Anúncios
News Ticker

Como é a infecção por HIV? Como ela nos conduz à enfermidade?…

Pessoal, manter o site nos traz custos, custos estes que estão difíceis para arcarmos sozinhos. Nós queremos continuar trazendo informações e ajudando as pessoas que chegam até aqui, mas para isso também precisamos de ajuda. Qualquer valor é bem vindo e nos ajudará a manter o site de pé, caso contrário não conseguiremos mais ter esse canal de informação e ajuda mútua. Segue a conta para depósito: Banco do Brasil, agência 1521-0, conta corrente 19957-5, em nome de Claudio Souza
Human Immune System attack the virus made in 3d software

 

O complicado e delicado processo que o HIV “usa” para nos colocar doentes?

Quase trinta anos após a documentadas os primeiros  casos de AIDSnós ainda não sabemos exatamente como o HIV destrói o sistema imunológico (!!!). Mas a inflamação – ativação imune sustentada – é visto, agora, como um fator chave no processo em que concretizam seus danos, de maneira parecida como a do fogo sob a tundra. A pesquisa está revisando a maneira como o vírus é entendido – e como ele pode ser combatido com maior eficácia e de forma contundente.

A infecção por HIV não tratada é evidentemente, desde o início da epidemia dica demonstrado que, cedo ou tarde, o HIV facilmente provoca uma perda maciça de células CD4 e as defesas imunológicas do organismo humano. Se a contagem de células CD4 cai a níveis suficientemente baixos e o HIV, infelizmente, faz isso com  facilidade, o organismo se torna presa fácil de infecções oportunistas e cânceres que o sistema imunológico, previamente saudável, pode derrotar de forma eficiente e silenciosa na maior parte das vezes.

Talvez, surpreendentemente, e entretanto, ainda não completamente compreendido, o processo como HIV esgota células CD4. Além disso, enquanto o tratamento antirretroviral tem permitido que as pessoas vivendo com HIV tem podido manterem-s saudáveis, com melhores contagens de glóbulos brancos com o Receptor CD4, em todos aqueles que são medicados e tenham uma adesão de, no mínimo, noventa e cinco por cento (a bem da verdade a minha adesão é de cem por cento, mas ainda pode ter sua vida aniquilada de forma acachapante, a vida das pessoas está sob risco de contrair ou desenvolver infecções oportunistas, como uma retinite por citomegalovírus (CMV), que pode fazer com que a pessoa perca a visão e sua capacidade de enxergar se torna inferior em qualidade e acuidade, e que pode deixá-lo cego, por completo, de forma irremissível e ainda há, por exemplo, a pneumonia por Pneumocystis (PCP), problemas como as doenças cardiovasculares (eu, Cláudio Souza, sofri duas embolias pulmonares, sendo que uma delas foi massiça, bem como doenças renais instaladas generalizadamente. As toxicidades do tratamento anti-retroviral – tais como o aumento do colesterol – não explicam completamente tais complicações: própria infecção pelo HIV é agora entendida para aumentar significativamente os riscos metabólicos.

Vários conceitos emergentes podem lançar alguma luz sobre estas questões. A inflamação – o prolongado estado de ativação imune resultante do sistema imune em curso da batalha com o vírus – parece ser um fator chave dos distúrbios metabólicos e doenças cardiovasculares (as minhas embolias pulmonares foram disparadas por estes gatilhos). A pesquisa também revelou que o trato digestivo pode desempenhar um papel muito maior na progressão da doença por HIV do que o anteriormente realizado e, na verdade, pode ser uma das mais fortes fontes de ativação imune.

Infecção precoce e os intestinos

Intestines Sketch

Isso é você, sua namorada, eu… Omni Similis Summus

 O curso da infecção pelo HIV segue em grande parte como um padrão característico para a maioria das pessoas. Durante as primeiras semanas – infecção aguda – o sistema imune tem ainda não aprendeu a responder ao novo intruso. Os níveis de HIV são elevados em todo o corpo e o número de células CD4 no plasma sanguíneo se estabelece acentuadamente gotas. Testes de agora sugerem que, olhando apenas as células CD4 no sangue, o que pode ter subestimado a medida global de esta queda precoce. Apenas uma pequena fracção (2%) do organismo as células CD4 são efetivamente encontrados no sangue circulante. A maioria vive em linfonodos (estas incluem a ” glândulas’ você pode por vezes sentir no pescoço e região inguinal quando você tiver uma infecção), nos intestinos associados ao tecido linfoide (GALT Nota to Tradutor, GALT é um acrônimo em Inglês para o texto marcado em vermelho acima que, em inglês, é definido como: Gut-associated lymphoid tissue ), onde estão presentes como grupos de células imunes forro por toda a extensão dos intestinos em membranas mucosas de outros órgãos expostos a substâncias estranhas, tais como os pulmões e a genitália. Os pesquisadores observaram uma perda maciça de células de memória de CD4 neste tecido dos intestinos rapidamente após a infecção. (Nota: Se eu deixasse aqui apenas o texto com células de memória isso não seria compreendido em sua importância dramática e a severa perda que isso representa para nós, pessoas vivendo com HIV ou AIDS. Eu pesquisei pela rede e achei, na Wikipedia a seguinte definição:

