção por HIV: Sinais e sintomas a serem observados

O vírus da imunodeficiência humana (HIV) é o vírus que causa a síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS). O HIV é transmitido pelo sangue, sêmen e fluidos vaginais e da causa a uma série de sintomas que se manifestam logo após a infecção, incluindo febre e úlceras na boca. Após um período latente – durante o qual o HIV progride para AIDS (HIV / AIDS), o terceiro e último estágio da doença provocada pelo vírus, quando os infectados enfrentam preocupações mais sérias, incluindo perda extrema de peso e a manifestação infecções oportunistas, com risco direito e imediato á própria sobrevivência e, quando pouco, com graves danos á qualidade de vida da pessoa vivendo com HIV!

Quando a AIDS apareceu pela primeira vez em 1981, a maioria esmagadora dos casos era fatal. Depois que os pesquisadores determinaram que o HIV era a causa da AIDS e como o vírus se espalha, eles foram capazes de desenvolver maneiras de testar contra a presença do vírus e desenvolver tratamentos eficazes para prevenir sua replicação no corpo – um protocolo chamado terapia antirretroviral (TARV).1

Agora, muitas pessoas que são testatas reagentes para HIV, HIV positivo, podem começar a tomar medicação pode continuar a viver, de outra forma, vidas longas e saudáveis.

8HIV / AIDS em números Desculpas Não me interessam

  • Mortes relacionadas ao HIV desde a identificação do vírus (em todo o mundo): Mais de 30 milhões de
  • pessoas que vivem com HIV hoje (em todo o mundo): Mais de 35 milhões, 69% das quais estão na África Subsaariana.
  • Pessoas nos EUA infectadas com HIV: Aproximadamente 1,2 milhão de
  • pessoas infectadas nos EUA que não foram diagnosticadas (estimativa): 20% a 25% A

AIDS ainda é considerada uma doença rara nos Estados Unidos: menos de 200.000 pessoas HIV-positivas desenvolvem AIDS.

7Sintomas de Infecção Por HIV/AIDS 

Os sintomas de HIV / AIDS podem ser divididos em duas categorias: sintomas que aparecem quando o corpo é infectado pela primeira vez (estágio 1, a fase aguda) e aqueles que podem ocorrer após anos se o vírus não for tratado e a infecção pode progredir para AIDS (estágio 3 do HIV).2

Fase 2-infecção crônica pelo HIV-é normalmente assintomática. Com o tratamento, uma pessoa soropositiva pode permanecer nessa fase por décadas. Sem tratamento, o vírus normalmente avança em oito a 12 anos.

6Infecção por HIV primária

Algumas semanas após entrar no corpo, o HIV desencadeia sintomas semelhantes aos da gripe e, em alguns casos, alguns outros sintomas reveladores:

  • Febre
  • Calafrios
  • Dor de cabeça
  • Suores noturnos
  • Faringite (dor de garganta)
  • Mialgia (dores musculares)
  • Artralgia ( dor nas articulações)
  • Fadiga
  • Linfadenopatia (gânglios linfáticos inchados, principalmente no pescoço)
  • Úlceras da boca

Algumas pessoas também terão náuseas, diarreia ou vômitos, e uma em cada cinco desenvolverá uma “erupção cutânea por HIV”, uma condição da pele maculopapular caracterizada por saliência, rosa / áreas vermelhas cobertas por pequenas saliências semelhantes a espinhas que muitas vezes se fundem em uma só. 

5Do HIV até a AIDS, a latência clínica

O vírus que causa o HIV/AIDS é classificado pelos cientistas como um retrovírus. Na maioria dos organismos vivos, o material genético de uma célula é codificado de DNA para RNA. Um retrovírus é o único que usa sua codificação de RNA para produzir DNA dentro de uma célula infectada, uma reversão do processo normal.

Quando isso ocorre, o DNA recém-produzido é inserido no núcleo da célula hospedeira, sequestrando efetivamente sua maquinaria genética para criar várias cópias de si mesmo, cada uma das quais é capaz de infectar e matar uma infinidade de outras células hospedeiras. Nesse caso, as células hospedeiras são células brancas do sangue chamadas células T “auxiliares” – em particular, células T CD4 que desencadeiam a resposta imunológica do corpo.

Ao esgotar sistematicamente essas células, o HIV diminui a capacidade do corpo de identificar e neutralizar o vírus invasores, bem como uma série de outros agentes (virais, bacterianos, parasitários) contra os quais ele poderia se defender.

Durante a infecção inicial, o HIV replica-se vigorosamente, infectando e destruindo um número substancial de células T CD4. Assim que se torna latente, o vírus continua a se replicar silenciosamente gerando, em média, a perda anual de oitenta células T CD4.

