Sinapses Virais. O HIV não causa a AIDS da maneira como pensamos

Ter HIV Não É Estar Doente? É uma questão de ler e pensar!...

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay
0

Sinapses Virais representam a forma de cem a mil vezes mais eficiente que o HIV, Vírus da Imunodeficiência Humana para eliminar (matar) células CD4 e conduzir o organismos à deficiência imunológica. Isso porque, segundo alguns, ter HIV não é estar doente! O que seria então, estar doente?

Sinapses Virais São A Maneira como o HIV não causa a AIDS E Não Do Modo que acreditávamos 

Assim se entendeu, melhor, os porquês de as vacinas não prevenirem a infecção

Por décadas, acreditou-se que o HIV evoluia para a AIDS de uma maneira bastante direta: espalhando-se pelo corpo como um vírus de livre circulação. Ligando-se, assim, ao sistema imunológico células (predominantemente células T CD4 +) e sequestrando seu maquinário genético para criar várias cópias de si mesmo. 

Ao fazer isso, o HIV pode se disseminar por todo o organismo. Expandindo-se em número até que células T suficientes sejam mortas para comprometer totalmente as defesas imunológicas de uma pessoa (a definição clínica da AIDS).

 

C. Goldsmith / Centros para Controle e Prevenção de Doenças

Sinapses Virais
Imagem de PublicDomainPictures

Pesquisas emergentes sugerem que provavelmente esse não é o caso, ou pelo menos não o caminho da doença que há muito presumíamos. 

Na verdade, desde o final da década de 1990, os cientistas começaram a observar que o HIV também pode se espalhar diretamente de uma célula para outra. E faz isso sem criar nenhum vírus de circulação livre na corrente sanguínea.

Este modo secundário de transmissão celular, de acordo com pesquisa do Gladstone Institute of Virology and Immunologyalcança de 100 e 1.000 vezes mais eficiente na destruição das células CD4 do que um vírus de livre circulação. Ajudando a explicar, em parte, porque o atual os modelos de vacinas são incapazes de prevenir ou neutralizar o HIV de maneira adequada.

Ao se transmitir de uma célula para outra, o HIV pode causar uma reação em cadeia celular na qual as células imunes literalmente cometem suicídio em grandes volumes. 

A pesquisa sugere que até 95 por cento das mortes de células CD4 são causadas por este processo, em oposição a apenas 5% de perdas relacionadas ao vírus livre.

01- Sintomas Do HIV Significam Que Tenho HIV?

Explicando Sinapse Viral

Esta forma de transmissão, de célula para célula, a transferência de célula para célula do HIV ocorre por meio das chamadas “sinapses virais”, nas quais a célula infectada adere a uma célula hospedeira “em repouso” e emprega proteínas virais para romper a membrana celular.

Processo foi capturado em vídeo em 2012 por cientistas da UC Davis e da Mount Sinai School of Medicine.

Uma vez invadido, o hospedeiro reage aos fragmentos de DNA viral depositados, desencadeando um processo denominado piroptose, em que a célula reconhece os sinais de perigo e gradualmente incha e explode, matando-se. 

Quando isso ocorre, a célula estourada libera proteínas inflamatórias chamadas citocinas, que sinalizam o ataque a outras células do sistema imunológico — células que são o alvo primário da infecção pelo HIV.

Os pesquisadores de Gladstone conseguiram mostrar que, ao evitar o contato célula a célula — por meio de inibidores químicos, bloqueadores sinápticos ou mesmo separando fisicamente as células — a morte das células CD4 foi efetivamente interrompida. 

Eles concluíram que o contato célula a célula era “absolutamente necessário” para ocorrer o suicídio celular (e a progressão da doença).

Implicações da descoberta Das Sinapses Virais

O que torna essas descobertas particularmente importantes é que elas não apenas explicam os mecanismos de depleção das células CD4, mas também destacam as fraquezas inerentes ao projeto atual da vacina.

Em geral, os modelos de vacinas contra o HIV têm se concentrado em preparar o sistema imunológico para reconhecer e atacar as proteínas de superfície em vírus de livre circulação. 

Quando o HIV é transmitido de célula para célula, no entanto, ele é essencialmente impenetrável ao ataque, protegido da detecção de dentro da própria construção da célula infectada.

Para superar isso, os modelos mais novos precisarão ajudar o sistema imunológico a direcionar melhor as proteínas vitais para a formação sináptica e/ou criar agentes antivirais que podem inibir o processo sináptico. 

HIV/AIDS bem explicados

 

Se isso puder ser alcançado, a capacidade do HIV de progredir para a AIDS pode ser profundamente limitada ou mesmo interrompida.

Embora os mecanismos de transmissão célula a célula ainda não sejam totalmente compreendidos, as descobertas representam uma mudança profunda em nossa compreensão de como o HIV progride para AIDS e nos fornecem um vislumbre das possíveis estratégias para a erradicação do HIV.

Traduzido por Cláudio Souza do original em HIV Não Causa AIDS da Forma que Pensávamos, escrito por Por James Myhre & Dennis Sifris, MD Atualizado em 22 de agosto de 2020, Medicamente revisado por Latesha Elopre, MD, MSPH

Fontes

 

Sexo vaginal E HIV – Esta é a Maior Forma de Contágio

Tem algo a dizer? Diga!!! Este blog, e o mundo, é muito melhor com amigos!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.