Neuropatia Periférica, os fatos

Home / Neuropatia Periférica Por HIV / Neuropatia Periférica, os fatos
Neuropatia Periférica, Blog Soropositivo. Org
Neuropatia Periférica Por HIV

Neuropatia periférica é um problema que pode acometer pessoas quem vivem com HIV. Aquelas cujos tratamentos são mais antigos tem maiores propensões. Sobeviver ao AZT não bastou para mim, por exemplo!

 

O que é neuropatia periférica?

Neuropatia Periférica, Blog Soropositivo. OrgA neuropatia periférica refere-se às muitas condições que envolvem danos ao sistema nervoso periférico, à vasta rede de comunicação que envia sinais entre o sistema nervoso central (o cérebro e a medula espinhal) e todas as outras partes do corpo. Os nervos periféricos enviam muitos tipos de informações sensoriais ao sistema nervoso central (SNC), como uma mensagem de que os pés estão com frio. 

Eles também transmitem sinais do SNC para o resto do corpo. Mais conhecidos são os sinais para os músculos que os mandam contrair, e é assim que nos movemos, mas existem diferentes tipos de sinais que ajudam a controlar tudo, desde o coração e os vasos sanguíneos, digestão, micção, função sexual, ossos e sistema imunológico. sistema. 

Os nervos periféricos são como os cabos que conectam as diferentes partes de um computador ou conectam a Internet. Quando eles funcionam mal, funções complexas podem parar.

A sinalização nervosa na neuropatia é interrompida de três maneiras:

  • perda de sinais normalmente enviados (como um fio quebrado)
  • sinalização inadequada quando não deve haver nenhum(como estático na linha telefônica)
  • erro que distorce as mensagens enviadas (como uma televisão ondulada imagem)

 

Neuropatia Periférica Pode Incapacitar Gradativa e paulatinamente!

Os sintomas podem variar de leve a incapacitante e raramente são fatais (ufa).

Os sintomas dependem do tipo de fibras nervosas afetadas e do tipo e gravidade dos danos. Os sintomas podem se desenvolver ao longo de dias, semanas ou anos. 

Em alguns casos, os sintomas melhoram por conta própria e podem não exigir cuidados avançados. 

Ao contrário das células nervosas no sistema nervoso central, as células nervosas periféricas continuam a crescer ao longo da vida. (eu não sabia disso! Pode haver esperança)

Algumas formas de neuropatia envolvem danos a apenas um nervo (chamado mononeuropatia). A neuropatia que afeta dois ou mais nervos em áreas diferentes é denominada mononeuropatia múltipla ou mononeuropatia múltipla. Mais frequentemente, muitos ou a maioria dos nervos são afetados (chamados polineuropatia). Este sou eu!!!

Estima-se que mais de 20 milhões de pessoas nos Estados Unidos tenham alguma forma de neuropatia periférica, mas esse número pode ser significativamente maior – nem todas as pessoas com sintomas de neuropatia são testadas para a doença e os testes atualmente não procuram todas as formas de neuropatia. A neuropatia é frequentemente diagnosticada devido à sua complexa gama de sintomas.

As polineuropatias causadas geneticamente são raras. Mutações genéticas podem ser herdadas ou surgir de novo, o que significa que são mutações completamente novas para um indivíduo e não estão presentes em nenhum dos pais. Algumas mutações genéticas levam a neuropatias leves com sintomas que começam no início da idade adulta e resultam em pouco, se houver, comprometimento significativo. Neuropatias hereditárias mais graves geralmente aparecem na infância ou na infância. A doença de Charcot-Marie-Tooth, também conhecida como neuropatia motora e sensorial hereditária, é um dos distúrbios neurológicos hereditários mais comuns.

As neuropatias de fibras pequenas que se apresentam com dor, coceira e sintomas autonômicos também podem ser genéticas. À medida que nossa compreensão das

Os sintomas estão relacionados ao tipo de nervos afetados.

O dano do nervo motor é mais comumente associado à fraqueza muscular. Outros sintomas incluem cãibras dolorosas, fasciculações (contrações musculares descontroladas visíveis sob a pele) e encolhimento muscular.

O dano ao nervo sensitivo causa vários sintomas porque os nervos sensoriais têm uma ampla gama de funções.

  • Danos às grandes fibras sensoriais prejudicam a capacidade de sentir vibrações e toques, especialmente nas mãos e pés. Você pode sentir como se estivesse usando luvas e meias, mesmo quando não estiver. Esse dano pode contribuir para a perda de reflexos (assim como o dano do nervo motor). A perda do senso de posição geralmente torna as pessoas incapazes de coordenar movimentos complexos, como caminhar ou apertar botões ou manter o equilíbrio quando os olhos estão fechados.
  • As “pequenas fibras” sem bainhas de mielina (revestimento protetor, como o isolamento que normalmente envolve um fio) incluem extensões de fibras chamadas axônios que transmitem sensações de dor e temperatura. A polineuropatia de fibras pequenas pode interferir na capacidade de sentir dor ou alterações na temperatura. Muitas vezes, é difícil para os profissionais de saúde controlar, o que pode afetar seriamente o bem-estar emocional do paciente e a qualidade de vida geral. Às vezes, a dor neuropática é pior à noite, interrompendo o sono. Isso pode ser causado por receptores de dor que disparam espontaneamente sem nenhum gatilho conhecido ou por dificuldades no processamento de sinais na medula espinhal que podem causar dor intensa (alodinia) por um toque leve que normalmente é indolor. Por exemplo, você pode sentir dor ao tocar seus lençóis, mesmo quando coberto levemente pelo corpo.