Além do HIV, um subconjunto do vírus denominado provírus incorpora-se a células e tecidos denominados reservatórios latentes, onde não podem ser facilmente detectados pelo sistema imunológico. Mesmo que o HIV seja controlado com medicamentos anti-retrovirais, esses provírus podem persistir, prontos para ressurgir como HIV totalmente formado no momento em que o tratamento falhar ou o sistema imunológico entrar em colapso. Este provirus forma os assim conhecidos reservatórios virais.

Como o HIV se espalha 

O HIV se espalha das seguintes maneiras:

  • Contato sexual desprotegido
  • Compartilhamento de agulhas entre usuários de drogas injetáveis
  • Exposição acidental de sangue
  • Transmissão de mãe para filho durante a gravidez 
  • O HIV não pode ser transmitido por suor, lágrimas, saliva, fezes ou urina.4
Por que o teste contra a presença do HIV é tão importante?

Muitas vezes somente quando uma infecção oportunista aparece pela primeira vez é que uma pessoa pode suspeitar que está infectada com o HIV. 

A essa altura, o sistema imunológico geralmente está severamente prejudicado, às vezes de forma grave. Eu já assisti a este processo muitas vezes e vi pessoas perderem entes familiares amados desta forma, em meio à total surpresa e perplexidade.

Pois a manifestação oportunista foi grave, poderosa e devastadora, não dando a médicos a possibilidade de reverter o quadro, trazendo a fatalidade perfeitamente evitavel para o seio daquela família.

A melhor maneira de evitar que isso aconteça é fazer um teste de HIV pelo menos uma vez; as pessoas com alto risco de HIV devem ser testadas duas a quatro vezes por ano.

Causa e fatores de risco do HIV / AIDS – em tradução

Como é feito o diagnóstico da Infecção por HIV?

O prognóstico de HIV / AIDS já foi, para muitos, um forte impedimento para o teste. Mas o teste positivo para HIV não é mais uma sentença de morte em partes desenvolvidas do mundo: estudos publicados em 2014 descobriram que os pacientes que começam a TARV enquanto a quantidade de vírus em seus corpos é relativamente baixa têm a mesma expectativa de vida da população em geral.5

Existem cinco formas para testar a presença de vírus da imunodeficiência humana:

  • Teste padrão em ambulatório, no qual uma amostra de sangue é tomada no consultório de um médico ou clínica e examinadas para a presença de anticorpos contra o VIH; os resultados são retornados em cinco a 10 dias.
  • Teste rápido no local de atendimento, que pode gerar um resultado em 20 minutos medindo tanto os antígenos (proteínas da superfície do vírus) quanto os anticorpos em uma amostra de sangue retirada de uma picada no dedo, uma amostra de saliva retirada da gengiva ou uma amostra de urina
  • Teste de ácido nucleico: um teste de sangue que mede o RNA do HIV no sangue e é reservado para pessoas com alto risco de exposição
  • Testes em casa que usam uma amostra de saliva e fazem o parto resultados em cerca de 20 minutos
  • Kits de coleta domiciliar que detectam anticorpos em uma amostra de sangue que você mesmo coleta e envia para um laboratório para teste
Quando a infecção HIV se transforma em AIDS

Para alguém cuja infecção por HIV não foi controlada, a AIDS é diagnosticada de duas maneiras:

  • Pelo diagnóstico de uma doença definidora da AIDS
  • Por uma contagem CD4 inferior a 200 células por microlitro (µL).

As contagens normais de CD4 variam em média entre 800 e 1600 células por µL. Uma pessoa soropositiva recém-diagnosticada será monitorada regularmente a fim de acompanhar quaisquer alterações em sua contagem de CD4.6

Se a contagem de CD4> 500 e eles com supressão da carga viral por pelo menos dois anos, o monitoramento da contagem de células CD4 não é mais necessário.

 Como o HIV / AIDS é diagnosticado?

Tratamento Contra a Infecção por HIV e a AIDS

Gerenciar os sintomas da infecção pelo HIV no estágio agudo é geralmente uma questão de descansar bastante e dormir bem, beber muitos líquidos, comer bem e tomar analgésicos de venda livre (OTC) para aliviar dores de cabeça ou corpo, se necessário.

No entanto, assim que o resultado do teste de HIV é positivo, é vital que ele comece medicamentos antiretrovirais a tomar para controlar o vírus e evitar que se replique, causando danos graves e irreversíveis ao sistema imunológico.7

Existe Nenhuma cura para a SIDA, mas a adesão estrita a terapia anti-retroviral (ART) pode diminuir drasticamente o progresso da doença, prevenir infecções e de complicações secundárias, e prolongar a vida.

Via de regra, a terapia antirretroviral depende de três moléculas de medicamentos diferentes, estratégia conhecida como terapia antirretroviral altamente ativa (HAART). No entanto, esta terapia tripla padrão pode ser substituída por terapias com dois medicamentos, como Juluca (dolutegravir + rilpivirina).

