4.9 C
Nova Iorque
sexta-feira, outubro 30, 2020

Buy now

Sobre a dificuldade das mulheres em falar sobre o uso de preservativo

 

A Dificuldade da Mulher em Negociar o Uso do Preservativo

Por I.SJ

a dificuldade das mulheres em falar sobre o uso de preservativoEu, Cláudio, convidei esta grande amiga a ter uma coluna comigo aqui no blog, pois eu não me sinto muito bem com a Coisa do “Bloco do eu sozinho”. Antes de dar passagem a ela eu gostaria de estabelecer um ponto e fazer uma advertência. Advertência esta que eu fiz ao vivo, para uma mulher, em uma programa de entrevistas,o Linkkados na  Área, da ESPM, atendendo a um convite gentil de Elisabete X.

A advertência é simples, e se baseia no que conheço de pilantragem e cafajestagem masculina que coloca o preservativo e o remove e, com trinta mil diabos, eu não entendo o porquê desta canalhice. MULHERES: Debalde vossas preferênia e prazeres, mantenham a relação em posições em que vocês possam controlar o uso do preservativo durante todo o intercurso ou, recusem o dele, e usem o feminino,porque eles entendem tanto de mulheres que nem perceberão a coisa. O ponto é o seguinte: E é bem mais complicado resolver isso.  Antes de seguir, quero colar um trecho da matéria de Marta Suplici para um dos periódicos deste Nosso Estado, que trocou o pastel chuchu por margarina (é só para manter o bom humor, senhores).

Meninas Sem Futuro

O último Censo mostrou que 43 mil meninas menores de 14 anos vivem relacionamentos estáveis no Brasil como se fossem mulheres. A prática é ilegal, a maioria vive em união consensual (estupro consensual em troca de comida, eu digo), sem registro. Segundo estudos, mais da metade dos brasileiros não usa camisinha. Apesar dela representar a forma mais segura para não se contrair doenças sexualmente transmissíveis como o HIV, por exemplo, ainda assim existe uma forte resistência em relação ao método. Uma questão paradoxal, já que segundo o Ministério da Saúde, constata que pelo menos 95% de a população tem ciência de que a camisinha seja a maneira mais eficaz para não se contrair esta e outras DST´S.

Aqui entrego-vos o melhor deste texto!

a dificuldade das mulheres em falar sobre o uso de preservativoSegundo estudos, mais da metade dos brasileiros não usa camisinha. Apesar dela representar a forma mais segura para não se contrair doenças sexualmente transmissíveis como o HIV, por exemplo, ainda assim existe uma forte resistência em relação ao método. Uma questão paradoxal, já que segundo o Ministério da Saúde, constata que pelo menos 95% de a população tem ciência de que a camisinha seja a maneira mais eficaz para não se contrair esta e outras DST´S.

Então, por que o número de pessoas contaminadas vêm aumentando ano após ano?

As Três Vertentes

mulheres de todas as cores, diversos amoresTrês vertentes se abrem para esta questão: Os adolescentes deste momento social não tiveram contato com as pessoas infectadas nos primórdios dos anos 90 e não vivenciaram o grande impacto que a AIDS trouxe para a nossa sociedade com o definhamento do indivíduo por conta da falta de imunidade, deixando o portador à mercê de qualquer outra doença (é naquilo em que a maioria crê, mas são as doenças oportunistas que comprometem qualidade e expectativa de vida e uma delas, cedo ou tarde certamente lhe seria fatal. A falta desta vivência somado à falta de campanhas massivas de conscientização, assim como o próprio desenvolvimento das terapias antirretrovirais a tornou menos assustadora.

Entre os mais velhos, a falta do hábito em nossos costumes de alguma maneira associada a falta de confiança no parceiro ou até mesmo como uma “prova de amor”, ainda tem muito peso nas relações íntimas.

Ao direcionarmos nosso olhar às mulheres, especificamente, notamos questões de ordem cultural, social e psicológicas que contribuem para praticamente definirem se um dia estarão à beira do precipício.

Atestado de infidelidade ou Contestação de Fidelidade?

Na questão cultural ainda à sombra do machismo, temos mulheres que acreditam que esta atitude deve partir do homem com quem se relacionam; afinal, o que seu parceiro poderia pensar sobre a sua conduta sexual diante deste pedido?

Numa visão social , imaginemos um casal constituído dentro de uma relação monogâmica. Se esta é a condição acordada entre as partes, por que seria necessário este método preventivo? O que haveria de se prevenir numa relação baseada na confiança mútua? Leiam aqui (outra aba).

 No que tange às questões psicológicas, como a falta de autoestima pode influenciar neste comportamento?

        O que precisamos é desconstruir todas elas, através da racionalização e muitas vezes com a ajuda de profissionais paradigmas ultrapassados que só nos atrasam individual e coletivamente.

Não há outro jeito… Informação, informação e informação é a única solução.

Opressão De Gênero. Makes me ill

 

[contact-form][contact-field label=”Nome” type=”name” required=”true” /][contact-field label=”E-mail” type=”email” required=”true” /][contact-field label=”Site” type=”url” /][contact-field label=”Mensagem” type=”textarea” /][/contact-form]

Related Articles

Sou Soropositivo! Estou Vivendo Com HIV! E Agora? O Que Faço?

