A busca pela cura da AIDS: Indivíduos não progressores provocam mais perguntas!

Image default
Crianças e AIDS Crianças e AIDS HIV

Uma adolescente francesa com HIV, que conseguiu manter uma carga viral indetectável por 12 anos sem tratamento antiretroviral foi um importante tema de discussão na 8ª Conferência Internacional da International Aids Society (IAS) no mês passado em Vancouver. Enquanto ninguém está chamando este caso de cura, ele levanta algumas questões interessantes sobre “controle pós-tratamento” e pode fornecer pistas sobre como conseguir uma cura funcional ou remissão de HIV a longo prazo.

, Blog Soropositivo. Org
Asier Saez-Cirion – Foto: Internet

Asier Saez-Cirion do Instituto Pasteur em Paris descreveu o caso em uma coletiva de imprensa durante a conferência e o Simpósio de pré-conferência anual “Para a cura”.

A jovem, que agora tem 18 anos, foi infectada com o HIV durante a gravidez ou no momento do Parto. Isso porque a mãe dela, que foi apresentada ao obstetra pela primeira vez durante o período final da gravidez, tinha uma carga viral elevada no momento do parto e, infelizmente, embora o bebê tivesse recebido doses preventivas de zidovudina (AZT) logo após o nascimento, não foi possível evitar que ele desenvolvesse a infecção por HIV.

Depois de terminar as seis semanas de zidovudina, sua carga viral aumentou para um nível elevado, confirmando que ela, na verdade, estava infectada. Ela então começou a TARV para tratamento com três meses de idade.

Quando ela tinha quase seis anos a criança foi retirada dos cuidados e perdeu seu acompanhamento. Quando ela voltou um ano depois, a carga viral do sangue era indetectável, mesmo que ela não estava na TARV (Terapia Antirretroviral). Ela ficou fora de tratamento. Aos 12 anos ela teve substancial “blip” de replicação viral (atingindo cerca de 500 copies/ml) mas depois voltou para níveis indetectáveis virais.

A jovem agora tem estado sem o tratamento antirretroviral por 12 anos e tem carga viral indetectável no plasma de acordo com testes ultrassensíveis que pode medir até 4 copias /ml. A contagem de células T CD4 também permanece elevada e estável. Mas os pesquisadores podem detectar DNA Viral em suas células — e células isoladas podem ser reativadas para produzir o vírus em laboratório — mostrando que ela não foi curada.

“Este caso é um excepcional — isso é algo que queremos que fique bem claro,” Saez-Cirion advertindo em coletiva a imprensa:

 “A maioria dos pacientes infectados pelo HIV, crianças ou adultos, mesmo se eles começaram o tratamento muito cedo, se eles param o tratamento, eles vão perder o controle de infecção.” “Esta jovem ainda está infectada pelo HIV e é impossível prever como seu estado de saúde vai mudar ao longo do tempo”, Jean-François Delfraissy, diretor do francês da Agencia Nacional da AIDS na França (ANRS), concordou. “O caso dela, porém, constitui um forte argumento adicional a favor de iniciação da terapia antirretroviral, logo que possível após o nascimento em todas as crianças nascidas de mães soropositivas.”

O que nos diz este caso?

, Blog Soropositivo. Org
Nos dias de hoje é possível evitar que a criança, filha de mãe soropositiva nasça sem HIV. Isso é tão importante que, em Cuba, a OMS decretou como erradicada a transmissão vertical, como é conhecida esta forma de contágio. Após a leitura clique nesta imagem para saber mais

No ano passado vi uma notícia decepcionante na busca de uma cura de HIV. Em julho de 2014, pesquisadores anunciaram que o bebê de “Mississippi” — uma criança que muitos especialistas pensaram que poderia ter sido curada do HIV — na verdade, ainda portava o vírus. Da mesma forma, um par de pacientes de transplante de medula óssea em Boston, que não mostraram sinais do HIV em seu sangue ou células enquanto em TARV experimentaram rebote viral vários meses depois de uma interrupção de tratamento experimental.

Isso deixa o Timothy Brown, o paciente de Berlim, como a única pessoa que ainda parece ter sido curada de HIV. Quase uma década atrás, Brown recebeu transplantes de medula óssea para tratar leucemia, usando células-tronco de um doador com uma mutação que ocorre naturalmente nos receptores CCR5-delta-32 que protegem as células T da infecção pelo HIV. Embora Brown tenha parado com a TARV durante esse processo, o HIV não retornou. Depois de mais de sete anos de testes, os pesquisadores não foram capazes de detectar vírus de replicação no seu plasma de sangue, células do sangue periféricos ou em qualquer outro lugar que buscaram.

Embora a adolescente francesa não entre para as fileiras das pessoas que podem ter sido curadas do HIV, ela se juntar a um pequeno grupo de “controladores de pós-tratamento” que parecem capazes de controlar o vírus, depois eles param o tratamento antirretroviral.

Saez-Cirion e seus colegas têm vindo a seguir um grupo crescente de adultos franceses, conhecido como o coorte de VISCONTI, que começou o tratamento durante a infecção de HIV aguda ou precoce, e que, depois de interrompida a terapia, e mantêm a carga viral indetectável no plasma sanguíneo. Mas eles não são livres de RNA do HIV em suas células-T e em outros lugares, como acontece com Brown.

Inspirado pelo grupo de VISCONTI e o bebê do Mississípi, equipe do Saez-Cirion procurou um banco de dados ANRS de pacientes pediátricos com infecção perinatal do HIV e identificou 100 que começaram o tratamento antes dos seis meses de idade. Destes, 15 pararam com a TARV enquanto sua carga viral era muito baixa ou indetectável. Na maioria desses, o rebote viral casos ocorreu dentro de um ano após a interrupção do tratamento. Mas uma criança manteve supressão viral durante mais de três anos, e a carga viral da adolescente permanece indetectável.