Os medicamentos antirretrovirais são organizados em seis classes com base no estágio do ciclo de vida do HIV que afetam. Em 2019, havia 28 moléculas de drogas individuais e 13 drogas de combinação de dose fixa (FDC) compostas por duas ou mais moléculas cada. Oito dos FDCs podem ser usados ​​como uma única pílula, uma terapia diária.8

 Como o HIV / AIDS é tratado
Como Pode Ser Feia A Prevenção da Infecção por HIV

Embora o HIV seja um vírus altamente contagioso, há um lado positivo: as formas de transmissão são bem compreendidas e também altamente evitáveis ​​se forem tomadas precauções específicas.

Para reduzir o risco de se infectar com o vírus, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda tomar certas precauções: 9

  • Limite o número de parceiros sexuais que você tem e certifique-se de alguém que você está íntimo com foi testado e é HIV-negativo
  • Sempre use uma barreira, como um preservativo, durante as relações sexuais, incluindo sexo oral.
  • Use agulhas e seringas novas e esterilizadas se você for um usuário de drogas intravenosas.
  • Tome uma medicação diária para ajudar a se proteger da infecção, que é conhecida como pré-exposição profilaxia (PrEP)

 Como o HIV / AIDS pode ser prevenido

Lidando contra a Infecção por HIV

A infecção pelo HIV é uma doença crônica, o que significa que é algo que deve ser tratado diariamente. Não obstante, minimizar qualquer doença e dizer que é fácil trata-la é faltar com a responsabilidade perante a humanidade e, indo além, tentar fazer com que qualquer doença seja “de fácil manejo pessoal” para em seguida minimzar a infecção por HIV, bem como a outra patologia, é desrespeitar quem enfrenta a patologia comparada e irresponsabilizar quem nada sabe diante de “facilidades ilusórias”.

Os aspectos mais óbvios de lidar com o fato de ser soropositivo para o HIV incluem fazer tudo o que for necessário para permanecer saudável e que isso demanda diligência e esforço cotidiano, buscando manter um estilo de vida saudável que irá apoiar a saúde do sistema imunológico; estar em conformidade com a medicação; e seguir as ordens do médico sobre check-ups regulares para manter o controle de quaisquer mudanças na carga viral e saúde geral.

No entanto, o estigma que persiste em relação ao HIV e os contínuos mal-entendidos sobre como ele é transmitido significa que lidar com a situação se estende à forma como você se comporta em relação aos outros e também como você se sente a respeito de si mesmo. 

Por esse motivo, ser franco com amigos e familiares de confiança sobre sua condição de HIV pode, ou não,  ajudar muito a se sentir apoiado e cuidado; desta forma pense, e pense bem antes de escolher com quem conversar

Tão importante quanto, pode ser encontrar uma comunidade de outras pessoas que também sejam HIV-positivas, que pode ser uma importante tábua de salvação e fonte de aconselhamento para lidar com todos os aspectos de ser HIV-positivo.

Você pode obter esse suporte participando de grupos de apoio locais para pessoas com seu diagnóstico e/ou juntando-se às versões online. Se você estiver tendo problemas para encontrar um, existem vários recursos aos quais você pode recorrer.

Embora receber um diagnóstico de HIV possa ser perturbador, os tratamentos atuais e a compreensão aprimorada da doença a tornaram uma doença crônica gerenciável para muitas pessoas. Se você tem HIV, é importante conversar com seu médico, que pode aconselhá-lo sobre o que você precisa fazer para se manter saudável.

 Enfrentando e vivendo bem com o HIV / AIDS

Tenha em mente que quando eu digo que há vida com HIV eu nada mais faço do que dizer a verdade e, não obstante, é bem melhor, mais simples, sábio e aconselhável buscar manter-se longe do HIV, não permitindo que ele venha a fazer parte de sua vida apossando-se de seu corpo, habitando sua corrente sanguínea. 

Embora muito se diga, durante mais de vinte anos eu e Mara mantivemos o HIV fora da vida de outras pessoas com base em nosso relacionamento monogâmico e, entretanto, em nossos nossos diagnósticos, em nossas buscas pessoas um pelo outro, protejemos a todos os que encontramos em nossos caminhos com o preservativo e, portanto, consideramos ele, o preservativo, a melhor e mais eficiente proteção.

Ame, viva, seja feliz, trate-se! Mas não deixe o preservativo fora de suas vidas.

Obrigado pela leitura

Traduzido por Cláudio souza do Original em What Is HIV/AIDS, escrito por James Myhre e Dennis Sifris, MD 

Revisado por Mara T. Mac

Sugerimos, por analogia, esta leitura:

A Infecção primária por HIV. Como detectá-la e como agir?

3Gostou?Conte para seus amigos! Se não gostar... Conte para is inimigos 😉

2Curtir isso:

1Relacionado

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.