De resto, pode seguir estes passos gradualmente. Esta é uma grande mudança e você levará algum tempo para integrá-la à sua autoimagem de uma forma positiva. Não tenha pressa, mas incentive e celebre os pequenos avanços em seu pensamento sobre o HIV. Tenha em mente que você esta vivendo na segunda década do século XXI e, esperançosamente, isso é consideravelmente melhor que esta na [ultima década do Século XX, embora nada tenha de fácil a vida com HIV!

Riscos do Sexo Oral

Riscos do sexo oral se você pega ou passa HIV pelo sexo oral tem todas as respostas que você precisa aqui nesta página sobre riscos da felação, a #¿$?%!¡, que está intrinsecamente ligado ao medo e a “ignorância cultivada” dentro da vida sexual das pessoas, e este “binômio” me traz muitas pessoas. Assim, eu concluí que, para muitas pessoas, está é a uma das “eternas dúvidas” dentro da vida sexual das pessoas, quase sempre tão ignorantes a respeito de sexo oral e HIV! Eu quero estabelecer, neste ponto que a chupeta oferece, para muitos, uma experiência intensamente prazerosa

O que São Antirretrovirais? Eis Uma Visão geral 

O que são antirretrovirais? Os antirretrovirais são os medicamentos que mudaram a face da pandemia HIV/AIDS para algo controlável, que deixou de ser uma ceifadora de vidas. No entanto, eles ainda não removeram a ameaça que a pandemia HIV/AIDS representa e nem mesmo com grande otimismo chegamos à reta final desta pandemia. Pois, apesar de todo o esforço feito por organizações não governamentais e iniciativas individuais, o HIV ainda continuará a ser contraído. E por muito tempo ainda.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Stay Connected

0FansLike
0FollowersFollow
0SubscribersSubscribe
- Advertisement -

Latest Articles

Sou Soropositivo! Estou Vivendo Com HIV! E Agora? O Que Faço?

De resto, pode seguir estes passos gradualmente. Esta é uma grande mudança e você levará algum tempo para integrá-la à sua autoimagem de uma forma positiva. Não tenha pressa, mas incentive e celebre os pequenos avanços em seu pensamento sobre o HIV. Tenha em mente que você esta vivendo na segunda década do século XXI e, esperançosamente, isso é consideravelmente melhor que esta na [ultima década do Século XX, embora nada tenha de fácil a vida com HIV!

Riscos do Sexo Oral

Riscos do sexo oral se você pega ou passa HIV pelo sexo oral tem todas as respostas que você precisa aqui nesta página sobre riscos da felação, a #¿$?%!¡, que está intrinsecamente ligado ao medo e a “ignorância cultivada” dentro da vida sexual das pessoas, e este “binômio” me traz muitas pessoas. Assim, eu concluí que, para muitas pessoas, está é a uma das “eternas dúvidas” dentro da vida sexual das pessoas, quase sempre tão ignorantes a respeito de sexo oral e HIV! Eu quero estabelecer, neste ponto que a chupeta oferece, para muitos, uma experiência intensamente prazerosa

O que São Antirretrovirais? Eis Uma Visão geral 

O que são antirretrovirais? Os antirretrovirais são os medicamentos que mudaram a face da pandemia HIV/AIDS para algo controlável, que deixou de ser uma ceifadora de vidas. No entanto, eles ainda não removeram a ameaça que a pandemia HIV/AIDS representa e nem mesmo com grande otimismo chegamos à reta final desta pandemia. Pois, apesar de todo o esforço feito por organizações não governamentais e iniciativas individuais, o HIV ainda continuará a ser contraído. E por muito tempo ainda.

Sexo Oral Gonorreia e lésbicas

Sexo oral, gonorreia e lésbicas não são temas corriqueiros. E é bem por isso que eles me preocupa,. Se toda hora alguém me perguntasse...

O que é a carga viral?

O objetivo do teste de a carga viral é simples: quanto menos cópias do HIV no sangue, melhor. Ao iniciar o tratamento, os testes de carga viral fornecem as medidas de linha de base pelas quais os testes posteriores são comparados. Cada queda de dez vezes na carga viral é considerada uma queda de um tronco. Por exemplo, se a carga viral cair de 50.000 cópias/mL para 500 cópias/mL, diz-se que o paciente tem uma queda de dois troncos na carga viral
Olá! Sou o Beto Volpe! Quer Conversar? Diga olá! Mas tenha em mente que eu trabalho aqui entre 9:00 da manhã e 20 horas. Você pode deixar a mensagem, mas eu responderei nestes horários. Talvez eu demore, mnas em *SEMPRE RESPONDO*
Olá! Será que você me autorizaria a te avisar quando eu fizesse uma nova publicação ou atualização de um texto? Veja bem, eu não teria a menor ideia a respeito de quem você é! Seria algo anônimo, que me deixaria feliz por sua atenção e interesse. Quando eu fui DJ meu salário era a gritaria! Agora, é seu interesse! E, me perdõem por algum erro ortográfico. Eu sou disléxico e a neuropatia periférica complica ainda mais toda esta coisa. :-(
Dismiss
Allow