Células T de memória são derivadas de outros linfócitos T que aprenderam a responder a um invasor específico, por exemplo uma espécie de bactéria, ou um tipo de fungo ou mesmo a um alérgeno e foram bem sucedidos em eliminar-los. Passam a viver por muitos anos, e podem ser re-ativados para uma resposta mais rápida a um invasor similar ao que combateu no passado. Por exemplo, um linfócito que foi ativado para combater sarampo (por contato direto ou por vacina) pode seguir combatendo novas invasões pelo vírus do sarampo garantindo imunidade vitalícia a esse indivíduo.[9] No final deste texto você encontrará um link que leve direto para toda a pagina da Wikipedia

Danny Douek, pesquisadora do US National Institute of Allergy and Infectious Diseases (O NIAID), estudou de perto o processo:

“Uma vez que pensávamos que células CD4 eram perdidos lentamente, mas seguramente durante o curso da doença. Mas observamos que a maioria das células T de memória exterior – que é a maioria das células CD4 em um adulto – é perdida de forma extremamente rápida”. Cerca de 60% de células de memória podem ficar infectadose, na maioria das pessoas, pode desaparecer dentro das primeiras duas semanas de infecção  (…).

Idealmente, o tratamento do HIV pode precisar de proteção contra ambas as imunodeficiências e estimulação. É provável que este seja um objetivo complexo, e o consenso é de que a investigação considerável ainda é necessária.

Além de decapagem (a remoção de camadas menos internas do vírus) com o tecido de muitas células CD4, o HIV também provoca danos estruturais ao tecido imune intestinal e para os linfonodos onde muitas células imunes residem normalmente. Estudos recentes têm encontrado que estes tecidos se tornaram marcados com colágeno durante a infecção aguda.2

Pesquisadores especulam que esse dano interfere com o crescimento de células normais e as interações celulares, limitando a capacidade de o sistema imune  regenerar totalmente as células CD4 perdidas na infecção precoce. Intestinos e dano teciduais pode também contribuir para a inflamação que ajuda a conduzir a fases posteriores de doença por HIV – um ponto voltaremos a.3

A infecção crônica: por que células CD4 morrem?

Após a intensa atividade de algumas semanas de infecção aguda, o corpo começa a produzir anticorpos e células imunes que visam especificamente o HIV. Durante este período (conhecido como soroconversão), queda de níveis de carga viral e a contagem de células CD4 retorna para perto de níveis normais. Neste ponto, a doença entra em uma fase prolongada conhecido como infecção crônica. (isso é tudo que pode-se dizer a respeito de “doença crônica”  – a AIDS é uma síndrome que pouco ou nada tem a ver com doença crônica… A AIDS tem, sim, tudo a ver com Deficiência Imunológica adquirida – A AIDS em si não é uma doença crônica)

Nos primeiros anos da epidemia, o vírus foi mesmo pensamento para adormecidos durante o longo período de infecção crônica. Isto provou ser completamente errado: o advento do teste de carga viral em meados da década de provou que o vírus continua ativamente para infectar células CD4 e outros a partir do momento da infecção em diante, produzindo milhões de novas cópias de cada dia.

Lymphatic and digestive system of Female body artworkÉ o vírus diretamente quem mata as células CD4? É fácil presumir que deve ser a principal razão para a eventual queda de contagens de CD4. Mas a verdade é mais complexa. Consideravelmente menos do que 1% circulantes de células CD4 estão realmente infectados pelo HIV durante a infecção crônica – muito poucos para explicar a perda global – e milhões de novas células CD4 são criados a cada dia. Nos últimos anos, os pesquisadores têm descoberto possíveis outros meios pelos quais o HIV leva à perda de células CD4. Estas incluem tóxicas proteínas virais, clarões por células infectadas, que pode matar células não infectadas no chamado “efeito espectador”. O HIV pode também desencadear as células em “suicídio” em um processo chamado de apoptose, ou morte celular programada.4

Outros mecanismos são susceptíveis de ser no trabalho bem, incluindo – ironicamente – o sistema imune da própria resposta ao VIH. O vírus pode infectar apenas as células CD4 ativadas – aqueles que foram “ligados” para lutar contra a infecção. Em outras palavras, pelo próprio ato de entrar em ação contra o vírus, células CD4 se tornam si próprios metas para a infecção. Este paradoxo é inevitável um certo grau, desde a ativação de células imunes é uma parte essencial da função imune. No entanto, há evidências crescentes de que o prolongamento e a excessiva ativação imune – inflamação – estar subjacente a muito do dano contínuo de doença por HIV.5

Ultrapassagem Imunológica

Segue na próxima página

Anúncios

Precisa de algo? Ou quer ajudar?






Precisa conversar

Whats App Soropositivo.Org

A PEP é um direito de todos! Saiba onde a achar! Clique na imagem

A PEP é um direito de Todos

A PEP É um DIREITO DEDOS

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico 2013/2014

Top Blog Pessoal Saúde Juri Acadêmico
%d blogueiros gostam disto: