Há Vida Com HIV

veja! Há vida com HIV

Apoie com um pix

Clamídia e alguns fatos que você precisa saber

Clamídia e alguns fatos sobre ela é um texto que traduzi do site do CDC. Salvaguardadas algumas posturas que norte-americanos tem em relação à sexualidade, posto que “vira-e-mexe” eles tentam imbuir jovens, e adultos, da ideia que reza ser a abstinência sexual a melhor postura para evitar as DST’s, e isso é lá uma boa verdade até uma determinada idade, sempre será muito difícil convencer jovens, e mesmo adolescentes, a permanecerem assexuados.

Sim, existem, e já não são poucos, aqueles que optaram por uma “vida sem sexo”. Mas é pelo medo em si e, tanto quanto a vida ensinou-me, o medo é um péssimo conselheiro.

Clamídia e alguns fatos sobre ela é um texto que traduzi do site do CDC. Salvaguardadas algumas posturas que norte-americanos tem em relação à sexualidade, posto que “vira-e-mexe” eles tentam imbuir jovens, e adultos, da ideia que reza ser a abstinência sexual a melhor postura para evitar as DST’s, e isso é lá uma boa verdade até uma determinada idade, sempre será muito difícil convencer jovens, e mesmo adolescentes, a permanecerem assexuados.

Sim, existem, e já não são poucos, aqueles que optaram por uma “vida sem sexo”. Mas é pelo medo em si e, tanto quanto a vida ensinou-me, o medo é um péssimo conselheiro.

Creio, e é bem por isso que mantenho, a um custo pessoal cada vez mais alto, um blog sobre prevenção à infecção por HIV e outras DST’s, para orientar as pessoas, da melhor maneira que eu possa alcançar, sobre sexo, sexualidade, doenças sexualmente transmissíveis, infecções (um eufemismo a mais) sexualmente transmissíveis e os riscos de exercer a sexualidade.

Consentimento Informado

Da mesma forma com que o “consentimento informado” é uma necessidade na rotina médica, o exercício esclarecido dos riscos da vida sexual é um direito de todos, pois a vida sexual, a prática, o exercício da sexualidade saudável nos auxilia, e em muito, na aquisição da felicidade, da alegria de viver e a maneira “Norte-Americana” de mostrar o sexo parece-me tentar interditar o acesso a esta alegria.

E as coisas que eu vi, enquanto DJ, no Vagão Plaza e em outras casas noturnas mostrava-me que o pudicismo deles é, na verdade, para com os filhos e filhas deles!

Não obstante, os médicos, cientistas e profissionais de saúde de “lá” têm grandes conhecimentos, os melhores equipamentos, hospitais, ambientes de trabalho, fantásticos, mas a visão deles sobre sexo e sexualidade me confunde!. Este texto mostra-lhes um pouco sobre uma grave doença sexualmente transmissível, a clamídia.

E você pode até estar se perguntando:

O que é clamídia?

A clamídia é uma DST comum que pode infectar homens e mulheres. Pode causar danos graves e permanentes ao sistema reprodutor da mulher. Isso pode tornar difícil ou impossível para ela engravidar mais tarde. A clamídia também pode causar uma gravidez ectópica potencialmente fatal (gravidez que ocorre fora do útero).

Como a clamídia se espalha?

Você pode pegar clamídia fazendo sexo vaginal, anal ou oral com alguém que tenha clamídia.

Se o seu parceiro sexual for do sexo masculino, você ainda pode pegar clamídia, mesmo que ele não ejacule (goze). Se você já teve clamídia e já foi tratado, ainda pode ser infectado novamente. Isso pode acontecer se você tiver relações sexuais desprotegidas com alguém que tenha clamídia.

Se estiver grávida, você pode dar clamídia ao seu bebê durante o parto.

Como posso reduzir o risco de contrair clamídia?

A única maneira de evitar DSTs é usar preservativo ao ter relações sexuais vaginais, anais ou orais ou, por outro lado, abster-se de sexo. Para mim, Cláudio, na juventude, tomar tal decisão seria impossível e, se me propusessem isso, soraria-me ridículo. Eu entendo!

Se você é sexualmente ativo, pode fazer o seguinte para diminuir suas chances de contrair clamídia:

  • Ter um relacionamento mutuamente monogâmico de longo prazo com um parceiro que fez o teste e tem resultados negativos no teste de DST; a monogamia em série não resolve a questão e gera uma sensação de segurança bastante ilusória e, como toda ilusão, perigosa
  • Use preservativos de látex da maneira certa sempre que fizer sexo.

Estou em risco de contrair clamídia?

Qualquer pessoa que pratica sexo pode contrair clamídia por meio de sexo vaginal, anal ou oral desprotegido. No entanto, os jovens sexualmente ativos correm um risco maior de contrair clamídia. Isso se deve a comportamentos e fatores biológicos comuns entre os jovens. Gays, bissexuais e outros homens que fazem sexo com homens também correm risco, pois a clamídia pode se espalhar por meio do sexo oral e anal.

Tenha uma conversa franca e aberta com seu médico. Pergunte se você deve fazer o teste de clamídia ou outras DSTs. Se você é uma mulher sexualmente ativa com menos de 25 anos, deve fazer um teste de clamídia todos os anos. Se você é uma mulher idosa com fatores de risco, como novos ou múltiplos parceiros sexuais, ou um parceiro sexual que tem uma DST, você deve fazer um teste de clamídia todos os anos. Gays, bissexuais e outros homens que fazem sexo com homens; assim como as mulheres grávidas também devem fazer o teste de clamídia.

Estou grávida. Como a clamídia afeta meu bebê?

Se você estiver grávida e tiver clamídia, pode transmitir a infecção para seu bebê durante o parto. Isso pode causar infecção ocular ou pneumonia em seu recém-nascido. Ter clamídia também pode aumentar a probabilidade de parto prematuro.

Se estiver grávida, você deve fazer o teste de clamídia na primeira consulta pré-natal. Testes e tratamentos são as melhores maneiras de prevenir problemas de saúde.

Como posso saber se tenho clamídia?

A maioria das pessoas com clamídia não apresenta sintomas. Se você tiver sintomas, eles podem não aparecer até várias semanas depois de transar com um parceiro/a infectado/a. Mesmo quando a clamídia não causa sintomas, ela pode danificar o sistema reprodutor.

Mulheres com sintomas podem notar

  • corrimento vaginal anormal;
  • Uma sensação de queimação ao urinar.

Os sintomas em homens podem incluir

  • secreção do pênis;
  • Uma sensação de queimação ao urinar;
  • Dor e inchaço em um ou ambos os testículos (embora isso seja menos comum).

Homens e mulheres também podem ser infectados com clamídia no reto. Isso acontece por ter sexo anal receptivo ou por propagação de outro local infectado (como a vagina). Embora essas infecções geralmente não causem sintomas, elas podem causar

  • dor retal;
  • Descarga;
  • Sangrando.

Você deve ser examinado pelo seu médico se notar algum desses sintomas ou se seu parceiro tiver uma DST ou sintomas de uma DST. Os sintomas de DST podem incluir uma ferida incomum, uma secreção malcheirosa, queimação ao urinar ou sangramento entre os períodos.

Como meu médico saberá se eu tenho clamídia?

Os exames laboratoriais podem diagnosticar a clamídia. Seu médico pode pedir que você forneça uma amostra de urina ou pode usar (ou pedir que você use) um cotonete para obter uma amostra de sua vagina para teste de clamídia.

Clamídia pode ser curada?

Sim, a clamídia pode ser curada com o tratamento certo. É importante que você tome todos os medicamentos que seu médico prescreve para curar sua infecção. Quando tomado de forma adequada, ele interrompe a infecção e pode diminuir suas chances de ter complicações no futuro. Você não deve compartilhar medicamentos para clamídia com ninguém.

A repetição da infecção por clamídia é comum. Você deve fazer o teste novamente cerca de três meses após o tratamento, mesmo que seu (s) parceiro (s) sexual (is) tenha sido tratado (s).

Fui tratado para esta doença. Quando posso fazer sexo novamente?

Você não deve fazer sexo novamente até que você e seu (s) parceiro (s) sexual (is) tenham completado o tratamento. Se o seu médico prescrever uma única simples dose de medicamento, você deve esperar sete dias após tomar o medicamento antes de praticar sexo. Se o seu médico prescrever um medicamento para você tomar durante sete dias, você deve esperar até ter tomado todas as doses antes de fazer sexo.

O que acontece se eu não for tratado?

O dano inicial que a clamídia causa muitas vezes passa despercebido. No entanto, a clamídia pode causar sérios problemas de saúde.

Se você for mulher, a clamídia não tratada pode se espalhar para o útero e as trompas de falópio (trompas que transportam os óvulos fertilizados dos ovários para o útero). Isso pode causar doença inflamatória pélvica (DIP). 

A DIP geralmente não apresenta sintomas, no entanto, algumas mulheres podem ter dor abdominal e pélvica. Mesmo que não cause sintomas inicialmente, o DIP pode causar danos permanentes ao seu sistema reprodutivo. DIP pode levar a dor pélvica de longo prazo, incapacidade de engravidare gravidez (fora do útero) ectópica potencialmente mortal.

Os homens raramente têm problemas de saúde relacionados à clamídia. A infecção às vezes se espalha para o tubo que transporta os espermatozoides dos testículos, causando dor e febre. Raramente, a clamídia pode impedir um homem de ter filhos.

A clamídia não tratada também pode aumentar suas chances de contrair ou transmitir o HIV – o vírus que causa a AIDS.

Traduzido por Cláudio Souza em 15 de janeiro de 2021, do original em Chlamydia 

Se a leitura te esclareceu, pontuou melhor suas dúvidas, se te ajudou, eu já fico bastante feliz por isso! E se você acha que vale na pena, se você pode e quer ajudar, por favor, faça uma cooperação voluntária.

Para fazer um PIX de qualquer valor use o e-mail [email protected]

É muito bom poder contar contigo.

Obrigado

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Converse com Cláudio Souza