Saez-Cirion sugeriu que este é o primeiro caso de remissão de HIV muito longa em uma pessoa infectada na época nascimento e tratada precocemente — cerca de 10 anos mais que o bebê de Mississippi. A jovem francesa e a coorte de VISCONTI não fazem parte de outro grupo raro conhecido como “controladores de elite“. Esses indivíduos têm invulgarmente fortes respostas imunes que naturalmente mantém o HIV sob controle apesar de nunca tomar antirretrovirais. A adolescente francesa teve alta carga viral durante períodos o tratamento como um bebê, e ela não tem vários marcadores de sistema imunológico característicos dos controladores de elite.
“Essa garota não tem nenhum dos fatores genéticos conhecidos para ser associado com o controle natural da infecção”, disse Saez-Cirion. “Provavelmente que está em remissão virológica por tanto tempo porque ela recebeu uma combinação de antirretrovirais, logo após a infecção.”

A adolescente francesa e alguns pacientes do coorte de VISCONTI parecem ter uma resposta invulgarmente fraca ao HIV, e as células T em repouso não tornam-se ativadas e, assim, começam a produzir mais vírus novamente.

Isto pode ser desejável, pois evita a ativação imune persistente e inflamação geralmente visto em pessoas com infecção por HIV não tratada.

Esse recurso de controladores de pós-tratamento sugere que acalmar a resposta do sistema imune ao HIV — ao invés de reforço — possa ser uma abordagem para a realização de uma cura funcional.

Nota do Editor. Rolando esta página um pouco abaixo você encontrará, no terceiro vídeo, uma explanação muito simples e rápida sobre como o HIV se reproduz utlizando-se do mecanismo celular humano, especificamente o das células T-CD4

Se você é usuário de Natura Compre Conosco

 

Este é um trabalho feito com amor, dedicação, carinho e um 1⃣ senso de responsabilidade! Ele gera custos e despesas! 

Apoie neste link https://www.natura.com.br/?consultoria=claudiosouzaebeleza

E logo abaixo um formulário em que você possa mandar uma mensagem para mim!

Doe R$ 10,00 Doe R$ 50,00 Doe R$ 100,00

 

, Blog Soropositivo. Org
Se você pode e quer, por favor, ajude
, Blog Soropositivo. Org

E não foi dentro de uma “zona temporal de conforto”! Esta é uma história que só eu a tem para contar!

Fui a primeira pessoa física, um CPF, não um CNPJ a, entre aspas, “dar minha cara a tapa”!

Por tudo o que vivi, isso tudo aconteceu em um período ainda conturbado pelo preconceito e, sim, houve preços a serem pagos.

A moeda sempre foi a da exclusão social e cheguei a titubear entre prosseguir ou não!

O grande “IT” de tudo isso é que sem este trabalho nada me restaria, senão o  ócio e com toda a certeza não suportaria. Tenho a necessidade de ser produtivo.

We are Borg!

Se não de tédio pelas horas vazias, ao menos por suicídio pela absoluta falta de propósito que minha vida teria e a terrível impressão de parasitose que viria a me acometer. Assim, eu não pude parar.

Tive a oportunidade de realizar muitas coisas e, na outra mão, perdi diversas oportunidades de fazer mais, com um alcance mais profundo e melhor.

Nem tudo é como se quer. Deixa chover (Guilherme Arantes)!

Enfim, se você tem a possibilidade de apoiar, de financiar, mesmo que minimamente este projeto, eis aqui os fatos:

, Blog Soropositivo. Org
Este é o Único Blog ” Ainda ON LINE” a ter recebido este prêmio e esta consagração. O blog que alcançou o mesmo Status foi o Solidariedaids, de Paulo Giacommini. Infelizmente eu não consigo encontrar o link e a comunicação este eu e ele é muito difícil
  •  
, Blog Soropositivo. Org
Único Blog On Line Tratando deste tema a Ter Recebido Este Prêmio pelo Júri Acadêmico

, Blog Soropositivo. Org

Leitura Recomendada Neste Blog

Oi! Pessoal, obrigado por ter chegado até aqui! Sua atenção e interesse é o nosso maior interesse, trabalhamos aqui, eu e mara, com a finalidade de informar vocês, far alguma clareza em alguns pontos nebulosos de “tudo isso”.

Entretanto, nos faltam recursos financeiros

Se você gosta do trabalho, se tem condições de ajudar e quer ajudar, muitas vezes o custo de uma bobagem do seu dia-a-dia para nós, certamente fará a diferença porque, sabemos, o beija-flor, carregando água na pontinha de seu bico fará toda a diferença no esforço de apagar o incêndio na floresta!

Pense nisso!

Logo abaixo alguns recursos para facilitar o apoio!

Sugestões de leitura

Tem algo a dizer? Diga!!! Este blog é melhor contigo!!!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A Automattic, o Wordpress e Soropositivo.Org, e eu, fazemos tudo a nosso alcance no que tange à sua privacidade. E estamos sempre aprimorando, melhorando, testando e implementando novas tecnologias de proteção de dados. Seus dados estão protegidos e, eu, Cláudio Souza, trabalho neste blog 18 horas or dia para, dentre tantas outras coisas, garantir a segurança de suas informações, posto que sei das implicações e complicações das publicações aqui passadas e trocadas Eu aceito A Política de Privacidade de Soropositivo.Org Conhecer Nossa Política de Privacidade

Whatsapp WhatsApp Us