Sexo Oral Não Constitui Relação Sexual Para Jovens

A mai­o­ria dos adul­tos jo­vens con­cor­dam que a pe­ne­tração va­gi­nal é se­xo, mas me­nos de 20% acha que o se­xo oral con­ta co­mo re­lação se­xu­al, de acor­do com uma pes­qui­sa da Uni­ver­si­da­de nos Es­ta­dos Uni­dos.

Numa pesquisa que en­vol­veu  pouco mais de quatrocentos es­tu­dan­tes , em sua mai­o­ria bran­cos he­te­ros­se­xu­ais do se­xo fe­mi­ni­no, ma­tri­cu­la­dos em um cur­so de se­xu­a­li­da­de hu­ma­na, em que 98% dessas mulheres possuíam pouco menos de vinte e cinco anos, com uma faixa etária média de pouco mais de vinte anos (20), esta ati­tu­de e postura em re­lação ao se­xo oral re­pre­sen­ta uma mu­dança dramáti­ca e re­pen­ti­na no pen­sa­men­to des­de 1991, quan­do uma pes­qui­sa si­mi­lar cons­ta­tou que qua­se o do­bro de jo­vens adul­tos (cer­ca de 40%) clas­si­fi­ca­vam o con­ta­to oral-ge­ni­tal co­mo se­xo.

De acor­do com os au­to­res do es­tu­do, os pro­gra­mas de edu­cação se­xu­al que se con­cen­tram prin­ci­pal­men­te nas re­lações se­xu­ais va­gi­nais e pe­ni­a­nas po­dem de­sem­pe­nhar um pa­pel na dis­so­ciação de es­ti­mu­lação oral-ge­ni­tal co­mo par­te do se­xo.

Os par­ti­ci­pan­tes res­pon­de­ram às se­guin­tes per­gun­tas:

Você con­si­de­ra que te­ve se­xo com al­guém se o com­por­ta­men­to mais ínti­mo foi:

  • -Pe­ne­tração va­gi­nal?
  • -Coi­to anal?
  • -Con­ta­to oral com os ge­ni­tais do par­cei­ro?
  • -Se o par­cei­ro to­ca seus ge­ni­tais?
  • – Con­ta­to oral com os sei­os?
  • -To­que nos sei­os?
  • -Bei­jos pro­fun­dos?

En­tre as des­co­ber­tas notáveis da pes­qui­sa, des­ta­cam-se os se­guin­tes da­dos: ape­nas 20% dos en­tre­vis­ta­dos dis­se­ram que o con­ta­to oral com os órgãos sexuais de seus par­cei­ros cons­ti­tuiriam se­xo. Um número de pessoas que representariam menos de 80% dos par­ti­ci­pan­tes­   con­si­de­ram pe­ne­tração anal co­mo se­xo (!!!). Ho­mens mos­traram-se mais pro­pen­sos a con­si­de­rar determinas relações práti­cas co­mo relações se­xuais do que as jovens mu­lhe­res.

  • Pa­ra o to­que do ge­ni­tal 13% dos ho­mens conside­ram ser se­xo, con­tra 7% das mu­lhe­res.
  • O contato oral dos sei­os foi con­si­de­ra­da se­xo por 9% de­les, con­tra algo abaixo de cinco por cento por parte de­las era considerado com uma vivência sexual.

O to­que dos sei­os re­pre­sen­tou se­xo pa­ra 8% dos ho­mens e ape­nas 3% das en­tre­vis­ta­das. Por que a pre­o­cu­pação? O se­xo oral tem se tor­na­do ca­da vez mais aceitável en­tre os jo­vens nos últi­mos anos, tal­vez por­que ele é vis­to por al­guns co­mo uma al­ter­na­ti­va me­nos ar­ris­ca­da pa­ra gra­vi­dez e DSTs.

Mas os médi­cos aler­tam que o se­xo oral po­de le­var a do­enças se­xu­al­men­te trans­missíveis, co­mo o HIV, her­pes, sífi­lis, go­nor­reia, e vírus do pa­pi­lo­ma hu­ma­no (HPV), que tem si­do as­so­ci­a­do ao câncer cer­vi­cal. Com is­so, os pes­qui­sa­do­res vi­sam in­cen­ti­var pais e pro­fes­so­res pa­ra au­men­tar a cons­ci­en­ti­zação so­bre as práti­cas se­xu­ais.

Nota do editor: Bem, eu publico esta matérias por dever de ofício. Muito  me estranha tal disparidade apresentadas. A maior parte das moças que conheci enquanto trabalhei como DJ na noite, mulheres que eram profissionais do sexo, tinham uma espécie de tabela com relação à sua prestação de serviços. Algo que era mais ou menos assim;

  • Para sexo  vaginal um preço
  • Com anal… Mais caro
  • Com sexo oral sem ejaculação ainda outro preço
  • Sexo oral e masturbação no final um preço diferente com variáveis de tempo
  • Sexo oral com ejaculação na boca tarifa triplicada

Todas elas, as profissionais do sexo, eram, também mulheres e, neste confuso mundo da prostituição, elas também amavam alguém.