Anúncios

Desculpas Vazias – Pelo Carnaval de 2019. Será que peguei AIDS?

Você esta em Início => Eu, Cláudio. Alguns artigos e observações pessoais! => Desculpas Vazias – Pelo Carnaval de 2019. Será que peguei AIDS?
Eu, Cláudio. Alguns artigos e observações pessoais!
Será que peguei AIDS?
Esta é a cara
faça sua doação para Soropositivo.Org

 

 

 

O Aoio é Opcional! Minha Gratdão não tem fim!

Desculpas Vazias – O Mi-Mi-Mi de Sempre

Será?… Será que há uma granada, com o pino puxado….

 

(aquelas que todo mundo já conhece)

” Eu estava loucamente apaixonada “.

 

” Ele me deixou louca “.

 

” Eu estava bêbado “.

Será que eu peguei AIDS
Quando eu fui contratado para trabalhar no Vagão Plaza, eu era o “segundo”. Era uma vida mansa. Eu ganhava bem o bastante para manter minhas filhas e tudo estava bem. Ser o segundo no Vagão era honra e salário para trabalhar das 9:30 aé a 1:00, 2:00 da matina, que mais eu quereria…
Mas uma das gerentes da casa me disse: Nem F****** você vai ficar aqui como segundo. Prepare-se para subir e tenha em mente que, aqui, quando mais alto o cargo, mais perto você está da porta da rua…
Bem, eu tive de olhar e, infelizmente, a gerente estava certa, o “Primeiro bebia”. E bebia “pacas”! Eu o vi trabalhar e soube, depois de dez minutos, que eu jamais seria um profissional como ele e, com efeito, eu jamais o fui. Ele era um animador e fazia, ao vivo, edições como eu jamais havia suscitado e, se me permitem, alguma coisa dele eu imetei e a imitação é a mais bela forma de elogio!
Mas ele bebia e em uma destas noites ele chegou tão bêbado que não parecia saber a diferença entre um toca-discos e uma azeitona em um copo de Martini.
Meses mais tarde ele foi dado como desaparecido e a polícia acabou por chegar ao *Estação Plaza* fazendo perguntas e a noticia confirmou-se.
Havia sido atropelado, com alta quantidade de álcool no sangue. O motorista fugiu, nunca foi encontrado e um promissor DJ desapareceu da face da terra, sepultado como indigente. Na balada em que ele ia, desta forma, saiu mais barato porque, vede:
Uma das frases dele, famosas na época:
O ** é meu e eu dou para quem quiser! Cedo ou tarde ele ia contrair HIV e diria, EU ESTAVA BÊBADO
RIP DJ

 

A Grande Estupidez disso é que, bêbado ou não, ele teve ereção e, bem…

Achismos

” Eu achei que ela não tinha HIV, por isso transei sem camisinha”.

 

” Eu perdi todas as pessoas que se aproximaram de mim e não quis perdê – la também “.

” Foi um risco ” calculado.

 

” É melhor sem camisinha “.

Eu fui o idiota que disse isso zilhões de vezes

 

“Transar com camisinha é como chupar bala com papel”.

 

“Colocar o preservativo é broxante”!

 

“Não tem graça”.

 

Eu tenho escutado ou inventado razões para uma transa insegura. Inúmeras delas!

E eu mesmo criei as minhas para isso e, no *fim* eu acabei com um resultado reagente nas mãos e seis meses de sobrevivência diante de mim.

Tudo o que eu dizia era merda multiplicada ou multiplicando merda!

E eu recebo vocês aqui, todos os dias, com discursos similares e algumas outras coisas que beiram à ofensa pessoal:

-“Não é por mim! É por minha esposa e minha filha! Eu que me foda!” – SeNte-se em minha cadeira, com o Zap aberto e leia isso!

Que merda Ouvir Isso né? É como Se Eles Me dissessem: Eu estou aqui, quase ferrado, mas você….

