Soropositivo.Org

A Camisinha e a Informação, juntas, são melhores do que a PrEP, apesar de Haver Vida com HIV

Relacionamento Sorodiscordante por Natasha Roxy

AIDS não tem cura. Preconceito sim. Informe-seNa minha adolescência, nos anos 90, a AIDS era a grande vilã de quem fazia sexo sem camisinha e ainda é; minhas tias e tios diziam que isso de pegar AIDS era coisa de gente promiscua que vivia em busca de sexo sem compromisso e aventuras…

Mas sabemos que não é bem assim…

Quando me olhavam e viam que eu era uma “Menino afeminado” diziam…

“Cuidado, promiscuidade mata”

“Cuidado, já vi vários iguais a você definharem na cama de um hospital”

“A AIDS está aí se cuida, usa camisinha”

Sexuality_confusion

A maioria das frases eram muito preconceituosas pois associavam o fato de eu ser aparentemente um menino com “pré-disposição a ser “homossexual” ou, no caso, transexual, que é o que sou hoje, conforme profunda analise de minha psique…

O estigma entre as pessoas era muito exacerbado… não podiam ver um gay ou uma travesti magrinha que logo cochichavam “nossa está magra…deve estar aidética.”

Hoje eu vejo o quanto aquilo era algo preconceituoso e ignorante…

Hoje em dia, no entanto,  é fato que as pessoas estão com as mentes mais abertas com relação a isso, prova disso é a relação de pessoas sorodiscordantes; conheço muitos casais que se cuidam se previnem e mantém um relacionamento comum como qualquer outro livre de preconceitos e estigmas do passado…

Podemos dizer que a conscientização em se prevenir e se cuidar entre o casal é um fator importante, mas não podemos esquecer que também o maior fator é que as pessoas estão amando muito mais!

Amando sem os tais estigmas e preconceitos, aceitando as diferenças sabendo o que é certo e errado…

Não há diferença com relação aos casais sorodiscordantes com os que são soronegativos.

Há apenas a consciência de que as pessoas são diferentes e ao mesmo tempo iguais em direitos.

Amar e se cuidar é o mais importante hoje em dia!

Claudius el guapissimoNota do editor de Soropositivo.Org: Embora eu não veja a questão do respeito às pessoas vivendo com HIV ou AIDS com o m,esmo otimismo da Roxy, meu papel fundamental com Natasha é dar-lhe voz a qualquer preço.

Estive pesquisando, porque eu também preciso aprender, um pouco sobre transexualidade e encontrei material fartíssimo na Wikipedia, que sugiro neste link, que abre, sim, nesta mesma aba do navegador.  Recomendo-o às pessoas mais abertas para que possam observar que estas “novas idéias” não são tão novas assim, e aos estúpidos que autodeclaram _homofóbicos_ (peço minhas sinceras desculpas ao Clube dos estúpidos). Peço, por gentileza, que analisem as questões abaixo e opinem com honestidade a respeito destas questões

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Whatsapp WhatsApp Us
Olá. Você clica aqui e fala comigo, Cláudio Souza. No blog tem tudo o que você precisa saber. Eu já tentei fazer isso contando com a boa vontade de cada um. Isso é um trabalho, e eu passarei a vivenciá-lo assim: Você precisa por a mão na consciencia e me ajudar, pois de uma forma ou e outra, estando aqui, eu ajudo vocês e não vou conseguir ir muito longe om isso