O dano nervoso autônomo afeta os axônios nas neuropatias de fibras pequenas. Os sintomas comuns incluem transpiração excessiva, intolerância ao calor, incapacidade de expandir e contrair os pequenos vasos sanguíneos que regulam a pressão sanguínea e sintomas gastrointestinais. Embora raro, algumas pessoas desenvolvem problemas para comer ou engolir se os nervos que controlam o esôfago são afetados.

Existem vários tipos de neuropatias periféricas, sendo a mais comum a diabetes. Outra polineuropatia grave é a síndrome de Guillain-Barre, que ocorre quando o sistema imunológico do corpo ataca por engano os nervos do corpo. Os tipos comuns de mononeuropatia focal (localizada em apenas uma parte do corpo) incluem a síndrome do túnel do carpo, que afeta a mão e o punho, e a meralgia parestésica, que causa dormência e formigamento em uma coxa. A síndrome da dor regional complexa é uma classe de neuropatias persistentes em que as fibras pequenas são danificadas principalmente, além do que desordens genéticas aumenta, muitos novos genes estão sendo associados à neuropatia periférica.

Função dos Testes fisiológicos

Os Testes Fisiológicos

  • Velocidade Nervosa de condução nervosa (NCV) medem a força e a velocidade do sinal ao longo de grandes nervos motores e sensoriais específicos. Eles podem revelar nervos e tipos de nervos afetados e se os sintomas são causados ​​pela degeneração da bainha de mielina ou do axônio. Durante esse teste, uma sonda estimula eletricamente uma fibra nervosa, que responde gerando seu próprio impulso elétrico. Um eletrodo colocado ao longo dado nervo viamede a velocidade de transmissão do sinal ao longo do axônio. As taxas de transmissão lenta tendem a indicar danos à bainha de mielina, enquanto uma redução na força dos impulsos em velocidade normal é um sinal de degeneração axonal. Incapacidade de obter sinais pode indicar problemas graves com qualquer um deles.
  • A eletromiografia (EMG) envolve a inserção de agulhas muito finas em músculos específicos para registrar sua atividade elétrica em repouso e durante a contração. O EMG testa irritabilidade e capacidade de resposta, detecta atividade elétrica muscular anormal na neuropatia motora e pode ajudar a diferenciar entre distúrbios musculares e nervosos.

Testes neuropatológicos da aparência do

  • Nervo A biópsia do nervo envolve a remoção e o exame de uma amostra de tecido nervoso, geralmente um nervo sensorial da parte inferior da perna (chamada biópsia do nervo sural). Embora uma biópsia do nervo possa fornecer as informações mais detalhadas sobre os tipos exatos de células nervosas e partes celulares afetadas, pode danificar ainda mais o nervo e deixar dor neuropática crônica e perda sensorial.
  • A biópsia neurodiagnóstica da pele permite que os especialistas examinem as terminações das fibras nervosas após a remoção de apenas um pedacinho de pele (geralmente 3 mm de diâmetro) sob anestesia local. As biópsias de pele tornaram-se o padrão ouro para o diagnóstico de neuropatias de fibras pequenas que não afetam os estudos de condução nervosa padrão e a eletromiografia.

Teste autonômico

  • Vários tipos diferentes de teste autonômico podem avaliar neuropatias periféricas, um dos quais é um teste QSART que mede a capacidade de suar em vários locais no braço e na perna. Anormalidades no QSART estão associadas a polineuropatias de pequenas fibras.

Testes de imagem por radiologia

  • A ressonância magnética da coluna vertebral pode revelar compressão da raiz nervosa (“nervo comprimido), tumores ou outros problemas internos. A ressonância magnética do nervo (neurografia) pode mostrar compressão do nervo.
  • A tomografia computadorizada (TC) das costas pode mostrar hérnia de disco, estenose espinhal (estreitamento do canal vertebral), tumores, irregularidades ósseas e vasculares que podem afetar os nervos.

A ultrassonografia de músculos e nervos é uma técnica experimental não invasiva para geração de imagens de nervos e músculos para lesões, como um nervo rompido ou um nervo comprimido. A imagem ultrassonográfica dos músculos pode detectar anormalidades que podem estar relacionadas a um distúrbio muscular ou nervoso. Certos distúrbios musculares herdados têm padrões característicos no ultrassom muscular.