Cláudio, você já caiu nas pedras justamente quando a maré baixou. Você está F***** e é um Grande FDP

E, mesmo assim, eu estou aqui, para ver que são inventadas, todos os dias, novas bobagens, novas ideias estúpidas, e eu já disse, eu ajudei a encher este caldeirão de besteiras dia após dia e, noite após noite, madrugada após madrugada e, da mesa forma, euu ouço novas desculpas parecidas com elas, as minhas e, na verdade, todas elas representam sempre a mesma coisa:

Inconsciência e irresponsabilidade. E meu dedo aponta, antes, para o meu nariz. Este longo, adunco e incisivo nariz, que parece, para piorar, assim como as orelhas, estar crescendo

Sexo inseguro continua sendo uma prática comum entre heterossexuais, homossexuais e bissexuais. Muitas pessoas estão sendo infectadas pelo HIV. Muitos de nós estão morrendo por aceitar este nível de insegurança.

Temos de mudar nossa resposta ao sexo inseguroTemos de mudar nossa resposta ao sexo inseguro e como nós comunicamos  ao outro nossas ideias sobre sexo.

Pelo Carnaval de 2019. Será que peguei AIDS?
Será?… Será que há uma granada, com o pino puxado, fazendo queles tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic,tic, “ticando até a explosão!? Só tem um jeito de saber: Esperar a janela imunológica, o pesadelo de tantos, e fazer o teste, a inaceitabilidade não reagente de muitos outros!……..

É nossa responsabilidade!

Nossa responsabilidade!

Como indivíduos e como comunidade; é preciso assegurar nosso futuro como humanidade. Quando você é tentado a ter sexo inseguro você pode fazer uma, de duas escolhas: você pode dizer sim ou não.

Uma transa desprotegida, insegura, pode ser muito boa, mas  pode haver tremendos riscos a um ou a ambos os parceirosUma transa desprotegida, insegura, pode ser muito boa, mas  pode haver tremendos riscos a um ou a ambos os parceiros. Transando com segurança, usando camisinhas, luvas ou o que seja necessário, garante – se a tranquilidade de não ter de pensar:

Será que eu peguei HIV?

Será que eu passei HIVSerá que eu passei HIV?

Será…?!!!

E evita que você procure uma das desculpas acima para si mesmo ou que invente novas desculpas, falas desconexas diante da realidade que, em verdade, em nada mudariam a maldita situação. O HIV ainda não pode ser destruído e, apesar de todas os avanços na medicina, a AIDS ainda é uma doença que pode ser fatal.

Se um amigo lhe fala que transou na noite passada sem camisinha, há muitas respostas que você pode lhe dar. Pergunte-se o que você gostaria de ouvir se estivesse no lugar dele.

Confrontação atenciosa é uma maneira de demonstrar que ele corre riscos, que é amado, e que você se preocupa com ele; demonstre que é um comportamento arriscado, que pode ter consequências irreversíveis e, principalmente, convença-se disso.

Talvez a resposta seja “que merda você fez’ “? Talvez seja ” você sabe dos riscos que correu”?

Talvez isto, a chamada ” linha direta “, sirva de alerta mais claro, mais conciso. A única resposta imprópria é o silêncio:

Silêncio. O Nosso silêncio, nesta conjuntura “social” é igual a morte.

Além de nossa responsabilidade individual, temos uma responsabilidade como seres humanos em relação à humanidade, no sentido mais amplo e coletivo da expressão, de evitar a propagação do HIV pelo mundo pois, amiguinhos e amiguinhas, de alguma forma, o que está em Xeque é a solução de continuidade da raça (Sic) humana no planeta! E cada porra louca de nós que contrai HIV vira um “tubinho de ensaio para o HIV”!

Sera de você que emergirá aquela nova cepa viralaquela nova cepa viral capaz de se transmitir pelo ar? Estou dizendo besteiras?

 

NÃO

EVOLUÇÃO TAMBÉM PASSA POR LIVRE-ARBÍTRIO

O mosquito da dengue só era capaz de se reproduzir em água “limpa”. Já não é bem o caso. Muitos de nós, seres humanos, parecemos não evoluir! E enquanto isso, tudo, literal e visceralmente tudo evolui. Inclusive o HIV!

A Coisa estúpida: Peste gay!

No princípio da epidemia, a comunidade gay foi brutalmente penalizada: eram os culpadoscomunidade gay foi brutalmente penalizada: eram os culpados. Fizeram história reduzindo o mais rapidamente possível as relações sexuais perigosas e rapidamente deixou de ser a comunidade com portadores de HIV que mais crescia. E parte de sua resposta foi criar as próprias organizações que poderiam ajudar educar, motivar e manter esse sucesso.