Função dos Testes fisiológicos

Os Testes Fisiológicos

  • Velocidade Nervosa de condução nervosa (NCV) medem a força e a velocidade do sinal ao longo de grandes nervos motores e sensoriais específicos. Eles podem revelar nervos e tipos de nervos afetados e se os sintomas são causados ​​pela degeneração da bainha de mielina ou do axônio. Durante esse teste, uma sonda estimula eletricamente uma fibra nervosa, que responde gerando seu próprio impulso elétrico. Um eletrodo colocado ao longo dado nervo viamede a velocidade de transmissão do sinal ao longo do axônio. As taxas de transmissão lenta tendem a indicar danos à bainha de mielina, enquanto uma redução na força dos impulsos em velocidade normal é um sinal de degeneração axonal. Incapacidade de obter sinais pode indicar problemas graves com qualquer um deles.
  • A eletromiografia (EMG) envolve a inserção de agulhas muito finas em músculos específicos para registrar sua atividade elétrica em repouso e durante a contração. O EMG testa irritabilidade e capacidade de resposta, detecta atividade elétrica muscular anormal na neuropatia motora e pode ajudar a diferenciar entre distúrbios musculares e nervosos.

Testes neuropatológicos da aparência do

  • Nervo A biópsia do nervo envolve a remoção e o exame de uma amostra de tecido nervoso, geralmente um nervo sensorial da parte inferior da perna (chamada biópsia do nervo sural). Embora uma biópsia do nervo possa fornecer as informações mais detalhadas sobre os tipos exatos de células nervosas e partes celulares afetadas, pode danificar ainda mais o nervo e deixar dor neuropática crônica e perda sensorial.
  • A biópsia neurodiagnóstica da pele permite que os especialistas examinem as terminações das fibras nervosas após a remoção de apenas um pedacinho de pele (geralmente 3 mm de diâmetro) sob anestesia local. As biópsias de pele tornaram-se o padrão ouro para o diagnóstico de neuropatias de fibras pequenas que não afetam os estudos de condução nervosa padrão e a eletromiografia.

Teste autonômico

  • Vários tipos diferentes de teste autonômico podem avaliar neuropatias periféricas, um dos quais é um teste QSART que mede a capacidade de suar em vários locais no braço e na perna. Anormalidades no QSART estão associadas a polineuropatias de pequenas fibras.

Testes de imagem por radiologia

  • A ressonância magnética da coluna vertebral pode revelar compressão da raiz nervosa (“nervo comprimido), tumores ou outros problemas internos. A ressonância magnética do nervo (neurografia) pode mostrar compressão do nervo.
  • A tomografia computadorizada (TC) das costas pode mostrar hérnia de disco, estenose espinhal (estreitamento do canal vertebral), tumores, irregularidades ósseas e vasculares que podem afetar os nervos.

A ultrassonografia de músculos e nervos é uma técnica experimental não invasiva para geração de imagens de nervos e músculos para lesões, como um nervo rompido ou um nervo comprimido. A imagem ultrassonográfica dos músculos pode detectar anormalidades que podem estar relacionadas a um distúrbio muscular ou nervoso. Certos distúrbios musculares herdados têm padrões característicos no ultrassom muscular.

  1. Preditores de neuropatia periférica e HIV na era moderna
  2. A dor crônica é um problema enorme entre as pessoas com HIV ou AIDS
  3. AIDS: A “Doença Crônica”       Leitura recomendadíssima! Doença Crônica? Sim. Mas nem mesmo o diabetes é esta festa!
  4. Neuropatia Periférica e Sintomas. Artigo Nº 2
  5. Neuropatia Periférica por HIV
  6. Causas da Neuropatia periférica
  7. Neuropatia Periférica Por HIV e Suas causas
  8. Regimes de tratamentos  anti-retrovirais não Nucleosídeos, são sempre uma opção segura?
  9.  Antidepressivo melhora o comprometimento cognitivo relacionado ao HIV
  10. Neuropatia Periférica – Artigo N. 01

 

Neuropatia Periférica, Blog Soropositivo. Org
A imagem é clicável e abre em outra aba

Publicações Relacionadas

Infecção Por HIV E Baixa Contagem de CD4 São Associadas a Arterosclerose

Cláudio Souza

Beijei na boca Uma Soropositiva! E agora? Beijo passa HIV?

Cláudio Souza

A Janela Imunológica, um Um Triste Papo Com Anônimo

Cláudio Souza

Soropositivo.Org, Wordpress.com e Automattic fazem tudo a nosso alcance no que tange à sua privacidade. Você pode saber mais sobre esta política neste link Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Ler Tudo em Política de Privacidade

Política de cookies e privacidades
Whatsapp WhatsApp Us
Olá! Sou o Beto Volpe! Quer Conversar? Diga olá! Mas tenha em mente que eu trabalho aqui entre 9:00 da manhã e 20 horas. Você pode deixar a mensagem, mas eu responderei nestes horários. Talvez eu demore, mnas em *SEMPRE RESPONDO*

Este Site usa Cookies e você pode recusra este uso. Mas pode saber bem o que está sendo registrado em, conssonãncia com nossa política de privacidade