Mas, agências de prevenção e combate à AIDS não podem fazer apenas isto. Elas podem catalisar o que nós precisamos fazer por nós mesmos. Temos a necessidade de confrontar o que estamos fazendo e o direito de buscar ajuda se nós precisamos dela, e encorajar, explicitamente, uns aos outros para que façam o mesmo.

Você pode ir para casa hoje à noite e gastar cinco minutos pensando em seu próprio nível de risco, se transa de forma segura, ou se protege sua vida enquanto a vive.

Sexo exige responsabilidade e, em tempos de AIDS e Zika, só para citar, Será que peguei aids é um pensamento a ser evitado!

E só com o preservativo, a PrEp e PEP, em casos extremos, você pode falar com três de seus amigos para tentar saber o quão seguros e responsáveis eles estão sendo na hora de transar. E ser responsável também ou viverá pensando:

Será que peguei AIDS? Será? Será, será? Será que peguei AIDS?!!!!!!!!!!!!!!Será que peguei AIDS?!!!!!!!!!!!!!!

E se você for transar hoje à noite, use uma camisinha. Pois eu não o fiz e, agora

Bem, agora eu estou aqui, digitando estas coisas, tentando evitar que você faça as mesmas coisas estúpidas que eu fiz!

Nós também temos a responsabilidade de nos reunir e mudar o modo como vemos o sexoa responsabilidade de nos reunir e mudar o modo como vemos o sexo. Nós, como seres humanos, realizamos imensos sucessos em muitas áreas de nossas vidas e somos tímidos na hora de confrontar o outro em nossas necessidades mais simples.

Nós precisamos nos unir. Nós precisamos falar abertamente. Nós não precisamos voltar e reinventar a prevenção; nós precisamos fortalecer isto. Nós precisamos nos reorganizar, refletir nas  nossas prioridades, e o mais importante, reinventar a esperança.

Esperança é o que encorajará homens e mulheres HIV- positivos e HIV- negativosé o que encorajará homens e mulheres HIV- positivos e HIV- negativos, heterossexuais, bissexuais e homossexuais a se cuidarem e cuidarem uns dos outros, praticando sexo seguropraticando sexo seguro.

A vida vale mais que uma transa.

Tendo sexo seguro e responsável  hoje, estaremos ajudando não só a nós mesmos, mas também a toda humanidade, na construção de um mundo sem AIDS…! Sim, im e sim!

Um mundo sem AIDS, sem discriminação, sem preconceito.

Dan Wohlfeiler, Education Director

Traduzido e adaptado de uma das páginas do STOP AIDS nos idos da década de 10 do século XXI

Meu estado calmo de desespero.

Ensinou-me que é preciso participar.

Um homem não pode sobreviver impedido da participação

 

[bws_popular_posts]

 

Assine Nossa Newsletter – Ela É Mensal, Com O Melhor Do Melhor Em Meu Blog






E Você? O Que Acha

Muitas Pessoas, os “sorointerrogativos” olham com desdém para as pessoas com HIV.

Um amigo meu (ex-amigo que levou uma chave…), no passado, ciente de minha condição, referiu-se a outra pessoa, supostamente infectada por HIV da seguinte maneira:

-“Este é outro que está bichado”.

Até hoje eu não entendo os porquês de eu não tê-lo socado até fazer dele um pastel de burro, sei lá.

Como o assuto é sério e esclarecimentos cabem, eu coloco, antes, este vídeo:

Durante Décadas Foi Tabú! Pessoalmente sofri por isso. E Você, teria um relacionamento sorodivergente

Você é portador(a) de HIV? Se sim, conseguiu a aposentadoria ou o auxilio doença como manda a ei ou teve de lutar como um cão?

Precisa Conversar, comece pelos comentários, ou por aqui







Ou Custa A Fã Page do Blog!

 

Anúncios

Comente e Socialize-Se. A vida é melhor com amigos!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Soropositivo.Org, Wordpress.com e Automattic fazm tudo a nosso alcance Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Ler Tudo em Política de Privacidade

Política de cookies e privacidade

Este Site usa Cookies e você pode recusra este uso. Mas pode saber bem o que está sendo registrado em, conssonãncia com nossa política de privacidade